rosabellaw Isabela Paula

Hermione chegará de uma viagem a trabalho bem nos dias dos namorados, data essa que Ronald esqueceu por estar por conta da árdua tarefa de cuidar da filha do casal. Mas essa não é uma data que se pode passar em branco e com ajuda da pequena Rosie, talvez seu pai saia dessa enrascada. Venham acompanhar Rony nessa aventura por lembranças que não podem ser alteradas, mas podem ser substituídas por uma lembrança melhor.


Fanfiction Livros Todo o público.

#rosie #ronald-weasley #hermione-granger #dia-dos-namorados #harry-potter
1
749 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prometo que nesse baile irei fazer a coisa certa.

Sinto algo incomodar em minhas costelas, me esforço para dar uma espiada com os olhos levemente abertos e o que encontro são olhos brilhantes, um sorriso e cabelos ruivos extremamente bagunçados.

-Rosie, é sábado. - respondo com a esperança que ela me escute e se deite novamente.

Deixo escapar uma risada com esse pensamento, como se Rose obedecesse a alguma regra. E como para comprovar minha teoria, a sinto me cutucar com seus dedinhos gordinhos novamente e não resisto ao seu charme.

-Ok garota, você ganhou. - a puxo para mim apenas para ouvir sua gargalhada. -Você dormiu bem? - pergunto e apenas recebo resmungo de respostas. - Vejo que os nove travesseiros chiques da sua mãe fizeram uma boa barreira né. Ainda me pergunto o porquê de tantos travesseiros.

Ao olha-la percebo (novamente) que tenho uma versão em miniatura da minha esposa, olhos redondos e castanhos, o nariz pequeno e arrebitado, até mesmo o sorriso doce era dela.

Apenas os cabelos ruivos comprovam minha paternidade.

-Está com saudades da mamãe? Porque eu estou. - seus olhos ficam sérios como se me entendesse apesar de seus dez meses de vida. - Mas ela vai chegar hoje, então se desespere, combinado? - ergo meu mindinho e ela segura minha mão tentando leva-la a boca. - Acho que você está com fome, que tal um banho antes? - pergunto já me levantando da cama com ela em meus braços, mas o calendário prende minha atenção ao passar pela escrivaninha.

-Dia doze? - meus olhos se arregalam ao perceber que fiquei tão centrado em cuidar de Rosie durante essa semana em que Hermione esteve fora, que nem percebi as datas. - Rosie, é dia dos namorados. - à informo, mas ela está brincando com meu cabelo e pouco se importando com meu desespero.

-Ei, calma. - digo para mim mesmo. - Primeiro vamos dar um banho em você e acalmar nosso estomago. - digo para a garota em meus braços. - Depois pensamos em um presente, não deve ser tão difícil.

------------------------------------------------

Acho que não deveria ter comemorado tão cedo, pois ao entrar no banheiro percebo que as coisas não serão tão fáceis.

-Acho que maquiagem e perfumes estão fora de cogitação né? - pergunto a Rose, que no atual momento está com um moicano feito de espumas e feliz por morder o frasco de condicionador.

Hermione não é de usar maquiagem, apenas em datas comemorativas e ainda sim sua penteadeira está lotada de produtos e cremes. Seja nas gavetas abarrotadas ou disputando lugar com os perfumes rodeando o espelho oval.

-Vamos sair? - pergunto.

-Não. - responde a palavra que ela mais gosta de pronunciar

Me levanto e vou ao armário sendo surpreendido com diversos conjuntos de toalha, seguro o riso.

-É, toalhas também estão fora de questão. - passo as mãos sobre elas e sinto a macies. - Nós temos diversas toalhas e ela não deixa ninguém usar, eu não a compreendo.

------------------------------------------------

-Estamos entrando em local proibido Rosie, então nem pense em deixar sua marca por aqui. - a instruo logo ao entrarmos no closet com ela completamente vestida.

Esse local se tornou proibido pouco depois que ela aprendeu a engatinhar, a algumas semanas atrás.

Em um dia de folga essa garota simplesmente desapareceu e ficamos horas em pânico a sua procura pela casa, apenas para encontra-la no sapateiro, babando nas botas que uso para trabalhar no ministério.

-Você não quer passar por mais uma bateria de exames, né? - a pergunto.

-Não. - responde e sua cabeça a acompanha em sinal negativo.

-Garota esperta. - sorrio a deixando no carpete. - Sua mãe é surtada, tenho até medo do que vai fazer quando descobrir que te dei pizza esses dias.

Começo a pensar no que comprar enquanto procuro uma roupa seca, todos os anos eu lhe dou chocolates e rosas vermelhas, mas acho que isso já ficou cansativo.

Ela sempre inova a cada ano, desde uma blusa nova e autografada do Chudley Cannons, passando por me levar em um rodizio de carne e terminando no último lançamento do kit de aurores.

Isso porque antes de viajar, ela me deu ingressos para o próximo show das esquisitonas, ela é ou não é a mulher que pedi a Merlin?

Em meio aos meus devaneios, não percebi o cabideiro lotado ao meu lado e em questão de segundos só foi ouvido o barulho das roupas e cabides caindo no chão.

-Rose. - na hora do susto foi seu nome que escapou da minha garganta.

Logo ouvi a sonora gargalhada da garota, que já tinha se arrastado novamente em direção ao sapateiro e estava tranquilamente degustando dos meus sapatos.

-Aí Rosie. - sigo em sua direção para arrancar os “germes” de suas mãozinhas. - Você vai querer ser uma Auror querida? - pergunto a tirando do chão.

-Não.

-Eu agradeço, apesar de achar que você seria ótima nisso. - respondo e a vejo concordar com a cabeça.

Olho o estado do closet, as roupas caídas pelo chão, os saltos que minha garotinha jogou pelo cômodo com o propósito de encontrar minhas botas.

-Acho que roupas também estão fora de cogitação, sapatos também. - chego a está conclusão. - Ela ainda diz que o armário está cheio de “nada” para vestir. - digo brincando.

------------------------------------------------

Após tomarmos nosso café reforçado e arrumamos todo o closet, descemos para almoçar, pois não a nada que tire a fome de um Weasley e temos dois em questão.

-Você quer assistir desenho enquanto o almoço não fica pronto? - pergunto a colocando no tapete da sala.

-Não. - ela responde sorrindo e mexendo os braços em direção a caixa mágica.

-Acho que esse não tem um fundo de sim. - logo pego o controle e coloco em algum programa infantil que a deixa em transe, pelo menos até a comida estar pronta.

Da bancada posso observa-la e percebo que suas feições são iguais a mãe, principalmente quando está concentrada assistindo algo. Hermione gosta de assistir diversas coisas nessa caixa magica, até mesmo coisas que a fazem chorar e na grande maioria das vezes me chama para acompanha-la, mas o que eu gosto e de ouvir sua explicação sobre o que se trata.

Ouvir não é bem a palavra, mas sim aprecia-la.


“-Porque essa mulher está montada em um dragão e queimando a cidade? - pergunto sem entender nada do que está se passando.

-Ela está se vingando. - responde simplesmente com um sorriso encantador, nem parece que a mulher de dentro da caixa acabou de colocar fogo em um orfanato.

-Porque o dragão obedece a seus comandos? Agora podemos domestica-los?

-Vamos lá, tudo .....

Essa já é a terceira vez que ela me explica sobre a história da mulher montada no dragão e essa é a terceira vez que eu não escuto uma única palavra, pois meus olhos estão muito vidrados para dar espaço aos meus ouvidos.

Minha visão está completamente focada na mulher que quando começa a falar, não há nada que possa para-la. Minha atenção está toda em suas caretas e expressões que deslizam pelo seu rosto.

Em seu nariz arrebitado que se enruga e se torce dependendo do clima da história, o que a deixa incrivelmente fofa e demonstra que algo errado aconteceu.

Em sua boca que se modifica em cada momento da história, seja com seu meio sorriso que demonstra que teorias da conspiração rondam seu lindo cérebro, com seu bico que me dá a dica que ela não gostou ou quando ela sorri mordendo a língua, algo que Rosie aprendeu e mostra que aprontaram algo.

Em seus olhos que não param quietos como se estivesse vendo toda a cena passar, que se fecham quando ela está procurando alguma solução e se abrem com amor ao notar que tem toda a minha atenção.

E eu sorrio, ao constatar que posso ver para sempre aqueles olhos grandes e castanhos.”


Após me perder em lembranças, acabo entrando em uma viagem ao passado que me mostra em momentos simples, o quanto eu sou sortudo.


“Tinha acabado de chegar em casa completamente acabado, todas as vezes em que visitava minha mãe era a mesma coisa, todo o luto voltava com força sobre mim.

-Oi. - Hermione diz me abraçando pelas costas. - De novo?

-De novo. - respondo me virando de frente a ela e caindo em seus braços. Três anos se passaram, mas era como se a morte de Fred tivesse acontecido a menos de um mês.

-Ei, eu estou aqui. - a vejo inutilmente me puxar em direção ao sofá. - Vamos fazer tudo ficar bem.

-Como? - pergunto em meio as lagrimas. - Como eu faço sem ele?

-Eu não sei meu amor. - a vejo também derramar lagrimas a minha frente, mas seu sorriso me acalenta. - Mas eu estarei aqui, com você para sempre ok? - ela pergunta e eu aceno com a cabeça. - E nós vamos descobrir juntos, vamos descobrir como seguir juntos.

-Vamos. - me agarro ainda mais a ela. -Nós vamos.”


“-Rony, é um suflê, tem que levar açúcar. - Hermione dizia apontando para a tigela a nossa frente.

-É suflê de fígado de dragão. - digo ao seu lado. - Esse não leva açúcar.

-Então como fica doce?- a vejo cutucando a massa a nossa frente.

-Eu não sei, só fica doce. - respondo dando de ombros.

-Eu vou colocar açúcar. - ela responde dando continuidade ao processo.

-Isso não vai dar certo. - aviso.

-Só confia em mim. - ela faz pouco caso e continua essa tarefa.

A vejo esquentar a forma com todo cuidado, polvilhar amêndoas no fundo com todo calculo e assimetria possível, virar a massa da direita para a esquerda como minha mãe a ensinou e colocar no forno.

Ela se senta no chão, em frente ao tabuleiro.

-O que você está fazendo? - pergunto.

-Vou ficar aqui para não queimar ou murchar. - ela responde em um tom sério. - Igual da última vez. - ela diz baixinho, mas eu escuto.

Uma hora e quinze minutos se passam até que ouço sua voz me chamando, ao chegar à cozinha a encontro com um sorriso que não cabe no rosto colocando a forma sobre o balcão.

-Deu certo. - ela responde com a voz fina e animada dando alguns pulinhos. - Vou tirar uma fatia para você experimentar.

-Ok. - respondo me sentando a sua frente e recebo o pedaço de bom grado.

Ao experimentar, percebo que eu estava certo sobre a açúcar.

O suflê está ao ponto de causar diabetes em qualquer um que tente respirar ao seu lado, mas eu vejo seu rosto ansioso antes que eu possa comemorar e dizer que ela está errada.

Me lembro que está é a quarta vez que ela tenta acertar nesse suflê e ela o odeia, mas continua persistindo porque é minha sobremesa favorita e quer me agradar.

-Está maravilhoso. - minto engolindo aquela bomba de açúcar e sorrio ao vê-la comemorar batendo as mãos.

-Eu acertei? - ela pergunta com os olhos marejados.

-Lógico, me diga algo que você faz errado.”


-Meu Merlin. - esfrego meu rosto com ambas as mãos e sinto o desespero tomar conta do meu corpo. - O que eu vou fazer? - me pergunto enquanto busco Rosie para almoçar, mas algo chama a atenção da garota em meus braços antes que eu chegue à cozinha.

-Mama.

-Isso. - comemoro. - Mamãe, como treinamos. - respondo, mas vejo que sua atenção está nas prateleiras, na foto do baile de inverno para ser mais especifico.

Essa foto foi tirada por Gina, nela Hermione se encontra deslumbrante. O cabelo enfeitado, a maquiagem leve, o vestido esvoaçante e o seu sorriso são de encantar qualquer um.

-Ela está linda né? - pergunto e recebo o sorriso de Rose confirmando. - Eu me sinto tão mal por ter estragado o baile dela, ela deveria ter terminado a noite com esse sorriso e não chorando nas escadas. Eu faria de tudo para mudar isso.

E em questão de segundos uma ideia surge em minha mente, eu não posso alterar o que aconteceu, mas posso substituir por uma lembrança melhor.

-Rosie, você é o ser mais esperto desse mundo. - afirmo enquanto a encho de beijo.

-Não. - ela responde com sua palavra favorita.

-Que tal passar a noite na vovó?

------------------------------------------------

Estou tão cansada, encarar três chaves de portal e uma reunião não é para poucos, mas pelo menos estou em casa.

-Rony, Rosinha. - chamo da entrada de casa, mal posso esperar para aperta-los. - A mamãe chegou.

Mas tudo o que recebo é o silencio. As luzes estão acesas, mas não os vejo em lugar nenhum e a casa estar completamente arrumada também é um indicio que algo de errado não está certo.

Ao chegar perto do aparador vejo um pequeno bilhete.

“Suba, tome um banho e se arrume para comemorarmos os dias dos namorados”

Deixo escapar um sorriso singelo, ele se lembrou.

------------------------------------------------

Após o banho, entro no quarto e encontro uma caixa antiga, que eu conheço bem, sobre a cama com outro bilhete.

“Prometo que dessa vez vou acertar, se vista para que eu possa concertar uma memória especial”

-Eu não acredito. - digo surpresa ao abrir a caixa e ver meu vestido bem ali.

Passo as mãos sobre o tecido e revivo a sensação que senti ao toca-lo pela primeira vez. O brilho e o encanto continuam ali, ainda maior por saber que dessa vez, quem estará me esperando no pé da escadaria é o amor da minha vida.

Me arrumo como em um ritual, tento apreciar o máximo esse momento, a ansiedade que senti quando era adolescente, o frio na barriga e as borboletas que se reviravam em meu estomago.

Me sinto em Hogwarts ao caminhar pelo corredor, mas tudo passa quando olho para baixo e vejo que o meu ruivo está tão emocionado quanto eu. Seus olhos são tão atenciosos que só falto me desmanchar em lagrimas ao encostar minhas mãos nas suas.

-Por favor, não chore. - ele diz passando os dedos por minhas bochechas apagando qualquer evidencia de lagrimas. - Eu quero que você comece e termine a noite sorrindo, como deveria ter sido a alguns anos.

-Rony. - digo antes que minha boca se encaixe na sua

Como senti falta desse beijo e de todos os outros que conseguem demonstrar todo o sentimento que nos envolve. Das mãos que acariciam minha cintura e passeiam pelas minhas costas, me mostrando que estou completamente segura. De seu cheiro que me embriaga e me traz calma em momentos turbulentos.

-Como você fez tudo isso? - pergunto em um folego, olhando ao nosso redor e vendo nossa sala transfigurada no salão que comparecemos na nossa adolescência, com toda a decoração de inverno.

-Eu sou um bruxo. - ele responde dando uma piscadinha e me puxando pela cintura em direção ao meio do salão, bem a tempo de ouvirmos uma música lenta tocar. - Eu queria que fosse tudo o mais parecido possível.

-Então por que está com esse terno? - pergunto de brincadeira alisando seus ombros. - Me lembro que na época sua roupa era mais... Chamativa.

-Estou aqui para fazer uma lembrança melhor, não para passar vergonha de novo. - ele diz rindo, como sou apaixonada nesse sorriso. - Você gostou?

-Eu amei, obrigada por ser o melhor “namorado” do mundo. - respondo deitando a cabeça em seu peito, como eu gostaria de ter feito aos quatorze anos.

-Não, você é a melhor “namorada” do mundo. - ele rebate.

-Não fui eu que fiz toda essa surpresa. - respondo o olhando.

-Somente seu toque ou seu beijo é capaz de mudar tudo. - ele diz me olhando profundamente. - Eu não sei o que faria se te perdesse, porque você é tudo o que eu não sabia que precisava.

-Ron...

-Ei, me deixe terminar. - brinca acariciando meu rosto. - Eu posso não te entender, mas espero que saiba o quanto te amo e o quanto agradeço por te ter aqui. Você é meu ajuste perfeito, o melhor presente que eu poderia ter e prometo que nesse baile vou fazer a coisa certa.

16 de Junho de 2021 às 02:29 10 Denunciar Insira Seguir história
4
Fim

Conheça o autor

Isabela Paula Uma estudante de Psicologia meio avoada e profundamente apaixonada por livros, series, filmes, animes e musicas. Completamente eclética quando o assunto são gêneros textuais e cética que historias podem ser portais para se viver uma inesquecível aventura, basta brincar com as palavra e saber que não há limite para a sua imaginação. Escreva e leia aquilo que te faz sentir algo, sejam borboletas no estômago ou arrepios, o importante é se sentir tocado de alguma forma.

Comente algo

Publique!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Tudo bem? Você inscreveu sua história no desafio #amordecinema. Foi um desafio construído com muito carinho para que vocês, autores, pudessem conhecer obras de outros escritores maravilhosos ao mesmo tempo que tinham a oportunidade de mostrar o trabalho de vocês. O desafio, assim como todos os outros lançados na plataforma, possuía regras bastante claras e uma delas era de que o autor deveria comentar pelo menos em seis histórias participantes para ter sua participação validada. Essa regra existe para que haja real interação entre os autores da plataforma e para que vocês possam reverenciar o trabalho uns dos outros. No entanto, apesar de ter inscrito sua história, você não cumpriu o número de comentários estipulados. Por conta disso, informo que sua história foi desclassificada. Talvez esteja se questionando sobre o motivo disso, mas na verdade ele é bem simples: ao inserir sua história no desafio, você recebeu comentários que poderiam ter sido direcionados a autores que participaram do desafio como um todo, não somente cumprindo com as regras do edital como interagindo e enaltecendo outros colegas escritores. Esses autores que se empenharam verdadeiramente para participar do desafio #amordecinema podem ter sido prejudicados por essa falta de retorno. Em resposta a uma mensagem privada você disse não ter inscrito sua história no desafio através da página de desafios, no entanto a partir do momento em que ela possui a tag (que apenas foi retirada após o anúncio do fim do desafio) todos os autores participantes e também a embaixada já acredita na sua participação como válida, uma vez que a lista das inscrições feitas através da página dos desafios só é conferida ao término do desafio. Então nesses casos aconselhamos que você procure um embaixador ou até abra uma discussão nas comunidades para que possamos te ajudar. Em principal porque muitos autores têm problemas para se inscrever e por isso consideramos primordialmente a tag antes da inscrição propriamente dita. Caso discorde dessa decisão, você pode entrar em contato respondendo este comentário, porém no momento, e até que se prove um problema ou equívoco, a palavra aqui dada é absoluta. Boa sorte com sua escrita.
June 19, 2021, 02:19

  • Isabela Paula Isabela Paula
    Agradeço pelo esclarecimento, me desculpe pelo transtorno. June 19, 2021, 02:29
Ellen Batista Ellen Batista
Não kkkkkk Coisa mais bonita, sua narrativa incluindo um bebê, que dizendo uma única palavra, conta uma história inteira. Parabéns! Quem nunca quis uma princesinha desses dois assistiu HP muito, muito errado. Foi um doce toque, diabético, porém perfeito. Parabéns! Eu já disse parabéns
June 16, 2021, 22:55

  • Isabela Paula Isabela Paula
    Aí, eu tenho um fraco por historias melosas, gosto de explorar e descrever as sensações e sentimentos dos personagens. Já Rosie é meu xodó, ela não poderia faltar em hipótese alguma, nem que fosse para dizer uma única palavra (fala pouco, mas fala bonito kkkk). Eu agradeço imensamente pelo seu comentário e pelos elogios, eles me deram um quentinho no coração. June 17, 2021, 02:16
Arnaldo Zampieri Arnaldo Zampieri
Estava lendo as histórias participantes do desafio e a sua me deu motivação para escrever. Foi algo do tipo: terminar de ler algo ótimo e pensar "que vontade de também escrever"
June 16, 2021, 14:50

  • Isabela Paula Isabela Paula
    Confesso que sempre escrevo para passar o tempo, mas com o intuito de transmitir sentimentos pela escrita e saber que lhe passei essa vontade me deixou imensamente feliz. Muito obrigada pelo comentário, amei saber que gostou. June 17, 2021, 02:02
Artemísia Jackson Artemísia Jackson
Que fofinho os babys, a Rosie é um gênio! Ron apaixonado é uma delicinha, e sem aquele toque babaca da obra original fica melhor ainda 🧡 parabéns pela obra, amor, tá um doce.
June 16, 2021, 13:39

  • Isabela Paula Isabela Paula
    Não vou negar que amo escrever historias com esse casal de um jeito mais leve e agua com açúcar, além de ser completamente apaixonada por essa boneca de cabelos ruivos e sempre procuro uma brecha para encaixa-la na historia. Muito obrigada pelo comentário, amei saber que gostou <3 . June 17, 2021, 01:57
Isís Marchetti Isís Marchetti
Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah, que tudo! Obrigada pela participação no desafio e por essa historia incrível!
June 16, 2021, 13:36

  • Isabela Paula Isabela Paula
    Muito obrigada pelo comentário, eu amei participar desse desafio e ainda penso em usar os anteriores como inspiração para outras historias. June 17, 2021, 01:53
~