koushirou Yoshi Koushirou

"O que as paredes da Nottlin Academy escondem?", essa é a pergunta que Stefanno mais se faz. Enviado ao internato mais famoso do país, se vê envolvido nas piores situações que pode, um dia, imaginar. Dentre o risco de vida e as mentiras que é obrigado a contar, desempenhar o papel de astro do Baseball e estrela do futebol é a parte mais fácil da sua vida. Ao menos era, até Stefanno se descobrir dividido entre amar seu melhor amigo, seu maior inimigo e seu chefe. Dizem que coragem é o medo em movimento, e Stefanno terá que comprovar isso, pois, caso pare, morrerá. Narrado do ponto de vista de Stefanno Vacchiano e Nils Norton, o romance LGBT "Toque de Recolher" aborda temáticas sensíveis, como amor, sexualidade, paixão, abuso, abandono parental e afetivo, transtornos mentais e os males de uma vida envolvida com o tráfico.


LGBT+ Para maiores de 18 apenas.

#originais #drama #máfia #internato #ação #lgbt #romance #homossexual #bl #yaoi
3
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 2 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Tailor's Peak, três anos antes.

— Vacchiano, estamos nos aproximando do internato mencionado pelo senhor seu pai. Não se preocupe, temos nossos contatos dentro das instalações. Procure por Fajardo, mencione seu sobrenome e ele saberá o que dizer.

—Entendi, Giordano. Já me repassou a mesma conversa quinze vezes nos últimos três cruzamentos.

Giordano sorriu, quase não sendo possível vê-lo pelo retrovisor, a penumbra escondia parcialmente seu rosto. Típico de cenas clichês de filmes italianos, só que agora é real.

E, de fato, Nottlin Academy. Seu nome era até mesmo frescurento demais, a instalação realmente era, além de grande por fora, bonita. Os portões escuros com adornos dourados nas lanças superiores passavam uma certa imponência para o local.

Ouvi falar muito bem daqui, mas se vim pra cá, definitivamente não deve ser um lugar legal.

—Vacchiano, chegamos — e, finalmente, se virou no banco para me olhar.

—Vai ser um bom tempo longe de casa, sentirei saudade do papai e da mamãe —suspirei, desviando o olhar para a janela. As gotas de chuva no vidro pareciam apostar corrida entre si para ver quem saía primeiro da minha linha de visão.

—Não se preocupe, quanto mais rápido entrar, mais rápido sairá — riu brevemente, o cheiro do charuto caríssimo inundava o carro, me convidando não tão gentilmente a sair dali. — Lembre-se, Stefanno, Fajardo. Lucca Fajardo. Espero que sejam bons amigos, ele é de confiança da família — e com um apertar de algum botão no painel, a porta se abre.

—Mande lembranças minhas pra casa, diz pro velhote que eu tô realmente puto de ficar afastado dos jantares que a mamãe faz.

Arrivederci Stefanno.

Arrivederci.

Antes que eu pudesse ver o carro partir, os portões se abrem e um homem baixo e meio... Gordo vem em minha direção com um guarda-chuva preto, aberto.

“Nottlin Academy”, as letras com o nome, metalizadas em dourado, davam boas-vindas ao local. Mesmo com o charme do portão, sinto-me em um velório. Talvez, de fato, seja minha vontade de estar aqui que acabou de morrer.

—O senhor, caro jovem, deve ser o Stefanno, acertei? — sua voz era um pouco esganiçada, mas o bom humor aparente, tanto no jeito de falar, quanto no sorriso, era quase maior que o rosto.

—Sim, boa noite.

—Boa nuotte — sorriu. A tentativa de me receber em minha língua materna, mesmo que falha, fez com que eu, de certa forma, me sentisse recebido.

Buona notte — o corrigi também com um sorriso.

— Quase acertei. Foi por pouco. Venha, saia dessa garoa, vou lhe apresentar seus aposentos e amanhã te mostro as instalações — guiou-me para dentro, seu guarda-chuva nos salvava dos pingos dos céus.

Por dentro era ainda mais belo.

Os prédios, que presumo eu, seriam das salas de aulas e dormitórios, pareciam muito bem conservados. Um grande carvalho, entretanto, foi o que mais chamou minha atenção ao centro de tudo.

O homem caminhou falando comigo, talvez estivesse explicando algo, não sei, eu apenas concordava com tudo enquanto minha atenção era desviada hora para os alunos abrigados da chuva abaixo do carvalho, hora pelo próprio ambiente, com seus muros altos, brancos, e o enorme prédio cor creme que se aproximava. Vi tantas coisas e, ao mesmo tempo, não vi nada. Me perdi tanto em pensamentos sobre casa, família, que acabei não me atentando aos menores detalhes da jornada até meu quarto.

—Aqui, seu quarto é esse. Duzentos e quarenta e nove. Pegou um dos últimos do terceiro andar, é um bom quarto, mas, infelizmente, não vai ter colega ainda.

Demorei um pouco até perceber que já havia chego, pisquei algumas vezes olhando a porta, e voltei o olhar ao corredor vazio. O chão de porcelanato branco possuía algumas boas manchas dos sapatos com lama.

As paredes seriam extremamente perfeitas, se não fosse algumas poucas pichações de siglas que pareciam recém feitas, com uma espécie de marcador azul, apenas na metade superior cor marfim, já que as madeiras da parte inferior seguiam intactas.

—Seja bem-vindo à Nottlin Academy, Stefanno. Espero que goste daqui. Suas malas já estão postas no quarto, seus pais mandaram mais cedo, mas acho que já sabia disso, não é? — sorriu novamente o bom homem. — Aqui, a chave — me deu um tapa leve nos ombros, e voltou a caminhar até as escadas.

Apenas acenei com a cabeça e o vi sair, destrancando meu quarto, enfim pronto para conhecer meus aposentos.

O cômodo era aconchegante, as paredes seguiam um tom bege que não era desagradável, mas era bem diferente dos tom rosado que costumo preferir.

Havia duas camas, uma com apenas um travesseiro e lençóis brancos, e outra com minhas malas com um folheto dando boas vindas e o mapa do local, travesseiro e um par de cobertores azuis. A fronha estava embalada em um plástico, branca, aparentemente higienizada.

Estava ansioso. Não demoraria muito para sair dali, não conseguiria descansar direito antes de saber em quem eu posso confiar aqui dentro.

Abri novamente a porta e me atentei ao quarto em frente.

Duzentos e cinquenta. Aqui vive, então, o tal do Fajardo.

17 de Maio de 2021 às 21:10 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Indesejado

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas