jungluah Luana Souza

Criado em uma família rodeado de amor, Blue nunca viu mal nenhum em ser quem ele era, atencioso e carinhoso como um pai, exagerado e esxentrico como o outro, ele nunca pensou que conheceria alguém que pensasse que amar outro homem era errado, na verdade, ele nunca pensou em amar alguém assim, mas quando o destino põe em sua vida o homem dos seus sonhos, não são pensamentos errados e nem medos bobos que vão para lo. Blue fará exatamente o que for nescessário para mostrar a Taron que amar não é errado, pelo contrário é exatamente o que os dois precisam.


Fanfiction Seriados/Doramas/Novelas Para maiores de 18 apenas.

#novel #boyslove #pwp #Bl #boyeboy #MeweGulf
3
1.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Blue🔵

Blue on


Estou empolgado, sei que a universidade não vai ser fácil pra mim, mas com certeza também não será tão difícil quanto imaginei, com ajuda e apoio da minha família tudo vai dar certo.


_ E então idiota! Minha irmã falou dando um tapa dolorido na minha nuca.


_ Pai! Gemi passando a mão no local.


_ Kristal! Meu pai falou a olhando de cara feia.


_ O que você está fazendo? Minha irmã torceu o nariz ao se aproximar do fogão.


_ Panquecas! Meu pai falou sorrindo.


Minha irmã se virou pra mim horrorizada.


_ Paiiiiiiii! Ela gritou.


_ Shii! Seu pai está cansado, não grite, deixe ele dormir.


_ Deixar ele dormir e nos vamos morrer envenenados! Ela cochichou apenas para mim.


_ Estou quase terminando sente se com seu irmão.


Minha irmã parecia que ia chorar, mas eu não ia zoar, me sentia igual.


A anos meu pai tenta fazer o cafe da manhã pra gente, mas nada muda, é sempre o mesmo desastre, mas sempre podemos contar com alguém pra nos salvar.


_ Que porra é essa que você tá fazendo? Eu quase gritei de alegria quando vi ele descendo as escadas.


_ Pai Gulf! O pai Mew está fazendo panquecas para o café. Minha irmã gemeu.


Deixa eu te explicar isso direito, quando eu tinha um ano minha mãe morreu de câncer deixando eu, minha irmã e meu pai perdidos, nos vivíamos a deriva, três náufragos sem rumo até ele subir no barco e afundar tudo de vez.


Meu pai Gulf não veio pra nós ajudar a nevagar, ele veio nos dar asas, ele tornou a vida de uma menino cheio de traumas a coisa mais emocionante e mágica que poderia existir, ele fez uma menina metida a adulta se tornar um princesa de contos de fadas.


Ainda hoje ele trata a mim e a Kristal como se fossemos aquelas crianças, mas nenhum dos dois reclamam, na verdade a gente adora.


Mas o que mais amo é ver o sorriso no rosto do meu pai sempre que ele aparece, mesmo com tantos anos juntos, eles ainda agem como se fossem namorados, eles são meu exemplo, eles são as pessoas mais iluminadas e lindas que eu já vi, um dia quero conhecer alguém que olhe assim pra mim.


_ Tá querendo assassinar meus bebês Mew? Meu pai Gulf falou abraçando Kristal que fez bico, as vezes eu e minha irmã agimos como se ainda tivessemos 6 anos, como se ainda fossemos os bebês dos papais.


_ Pai é meu primeiro dia na faculdade não quero ir com fome! Falei gemendo.


_ Você não vai meu amor, o papai não vai deixar. Pai Gulf falou vindo até mim e beijando meus cabelos.


Papai Mew nos jogou um olhar julgador, colocou a espátula sobre a bancada e se virou para todos.


_ Espero que você tenha com quem pegar carona já que seu carro está no concerto. Ele falou olhando para Kristal. _ E espero que tenha dinheiro guardado para o almoço, porque o banco Mew está fechado hoje.


_ Pai! Eu e Kristal choramingamos.


_ Deixa de ser ruim Suppasit, papai leva você querida, não fique assim meu bebê, tome aqui, papai da o dinheiro do almoço.


Era sempre assim, quem vê de fora pensaria que era uma briga entre meus pais e que eu e Kristal estávamos nos aproveitando, mas na verdade papai Mew se derretia por papai Gulf, não importa o que ele diga ou faça, sempre será lindo e perfeito aos olhos do meu pai mais velho, e é exatamente disso que a a gente se aproveita.


_ Você mima esses dois Gulf! Papai Mew falou beijando os lábios do outro.


_ Eles são meus bebês, não seja mal com eles! Papai Gulf falou fazendo bico.


_ Ok! Ok! O que nós vamos comer então? Papai Mew falou se dando por vencido quando papai Gulf o abraçou.


_ Haaaaaaa o que seria dessa família sem mim não é?


_ Tia Nie! Falei correndo para abraça la, titia tinha uma barriga enorme, quase nos dias de ter o seu bebê.


_ Nie querida o que faz aqui não deveria estar de repouso? Papai Gulf falou pegando as sacolas que minha tia trazia.


_ Eu vou ficar assim que esse menino sair daqui, não consigo respirar com ele aqui, imagina ficar deitada.


Nós rimos, era sempre assim na minha casa, estava sempre cheia, eu não me lembro muito bem do tempo antes de papai Gulf, mas Kristal costuma dizer que era frio e solitário, agora quando não é minha tia e o marido, era Vovô e Vovó, ou Tio Mild e tio Mark, quando vovó Suppasit era viva também estava sempre aqui, nossa casa nunca mais esteve vazia ou solitária.


A algazarra no café da manhã era sempre a mesma, e eu amava, por isso optei por estudar perto e continuar morando aqui, não sei se me adaptaria ao dormitório da faculdade.


_ Hoje é seu primeiro dia não é? Tia Nie perguntou assim que fiquei de pé.


_ Sim, me desculpa não ficar mais com você tia, não quero chegar atrasado.


_ Não se preocupe querido, boa sorte e arrase! Ela disse enquanto eu a beijava no rosto.


_ Precisa de carona? Papai Mew perguntou ficando de pé.


_ Não precisa pai, eu vou de ônibus.


_ Eu levo você filho, tenho uma reunião perto da universidade, vai chegar suado no primeiro dia. E você! Leve sua filha até o consultório, não seja um pai mesquinho. Papai Gulf falou.


_ Ok amor! Papai Mew se aproximando de mim. _ Vai ser um dia incrível, faça muitos amigos, eu te amo.


_ Eu tambem te amo pai! Falei rindo.


O caminho até a universidade não foi longo, menos de dez minutos e estávamos na frente, tirei meu cinto e me virei para meu pai.


_ Olhe aqui, preste atenção nas aulas, não converse e seja um bom menino. Não fique olhando a bunda dos caras Blue concentre se na aula.


_ Pai! Falei rindo. _ As vezes o senhor é pior que o vovô.


_ Que calúnia! Papai Gulf falou fingindo ultraje.


_ Eu te amo pai, agora vou indo.


_ Também te amo filho boa sorte.


Sai do carro e caminhei para dentro, o local era enorme, depois de atravessar os portões segui as placas indicativas até a reitoria aonde pegaria meus horários.


No meio do caminho meu celular começou a tocar sem parar, eu nem precisava olhar o identificador pra saber exatamente quem estava me ligando tão desesperadamente.


_ Escuta aqui seu bandido! Ela gritou no meu ouvido assim que atendi o telefone. _ Se tu vai me abandonar pelo menos manda uma mensagem, sabe não custa nada, não vai cair esse seu pauzão de merda.


_ Bom dia pra você também Next! Tudo bem? Já chegou na faculdade querida? Quer que o seu tão amado namorado vá te buscar no portão?


_ Já mandei você irá se foder essa manhã querido Blue? Ela perguntou com ironia, mas estava rindo.


_ Não é por isso, temos um dia inteiro pra que você faça isso meu amor! Falei também rindo.


Ainda no telefone dei meia volta e voltei para o portão aonde Next esperava de pé ao lado do carro de Tio Mark.


_ Bom dia Tio! Falei o cumprimentando.


_ Bom dia filho, está tudo bem? Ele perguntou sorrindo sem sair do carro.


_ Está sim, como está o Tio Mild? Perguntei.


Desde que me lembro das coisas Tio Mark e Tio Mild fazem parte da nossa vida, não lembro de um momento em família que eles não estejam lá, e também me lembro bem do momento em que eles trouxeram Next pra tornar a minha vida um inferno...Mentira eu amo essa peste sem trava na língua.


_ Está bem, chega na semana que vem que um congresso já estou morrendo de saudades! Tio Mark falou suspirando.


_ Ok! Beijo pai, te vejo no fim de semana.


_ Beijo! Next! Ele gritou, ela revirou os olhos e se voltou para o pai.


_ Sim pai! Next falou sem paciência.


_ Juízo mocinha, nada de brigas, se agredir alguem e eu for chamado na faculdade eu juro que você não vai se safar dessa, nem Blue, nem seu pai ou Gulf vão me impedir de castiga lá.


_ Pai! Ela falou olhando para os lados.


_ Está avisada! Cuide dela Blue! Tio Mark falou ligando o carro e saindo do estacionamento, me deixando sozinho com uma Next irritada e com duas malas, ainda bem que tinham rodinhas.


_ Tá olhando pra mim porque imprestável, carregue minhas malas, viado ou não você ainda é um homem.


_ Cala a boca vadia, eu carrego uma e você a outra tá me achando com cara de burro de cargas? Falei pegando a mala e saindo.


_ Ho céus não se fazer mais melhores amigos Gays como antigamente. Next falou ficando ao meu lado carregando a segunda mala.


Quem vê de fora, pensa que vivemos um eterno romance ou uma eterna batalha, mas é só nosso jeito de dizer que nos amamos, Next demorou anos para se abrir e aceitar uma nova família, empurrar, dizer coisas que parecem ofensivas e caçar pequenas brigas é o jeito Next de dizer " Eu te amo", eu já estou acostumado com isso.


Seguimos a escadaria contrária a minha, já que a minha amiga iria ficar nos dormitórios íamos acomoda lá primeiro.


_ Se vai ficar nos dormitórios porque deixou pra se mudar hoje? Perguntei arrastando a mala pelas escadas.


_ Papai estava todo deprimido por causa da viagem do Papai Mild, eu fiquei com medo daquele velho morrer de tristeza.


_ Você só precisa dizer que não queira deixar Tio Mark sozinho Next! Eu falei baixo, mas ela não respondeu nada.


Assim que chegamos a portaria dos dormitórios, ouvimos uma conversa.


_ Eu preciso mesmo de ajuda Tia, eu não posso dividir o quarto com aquele rapaz ele...


_ Ele o que? Olha você fez sua matrícula tardia, tem sorte de ter conseguido um dormitório, a menos que seu colega de quarto tenha tentado algo contra você ou venda drogas não vai haver mudanças.


_ Mas eu preciso me concentrar nas aulas, não tem como dormir com alguem como ele. Por favor!


Eu não queria prestar atenção a conversa, mas o tom desesperado do garoto me chamou atenção, eu não o julgava, não morar nos dormitórios tinha sido uma decisão também por esse motivo, dividir o quarto com alguém que poderia atrapalhar meu já difícil aprendizado.


_ Ho queridos precisam de ajuda? A mulher atrás da mesa perguntou olhando pra nós.


_ Há não pode atende lo primeiro, não tem problema. Falei sorrindo simpático para o garoto que sorriu de volta envergonhado.


Foi aí que eu o vi de verdade, ele eram uns bons centímetros mais baixo que eu, cabelos pretos e um rosto lindo, as covinhas apareceram no seu rosto quando ele sorriu e eu senti meu coração acelerar.


Será que papai ficaria bravo, eu não estava tecnicamente quebrando regras, eu não olhei pra bunda dele, olhei pro rosto.


Balancei a cabeça para dispersar esse pensamento e desviei o olhar, não era bom me interessar por um cara assim logo que o conheço, isso nunca acaba bem, senti Next me cutucar, mas fiz de conta que não percebi.


_ Não se preocupe, já terminamos aqui, Taron não haverá troca eu já disse.


O rapaz suspirou derrotado e saiu com os ombros caídos, não sei o que me deu, mas eu o chamei, não queria perde lo de vista tão rápido.


_ Ei espera!


Ele se virou e ficou esperando o que eu tinha pra dizer, mas na verdade eu não sabia o que se passou pela minha cabeça, mas a sorte estava do meu lado.


_ Você é estudando de que? A mulher perguntou.


Sem desviar o olhar de Taron falei.


_ Arquitetura!


_ Há você e Taron serão colegas, é bom que ele te mostra a faculdade e você ajuda essa ovelha perdida, vai ficar nos dormitórios? Ela perguntou pra mim.


_ Não! Ela vai! Falei apontando para Next! Primeiro ela me olhou com raiva, afinal eu a estava basicamente abandonando a próprios sorte, mas depois ela suspirou derrotada e pegou a mala da minha mão, se aproximou e sussurrou.


_ Tio Gulf vai ficar sabendo disso! E foi em direção a mulher.


_ Tia!! O rapaz ainda tentou argumentar.


_ Menino não discuta comigo, já me cansei juro que se não começar a agir como um jovem normal vou matar seus pais. Ela sorri pra mim. _ Por favor leve ele daqui já estou com dor de cabeça.


Eu não tinha a mínima ideia do que se passava, mas fique feliz de passar mais tempo com Taron.


Me virei e olhei pra ele em espectativa, ele suspirou e estendeu a mão.


_ Taron! Tenho 18 anos e acho que vamos ser colegas.


Antes que eu pudesse pegar na sua mão, uma outra segurou no meu lugar.


_ Next! Tenho 19 anos, prazer! O menino ficou vermelho e soltou a mão de Next sem jeito.


Eu a olhei reprendendo e fui até ele com cuidado peguei sua mão e senti a textura suave e aveludada, meu corpo se arrepiou.


_ Eu sou Blue, tenho 19 é um prazer conhece lo Nong.


_ A gente se encontra mais tarde Next!


_ Acho bom não me deixar perdida Blue Suppasit ou eu juro que acabo com sua raça! Ela falou me dando as costas.


_ Também te amo Nex! Falei rindo.


_ Tanto faz idiota! Ela falou de costas.


_ Você tem certeza que ela vai ficar bem? Sabe eu não quero atrapalhar! Ele falou olhando para o chão.


_ Tá tudo bem, Next sabe se virar sozinha e qualquer coisa ela me liga, ela sempre me liga não se preocupe.


Saímos da reitoria e seguimos os corredores, Taron me dizia aonde ficava cada coisa, mas eu só conseguia olhar o movimento dos seus lábios que eram tão rosados.


Porra eu precisava me controlar, sorri e fingi ouvir tudo o que ele dizia, mas minha curiosidade me pegou.


_ Me fala de você Taron!


_ Oque? Ele perguntou sem entender.


_ Bom seria legal conhecer você pra sermos amigos não? Falei sorrindo.


Ele sorriu de volta e coçou a cabeça.


_ Promete que não vai rir?


_ Porque eu riria de você?


_ Bom eu nunca estudei me uma escola regular, primeiro foi em casa e depois em um internato religioso, meus pais queriam que eu fosse padre, mas quando o ensino médio chegou ao fim eu quiz vir para a universidade, saber exatamente o que quero.


Caralho, eu senti todo o meu corpo esfriar, ele era religioso, estudou para ser padre, eu falei coração idiota, nunca dá certo.


_ Nossa, mas o que está achando sabe de tudo?


_ De verdade? Estou morrendo de medo, eu sou bobo de mais, só estou aqui a três dias e já me pregaram um monte de peças, roubaram minhas roupas e outras coisas, eu já não sei mais se dá pra fazer isso.


_ Ei, não desiste, eu vou ser seu amigo ok, prometo que ninguém vai mais te pregar peças. Falei sorrindo.


_ Porque está sendo legal comigo? Sabe você tem cara de popular e rico.


Eu ri da cara que ele fez assim que terminou de falar, tapando sua boca e abrindo os olhos.


_ Me desculpe eu não quiz...


_ Tudo bem! Eu sou rico, popular ainda não sei, já que entrei na uni agora, mas isso não me impede de ser legal e fazer amizade com você, ser gentil foi o que aprendi em casa.


_ Seus pais devem ser incríveis!


_ É eles são! Durante toda a minha vida eu sempre tive orgulho de dizer que tinha dois pais, mas não sabia como Taron ia reagir a isso, então deixei pra lá por enquanto.


_ Então, acho que nossa primeira aula vai começar, vamos? Ele perguntou.


_ Claro, me guie!


As primeiras aulas foram tranquilas, pude acompanhar tudo facilmente já que os professores não passaram quase nenhum conteúdo escrito, foram mais aulas faladas.


No primeiro intervalo mandei uma mensagem rápida para Next, minha melhor amiga tinha uma mania de expor pra todo mundo que eu era gay, eu não tinha problemas com isso até agora.


For Nex


" Por favor não diga nada sobre a minha sexualidade para Taron, depois te explico".


Mandei a mensagem torcendo para que minha amiga entenda, logo ela se juntou a nós no refeitório, seu olhar era de especulação para mim, mas ela deixou isso pra lá, pelo menos por enquanto.


_ Então meninos como foram as primeiras aulas de vocês? Ela perguntou olhando de mim para Taron.


Taron baixou a cabeça com o rosto ruborizado.


_ Foram bem! Ele respondeu baixo.


_ Caramba ele é muito fofo! Next falou externando os meus pensamentos.


_ Deixe o em paz Nex, está deixando ele sem jeito! Falei, mas estava sorrindo, um pequeno sorriso surgiu no rosto de Taron, mas ele começou a comer e ficou calado.


_ E você, como foi? Next se virou pra mim, eu sabia do que ele se referia ao perguntar isso, mas eu sorri e fiz sinal para que ela não falasse mais nada.


_ Foi ótimo Nex, eu estou adorando as aulas. Falei.


Next me olhou com uma cara de quem diz, vamos conversar mais tarde mocinho e comeu calda.


As aulas da tarde foram rapidas de mais, quando percebi já tinha que dizer tchau a Taron e Next que iriam ficar nos dormitórios, sai caminhando até o estacionamento e para a minha surpresa não era nenhum dos meus pais que me esperavam lá.


_ E aí vadia! Falei passando por minha irmã e indo abraçar meu cunhado. _ Boston! Cada dia mais gostoso cunhado! Falei rindo.


_ Blue! Cuidado ou vou acabar trocando de irmão! Ele falou também rindo.


Eu e Boston nos conhecemos a anos, na verdade ele era aquele vizinho fofo que fica sempre de longe observando sua irmã mais velha, ele se aproximou primeiro de mim antes de finalmente ter coragem de chegar em Kristal, ele foi também uma das primeiras pessoas a me apoiar quando finalmente decidi que não gostava mesmo de meninas.


_ Harg! Como vocês dois são gays! Minha irmã falou fingindo repulsa e entrado do lado do carona enquanto Boston assumia a direção e eu ia pro banco de trás.


_ O que acha de um jantar no BK? Meu cunhado falou olhando pra mim.


_ Nem pensar, primeiro vamos falar sobre você não querer que saibam que é gay! Minha irmã falou me encarando pelo retrovisor do carro.


_ Porra Next!...


Explicação: o sinal 🔵 quer dizer que será narrado por Blue, o Sinal 🔴 é Taron, o sinal ⭕ será narrados por mim, o sinal ⛔ será outro personagem aleatório e 🔞 vocês já sabem safados kkkkkk. É isso beijus e espero que amem a história dos nossos bebês Blue e Taron ❤️


16 de Maio de 2021 às 12:41 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Taron🔴

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!