zelosnation_ bia

Onde Kim Iannael amava café então ficou determinada que iria a todos os cafés existentes. Viajou por todo mundo, experimentando todos os cafés e anotando em seu caderno os que mais tinha gostado. Sua última paragem foi na Coreia do Sul, mas devido a não encontrar um sabor diferente dos cafés pensou em desistir de sua pequena loucura, até que num dia chuvoso, ela se abriga em Coffee Shop. [Capa feita por @hobifIwrs]


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#kim-hongjoong #ateez
0
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 2 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

“1”

Música calma passava em meus fones e eu tentava pensar qual café era melhor de todos que já provei desta zona de Daegu, claramente o Americano era bom, mas já tinha provado em mais de três cafetarias coreanas e até mesmo em minha pequena visita à América. Estou ficando sem ideias.


Resolvo sair da calafetaria onde me encontrava e vou em direção à paragem de ônibus, como eu tinha uma memória boa, não era hábito me perder sendo que todos os caminhos que estou fazendo ficam em minha cabeça, mas nunca se sabe, eu posso me perder por alguma distração, mas espero isso nunca acontecer.


Ao chegar na paragem de ônibus procuro aquele que dava para Busan, eu gostava de dar passeios pela pequena praia de lá, era calma e não tinha muita gente no inverno, o que eu gostava, dava para eu pensar.


O tempo não estava bom para passeios, mas eu não queria voltar tão cedo para meu apartamento, mesmo sendo aconchegante, era um pouco entediante ficar somente entre as paredes sem nada para fazer, como não é longe eu poderei depois voltar a pé da praia, mas ainda é muito cedo e eu quero aproveitar a minha pequena estadia, claramente eu vou deixar aquele apartamento pois não fico muito tempo nos países, o que era um pouco ruim para quem faz amigos, mas para mim não está sendo ruim pois eu não consigo socializar muito fácil com as pessoas, sempre perco assunto e o medo delas se cansarem de mim me consome a cada palavra que eu lhes dirijo, então tratei de ficar somente sozinha e quando voltar para meu país natal tentar fazer uns amigos para depois lhes mostrar por onde andei, seria muito legal eu ser uma pequena guia deles, eles conheceriam o mundo.


Entrei no ônibus assim que ele parou na nossa frente e procurei por um lugar após pagar, queria um lugar sozinho, pois assim poderia ouvir a música de meus fones calmamente sem ninguém me interrompendo. Mesmo que essa vida sem amigos seja chata, eu gosto.


Demoraria cerca de 88km para chegar em Busan, então eu conseguia ver muita gente entrando e muita gente saindo, mas mesmo assim eu só me focava na minha música e meus pensamentos.


Quando cheguei me perguntei como foi tão rápido sendo que viagem foi de uma hora e poucos minutos, sai calma do ônibus e olhei o céu, as nuvens estavam carregadas, então a melhor resolução será eu me render e ir para meu apartamento, o passeio pela praia terá que ficar para outro dia.


Comecei meu caminho para casa sem ter tirado meus fones, apenas coloquei o som no mínimo para conseguir ouvir os carros que passavam e algumas pessoas reclamando do meu lado, mas claramente deviam pensar que eu não estava ouvindo. Não liguei para nenhum assunto, apenas seguia meu caminho, mas decidi tirar meus fones quando ouvi um miar de gatos logo desviando de meu caminho e indo até um pequeno beco entre duas casas e vi um pobre gatinho dentro de uma caixa de cartão molhada. Não aguentei e o peguei rapidamente indo até minha bolsa e peguei um biscoito que por sorte ainda tinha sobrado e lhe dei, não era comida exata de gato, mas mataria a fome dele.


- Porque você está aqui sozinho? Onde está sua mãe? - Fiz perguntas soltas enquanto fazia carinho no pelo um pouco molhado do pequeno gatinho, sabia que não devia, mas iria o levar para meu apartamento, e quando me fosse embora o deixaria num veterinário pois ainda não sei onde é exatamente o abrigo de animais. Talvez descubra com o tempo, mas até lá eu vou cuidar desse gatinho, sou incapaz de o colocar naquela caixa molhada novamente, ele claramente foi abandonado. - Vamos para casa meu anjinho, vou comprar muita comidinha para ti e sobretudo você vai ter um nome. - Fiz uma cara pensativa enquanto o mesmo comia, tentando pensar num nome, até que uma luzinha acendeu-me em meu cérebro. - Vou te chamar Joong.


Sorri com o que tinha acabado de falar e olhei o gatinho que agora ronronava já com todo biscoito comigo.


- Ai que lindinho, comeu tudo. - Segurei ele com mais firmeza e olhei para o mesmo que lambia sua pata. - Você vai ter uma nova vidinha Joong. - Pingos de chuva atingiram minha cabeça e eu olhei para o céu vendo as nuvens ainda mais carregadas, claramente iria chover forte mesmo que começasse fraco. - Melhor irmos meu neném. - Começo a andar num passo rápido tentando chegar rápido à área que eu residia, mas parecia que a chuva queria estragar meus planos de chegar ainda seca a casa, vindo com mais gotas de águas e ainda mais grossas, olhei o gatinho que tentava se refugiar da água e então o protegi o colocando debaixo do meu casaco que se encontrava aberto, preferia me molhar mais do que o pobre Joong, claramente ele já passou muito frio antes e eu não quero que ele apanhe mais.


Devido à chuva cada vez engrossar mais e eu ter medo que o pequeno Joong ficasse ainda mais assustado entrei no primeiro estabelecimento que encontrei, assim que olhei em redor vi que era uma cafeteria desconhecida por mim sendo que já fui em todas de Busan.



- Bem vinda à Coffee Shop, como posso ajudá-la?


- Eu posso me abrigar da chuva aqui por um tempinho? E me desculpe por trazer um gatinho para aqui para dentro, eu estava indo para casa, mas o encontrei e lhe dei um biscoito para ele comer.


- Foi no veterinário com ele? - A mesma perguntou vendo o gatinho, sendo que eu contei o que aconteceu apenas para não me expulsar daqui.


- A irmã do dono desta cafetaria é veterinária, quer que eu ligue para ela, para a mesma ver se está tudo bem com ele?


- Você faria isso? - Perguntei com um enorme sorriso no rosto.


- Claro, hoje iremos fechar mais cedo por causa da chuva forte que está prevista, se quiser lhe dou carona se quiser, Soyeon pode estar ocupada depois e ter que sair logo.


- Nossa, muito obrigada, eu pensei que poderia me expulsar do lugar por ter um animal nas mãos.


- Meio que eu não suporto gatos abandonados e meu gato foi achado do mesmo jeito, ele estava abandonado num saco de plástico no lixo e me deu muito dó, enchi a cabeça de meu irmão, mas ele aceitou pois eu agora tenho minha própria residência. - A mesma deu um sorriso gentil. - Nossa, como eu falo demais, vou ligar para ela e já volto, quer algo para comer? Fica por minha conta.


- Um café apenas por favor. - A mesma assentiu e colocou a plaquinha de "closer" na porta logo pegando no celular e saindo da zona onde me encontrava voltando, somente, uns minutos depois.


- Ela irá vir num ápice pois está ocupada lá na sua veterinária, mas eu insisti por ser um gatinho de rua. Vou fazer seu café agora. - Assenti e me sentei numa mesa colocando o pequeno Joong em minhas pernas e vendo a mesma do outro lado do balcão concentrada no que fazia. Logo a mesma volta com um café quente em sua bandeja.


- Muito obrigada por não, você realmente foi meu salva-vidas de hoje, tanto para mim como para Joong. - A mesma se sentou na mesma mesa que eu e olhou mais pormenorizadamente o pequeno Joong.


- Joong é o nome do seu gatinho? Que nome fofo. Meu chefe também tem Joong em seu nome. - Riu fraco e eu comprimi meus lábios e segurei no copo médio e bebi um gole do café após assoprar.



- Nossa, é maravilhoso. - Peguei meu caderno anotando minha pequena nova descoberta.


- É café simples. - Deu uma pequena risada. - Vejo que é fã de café. - Após anotar sorri, mas quando ia falar alguém interrompeu batendo na porta de entrada.


- Eu vou lá. - A mesma se retirou da mesa e andou até a porta de entrada, eu mesma segui-a com meu olhar e vi uma garota totalmente vestida com roupa de veterinária entrando, não aguentei não sorrir, minha felicidade tinha de ser transmitida, pois ninguém nunca fez algo do género por mim.


- Bom, vamos ver o pequeno Joong, que de pequeno e nome só lembra meu irmão. - A veterinária parecia bem disposta ao rir de algo que só elas duas poderiam entender, eu continuei sorrindo e as segui para uma sala que li que era pessoal para empregados, me senti privilegiada por estar aqui sendo que acabei de conhecer a cafetaria Coffee Shop.

17 de Maio de 2021 às 21:14 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo “2”

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 19 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!