K
Karen oliveira


Minha primeira obra "The secret of Dreams" ou traduzido para o portugues brasil, " O segredo dos sonhos ". E uma historia voltada para ficção e o drama sobre dois irmãos que amam a literatura classica e seu pai que era um pouco ausente nas suas vidas, com uma simples visita a um antigo museu, os mesmos descobrem uma sala secreta com um livro que tinha com titulo o sobrenome da sua familia. Nesse livro eles descobrem sobre uma academia secreta que sua falecida mãe haitava na adolencencia. Agora o futuro dos dois estão dividos entre ir a essa Academia ou abandonar de vez. * Se tiver erro orfograficos não me julguem por favor * ´[ S¡dy ]`


Drama Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#yaoi #acao #suspense #paranormal #academy
1
719 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

𝑂 𝑔𝑢𝑖𝑎𝑟 𝑑𝑜 𝑣𝑒𝑛𝑡𝑜

Via o vento batendo na janela com alguns respingos acompanhando-a, dando sinal do inicio de uma chuva calma e silenciosa. O vagão do trem estava quieto, o unico som que se ouvia era murmuros das pessoas, olhei para o banco da frente estava minha irmã dormindo encostada em sua bolsa.

— Mark? Estás acordado? Estou a folhear esta revista - Disse meu pai mostrando uma mulher de longos cabelos castanhos e com um vestido vermelho.

— Bonita não achas? - Disse soltando ar pelas narinas com um sorriso de canto.

— Feia. - Digo me apoiando na janela e encarando-a mesma. Olho o reflexo do meu pai na janela, ele estava franzindo o cenho e me encara de uma forma confusa, logo entendo o recado e suspiro fundo.

— O sorriso dela é falso, ela não esta feliz fazendo isso, se reparar os detalhes é facil de notar sua expressão de cansaço e tristeza - Digo apontando para o rosto da mulher vendo meu pai com um sorriso de canto e afagando meus cabelos.

— Como sempre, bem observador você Mark — Suspiro deixando um sorriso escapar e me encosto na janela novamente, olho para a paisagem em volta, era um campo vazio com apenas algumas arvores floridas preenchendo o local, logo vejo a chuva tomando conta do lugar trazendo com ela uma brisa forte mais calma. Resolvo olhar os passageiros em minha volta e noto que nos bancos da lateral havia um homem, alto, ele usava um chapeu preto com uma faixa vermelha no meio, um terno preto com um relogio de bolso em suas mãos e uma maleta nos seus pés, não consegui ver o seu rosto, mas no exato momento que eu estava observando o mesmo se vira e me encara, sinto meu corpo sendo invadido por uma chama indescritivél que me fez balançar a cabeça rapidamente, coço meus olhos e o homem não estava mais no banco tentei procurar por ele mas sem sucesso.

— Mark? Estás a passar bem, irmão? O que você está procurando, hum? — Disse Ellen chutando minha perna, franzi as sombrancelhas.

— Sua idiota! Pare de me chutar, estou bem — Vejo a mesma fazendo uma careta para mim, seriamente eu fico duvidando se essa garota tem mesmo 14 anos.— Aqui não é lugar para brigas! Estamos quase chegando, e quando estivermos lá tenham modos — Disse meu pai lançando um olhar serio para nos dois, fazendo-nos calarmos no mesmo instante. Passaram-se mais alguns minutos e vagão foi parando lentamente até estar parado por completo, vejo as pessoas pegando sua bagagens e saindo e faço o mesmo com minha bolsa. — Não se separem, fiquem juntos para não se perderem — Meu pai fala pegando a mão de Ellen que logo segurou a minha, saimos do vagão e fomos em direção a rua, estava garoando então meu Pai deu o Sinal para o Taxi vir e segundos pude ver um carro preto com faixas branca na lateral escrita "Taxi New York 2003".

— Ah! Muito obrigado, por favor nos leve ao Museu de Antiguidades no centro — Entrando no carro e se sentando na janela, Ellen entra logo em seguida e eu entro por ultimo, estava um pouco ansioso para ir nesse Museu.

— Hey, Mark! Quer uma? Eu sei que você ama caramelo — Disse me oferecendo uma bala — Obrigada...Estás ansiosa? Você entende mais de Antiguidades do que eu — Digo abrindo o papel da bala e colocando em minha boca — Sim! Eu sempre quis ir nesses museus pra poder desenhar lá!— Diz balançando a cabeça fazendo que seus cabelos loiros batessem em minha cara — Hey! Hahaha se acalme, você irá se descabelar antes de chegarmos — Digo dando risadas e a vejo arrumando seus cabelos e rindo tambem.

— O que eu faço com vocês?Não se comportam nem em um Taxi?— Diz rindo com a gente. Logo pousei minha cabeça no ombro de Ellen logo sentindo sua cabeça apoiando na minha. Estavamos proximos do Museu, quando menores mamãe trazia-nos para cá o tempo todo e nos contava sobre a "Historia das suas artes". Eu me desperço dos meus pensamentos ao sentir o movimento do carro parando meu pai mandou-nos esperarmos ele na entrada do local, então sem pensar duas vezes corremos na chuva até as escadas da entrada. Em seguida vimos o mesmo correndo em nossa direção com sua maleta cobrindo sua cabeça, ele bateu seu casaco e entrou no Museu, subimos as escadas e fomos na area principal aonde tinha as artes de campos floridos e a cafeteria central, fomos pegar a fila para pegarmos um café quando acabo esbarrando com alguem.

— Me desculpa Senhor, não tinha-o visto — Olho para cima e reconheço o rosto, era o senhor Willer o chefe do meu Pai e sua esposa a senhora Julie — Ah! Não tem problema Mark Hahaha quanto tempo— Diz estendendo sua mão e logo aperto a mesmo fazendo um sinal com a cabeça— Senhora Ellen— Estende a mão para a Ellen que simplesmente ignora, um silencio toma conta do local meu pai vendo que aquilo deixaria um clima pesado, fez manifestação.

— Ahh!! Senhor Willer! Que sorte encontrar o senhor aqui hahaha!— Diz meu pai entendo a mão para ele que logo recebo um aperto— Hahaha! Você continua o Mesmo Senhor Adam, não mudo exatamente nada— Disse soltando um ar pelas narinas— Senhora Julie, quanto tempo não a vejo! A sua beleza não mudou nada— Aperta a mão da Julie com um sorriso no rosto— Que educado senhor Adam! Te digo o mesmo, seu humor não mudou nada hahaha— Diz combrindo o riso com o seu leque.

— Crianças, poderiamos nos dar um tempo? Papai precisar conversa com o Senhor Willer sobre negocios— Apenas acenti com a cabeça e arrastei a Ellen para o andar de baixo onde ficava a biblioteca, nos odiavamos quando nosso pai trocava-mos por seus assunto de negocios, qualquer oportunidade ele nos coloca de canto— Vem vamos dar uma olhada— Disse Ellen segurando minha mão, e andando pelas as prateleiras cheias de livros antigos, andamos por mais um tempo quando vimos um corredor escuro com uma luz fraca alaranjada nele —Quer ir ver?— Disse me olhando com um sorriso no rosto— Hum...Não vamos demorar viu?— Digo segurando sua mão e indo até o corredor.

Tinha mais livros lá, mas era de um assunto muito peculiar, peguei um livro de lá e vi que o titulo dele era " Regras da academia " Não entendi muito, então deixei de lado, continuamos andamos até passarnos por uma porta fechada onde no momento que andamos na frente dela uma brisa congelante nos cobriu por inteiros...


...Continua...


Obs: Peço desculpas por qualquer erro de ortografia.

3 de Junho de 2021 às 02:41 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo 𝑂𝑠 𝑡𝑟𝑎𝑐̧𝑜𝑠 𝑑𝑜 𝑀𝑖𝑠𝑡𝑒𝑟𝑖𝑜

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!