I
Izzy Hagamenon


Neste conto vemos o dia dos namorados que mudou a vida de Xavier. Mesmo tendo acontecido há dez anos, ele faz questão de contar a todas as pessoas que conseguir sobre o dia que mudou a vida dele.


Conto Todo o público. © Todos os direitos reservados

#diadosnamorados #romance #amordecinema
Conto
2
2.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O melhor dia dos namorados

Hoje estou aqui para contar a todos como foi o dia que mudou a minha vida: o melhor dia dos namorados que já tive.

Tudo começou quando eu estava procurando um presente para a minha namorada no dia anterior da comemoração, há 10 anos.

Essa já é a quinta loja que eu entro e não encontro nada de interessante, o jeito vai ser fazer algo sozinho. Espero que a Claudia goste, não sou muito bom com trabalhos manuais, mas vou tentar fazer algo mais a ver com o nosso relacionamento.

Saio do shopping direto para o meu apartamento. Subo todas as escadas até o quarto andar, já que não tem elevador, tento pensar em alguma piada interna nossa ou uma lembrança muito boa que tenhamos juntos para ser a inspiração para o presente, mas não lembro de nada. Finalmente abro a porta do meu pequeno lar e me sento na sala encarando a TV desligada.

— Acho que vou enlouquecer pensando nisso antes de sequer ter a chance de vê-la. Tenho que pensar em algo logo, já é para amanhã e... — uma pilha de DVDs no rack chama a minha atenção. — Filmes?! Por que não pensei nisso antes?

Corro e pego os DVDs, começo a olhar um por um até achar algum que tenha feito parte de uma lembrança bonita com nós dois. Quase desisto, mas me deparo com o filme Rio e automaticamente um sorriso aparece no meu rosto. Não consigo controlar isso, nem é o tipo de coisa que eu assistiria, mas a Claudia gosta tanto de animações e coisas fofas que não pude dizer não a ela quando chegou aqui com esse filme. Lembro dela toda animada com as musiquinhas que ela sabia de cor por já ter assistido milhares de vezes antes de me mostrar.

— Está decidido, vai ser este! Agora só falta saber o que exatamente vou fazer utilizando isso. Bom, ela mesma já me disse que com chocolate não tem erro, não é? Vou mostrar os meus dotes culinários para ela.

Vou ao mercado comprar tudo que irei precisar para fazer o presente dela. Volto com várias sacolas contendo ingredientes para fazer biscoitos de chocolate e para colori-los também.

— Vou usar toda a minha coordenação e concentração para fazer isso.

Algumas horas e biscoitos queimados e cem formas depois, eu consegui fazer o suficiente para encher a caixinha que também tinha comprado. Não era muito grande, talvez seja do tamanho de uma caixinha de joias, mas não dá para dizer que eu não me esforcei, consegui fazer com que os biscoitos pelo menos tivessem os nomes e as cores dos personagens do filme. Espero que ela goste.

Após me cansar por ficar na cozinha o dia inteiro, fui deitar com a certeza de que o dia seguinte seria especial, mesmo sem saber o porquê.

Depois de descansar bastante, acordei com tempo suficiente para me arrumar devagar e ir para a praça que combinei de encontrar a Claudia. Tinha a impressão de que qualquer um que passasse perto de mim naquele momento conseguiria ouvir o meu coração de tão forte que ele estava batendo, sempre fico nervoso quando vou entregar um presente. Sempre fico ansioso para saber a reação da pessoa, fico com medo de não gostarem.

Antes de ser consumido pela minha angústia, avisto Claudia se aproximar. Ela não parece muito bem, será que também está ansiosa?

— Sempre na hora certa, hein? — ela diz ao ficar na minha frente.

Começo a me levantar para beijá-la, mas ela se senta rapidamente ao meu lado.

— Aconteceu alguma coisa? Você parece estar um pouco para baixo.

— Eu não tenho presente para te entregar hoje.

— É isso? Não precisa se preocupar com isso, sabe que eu não me importo. — digo com um pequeno sorriso nos lábios para confortá-la. — O meu presente para você foi feito a mão, pode não estar perfeito, mas espero que goste.

Eu abro a caixinha para ela bem lentamente.

— Você disse que com chocolate nunca tem erro, me lembrei bem disso.

Ela encarou a caixa e deu um sorriso que não chegou aos olhos, na verdade, ela agora parece triste. Ela levanta a cabeça e olha diretamente nos meus olhos.

— Eu não posso aceitar o seu presente Xavier.

— Não tem que se sentir mal por causa do presente.

— Não é isso. — ela começa a olhar ao redor, como se agora quisesse evitar o meu olhar o máximo possível. — Tenho que te falar uma coisa.

— Pode me falar amor.

— Eu... quero terminar com você. — ela agora encarava as próprias mãos.

— Como assim? Estávamos bem até pouco tempo, eu fiz alguma coisa errada? Te aborreci?

— Não, não! Você é maravilhoso, e é exatamente por isso que temos que terminar. Você me ama, consigo ver isso nos seus olhos e em todos os seus gestos. Eu já te falei que os seus olhos não conseguem mentir, mas os meus conseguem ocultar algumas coisas. Uma delas é que eu me sinto culpada estando com você. Eu sei que você dá tudo de si para o nosso namoro, mas eu não me sinto da mesma forma. Eu tentei ao máximo te amar e consegui, mas não da forma que deveria ser para esse namoro continuar.

Cada palavra dela era como um pequeno corte feito diretamente no meu coração, cada um parecia apenas superficial, mas juntos causavam uma dor enorme.

— Eu não posso continuar com isso, seria injusto com você. Eu sinto que a cada dia que passa é um dia a mais que eu te privo de encontrar alguém melhor, alguém que vai poder retribuir os seus sentimentos. E eu me importo demais com você para saber disso e simplesmente não dizer nada.

Agora eu tento segurar as lágrimas que ameaçam descer, não quero chorar agora.

— Sei que vai doer agora, mas é melhor assim. É melhor sofrer um pouco agora e passar o resto da sua vida com a pessoa que você merece do que viver para sempre em um relacionamento cheio de incertezas e de possibilidades fracassadas.

Ela se levanta e me pede para levantar também. Ela me abraça bem forte e sussurra:

— Quero que fique bem, espero que com o tempo possamos nos encontrar de novo para sermos aqueles amigos inseparáveis que um dia fomos.

Ela começou a se afastar de mim e com um último aceno me deixou à mercê de minha solidão, uma que surgiu no momento que seus braços já não me seguravam.

Voltei a sentar no banco e fiquei encarando a caixinha nas minhas mãos enquanto as minhas lágrimas caiam nela. A abracei como se fosse um tesouro, pois realmente era, continha uma das nossas bonitas lembranças.

Meu devaneio foi tanto que não percebi a garota que se aproximou de mim até ela falar comigo.

— Você está bem? Aconteceu alguma coisa?

Meu estado deveria estar péssimo, pelo menos o suficiente para fazer com que estranhos sintam pena de mim.

— Quer falar sobre o que está passando no momento? — ela diz enquanto se senta ao meu lado. — Dizem que é bom desabafar com desconhecidos, já que nunca os vemos de novo, os nossos segredos e medos ficam seguros com eles.

Geralmente eu não converso com desconhecidos, sou tímido demais para isso. Mas algo naquele momento parecia querer fazer a minha boca respondê-la, não sei se foi a gentileza dela ou o meu atual estado de tristeza. Talvez um pouco dos dois.

— Nada demais aconteceu. Apenas descobri que a pessoa que eu dedicava o meu amor é incapaz de retribuir esse sentimento. Que passei horas do meu dia pensando no que fazer e em como fazer algo para deixá-la feliz só para no dia seguinte sequer conseguir entregar a ela. — ela olha para a caixinha nas minhas mãos. — E, que além de dor, sinto um desconforto por vê-la tão preocupada e atenciosa em um momento que deveria ser fria para cortar esses sentimentos que tenho pela raiz.

Ela me escuta desabafar sobre a minha ex-namorada e esse término repentino por quase meia hora, e mesmo assim ela não parecia arrependida por ter perguntado. Assim que terminei de falar, o canto de sua boca subiu um pouco, uma aura risonha a rondava.

— Depois de todo esse tempo eu ainda não me apresentei. Meu nome é Alice, prazer!

— Nem eu, meu nome é Xavier. Desculpa por alugar seu ouvido por tanto tempo, deve ter mais o que fazer.

— Não precisa se preocupar com isso, hoje é feriado e eu não tenho ninguém para comemorar ele também.

Eu olho de novo para a caixa e a estendo devagar em direção a ela. Se ela estava sozinha também, então poderíamos fazer companhia um ao outro por um tempo.

— Quer um pouco de biscoitos de chocolate? Eu não tenho ninguém para dividi-los mesmo. Podem não estar perfeitos mas juro que tentei o meu melhor.

— Foi você que fez? — ela me olha surpresa.

Há poucos minutos eu estava com o meu coração despedaçado, mas por um momento o senti um pouco menos dolorido, mesmo com a dor ainda lá.

— Fui eu sim — disse rindo.

— Que fofo. São inspirados no filme Rio!

— Gosta desse filme?

— Apesar das pessoas me falarem o tempo todo que é apenas um filme infantil, eu gosto muito. — ela ri falando disso, como se lembrasse de todas as pessoas que falaram isso e fosse se vingar a qualquer momento. Parecia uma risada de vilão de filme por um momento, mas pareceu fofo.

E passamos a tarde toda assim, comendo biscoitos e falando um pouco sobre nossa vida. Descobri que temos várias coisas em comum, o suficiente para trocarmos números de telefone e mantermos contato.

Esse meu dia dos namorados mudou a minha vida, pois foi nele que conheci a pessoa mais importante da minha vida. Depois disso viramos amigos e no ano seguinte a pedi em namoro. O dia dos namorados passou a ser muito mais do que isso para nós, simboliza o nosso primeiro encontro. E como um ritual, nesta data alguns anos depois eu a pedi em casamento.

O que a Claudia disse acabou se tornando verdade, nós voltamos a sermos amigos depois de um bom tempo, ela até foi uma das convidadas do meu casamento. Quando me deu os parabéns eu pude ver a felicidade em seus olhos, eu não era o único com boas notícias na área do relacionamento.

Hoje espalho essa história sempre que posso no dia dos namorados para os mais jovens não perderem a esperança. Eu uma vez pensei que passaria o resto da minha vida sozinho por não conseguir superar a dor no coração que surgiu nesse dia, mas acabou que foi apenas o preço a ser pago temporariamente por uma vida inteira de felicidade.


16 de Junho de 2021 às 21:12 7 Denunciar Insira Seguir história
7
Fim

Conheça o autor

Izzy Hagamenon Apenas uma jovem mulher que gosta de colocar seus sentimento no papel, uma que tenta transmitir seu ponto de vista sobre o acontece no mundo.

Comente algo

Publique!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, Izzy Hagamenon! Primeiramente, gostaríamos de agradecer a sua participação no #amordecinema! Izzy, nos últimos momentos do desafio você publicou sua história e, acredite, ficamos felizes e surpresas com sua participação. Sabemos que a vida está uma correria pra você por causa das provas da escola e também por causa dos seus afazeres na própria embaixada e por isso mesmo que sua participação é ainda mais preciosa para nós. Obrigada de verdade pelo apoio que nos deu ao resolver se inscrever. O Dia que Mudou Minha Vida é uma daquelas histórias que arrasam com os nossos corações. Aqui nos bastidores do time de comunidade, devo dizer, teve gente que precisou segurar o choro quando o personagem foi dispensado, depois de tudo o que tinha feito. Então, se era emoção que você queria que sentíssemos ao ler sua história, saiba que conseguiu! A proposta do desafio era que colocássemos os personagens nas situações mais inusitadas em busca do presente perfeito, pelo menos era isso que acreditamos que iriamos ver, e não um enredo primeiramente triste, que arrebentou nossos corações, mas com um plot twist no final para nos acalentar. A sua sacada para o tema foi única e genial. Poder ver como os participantes dos desafios usam a ideia para transformar uma história de forma tão incrível é sem sombra de dúvidas algo maravilhoso. Uma das coisas que mais nos impressionou foi, sem dúvidas, o empenho do Xavier para fazer algo especial e diferente. Ele buscou na memória dele tudo aquilo que poderia surpreender a amada e fez tudo com um carinho que transborda das palavras para nossos corações. E aqui queremos destacar o seu sucesso em demonstrar os sentimentos através da narrativa. O momento em que as coisas começam a dar errado para ele é também o momento em que ficamos mais surpresas durante a leitura. Depois de tanto esforço, depois de tudo o que ele planejou com tanto cuidado e carinho! Mas então, uma novidade surge sem que ele jamais pudesse esperar. Esse foi o ponto alto da história, sem dúvidas, mas também foi algo que despertou curiosidades: o Xavier teve tempo para se recuperar do que aconteceu? Como é para Alice se lembrar que o primeiro dia dos namorados dela com o homem da vida dela foi marcado com a divisão do presente que ele tinha feito para outra? Enfim, foi bastante interessante segui-lo nessa jornada e descobrir junto dele que a esperança deve sempre ser mantida. Afinal, o amor da sua vida pode surgir nos momentos mais improváveis e difíceis! Com relação à sua gramática e ortografia, gostaria de parabenizá-la mais uma vez. Como sempre, pudemos deslizar pelas palavras graças ao seu cuidado com a revisão. Queremos fazer apenas um apontamento que deve ter passado despercebido, que é “sem formas” quando deveria ser “cem formas”, nada, claro, que tenha atrapalhado a nossa leitura e compreensão da história. É muito gratificante para nós ter o apoio dos embaixadores em cada proposta que lançamos para os autores, além de ser uma forma que usamos para apoiar nossos próprios escritores, por isso a sua participação para nós foi muito querida! Obrigada por sempre nos apoiar. Obrigada pela sua participação, foi muito bom poder contar com você neste desafio e esperamos poder vê-lo em outros. Os resultados serão divulgados em breve nas nossas mídias sociais. Fique de olho e boa sorte!
June 19, 2021, 21:46
NíngYì Mèng NíngYì Mèng
Que lindo! E que plot é esse? No final, Claudinha Love (um apelido carinhoso que dei a ela, por favor não me leve a mal) tinha razão. Eu gostei da escrita, personagens, enredo. Tudo muito bom. Parabéns ❤
June 18, 2021, 19:50
Verônica Ashcar Verônica Ashcar
Olá! Tudo bem? Nossa mulier que tristeza é você lembrar que fez tudo que podia para não dar em nada, mas é bom que em meio a decepção pode vir dias melhores. Parabéns! 💚
June 18, 2021, 14:36
Ursula Lieselotte SanDaniels Ursula Lieselotte SanDaniels
Que plot maravilhoso! Você deixou meu coração em caquinhos
June 18, 2021, 13:14
Eric Sandric Eric Sandric
muito legal, gostei
June 17, 2021, 12:43
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Olá, Izzy! Que maravilha que você resolveu participar. E, cara, você arrebentou meu coração com aquele termino. Sem or. Mas eu fiquei bem contente com a reviravolta da trama, achei bastante interessante a forma como você resolveu desenvolver o presente perfeito (e esse também acabou sendo o dia perfeito, pó incrível que pareça, pros dois hahaha). Parabéns pela história e obrigada pela participação 💖.
June 16, 2021, 22:53
Arnaldo Zampieri Arnaldo Zampieri
Que plot! Vou me limitar a isso pra não dar spoilers
June 16, 2021, 21:16
~