patykastanno Patricia Kastanno

[BTS AU • ABO • Comédia • Família • Longfic] Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Yoongi, Kim Hoseok, Kim Jimin, Kim Taehyung e Kim Jungkook, compõem a família mais carismática e problemática existente. Cidadãos de Seul, estes enfrentarão todas as desventuras de uma família comum.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#jin #bts #suga #jhope #jungkook #jimin #v #au #comédia #família #jjk #pjm #abo #rm #min-yoongi #kim-namjoon #jung-hoseok #park-jimin #kim-taehyung #kim-seokjin #jeon-jungkook #myg #kth #knj #jhs #ksj
1
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Bebê Vem Aí



Notas Iniciais:


Olá, bem vindo(a) ♥
Essa fic veio do nada para mudar tudo, pois sinceramente espero que ela conquiste você, já que eu amei o plot.
Bom, e como usual, algumas observações antes de tudo:
# Tradução do Título: Os Kim's (sobrenome deles, savvy?);
# Trilha Sonora: My Family de Migos, Karol G, Snoop Dogg e Rock Mafia (ouça, vale a pena);
# Baseada no universo alternativo ABO e suas respectivas características;
# Shipps não serão o foco, mas será mencionado principalmente Namjin. Portanto se não gosta, NÃO LEIA;
# Fic experimental, com intuito de ter conteúdo semelhante à séries de TV, mas... veremos;
# Narrada na terceira pessoa;
# Conteúdo não recomendado para menores de 18 anos;
# Não pretendo incluir romance propriamente dito nessa fic, portanto se você procura uma historinha assim, sinto em desapontar, mas não será o enfoque. Fica à seu critério ler ou não;
# Plágio é crime, portanto não copie ou adapte o conteúdo dessa história, que é de minha total autoria intelectual, grata;
# Também postada em Spirit, Wattpad e Nyah;

Bom, agora que já acertamos tudo, let's go.
Espero que goste, boa leitura!


***


Capítulo 1 - O Bebê Vem Aí


Os gritos estavam sendo ouvidos por toda a vizinhança, naquela madrugada. De dentro de certa casa, o ômega Kim Seokjin, apertava as mãos do marido alfa, Kim Namjoon. Este, que acuado, andava de um lado à outro da casa em desespero, sem saber exatamente o que fazer com seu esposo gestante, em plenos noves meses, com uma bolsa estourada e o quinto filho à caminho.

- C-calma amor, vou ligar para o... - a fala do mesmo foi interrompida por um tropeço atrapalhado, no tapete felpudo da sala de estar.

- Namjoon, eu tô morrendo! - sob um berro estridente, dramatizou o cônjugue, com as mãos pousadas sobre o ventre.

- A-aqui a bolsa. - sorriu o alfa, logo se empenhando em recolher o objeto, com os itens necessários para aquele momento, todavia...

- A-ah! - em mais gritos doloridos, o ômega resfolegou alto e nisso... - Ligue para a omma, r-rápido. - complementou sôfrego.

- L-ligar pra sua mãe, por que? - indagou o mais alto com ar confuso.

- As crianças, Namjoon. Você vai cuidar deles como, se vai comigo ao hospital e... a-ah! - gesticulou sem concluir a fala, num novo aperto de cólicas.

- Oh, c-claro. - compreendeu virando-se abrupto para buscar o telefone, entretanto, foi detido num veemente choque, ao bater o dedo mínimo do pé na quina da estante de livros.

E sob mais e mais gritos apreensivos do gestante, que foi colocado no carro, enquanto o marido fazia a ligação, logo...

- Eomeoni, c-chegou a hora. O pequeno... t-tá chegando. - anunciou o pai em questão, cheio de nervosismo na voz.

- Oh meu Deus! Cadê o Jin? - a mulher bradou do outro lado da linha, com semelhante afobação sob a dita.

- E-está aqui, vou levá-lo no hospital e preciso que venham ficar com as crianças. - comunicou à sogra, que acatou sem delongas. - Vou deixar Yoongi acordado e... - a resumida explicação foi logo cortada pela lamúria firme, à distância.

- Namjoon! - reverberou o ômega agoniado.

- T-tenho que ir. - e sem esperar mais falas, o moreno desligou a chamada, pegando com rapidez a carteira. - Chave do carro, carteira, celular. Chave do carro, carteira, celular. - e ainda repetindo a sequência de coisas essenciais, estava disperso, quando...

- Appa, quê tá acontecendo? - a figura sonolenta de Hoseok surgiu perante si, vestida num pijama.

- Eu vou morrer à deriva e você ficará viúvo e sem seu filho, alfa filho da p... ! - em ligeiro gesto, o mais velho tampou os ouvidos do filhote, logo lhe sorrindo em disfarce, perante o xingamento do parceiro ao longe, sendo escutado.

- O omma tá doente? - arregalou os olhos castanhos com alarde.

- Não, filhote. - quis tranquilizar o mais alto, em aceno negativo. - T-tá tudo bem. É só o seu irmãozinho chegando. - noticiou ao garoto pré-adolescente, que sorriu em compreensão. - Chame seu irmao e diga que precisa ficar com vocês até o tio Chanyeol chegar, tá bem? - externou por fim ao menor.

- Suga hyung? Mas ele dorme feito pedra e ainda me bate, quando acordo ele. - rechaçou emburrado, não gostando da tarefa imposta.

- Faça isso, pequeno. É uma emergência, conto com você. Ele não vai te bater e se fizer, me diga. Agora... tenho que ir. Vigie os gêmeos, ok? - impôs em comando ao garotinho, para então sair, depois de deixar um beijo curto na testa do alfa.

E numa nova correria, chegou ao automóvel, onde se encontrava um tempestuoso Jin, já com as têmporas úmidas e aura de puro ódio.

- Tudo bem, amor? - sorriu torto, sabendo que seria xingado.

- Tudo ótimo. - em resposta, veio a dita em teor irônico.

- Se acalma. - pediu girando a chave na ignição com os dedos trêmulos e um olhar incisivo sobre si. E nisso...

- Me acalmar?! Tem uma criança querendo sair de mim, Kim Namjoon. - o tom altamente repreensivo soou aos ouvidos do maior.

- Vamos lá. - ignorou a cutucada ácida e engatou a marcha do veículo, para então...

- Namjoon, porra! - em visível frustração, o esposo chiou em protesto, vendo a luta do marido em religar o motor, que havia morrido segundos antes.

E com a tensão multiplicada pela ansiedade, o alfa enfim conseguiu sair pelas ruas. E em trancos nada sutis, já que o citado não era muito bom em direção, o trajeto para o hospital se deu, aos lamentos e discussão.

[...]

- Hyung, hyung! - Hoseok tentou chamar novamente, chacoalhando o corpo magro, que... não se mexia.

E sem solução, o jeito era recorrer à outros métodos e logo...

- Desculpe por isso. - miou a voz do rapazinho, despejando por fim a água no copo sobre a face adormecida do irmão, que acordou atordoado e... ensopado.

- Que caralhos! Você? - as orbes escuras pousaram iradas sobre o outro garoto.

- Yah, hyung! Não pode falar essas palavras. O omma diz que é muito mal educado. - recriminou o mais novo numa careta.

- Que se foda! Por que me molhou, seu imbecil? - trovejou o mais velho, irritado.

- Appa pediu pra te acordar. - defendeu-se com destreza.

- Por que? - o pálido secou o rosto com as mangas do pijama.

- O omma foi para o hospital. O nosso irmãozinho tá chegando e você tem que cuidar da gente. - externou Hoseok didático.

- Argh! - relinchou o outro em protesto. - Que horas são? - inquiriu com má vontade.

- Quatro e meia. - redarguiu o mais novo simplista.

- Que? Por que diabos você me acordou às quatro e meia? - em novo ímpeto de fúria, o pálido volveu entredentes.

- Porque o appa pediu, eu já não falei que... - a sentença do pobre rapaz foi interrompida num silvo.

- Cala boca e vai dormir. - ordenou abelhudo.

- Mas... - o garoto tentou debater, porém foi outra vez cortado.

- Vai, pirralho! Quando for mais tarde, eu acordo e faço o café pra você e as outras pestes. - detalhou num bocejo.

- Appa disse que o tio Chanyeol vem ficar aqui. - comunicou ao outro com ênfase.

- Tá, eu escuto a campainha, pronto. - retificou com descaso, no entanto...

- Não escuta nada, você até me bate e... - sob a beira de outra nova briga dos irmãos mais velhos, uma vozinha mole se fez presente.

- Hyungs? - o pequeno Taehyung era o autor da fala baixinha, parado na porta, portando um urso de pelúcia em mãos.

- Aigoo, olha o que você fez. Acordou eles. - Hoseok lamentou se voltando ao pálido, que bufou com desdém.

- Cadê o appa? - foi a vez do outro garotinho se pronunciar. Este sendo Jimin, de mesma idade que o irmão, porém se diferenciando nas feições, na personalidade e naquele momento, também na roupa de dormir, que mudava em tom de cor do fraterno.

- Ocupados, voltem pra cama! - Yoongi ricocheteou impaciente.

- M-mas... eles foram embora? - o mais novo se alarmou assustado, esbugalhando os olhos minúsculos.

- Não, Chim. Eles só foram pro hospital. - Hoseok logo explicou ao pequeno, sob um revirar de olhos do mais velho ali disposto, porém...

- Mas... só vamos no médico quando estamos doente. O omma tá dodói? - Taehyung interrogou com ar pensativo.

- Não é isso, aff! É só que... ele precisa ir, porque o doutor abre a barriga e tira o bebê do omma, entendeu? - o pálido descreveu de forma direta, sob as expressões boquiabertas dos menores.

- O-omma vai morrer. - em choramingo, Jimin logo verbalizou em bico, seguido por Taehyung, que fez menção em chorar.

- Legal, você conseguiu piorar tudo. - Hoseok bufou num menear de cabeça.

- Dane-se! Não vou explicar mais nada, vão dormir! - comandou com pouco caso.

- H-hyung, podemos dormir com v-você? - a interrogativa falha veio em seguida por Taehyung, ainda fungando entristecido.

- Que? Nem fodendo. - volveu o mais velho com desgosto.

- M-mas eu tô com medo... do omma morrer. - Jimin murmurou emburrado.

- E eu dos pesadelos. - logo emendou o gêmeo, apertando o urso.

- Ah, tô nem aí. Parem de frescura e voltem pras suas camas! - a sentença soou carrancuda e perante o não cedimento, o trio se afastou frustrado.

- Que grosso. Não precisava maltratá-los, são crianças. - Hoseok entonou recriminador.

- Mas hein? - indignou-se o pálido.

- Durma, pedra! - e perante a fala, o mais velho bateu a porta à Yoongi, que estalou a língua, dando de ombros, para então entrar num bom sono.

E horas depois...

A campainha tocou estridente, fazendo o rapaz acordar tenso, lembrando-se que deveria ser o tio. E assim, desperto e prestes à levantar do leito, a surpresa. Ou melhor, as surpresas, que se abrigavam em si, agarradas feito coalas dengosos.

- Que porra é essa? O que vocês fazem aqui? - a voz alta soltou, fazendo os fraternos despertarem depressa, apavorados.

- A-ai! Minha orelha, hyung malvado! - Jimin logo lamuriou choroso, diante da fala lupina perto de si, um ômega.

- H-hyung! - Taehyung também reclamou, não diferente do desconforto do gêmeo e enfim, surgiu a cabeleira bagunçada de Hoseok e...

- Até você veio me perturbar, Hobi? - o pálido questionou incrédulo.

- Acabei cochilando. - defendeu-se o mais novo em riso frouxo, porém foram interrompidos do diálogo pela campainha outra vez.

- Aish! Vou abrir. - soprou o irmão se levantando irritadiço, tal qual Hoseok, após ajudar os menores, que ainda relinchavam com orelhas doloridas.

E no andar de baixo, a porta enfim foi aberta, revelando a figura adulta do tio, já bem conhecido pelo adolescente.

- Olá, Yoongi. - cumprimentou o homem sorridente, tentando falhamente beijar a testa do mais novo, que se desvencilhou numa careta. - Estava dormindo? - inquiriu em seguida e...

- Não. Só fingi, de olho fechado, deitado e de pijama, acredita?! - satirizou o rapaz com escárnio.

- Desaforado! - rebateu o alfa puxando rapidamente as orelhas do sobrinho. - Cadê os outros? - interrogou em seguida, adentrando a residência sem rodeios.

- Lá encima, me enchendo. - o Kim entoou num revirar de olhos.

- Muito bem, se arrumem. Vou preparar o café e seu omma está na sala de cirurgia pelo que soube. - anunciou o moreno em meio sorriso animado, todavia...

- É mesmo? Extraordinário. - sob ironia, Yoongi sorriu fechado e logo bocejou.

- Sim. Vão comer e vamos ao hospital. - notificou o tio encaminhando-se para o fogão. E logo...

- Sem escola? - estranhou o pálido confuso.

- Sim. Vocês vão ver em breve o bebê, então... - a fala não se findou e o mais novo logo sorriu largo, em compreensão.

- Foda! - comemorou satisfeito e notando a carranca do tio sobre si, tossiu forçado. - Q-quer dizer, vou subir e chamar as praguinhas. - corrigiu-se engolindo em seco.

E logo...

- Tio! - as vozes entusiasmadas dos gêmeos disseram em uníssono, assim que os mesmos correram animados ao encontro do mais velho.

- Oi, meus anjos. - o mencionado sorriu com alegria, distribuindo beijos em ambos.

- Anjos. Mal sabe ele, que quando acordam, viram o próprio capiroto. - comentou o fraterno mais velho em muxoxo.

- Podem comer. - a dita veio do adulto, apontando os pratos de sopa posicionados na mesa.

- Tio. - Hoseok também cumprimentou ao parente, sendo beijado à contragosto, numa reclamação baixa de ser "adulto para tais coisas".

E passado algum tempo, na mesa, enquanto comiam...

- E então, animados com o irmãozinho? - perguntou ao quarteto.

- Demais. - Yoongi foi o primeiro à responder em tom de zombaria.

- Mais um pra gritar pela casa, mas... são fofos. - Hoseok emplacou num suspiro.

- Não. Ele vai roubar meu omma. - Taehyung não tardou em dizer, sincero como usual.

- Eu tô. Quando abrirem a barriga do omma, quero conhecer o Kookie. Mas... o omma vai morrer, tio Chany? - a dúvida cruel soou ao mais alto por Jimin e...

- Não. Deus, torcemos pra que não. - o Kim mais velho franziu o cenho.

- E como vão fechar o omma de volta? - o gêmeo mais baixo insistiu, com olhar acuado.

- Appa disse que quando machuca, sai sangue. O omma vai sair sangue até morrer? - foi a vez de Taehyung inquirir em ar perdido. E nisso...

- Mas... o que vocês deixam esses dois assistirem? - alterou-se o tio com indignação.

- Culpa do Suga hyung, com filmes violentos e pôsteres macabros no quarto. - refutou Hoseok, voltando-se ao chá. Contudo...

- E você com suas putarias. - retrucou ao irmão, sob um pigarreio do tio, que estava prestes à se pronunciar, quando...

- O que é putaria, tio Chany? - Taehyung piscou aturdido.

- A-acho que é hora de irmos. - apressou o adulto, mudando de assunto num leve engasgo.


***


Notas Finais:


E aí, gostou? Express yourself ♥

Amores, essa fanfic eu pretendo manter em HIATUS por algum tempo, até ela ser incluída no cronograma (terminar as fics em andamento), por isso peço sua paciência e compreensão :)

Também queria deixar algumas observações sobre as classes e idades dos personagens:
# Namjoon é um alfa lúpus e tem 38 anos;
# Jin é um ômega e tem 34 anos;
# Suga é um alfa e tem 16 anos;
# J-Hope é um alfa e tem 12 anos;
# Jimin é um ômega e tem 7 anos;
# Taehyung é um ômega e tem 7 anos;
# Jimin e Taehyung são gêmeos não idênticos;
# Jungkook... surpresa (ainda e palpites são bem vindos);

Um beijo e voltarei em breve!

2 de Junho de 2021 às 19:39 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Enfim, um Lúpus

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!