maxrocha Max Rocha

As crianças tem amigos invisíveis. Mesmo que você duvide...


Aventura Todo o público.

#imaginação #pets #Et's
Conto
1
5.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Criaturinha

Nívea abriu os olhos lentamente.

Mais uma vez, tentou não acreditar no que viu; chegou a beliscar-se, para ter certeza de que não estava sonhando...

Mas, a criaturinha teimava em permanecer à sua frente, muito real.

Sacudia a cauda e arfava o peito ao encontrá-la na volta da escola, e dormia ao seu lado, aos pés da cama de tons rosados, estando sempre a postos quando ela acordava.

A mocinha até então, do alto dos seus 6 para 7 anos de vida, não entendia o motivo dos adultos nunca perceberem a existência do animalzinho.

Ficava possessa quando achavam graça dos cuidados dedicados ao pequeno Tob.

Por mais que aqueles insensíveis adultos mangassem dela, e todas as noites a tentassem convencer que tudo era fruto de sua fértil imaginação, não podia negar aos seus sentidos a presença constante do bichinho.

Aos olhos de Cristina, a orientadora educacional do ensino fundamental do colégio Sacre Coeur, a preocupação dos pais da pequena Nívea era injustificada; era uma aluna acima da média, e seus coleguinhas a respeitavam, pois a danadinha tinha muito jeito para liderança; demonstrava ainda muita criatividade nas tarefas escolares, apesar de às vezes divagar, como se dedicasse atenção temporária a outros assuntos.

Já aos olhos do pequeno ser quadrúpede, um dos poucos remanescentes da última viagem cósmica de sua espécie, aquela moradia o havia acolhido em boa hora, quando já não mais tinha esperanças de sobrevivência, naquele distante planeta.

O cômodo onde passava as noites, de vez em quando era invadido por aquela estranha criatura de patas compridas e grandes olhos, mas que demonstrava uma enorme atividade cerebral, muito superior aos outros de sua raça.

Seu bem-estar dependia daquele jovem espécime... assim, afeiçoou-se à pequena.

O problema contudo, é que à medida do crescimento, estes mesmos espécimes sofriam uma redução de sua capacidade intelectual, o que dificultava gradualmente a comunicação.

Iniciava-se aí uma nova etapa de recrutamento de novos cuidadores, já que a vida longa era uma característica comum aos seres do extinto planeta Akron, consumido pelo desmatamento e pela poluição desenfreados.

O fruto natural desta interação deveria ser uma conscientização maior quanto aos problemas ambientais, por parte dos pequenos humanos, o que na verdade era sempre tentado pelos forçados visitantes, interessados em sua própria sobrevivência.

A crescente perda do contato mental, desencadeada pelas mudanças hormonais dos terráqueos, condenava porém, ao fracasso as tentativas.

O pequeno E.T., no fundo, no fundo, temia o possível destino daquele novo mundo...

9 de Junho de 2021 às 15:06 2 Denunciar Insira Seguir história
4
Fim

Conheça o autor

Max Rocha Um Fantasma literário ou alguém que apenas gosta de escrever... me interesso por ficção histórica e científica, suspense, misticismo e mistério com um toque de humor. Às vezes enveredo pelo tom crítico e motivacional do cotidiano. Escrevo ouvindo música instrumental relacionada com o tema no Spotify, ao lado da Duda, minha cadela australiana de 5 anos. The Phantom (O Fantasma) foi criado por Lee Falk, em 1936.

Comente algo

Publique!
Gustavo Machado Gustavo Machado
Curioso para ler o resto!
June 14, 2021, 17:06

  • Max Rocha Max Rocha
    Que bom ter despertado essa sensação! Sinal que a leitura foi agradável. Obrigado pelas leituras de meus textos. Apareça sempre. Luz e paz! June 15, 2021, 01:55
~