umehatake Ume Hatake

Perdidos pela loucura de uma missão, não conseguiam saber se tudo não passava apenas de um sonho. Mas havia a certeza de que um sentimento estava brotando dentro de seus corações.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#Hinata #Kakashi #KakaHina
1
1.2mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um


Havia partido a muito tempo, logo depois perceber que jamais teria o amor da pessoa que amou desde a infância. Fugiu sem dar satisfações a ninguém, desde sempre fez tudo o que podia para não errar e sempre estar nos padrões impostos a ela.


Sua salvação foi uma pequena vila ao norte do país do fogo, não era longe de Konoha, mas, distante o suficiente para que não a procurassem ali.


Foram longos dez anos tentando superar os próprios sentimentos, foi uma jornada dura, mas, conseguiu finalmente se libertar daquele seu pobre sofrimento interno. Acolhida pelas pessoas que habitavam ali enquanto estava perdida no próprio sofrimento e angústia.


Hinata prendeu os cabelos negros no alto da cabeça deixando sua farta franja cair sobre sua testa, havia recebido um pergaminho enquanto estava perdida em seus afazerem na pequena horta da vila. Nozomu ficava escondida perto de um riacho, ali construiu uma família que finalmente não esperava dela mais que carinho e companheirismo.


Não diria a eles sobre sua partida, voltaria tão rápido quanto partiu, a urgência que o pergaminho enviado pela Hokage lhe dava um certo medo. Arrumou sua bolsa e a enlaçou no ombro, mesmo morando fora da vila tinha a plena consciência de que a falta de Shinobis com jutsus oculares.


A guerra havia levado parte do seu clã, com isso, Hanabi tomou com a ajuda de seu pai, a frente de seu clã. Tudo sempre foi friamente calculado por ele, ela sempre foi a mais forte e menos sentimental, além de tudo, estava feliz por ela.


Sua vila estava adormecida, saiu devagar com a promessa de voltar o mais rápido possível, abandonar sua pequena casa para retornar ao lugar onde seu coração havia sofrido de diversas formas, lhe dava medo. Depois de todo esse tempo sem contato nenhum com os habitantes de Konoha, tinha medo que a avalanche de sentimentos voltassem com tudo.


Entrou na fria floresta, o céu relampejava e trovejava constantemente, Hinata tinha superado muita coisa desde que deixou a antiga vida para trás, se fortaleceu e aprendeu a amar a si mesma. Trabalhou em sua constante timidez, conseguia já conversar sem começar a gaguejar descontroladamente. Mas controlar o rubor que sempre teimava em tomar conta de seu rosto era algo que não conseguia pôr um fim.


Pulou sobre os grossos galhos, sua vila não ficava distante da estrada terrosa principal, pulou de cima e segurou o impacto de sua queda. Sorriu para si mesma, ainda não havia perdido algumas de suas habilidades como Kunoichi.

Os trovões ecoavam pelo meio das árvores, logo choveria. Continuou seu caminho desgostoso até conseguir ver de longe os largos portões de Konoha.


Hinata tentava não se sentir culpado, abandonou tudo em sua fuga, e com isso, deixou todos os seus amigos para trás. Não era algo de que se orgulhasse, mas por ter tanto sentimento guardado dentro de seu coração, sempre acabava se machucando. Era tão doloroso ver a vida de todos se ajeitarem, e seguirem seu curso como deveria ser, enquanto ficava presa a um sentimento doloroso de que nunca teria ninguém para que pudesse dividir sua vida.


Os portões ficavam cada vez maiores, e mesmo dali podia ver a pequena cabine de onde os Shinobis vigiavam a entrada e saída das pessoas. Parecia que nada havia mudado, a entrada restrita sempre evitou maiores ataques e parecia que continuavam com a precaução.


Trovejou novamente, tão forte que fez seu corpo estremecer. A entrada não estava longe, e mesmo que tivesse se imposto finalmente contra seus medos, não faltavam gritos pelo susto que tomava ao relampear e trovejar.


Andou um pouco mais rápido em direção aos portões, talvez também não tivesse crescido tanto assim.


Shizune a esperava nos portões, desconfiada, aumentou o passo enquanto a Kunoichi a encarava com certo nervosismo. A vila inteira parecia dormir, e a aflição da mulher era evidente.


— Por favor, Hinata. — A mulher se desencostou das portas altas de madeira. — Precisamos que nos ajude.


Hinata acelerou o passo passando finalmente pelos portões de Konoha depois de tanto tempo.


— O que aconteceu? — Não havia visto aquela mulher tão nervosa quanto naquele momento.


Ela prendeu os olhos escuros em seu rosto, devia ser algo tão sério para que precisasse chamar uma ninja que fugiu de sua própria aldeia.


— O próximo Hokage saiu em missão a um bom tempo, e não mandou notícias desde então. Precisamos de sua ajuda.


Hinata engoliu em seco, até onde sabia, quem estava treinando para ser Hokage era Naruto.

— Naruto, tem mania de se afundar em suas missões Shizune-Sama.


A mulher parou em sua frente, travando a passagem da rua.

— O próximo a ser Hokage é Hatake Kakashi, Hinata.


Hinata arregalou os olhos em surpresa, não imaginava que ele desapareceria dessa forma, sempre foi um Sensei respeitado e tão forte.


— Não entendo como eu poderia ajudar, não uso meu Byakugan desde que saí da vila.


— Ele sumiu sem deixar qualquer vestígio, — Continuou seu caminho em direção ao grande prédio Kage. — Precisamos de seu poder ocular nos ajude a achá-lo. Tsunade-Sama irá te dar os detalhes assim que a vir.


Não era a melhor pessoa para essa missão, sabia disso. Mas, mesmo que já não fizesse parte da vila, amava as pessoas que um dia fizeram parte de seu crescimento.


— Certo, Shizune-Sama. Darei meu melhor.


Ela sorriu ainda nervosa, e acenou para que a seguisse. Tentaria ajudar como pudesse, mesmo não sendo mais a mesma de antes.


Talvez não voltaria a Nozomu por um longo tempo, Hinata abraçou o próprio corpo, tentando conter a onda de sentimentos que tentava inundar seu coração. Era tão difícil estar ali e rever todas as ruas e lugares que já esteve, as noites que andou sozinha pelas ruas sem o consentimento de seu pai, fugir da vila não teve apenas a ver com as dores de seu coração pelo amor, também pelo peso que não conseguia suportar em relação ao que seu pai exigia. Seu kekkei genkai era constantemente forçado ao limite por Hiashi, foram noites seguidas em pleno e constante treinamento.


Seu peito doía e sabia que isso aconteceria se retornasse, a rua em direção ao prédio principal parecia ainda mais longo, seu desejo era de abraçar sua bolsa e voltar para sua casa. O medo de encontrar ainda mais pessoas conhecidas aumentava a cada passo incerto em direção ao local, mas entendia a gravidade da situação e tentou controlar ao máximo sua terrível ansiedade.


O prédio parecia cada vez ainda maior, não haviam luzes acesas, com exceção da sala principal. Era um erro chamá-la para essa missão, como também foi um erro escolhê-la, subiu as escadas atrás de Shizune, andou pelos corredores apertando a alça de couro de sua bolsa como se sua vida dependesse daquela intensidade. Talvez até dependesse.


Como imaginava, a sala permanecia a mesma, cada coisa em seu lugar, como estava desde a última vez que a viu. A mesa coberta por pilhas e pilhas de papéis e uma Godaime um tanto nervosa atrás de sua mesa.


— Hyuuga. — Não era chamada assim por um bom tempo, não que esse sobrenome a fizesse mal, mas, Hiashi devia tê-la deserdado depois de sua fuga. Uma grande vergonha para os Hyuugas.


— Godaime-Sama. — Talvez uma breve reverência serviria.


Os olhos amendoados de Tsunade lhe passavam um misto de sentimentos, culpa, raiva e podia notar um pouco de preocupação e medo, mas suas feições permaneciam impassíveis.


— Sei que foi de última hora, ainda mais depois de todos esses anos. Mas compreenda, estou desesperada e jamais cheguei a pensar que precisaria que alguém fosse verificar o que havia acontecido com ele. — Ela apoiou os cotovelos na mesa e deixou o queixo repousar em cima dos nós finos de seus dedos. — Creio que tenha acontecido algo realmente sério, Kakashi jamais deixou de mandar relatórios sobre a missão em questão e temo que ele tenha sido capturado. — A Senju puxou um largo pergaminho, e com as unhas amendoadas traçou uma rota invisível seguindo para a fronteira de Vila da Folha e a Vila da Grama.— A última vez que me mandou um relatório estava atravessando a Vila Oculta da Grama, depois disso, o silêncio dele perdurou por dias.


A Senju levantou os olhos e deixou que os dedos trabalhassem em suas têmporas, podia ver sua preocupação e Hinata não sentia em nenhuma parte de seu ser, a pequena vontade de lhe perguntar o motivo da missão de Kakashi.


O suspiro foi tão alto que lhe fez sair de seus longos e perdidos devaneios, ela tinha os olhos fixos em sua direção e isso era assustador.


—Veja bem, — Ela continuou. —Não a chamaria se pudesse colocar outro Hyuuga no seu lugar, e não é nada pessoal, entretanto, a falta de ninjas tem me mantido desesperada e os poucos Byakugans que sobraram estão em alguma outra missão. — Hinata engoliu em seco, estar responsável pela busca do futuro Hokage e o Shinobi mais respeitado entre as nações lhe fazia o corpo tremer em pânico. — Preciso que siga a mesma rota que ele, e tente descobrir o que ele havia descoberto ou feito para que desaparecesse assim. Mandarei Yamato com você, sei que precisará de ajuda. Agora... — A pausa fez seus pelos arrepiarem com força. — A missão dele era apenas colher informações de um grupo terrorista, suas intenções até onde se sabe tem deixado as pessoas com extremo medo. Um mercado negro atuando dentro do mundo ninja, e no intuito de aniquilar essa organização o enviei para que me trouxesse o real motivo de sua criação.


— Até onde pude descobrir, o tráfico consiste em produtos que variam entre órgãos e pessoas para o mercado escravo. — Shizune lhe entregou um outro pergaminho. —Não é apenas a falta de Shinobis, Hinata. Mas a sua ausência na vila, contribui para que não seja reconhecida e assim possa andar livremente. Fiz para você alguns pares de lentes, assim terá seu Kekkei Genkai escondido e com um toque meu, não interferirá em seu poder.


As informações rondavam a cabeça da morena, era realmente a pessoa certa para que lhe entregassem uma missão tão importante? Hinata pegou a pequena caixa que Shizune oferecia e guardou os pergaminhos em sua bolsa.


O sol nascia atrás da cadeira larga de Tsunade, a fez lembrar que não queria ser vista perambulando pela vila.


— Com sua permissão, Godaime. — Curvou o corpo levemente em direção a loira permanecia. — Não queria ser vista na vila, tenho meus demônios ainda para matar. Gostaria que me liberasse para seguir com a missão agora mesmo.


Os olhos amendoados suavizaram um pouco e então, espalmou as mãos em sua mesa.

— Poderá aguardar Yamato fora dos portões, já o mandei chamar. Traga Rokudaime de volta, confio em você.


Hinata curvou novamente o corpo e partiu com pressa, uma vida tão importante em sua responsabilidade. Talvez não tenha se escondido direito dentro de sua vila. Tentaria melhor da próxima.———

16 de Maio de 2021 às 00:16 1 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Dois

Comente algo

Publique!
juliana Santana juliana Santana
😍😍 essa história é incrível! 🤌
May 16, 2021, 03:39
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 13 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!