duhoope Sagan Naiff

Tudo se origina, desenvolve e finda-se, este é o lema que acompanha a vida. No entanto, entre a tamanha variedade de povos que populam o globo terrestre, muitas das crenças populares vem a imiscuir em frases distintas, e no que habita a mente humana, milhares de possibilidades são viáveis. Entre esta entropia criativa, há a coletânea de contos do povo Centro-Agosseio, Anari, e a maior parte de sua população mística que as escrevera em apoteoses e à feito dos próprios deuses. Em Agosseia: A Era Mítica, acompanhamos os principais trajetos de uma mitologia belíssima e a sua escrita, contando com sua distinção, que é apenas um dos mais diversos contos que circundam a magnificência criativa das terras agosseias patenteadas pelo visionário Sagan Naiff.


Fantasia Para maiores de 18 apenas.

#mitologia #original #Bl
0
763 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Origem

Há muito tempo, quando Agosseia e o mundo em que suas frígidas terras pouco sequer calhavam a existir, o universo ainda era conhecido como um único ser amorfo, denominado Shun. Diante da solidão que o acometia e a necessidade para o surgimento da vida, o grande deus Absog'r fora originado de sua essência cósmica.

Absog'r era jovem, possuía segundos do que lhe era aproximado a mana dos seres vivos, mas ainda sim portador da sapiência infinita do universo jovial, dada por seu progenitor. Seus cabelos caíam como longas madeixas níveas até a altura dos quadris, a tez era fria e igualmente branca, assim como suas vestes, que eram um khansu empírico com tecidos translúcidos e de vívidos tons. Ao encontrar-se ante um meio preenchido por nuances roxas e lilazes, claramente o universo incompleto de Shun, ele o mirou erguendo o olhar, totalmente decidido.

— Absog'r — Iniciou a imensa potestade — A missão da qual irei impôr a ti é que desenvolva este universo.

— Desenvolvê-lo? Por que não podes realizar isto por tua conta, meu Pai? — Seu primogênito o questionou, confuso quanto a sua decisão. Shun tinha poderes inimagináveis, tão mais grandiosos quanto ele mesmo poderia ter, e para si fora a sua maior dúvida.

— Há muito do que apenas tu pode criar, e que eu meramente consigo imaginar, meu Filho. O meu tempo é curto neste plano, e existem situações que carecem a minha presença.

— Mas como conseguirei sem tu? Nem ao menos tenho conhecimento de teu nome — Entristeceu-se.

— Tu não seguirás esta jornada de forma solitária — Ele finalizou o diálogo, entregando aos olhos do jovem deus uma nova forma entre suas mãos. De sua luz, surgira a figura de outro, semelhante a si, que glorificara o ambiente de roxos perenes: haviam-se cabelos castanhos-médios e uma expressão enternecida, andrógina, de sobrancelhas finas e um sorriso que permanecia descansado, mas ainda flexionado. O khansu de sua presença era esverdeado, e as mangas longas eram pintadas por desvios brancos e paisagens que ainda haviam de serem criadas. Ao seu início de vida, o espírito divino saíra do colo de Shun e realizara uma mesura, enquanto fitava-o alegremente.

Absog'r embasbacou-se com o novo deus e sua aparência elegante, e tão brevemente encontrou-se atenuado à sua pessoa por tamanha maravilhosidade, que ele prontificou-se a reproduzir os seus movimentos e a escutar atentamente.

— Cuidem deste universo com zelo, paixão e júbilo, mas por qualquer ocorrência, não tentem agir. Mantenham tudo que se suceder com seu curso natural, e só então todos poderão evoluir. Vocês dois logo conhecerão a razão por trás disto — E esvaiu-se, para nunca mais ser visto pelos dois deuses recém-criados. Mesmo que tentassem exceder suas mentes em encontrar Shun, a sua presença estava longínqua demais para ser contactada àquele momento.

Estavam a sós, e com um meio a ser feito por suas mãos.

31 de Maio de 2021 às 10:43 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo O Primeiro Amor de Todos

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!