erica21 Érica Silva

Aiumy Hiusak é uma jovem sul-coreana, formada em técnica de enfermagem que mora no brasil desde dos três anos. Agora com dezenove anos, ela está voltando para Seoul, na Coréia, para enicia sua faculdade de medicina em umas das melhores universidades da capital Seoul, mas nem tudo é tão fácil como parece... ela vai mora sozinha em uma cidade enorme e pra pagar as dispesas e o aluguel da casa onde irá mora ela vai precisa de um emprego de meio periodo. Aiumy será contratada pela milionária Jeon Heyong para trabalhar na casa de seu filho, um jovem que se fechou para mundo apos um acidente que o deixou secuelas, será um grande desafio para Aiumy conviver e tenta entende-lo. Fechado e frio como gelo, Jeon jungkook é um jovem de vinte cinco anos que viu sua vida muda por completo apos sofre um grave acidente de carro, o que acabou resultando em uma vida dependente e cheia de remédio. Um jovem que sempre foi tão alegre e feliz, que contagiava à todos com seu sorriso, se tornou um homem frio, de poucas palavras e de nenhum sorriso. Cansado de depender tanto de sua mãe, Jeon decidi que vai morar sozinho e a Sra. Jeon se coloca terminatemente contra a decisão do filho, mas era impossível argumentar com mesmo, então ela impôs uma condição, à de contratar alguém para cuidar dele nem que fosse só por meio período. E é nesse ponto que a história começa. 📌AVISO IMPORTANTE! Este é um trabalho de ficção feito de fã para fã, sem fins lucrativos, e com o único intuito de divertir aos leitores interessados. Todos os direitos reservados a autora e criadora dos personagens, sejam eles fictícios ou reais, aqui apresentados. Proibido a adaptação da história sem antes conversa adequadamente com a autora desta obra ( No caso, eu mesma). Atenção! Está obra contém gatilhos, se você é sensível a esse tipo de leitura recomendo que não leia a história. Em nenhum momento irei romatizar, idolatra ou banalizar situaç


Fanfiction Livros Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Por Um Sorriso Seu

#romance #Amor #bts #Jungkook # #ARMY #Aiumy
0
2.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

♦️Prólogo♦️

#1


Seoul, 04 de maio de 2018
(Casa da Familia Jeon)

☆☆☆

O dia estava frio, ventava um pouco e as nuvens no céu estavam negras e agitadas, até pareciam disputarem entre se. Quando as primeiras gotas tocaram o chão, um som alto acompanhando de clarões cortaram o céu. Uma tempestade se aproximava.

__Filho, você não acha melhor deixar essa viajem pra outro dia? Você pode remarca-la.- A Sra. jeon estava olhando pela grande janela de vidro e suas feições desmostrava preocupação- Vai cair uma tempestade! é perigoso dirigir na chuva.

__Não posso adiar essa viajem. A senhora sabe como é importante pra mim.É minha chance de mostra meu trabalho e me torna um grande escritor.- Um sorriso prenchia os lábios de jungkook - Não se preocupe, é só uma chuva não vai acontecer nada.

__Como quer que eu não me preocupe, jungkook. Desde que seu pai se foi eu só tenho você,é claro que mim preocupo.- A mulher desmostrou um semblante triste ao lembra do falecido marido.

__Eu sei mãe, e entendo a senhora, mas eu sei, também, que meu pai ficara feliz ao ver que estou seguindo meu sonho.- Ela sorriu ao senti os braços do filho em volta de sua cintura, em um abraço.- Vou volta em quatro dias. Busan é logo ali.

Ao se separarem do abraço a mulher sentiu uma sensação estranha mais nada disse, não queria preocupa o filho e talvez fosse só impreção sua.
Com um sorriso choroso a viuva acompanhou o filho até o carro. Com a chuva ainda estava fraca, não se molharam. Heyong sabia que o filho estava seguindo um sonho e ela sempre o apoio em suas decições, e fato do jovem querer seguir os passos de seu pai a deixava emocionada e orgulhosa.

__Promete que vai ligar assim que chega em busan?- Disse pousando as mãos no rosto de jeon que sorriu assentindo.

__Vai ser a primeira coisa que vou fazer quando chegar lá.- Abraçou sua mãe novamente essa que ja deixava algumas lagrimas cair,fazendo o menino sorrir.- Não chora ou eu vou acabar chorando tambem.

__Se cuida meu filho.- Disse vendo jeon entra no carro e se posiciona em frente ao volante- Eu te amo.

Jeon se enclinou no banco do passageiro e olhou sua mãe nos olhos. Uma mulher bonita de longos cabelos negros preso em um rabo de cavalo, uma aparecia jovem no auge dos seus cinquenta e dois anos, uma bela mulher.

__Eu também te amo,mãe.- O sorriso nos labios de sua mãe fez jeon sorrir tambem- Muito.

Jeon deu partida no carro e aos pouco foi se afastando de sua mãe, que continuava em pé na calçada. A chuva já estava mais forte e Jeon tinha que chega em busan antes do anoitecer, que já estava perto. Ele estava ansioso ,seria a grande oportunidade de mostra o seu primeiro best-seller a uma grande editora de busan, que se interessou por seu trabalho. Jungkook havia mandado varios e-mails para algumas editoras e quando recebeu a respota da que mais queria ficou muito feliz. Jeon sempre sonho em ser escritor, pra ele as palavras são magicas e de certa forma misteriosas, e o fato de seu pai ter sido um escritor bastante conhecido e que amava ler para ele quando criança, só amentava seu desejo. Jeon era um aluno exemplar, sempre tirava as melhores notas; principalmente em produções textuais e redação. Era elogiado pelos professores e colegas. Escrever e ler eram seus passa tempo preferidos.

(...)

Jeon já dirigia a algum tempo e a tempestade tinha se intensificado o impossibilitado de enchergar a estrada com clareza. Por conta do forte nevoero os vidros já estavam embaçados dificultando mais ainda sua viajem, naquele momento jeon se arrependeu de não ter ouvido sua mãe e tenta remacar aquela viajem.

__Droga.- Murmurou baixo pra si mesmo, quando percebeu que foi burro ao ingnora sua mãe.

Apos mais uns minutos de viajem, jeon estava pensando seriamente em para em algum lugar e espera a tempestade diminuir. Mas tudo aconteceu muito rápido, em um momento de distração jeon tirou o foco da estrada e quando retomou o olhar para a mesma, sua face foi preechida por um misto de medo e desespero, ele não sabia o que fazer e o desespero tomou conta do seu corpo. Seus olhos estavam vidrados no enorme caminhão que paracia ter perdido o controle, e invadiu a contra mão indo muito rapido em sua direçao. Jeon não teve tempo de pensa muito menos de agir, ele estava paralizado e a cena do grande monstro de metal vindo a toda velocidade a seu encontro parecia esta em câmera lenta, com um pouco de conciencia do que ia acontecer jeon conseguiu virar o valante pra entra na pista do lado,mas já era tarde demais. O caminhão acertou em cheio a lateral do veículo, que capotou logo em seguida, uma, duas, três vezes e finalmente parou com as rodas pra cima. Jeon sentia sua cabeça lateja e sangue escorrer na lateral da mesma. Ainda um pouco conciente e muito machucado jungkook pode ver a ultima imagem em sua frente, o caminhão explodiu a alguns metros de si, como certeza fazendo do seu condutor uma vítima fatal. Momentos depois a escuridão foi tomando conta do seus olhos e ele apagou. Jeon jungkook havia morrido?.

(...)

Bip,bip,bip

Esse foi o primeiro som que jeon ouviu assim que despertou. Ele estava confuso sua mente girava ,e fraguimentos do acidente rondava sua cabeça, que doia. As vozes em volta começaram a incomoda-lo e o barulho de algum aparelho o fez destingui que estava em um hospital e felizmente vivo. Mas em que condições?. Um soluço seguido de uma voz choroza fez jeon abrir os olhos por completos, sua vista estava embaçada por conta do contato repentino com a luz, mas aos poucos tudo foi se tornado nítido e algumas silhuetas se formaram a sua volta, o choro vinha de uma delas e ele já sabia quem era.

__Mãe- A palavra saiu tão baixa e rouca, que se perguntou se realmete havia a pronuciado, então disse novamente.- Mãe!

A mulher que antes chorava copiosamente ao lado de uma enfermeira correu até a maca onde jeon estava, ele pode ver o desespero no olhar de sua mãe e aquilo o destruiu.

__Filho! Ohh...Você acordou! Meu deus abrigado por não deixá-lo morrer.- As lagrimas inudava o rosto da Sra. Heyong o que fez jeon derruba a sua primera.

__ Por que esta chorando, mãe?. Eu estou bem-- Seus olhos estava fixo em sua mãe, que ao ouvir sua voz seu choro amentou, e o médico se pronunciou.

__Você não lembra?- O médico perguntou enquanto olhava uma pracheta em suas mãos.

__Lembro que sofri um acidente. Um caminhão bateu no meu carro, lembro de uma explosão e em seguida eu apaguei.- Disse encarando o medico que o olhava de jeito estranho.- O que foi? Por que esta me olhando assim?

" Esse medico esta mim escondendo alguma coisa" pensou jeon.

__ O que está sentindo?- Jeon não entedeu muito bem a perguta.- Esta sentindo algo diferente?.

Jeon olhou pra sua mãe que voltou a chora, ele não estava entendendo nada, não estava sentindo dor só uma peguena fisgada em sua bochecha esquerda, provalmente algum arranhão do acidente, mas um simples machucado não seria o motivo das lágrimas de sua mãe. Não estava sentindo dores fortes. nada, nada mesmo.

"Espera ai...nada? Eu não estou sentido porra nenhuma!" pensou.

__Não sinto nada!- Disse confuso.

O olhar de jeon fixou no medico e aos pouco foi descendo pela mão do mesmo até chegar em sua palma. O médico segurava um pegueno objeto de metal pontiagudo e o precionava na planta do pé do jovem. Jeon fraziu o cenho confuso e deu um sobresalto olhando para o movimento do medico, e foi ai que o desespero tomou conta da sua voz.

__Por..que não estou sentindo isso? . O...senhor esta mim espetando e eu...não estou sentindo! - Enquanto sua mãe chorava, jeon não tirava os olhos do medico e tentava enteder o que estava acontecendo.

O desepero foi grande. Jeon começou a ficar agitado, tentando movimenta as pernas, mas nada acontecia. As lagrimas já balhava seu rosto e as palavras morria toda vez que tentava sair de sua boca, e pra piora tudo o choro de sua mãe fazia seu coração quebra em mil pedaços.

__Não!...eu não sinto minhas pernas! por que não... sinto minhas pernas?- Ele gritava e as palavras saia entrecortada por conta choro e desepero.

__Pesso que fique calmo, jeon!- O medico falava tentando acalma-lo.- Srta. Milla leve a Sra. jeon pra fora, por favor.

__Não! Minha mãe fica.- A Ultima coisa que viu foi sua mãe chorando sendo praticamente arrastada do quarto.- Eu...quero sair daqui! O que aconteceu?por que não consigo mover minha perna?

__ Jeon, peço que fique calmo... O acidente que sofreu foi muito grave. Você teve sérias lesois na medula espinhal...- O medico estava com receio de falar a proxima frase, mas pra jeon já estava claro. - O que acabou resutando na perda total dos seus movimentos da cintura pra baixo, em termos medico,você ficou paraplégico... Eu sinto muito. Tentamos de tudo ,mas infelimente não conseguimos reverter seu caso, mas isso não significa que seja algo permanente...

Jungkook tinha deixado de ouvi o médico no momento que aquelas palavras sairam de sua boca. A frase "Você está paraplégico" rodou sua cabeça e atravessou seu peito como a lamina de uma katana afiada, o deixando atordoado. Foi só então que a ficha caiu e o despero voltou com tudo. Não podia acreditar no que estava acontecendo, não podia acreditar que sua vida estava mudando de uma forma tão trágica. Ele começou a chorar, gritar e se contorcer, como se aquilo fosse um pesadelo e que ele logo acordaria, mas infelimente aquilo estava longe de ser apenas um pesadelo. Ele tentou se lavanta da maca, queria provar pra aquele médico, e até pra ele mesmo, que ainda conseguia andar, mas quando percebeu que suas pernas não seguia seus comados, que todo seus esforços para movimenta-las eram inútil , ele gritou, gritou de raiva, desepero e de medo.

__ Não! não pode ser. Isso não pode está acontecendo.- As lagrimas caíam em abundância sobre seu rosto e os soluços se tornaram mais altos e doloroso.

Rapidamente uma enfermeira adentrou o quarto e ao vê o estado do paciente se assustou. Ela olhou para médico que assentiu positivamente como se falassem em um código mudo. A enfermeira rapidamente, e com toda habilidade injetou um medicamento em jeon, que aos pouco foi se acalmando, mas as lagrimas continuava rolando e o "afogando" aos poucos.

__Minha vida acabou, m...minha vida acabou.- Murmurava baixinho, já sem forças pra lutar o cansaço o vençeu, a dor o consumiu a tristeza o alcançou.

(...)
Na cabeça do jovem, jeon jungkook havia morrido naquele dia, e foi parti daquele momento que ele se fechou pra tudo. Seu coração antes iluminado, agora ficou totalmente na escuridão, se tornará um homem frio, impassível e amargurado, alguém onde a convivência era quase impossível. O sorriso que antes morrava em seu rosto desapareceu, e agora, em sua face carregava frieza e tristeza camuflada de arrogância. Seu sorriso morreu... Aquele o qual se tornou não era mais o jovem sorridente e sonhador de antes, pois o verdadeiro Jeon jungkook, realmente, havia morrido no dia quatro de maio de dois mil dezoito.

"Quem Irá Revive-lo?
Quem lutará "Por Um Sorriso Seu"?"

💠💠💠💠💠💠💠💠💠💠💠💠

"Notas da autora"

Ola!, essa é minha primeira história, aqui no wattpad, mas tenho algumas no spirt ... Aihh espero que gostem é a primeira história com esse tema e também é a primeira com o jungkook -que é meu amor infinito-. Perdoe qualquer erro gramátical ou de escrita, prometo corrigir assim que pude. Não sei quando vai sair o próximo capitulo, porquê essa história sugiu meio que do nada então pode demora um pouco.



Obs: Dexem seu voto!🌟


"🍪Até a proxima biscoitinhos 🍪"

♦️Érica Aiumy♦️

17 de Maio de 2021 às 23:48 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo ♦️Ondas De Lembranças♦️

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!