0
835 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Quando o inesperado acontece

Era uma noite fria de junho,ainda posso sentir o vento o cheiro da brisa suave daquela noite gelada,eu havia tido um dia daqueles em que nada dava certo,estava desanimado e deprimido,


Sem ânimo pra sair e intediado de mais pra ficar em casa.


Então resolvi sair pra tentar distrair o tédio,e com o frio da solidão de um dia de inverno,resolvi comprar algo pra beber e esquentar a noite.


Comprei uma garrafa de vodka,resolvi parar em uma praça meio abandonada,lá havia uma mesa de cimento com alguns bancos feitos de pedra,era semelhante a um quiosque,e pra não ter o risco de alguém atrapalhar meus planos e minha privacidade com minha companheira chamada solidão, resolvi sentar na mesa e colocar meus pés nos banco q estava logo abaixo;


Tomei alguns goles e enquanto acendia um cigarro notei q a alguns metros a traz de mim bem embaixo de uma árvore havia um carro,e como os vidros estavam embaçados,achei que alguém estivesse namorando ou algo do tipo, continuei onde estava e tomei mais alguns goles pois o frio estava ficando mais intenso,comecei a refletir sobre algo que sempre se repetia ao longo de minha vida,o desejo de suicídio, o desejo de abandonar esse plano,e deixar toda dor e sofrimento nessa terra,comecei a pensar como seria,a forma mais fácil e rápida de acabar com aquilo tudo ,então pensei que se tomasse mais uma garrafa ou duas a coragem então chegaria,


Foi então,que tomei mais alguns goles,


Mas minha atenção logo foi desviada com o som de uma porta batendo forte,seguido de alguns passos rápidos,foi quando vi a imagem que ficaria guardada em minha memória pra sempre.


Olhei pra trás e vi então ela saindo daquele carro,com um salto alto andando meio desconcertada, ela carregava umas peças de roupas e tbm alguns livros entre seus braços cruzados,ela andava rápido,e por algumas vezes limpava às lágrimas em seus olhos,


Era impossível não prestar atenção em sua pessoa,


Ela usava um vestido vinho,e seus cabelos meio ruivos estavam ao vento daquela brisa fria.


Ela parecia furiosa com alguma coisa,


Seu rosto era como de uma pessoa agressiva,mas seu olhar era doce e distante como se estivesse perdida dentro de si mesmo,


E eu vi aquela cena como se estivesse em câmera lenta,


Ela parecia tão perdida que nem me notou alí,e mesmo estando invisível ao olhar dela,peguei um estojo no formato de baleia que ela deixara cair no chão,


Ela então parou e se assentou em um banco de madeira que havia ali perto,colocou suas coisas de lado abaixou a cabeça, e passou a mão em seus cabelos colocando os para trás, era nítido que algo estava acontecendo, então me aproximei ainda surpreso com seu olhar e como sua imagem de alguma forma me atraia,


Então perguntei a ela;


-moça, ei moça,e como se eu fosse invisível ela não respondeu.


Foi quando eu toquei em seu braço com a ponta da minha garrafa.


Eu estava de pé e ela sentada,foi quando levantou seu rosto com os olhos lacrimejantes,me olhou e disse; uma mulher não pode nem se assentar em um banco de praça sem ser importunado por estranhos?


Então respondi;


- você está de salto fino em uma praça onde o chão e de cascalho e terra,está cheia de roupas e livros jogados ao seu redor,e eu sou o estranho??


Ela então ela me olhou mais uma vez e abaixou a cabeça com o rosto entre suas mãos,


Ainda me pergunto o porquê senti tanta empatia em meio ao seu desprezo,


Então disse a ela - ok só queria devolver seu peixinho que deixou cair, ela então me olhou novamente,e com os olhos vermelhos de alguém que realmente estava tendo uma péssima noite me disse - não é um peixe,e sim uma baleia vc não tá vendo!!!


Então respondi
- por acaso baleia é uma espécie de ave,ou quadrúpede?até onde sei baleias são uma espécie de peixe,


Ela Então balançando a cabeça ainda baixa,retrucou baixinho - não se enxerga mesmo.


Então decidi pegar oque me restava de dignidade e voltar para meu quiosque, e quando virei as costas ela me perguntou;


Oque você está bebendo??


Respondi que era a última bebida da vida de um homem,


E ela sem entender me perguntou se era algo doce,


Então disse a ela, que tudo depende da forma como vc está se sentindo na hora que estiver bebendo ,


Ela então me perguntou como estava o sabor naquele momento,


Respondi que estava amargo e que tomaria até que ficasse doce.


-Você deve ser um bêbado disse ela. -Respondi


Você deveria experimentar,talvez te ajude com o choro,e com seu pessimo humor.


-Eu não estou chorando, disse ela.


-A não? Então você deveria estar em alguma festa a fantasia,ou algo do tipo,pois seus olhos estão borrados de Preto,e seu batom estão por toda suas mãos


-Tanto faz;disse ela


Continuei a beber alguns goles quando reparei que começara a Garoar.


Ela então rapidamente juntou todas suas coisas,e veio p debaixo do quiosque e se assentou do meu lado,jogou suas coisas no meu colo,e sem me falar nada pegou a garrafa da minha mão e começou a beber.


-então,, você ainda não me disse que bebida é essa.


-mas você está bebendo,e ainda não sabe oque é?


-não costumo beber,nao sei nada sobre bebidas,só bebo quando a companhia é Ruim, disse ela.


-Éh parece que seu humor está melhorando.


Notei um pequeno sorriso de canto de rosto,mas seu olhar ainda era meio distante,


Perguntei a ela oque ela fazia de salto em um lugar quase deserto,


E o porquê das coisas ao qual levara consigo,


Ela bem educada respondeu;


-Acha mesmo que contaria minha vida pra você?
Respondi dizendo a ela


-bom, sua imagem diz muito sobre você,e pegando a garrafa de suas mãos delicadas tomei mais alguns goles


-E oque minha imagem está te dizendo sobre mim?


E tomou novamente minha garrafa.


- Sua blusinha de ceda me diz que você é frágil,seu salto diz que você estava esperando algo especial,seu cabelo ao vento me conta que você é livre, porem quando vi seu rosto entre suas mãos,vi que ao mesmo tempo está presa aos seus medos,seus olhos borrados me dizem que precisa de cuidados,o seu olhar parece perdido como se quisesse se encontrar...


Ela então me olhou de uma forma diferente,como se agora eu existisse,notei novamente seus olhos lacrimejando,mas como alguém de personalidade forte,e que não da o braço a torcer me disse;


- Minha imagem não te diz nada!!! Isto são que os seus olhos estão te dizendo.


- garota e você?oque diz sobre você mesmo,o que suas lágrimas dizem de si próprio???


Ela me olhando novamente respondeu; se alguém tem que dizer alguma coisa,eu digo;


- jamais confie em alguém de terno e gravatas, jamais!!!!!!


-Então vc só confia em quem sua moletons?


-tbm não disse ela


- garota mas vc confiou em mim!!!


- nem te conheço,, garoto!!disse Ela com um tom meio irônico,


- Sim confiou,disse a Ela,você tomou minha bebida.


-E daí? É só uma bebida.


-Eu disse que essa era a última bebida de um homem.


- Sim você disse,mas não levei a sério,


Pera ai você colocou algo pra mim beber????


-Não não, não pra você,e sim pra mim,


- Espera aí... mas eu.... Eu bebi também,com vc.


- respondi que sim,dando mais um gole na bebida.


Ela então tomando novamente minha garrafa disse;


- Não, você não estaria tão tranquilo,além do mais sua boca está suja de batom,parece que mais alguém aqui está com a boca borrada.


Comecei a esfregar minha camisa em minha boca,e foi quando vi o seu sorriso aberto pela primeira vez,


- calma,calma garotinho tá com medo de apanhar da mulher é?


Eu só estava brincando,sua boca está como estava.


- É axo que a bebida alterou mesmo seu humor até de mais,melhor parar por aí.


- Eiiii quem voce pensa que é? Meu pai,meu irmão?eu digo quando tenho que parar,


- ok como quiser garotinha,beba a vontade oque restou da bebida.


-Não não,axo que agora nao quero mais,talvez eu esteja ficando um pouco tonta.


- Talvez?? Você virou a garrafa como se fosse água.


- Mas a culpa e sua,


- Minha????


-Sim sua,você disse que me ajudaria com o humor


-Sim mas não toda a garrafa,


- Se o problema é a garrafa eu devolvo,toma.


- Mas ESTÁ vazia.....


- Mas eu devolvi rsrs


- Não se pode nem tomar uma bebida em uma praça sem que uma louca venha nos perturbar rsrs.


Ela me olhou e mais uma vez sorriu e disse;


-até que você não é tão chato.


Obrigado,disse a ela.


- Mas eu ainda não sei se gosto de você garotinho,ainda estou decidindo,não sei quando fala sério ou quando está de brincadeira.




1 de Junho de 2021 às 18:52 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Perfect soulmates?

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 11 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!