agustdeadtown Vick

❝Onde Jung Kook se preocupa ao ver Yoon Gi fumando e bebendo após uma noite de amor❞ [Yaoi | Romance | Hot | au!¡ | One Shot Fanfic | Jk!¡bottom | Yg!¡tops] [18+ Contém romance e sexo homossexual] ©2017 agustdeadtown


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#yaoi] #gay #yoonkook #suga #yoongi #jungkook #bts
1
1.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

único: Drink and smoke!

ㅤ O crepitar dos pneus soava abafado, na estrada atrás do casarão. Era comum ter aquela melodia durante as madrugadas, pessoas deslocando-se entre as cidades para trabalhar ou para lazer próprio. O som era calmante e ajudava Jungkook a ler as letras datilografadas nas folhas amareladas, compondo um romance de época.

ㅤSentado na cama do quarto, sentia o cheiro do marido na camisa que ele usava, o abajur ligado iluminando as paredes do cômodo e criando sombras grandes para a maioria dos móveis originais da casa. Fechou os olhos, escondendo as orbes jabuticaba para apreciar as notas do piano.

ㅤYoongi tinha aquele costume melancólico: tocar na sacada do casarão durante as noites. Era normativo para Jungkook dormir tranquilamente com as melodias do marido, exceto quando estas passavam a ser compostas por teclas sendo pressionadas com força desmedida, expulsando os sentimentos confusos que o musicista escondia.

ㅤSegundos ou outros as notas falhavam. JungKook interrompia sua leitura, preocupado com o homem, prestando atenção máxima ao que acontecia do lado de fora, mesmo que uma parede impedisse-o de vê-lo diretamente.

ㅤCoçou o nariz sensível por conta do cheiro forte, os olhos jabuticaba aumentando de tamanho gradativamente, tirando o lençol do corpo para se levantar.Yoongi estava fumando novamente.

ㅤVestiu os chinelos, evitando esfriar os pés no piso gelado. Pegou no cabidero o suéter do marido, pendendo o tecido sobre o antebraço. Estremeceu ao parar no batente da porta de vidro que dava na sacada, o vento castigando quem estivesse despreparado para a queda repentina da temperatura.

ㅤAdmirou encantado os cabelos ébano sendo bagunçados pelo vento, sem que incomodasse Yoongi. Dali, assistiu o mais velho buscando pelo cilindro apoiado no cinzeiro e tragando com vontade, deixando a cabeça pender para trás para soltar fumaça, repetindo o ato algumas outras vezes, usando da canhota para arriscar algumas notas suaves.

ㅤTemendo que ele ficasse doente, Jeon caminhou para mais perto do marido sentado de costas para si. Abriu o zíper do casaco e colocou sobre os ombros do mais velho, abraçando-o e permanecendo em pé, ali, acompanhando mais de perto as mãos grandes passearem pelas teclas do instrumento.

ㅤ— Você deveria estar dormindo. — A voz saiu rouca, reflexo do tempo em silêncio. — Achei que estivesse cansado, JungKook. — Sussurrou com os olhos fechados, imerso pela música que tocava.

ㅤJungkook respirou com calma e apoiou o queixo no topo da cabeça do Min, sentindo o cheiro suave de perfume enroscando-se a traços de suor nos fios. A mente dividida entre ser sincero ou apenas dizer que o piano havia o acordado, mentindo. Na realidade ele não havia dormido desde que havia feito amor com o Min, algumas horas atrás.

ㅤ— Algo me incomoda, hyung. — Sentou-se no banco ao lado do homem de cabelos escuros. Yoongi deixou de tocar e voltou a pegar o cigarro sobre o tampo do piano. — Você não está deitado comigo. — Murmurou manhoso.

ㅤMin esvaziou os pulmões com rapidez antes de apagar o cigarro no cinzeiro já maltratado.

ㅤ—Está bebendo sozinho também. — Comentou assim que viu o copo com whisky em uma mesinha ao lado de si. — O que aconteceu?

ㅤCuidadoso como só poderia ser com o seu menino, Yoongi esticou os braços e trouxe com cuidado Jungkook para seu colo. Sentado de lado, ele pode analisar com devoção o rosto alheio, as sobrancelhas cheinhas e os lábios finos. Os olhos brilhantes que emanavam inocência era incongruente com o corpo seminu sobre si.

ㅤ—Creio que teremos que deixar essa casa, Jung Kook. — Lamentou. — Tenho certeza que irão me despedir pela manhã.

ㅤ—Por quê? — Questionou com seu tom de voz mais baixa possível, como se estivesse guardando um grande segredo com o Min.

ㅤ—Eu matei um cara pela madrugada, os cabeças não gostaram nem um pouco.

ㅤJung Kook não demorou para assimilar a ausência do marido na noite anterior com aquele assassinato. Yoongi fazia parte da tropa armada de um grupo de lobistas, agindo contra o governo local. Era encarregado dos trabalhos sujos do grupo, sequestrando algumas pessoas, chegando a matá-las caso fosse necessário.

ㅤ— Eu matei o prefeito de Busan, Jungkook.

ㅤApesar da gravidade do crime, Jeon tinha certa comodidade com o trabalho do marido. Sabia do sumiço repentino do prefeito da cidade vizinha, mas não tinha ciência da participação do Min naquilo.

ㅤ— Você acha que... vão te matar, por isso?

ㅤYoongi manteve-se em silêncio, acariciando a coxa desnuda, pensativo. — Ele ia morrer de qualquer jeito, não entendo porquê estão tão irritados com isso.

ㅤ— É por isso que você 'tá bebendo, hyung? — Virou-se de frente para o rapaz, as pernas se acomodando nas laterais do quadril masculino. — Olha, se quiser a gente pode fugir. Só não faça mais isso, entendeu? Se eu te perder por causa da bebida ou do cigarro, irei te buscar no inferno, 'tá me ouvindo?

ㅤYoongi não se contentou e pendeu a cabeça para trás em um riso nasalado. — Você não vai ficar bravo se a gente precisar deixar essa casa? Você gosta tanto dela.

ㅤ—Logico que não, hyung! Você é mais importante para mim do que essa casa! — Afirmou, para selar os lábios gelados em um beijo calmo. — Por favor, fume e beba menos, hyung.

ㅤMesmo sentindo a lombar começar a incomodar pelos resultados de horas antes, o Jeon sentiu a sensação gostosa entorpecê-lo, sentindo os dedos do Min apertando suas coxas. Foi instintivo rebolar lentamente, gemendo ao que foi puxado para mais próximo ao atirador, ficando por cima do membro do marido.

ㅤ—Quer namorar em cima do piano, Goo?

ㅤO rapaz mordeu o lábio inferior, acenando positivo ao que abraçava os ombros do menor. Aproximou os lábios perigosamente dele para se afastar com um sorriso sapeca. Apanhou o copo gordinho na mesinha lateral, dando um gole mediano no whisky, sentindo a garganta arder pelo alto teor alcoólico.

ㅤ— Teremos algo diferente hoje, Sr. Cigarettes. — Brincou com o apelido. — Deixa eu brincar com você, hyung?

ㅤYoongi ponderou por alguns segundos, questionando-se mentalmente sobre o que aquele rapaz estava pensando em aprontar consigo. Era sempre bom, ter Jungkook arriscando técnicas novas que lia pelos livros da biblioteca do casarão, tomando frente na hora das preliminares, deixando o hyung posteriormente se afundar entre suas pernas.

ㅤApertou a cintura delgada entre os dedos, acompanhando os olhos jabuticaba brilhando em expectativa. Desceu seu olhar pelo tronco coberto pela camisa social aberta parando em suas coxas amostras e a cueca.

ㅤ— Deixará que eu fume o resto do cigarro que apaguei? — Perguntou e o Jeon inclinou o tronco para trás, apoiando as costas no piano marrom.

ㅤ—Apenas um? — Jungkook ergueu a sobrancelha. O mais velho concordou. — Tá! Mas me deixe beber do seu whisky.

ㅤYoongi não viu outra opção a não ser aceitar a proposta do mais novo. — Não beba muito, você acabou de completar maior idade.

ㅤ—Hyung, você me deu bebida quando tínha dezenove anos... no meio do colégio! — Esbravejou com um tom brincalhão, fingindo incredibilidade ao que servia um dedo do líquido no copo.

ㅤYoongi suspirou nostálgico, relembrando os tempos de juventude. Não que fosse um idoso, ainda estava na casa dos vinte e oito, mesmo assim, lembrar dos tempos de colegial era gostoso. A imagem de Jungkook com o uniforme ainda era fofa em sua mente, enquanto ele só se colocava em problemas, desafiando o sistema educacional com suas roupas escuras, o casaco de couro e o cigarro que fumava no intervalo.

ㅤO Min não mudara nada, mesmo depois de anos.

ㅤJungkook porém, era o garotinho que havia chego no meio do ano e que se enturmou com o hyung repetente durante uma tarde de detenção. Mesmo com dois anos de diferença no colégio, os dois sempre se encontravam durante os intervalos. Depois de um tempo foi inevitável sentir falta um do outro quando um deles estava ausente.

ㅤFicar longe um do outro era como a morte.

ㅤ—Tenho saudades daquela época. — Jungkook se encolheu no colo alheio, escondendo o rosto no pescoço masculino. — Você não matava para me dar as coisas. Eu ficava no vídeo game entre suas pernas depois que eu terminava a lição de casa...

ㅤ— Eu irei seguir carreira, Jung Kook. — Levantou um pouco a cabeça para encarar o marido e acendeu com o isqueiro o cigarro.

ㅤ— Mas, hyung! — Yoongi o repreendeu com um olhar, o tom de voz elevado que o incomodava. — Você mesmo me disse que não tinham gostado das suas músicas.

ㅤ— Irei procurar outras agências para fazer audições. Farei isso o mais rápido possível.

ㅤ— Eu acredito em você. — Sorriu, deixando aparecer os dentinhos redondinhos.

ㅤMantiveram-se naquele aconchego, os cabelos de Jungkook sendo afagados ao que apreciavam o vento balançando as folhas das árvores vizinhas. Reparando que Yoongi terminou seu cigarro, o garoto deu uma última golada no whisky e deixou o copo na mesa lateral.

ㅤ— Vamos brincar, Yoonie.

ㅤPuxou a camisa do mais velho entre os dedos, ralando o dedo na pele gelada. Yoongi tomou a frente e selou os lábios do Jeon, gemendo ao que sua língua foi sugada pela boquinha alheia. Sentiu o rapaz rebolando sobre seu colo, o colo do estômago repuxando. Separou o beijo em um estalo molhado.

ㅤRiu baixinho da situação do menino, o rostinho anestesiado, os olhos diminutivos, os lábios brilhando de saliva e o peitoral deixando exposto a respiração irregular. Era tão fraquinho quando aos toques do hyung.

ㅤO mais velho abaixou a tampa do piano e se levantou com Jungkook nos braços, as pernas torneadas agarradas ao seu quadril. Deitou-o sobre o tampo do piano e retornou aos beijos quentes, verificando se o instrumento não estava se partindo pelo peso dos dois. Tendo a confirmação, agradeceu aos céus e desceu do instrumento novamente.

ㅤJungkook levantou o tronco com o pensamento de que Yoongi não queria seguir em frente, porém foi surpreendido com o marido encarando seu rosto enquanto abria suas pernas. — Você quer brincar mesmo, Jeonie? — Sorriu perverso.

ㅤHipnotsado, o outro não teve outra reação, acenou com a cabeça freneticamente, apoiando os cotovelos no tampo. Estudando aquela ansiedade, decidiu presenteá-lo:

"Por que não chupar o meu menininho?"

ㅤAbaixou a cueca preta e apoiou-se nas coxas torneadas do mais novo. Jung Kook gemeu baixo ao que sentiu a boca quente do mais velho lhe acolher e voltou a jogar o corpo para trás, deitando na madeira marrom caramelo do piano.

ㅤ— Ah... que saudades da sua boca, hyung. — Disse entredentes.

ㅤSeus quadris foram para cima, simulando uma estocada, o que acabou acertando a garganta do Min que sorriu contente consigo mesmo.

ㅤO mais velho continuou com o trabalho. E ao que sentiu o Jeon gemer mais longo, abandonou seu falo ouvindo o resmungo do mais novo. Limpou os cantos da boca macia, tirando o que sobrou do líquidos gostoso do marido.

ㅤEsticou a mão para o moreno e fez com que o mesmo sentasse corretamente no piano, o pegou no colo e caminhou entre beijos até o quarto da casa.

ㅤDeitou o menor na cama e retirou o moletom cinza que cobriam suas pernas, ficando apenas de cueca. Voltou a subir na cama ficando por cima de Jung Kook que respirava de forma frenética.

ㅤ— Como você quer, baby? — Perguntou antes de puxar o lóbulo branco.

ㅤJungkook o empurrou pelos ombros e se levantou, puxando uma cadeira da penteadeira do quarto. — Senta aqui, hyung.

ㅤRecebendo um olhar de sobrancelhas arqueadas, o mais novo abriu o guarda-roupa, retirando de lá a caixa que geralmente usavam quando queriam algo além dos toques carinhosos e apaixonados.

ㅤSegurou as mãos do hyung, puxando-as para suas costas, onde agilmente as amarrou com uma corda. Voltou a ficar de frente para o Min, vendo o riso ladino que ele exibia.

ㅤ— Vai tentar ficar no controle de novo? — Ignorou o tom carregado em deboche, indo até a cama.

ㅤFicou com os cotovelos no colchão, deixando a bunda arrebitada na direção de Yoongi, ouvindo um rosnado ao que balançava de um lado para o outro.

ㅤAgarrou um dos dildos translúcidos, um tom suave de lilás que complementava-se com glitters e pequenos enfeites em sua extensão. Abriu a gaveta da mesa de cabeceira para pegar o tubinho de lubrificante.

ㅤ— Já deixou a minha porra sair de você? Achei que você gostava mais dela, Jeon.

ㅤO rapaz ignorou a investida do marido e a pontada que seu pau deu com aquelas palavras, concentrado em espalhar bem o líquido no brinquedo.

ㅤPosicionou entre as pernas, antes de voltar a ficar de quatro, para então abaixar a cueca até o meio das coxas e sentar devagar, invadindo a si próprio.

ㅤGemeram em conjunto quando as estocadas iniciaram. Os pulsos de Yoongi em atrito com a corda, tentando se soltar de qualquer maneira, mesmo tendo ciência de que seria em vão.

ㅤJungkook evitou ficar muito tempo naquele jogo, levantando do colchão para voltar ao rapaz, deixando o dildo dentro de si. Sentou no colo do Min, agarrando-o pela nuca para beijá-lo nos lábios rosados. Cobriu os olhos dele com uma venda que também ficava na caixa, voltando a beijá-lo entre reclamações.

ㅤUmideceu os lábios, para selar o pescoço e as clavículas, a pintinha que dividia aquela região. Mordeu e chupou do lóbulo, raspando os dentes nos brincos que o enfeitavam.

ㅤGemeu baixinho ao que começou a rebolar sobre o colo de Yoongi, sentindo o dildo raspando seu ponto mais sensível, ficando amolecido novamente.

ㅤYoongi, por sua vez, tentou friccionar mais seu corpo no dele quando ouviu o barulho do motorzinho do vibrador sendo ligado, sentindo as vibrações também em suas coxas.

ㅤAbriu as pernas, deixando livre a área para Jungkook movimentar o brinquedo em si, já começando a ficar irritado com a privação da visão, impedido de ver o rostinho do Jeon expressando seu nível de excitação.

ㅤ— Posso sentar em você, hyung? — Perguntou o mais novo, diminuindo a velocidade do vibrador.

ㅤ— Eu quero te comer logo... chega de provocações, Jungkook. — Ordenou, sentindo o membro incomodar dentro das calças.

ㅤJungkook riu nasal, descendo a mão para tirar o pau do Min de dentro da cueca e vestir um preservativo nele. Cuspiu na própria mão para melecar ali, começando a masturbar o marido.

ㅤEntregou para ele o controle do vibrador, escondendo o rosto na curvatura do pescoço alheio quando a velocidade alcançou o máximo em sua próstata.

ㅤFicaram daquele jeito por alguns minutos, Yoongi aproveitando os momentos mais sensíveis do Jeon para desligar o dildo, ouvindo-o reclamar e o masturbar mais rápido, esfregando-se em si com força, como um cachorrinho no cio.

ㅤ— Hyung, me come logo. — Implorou abafado. Sentiu o Min elevar o quadril, o estocando por dentre as roupas.

ㅤ— Você tem que me soltar, Jungkook.

ㅤO rapaz não acatou o pedido, queria complicado daquela forma. Voltou a mão para trás de si, retirando o brinquedo e o substituindo pelo membro de Yoongi após.

ㅤ— Por favor, hyung. — Voltou a pedir, apoiando nos joelhos dele para começar a cavalgar ali, vendo-o jogar a cabeça para trás, os cabelos loiros exibindo a testa.

ㅤYoongi se esforçou para estocar ele daquele jeito, comê-lo daquele jeito que faziam suas panturrilhas arderem. E parecia estar dando certo, forte e fundo, ouvindo-o gemer desesperado.

ㅤMesmo achando estar comandando o sexo, Jungkook sempre acabava daquele jeito: com os olhos chorando, querendo gozar. E aquele desejo de prazer foi o que o levou a soltar os pulsos do Min, sentindo rapidamente ele o pegando no colo, para colocá-lo no colchão.

ㅤYoongi retirou da própria roupa para voltar a invadí-lo, judiando dos mamilos amarronzados com a ponta dos dedos e da língua, descendo pelo abdômen porque sabia que ali próximo ao umbigo e o pau era um de seus pontos eróticos.

ㅤO masturbou, aliviando o Jeon que até aquele momento não havia tocado aquela região, fazendo-o escorrer mais lágrimas pelos olhos jabuticaba e pré-gozo pela fenda do pênis.

ㅤ— Jungkook-ah. — Chamou com dificuldade, a voz falhando ao que estava próximo. O mais novo abriu os olhos para o olhar por um instante. — Eu amo você.

ㅤ— Eu te amo, hyung.

ㅤOs gemidos desenfreados do Min, roucos e sem ritmo anunciaram para Jungkook o que vinha ali, também o incentivando sonoramente. Um gemido baixo e outro mais alto se misturaram quando gozaram praticamente juntos.

ㅤ— Aquilo é verdade? — Perguntou baixo e gemeu, ao sentir o Min se desencaixar de si.

ㅤYoongi levantou da cama e retirou o preservativo, jogou o mesmo no lixo do banheiro e deitou na cama, puxando Jungkook para deitar sobre seu peito.

ㅤ— É verdade aquilo, hyung? — Voltou a perguntar.

ㅤ— Aquilo o quê, Jungkook?

ㅤ— Sobre você me amar. — Disse baixinho, olhando sua mão repousada sobre o peitoral do marido.

ㅤEle era assim, dava o máximo de si, porque sempre precisava das palavras de afirmação vindas de Yoongi, pois elas lhe aqueciam o coração e tiravam de si o medo de perdê-lo.

ㅤ— Jungkook. — Levantou o rosto do homem pelo queixo, fazendo com que ele lhe olhasse nos olhos. — Quando foi que nos conhecemos?

ㅤ— Você não se lembra?! — Disse algumas oitavas mais alto e Yoongi o repreendeu. — Foi no segundo ano do colegial. — Respondeu baixo.

ㅤ— Meus sentimentos por você não diminuíram nem um pouco desde lá. — Suspirou o loiro. — Muito pelo contrário, eu te amo cada vez mais, Jungkook-ah.

ㅤJeon ficou quieto, porém sorriu ao assimilar as palavras do Min. Fechou os olhos aos poucos e ali dormiu nos braços do marido. Yoongi sorriu e puxou a coberta cobrindo a si e a ele.

ㅤ— Eu te amo mesmo, Jung Kook.

6 de Junho de 2021 às 00:20 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~