kaylle Karina Bradaci

O que fazer, quando o desejo pelo poder pode mudar todo o seu futuro, quando a ganância e vingança traça os caminhos. — Quem é aquela? — A filha adotiva dos Jeon, os aliados dos Azura que você matou, tomando o poder de todo o reino. A mulher que deseja sua morte acima de tudo. — Minha pequena ômega...a minha princesinha, a menininha que eu salvei e que me fez sorrir. — Você não pode. Você aniquilou toda a família dela, dizem que ela te odeia e almeja sua morte a todo custo. Ela é a pessoa da profecia da velha… ela é a marca de seus crimes, ela pode te destruir. — Mas eu jurei cuidar dela, nós fizemos uma promessa...ela me pertence...ela é a minha omega. — Esqueça a promessa que fez a ela, não se esqueça ela era só uma criança, e nunca soube quem era você… Não se esqueça, você matou toda a sua família tirou tudo dela. E principalmente você e um lúpus, ela e apenas uma ômega jamais ela vai te aceitar. — Mas ela também pode me perdoar, eu a quero! Eu vou ter essa ômega custe o que custar. Eu preciso que ela saiba que eu sou o homem que a salvou… que prometeu protege-la, que jurou estar sempre com ela...ela e minha menininha. — Mas você é o mesmo homem que aniquilou toda a sua família… que arrancou ela de sua casa, roubou tudo que ela tinha, e que ela jurou matar, não se esqueça ela está com os Jeon, está fora de seu alcance. Não existe saída. — Ela… — Ela é o fruto proibido… apenas esqueça.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#romance #BTS #Taehyung #Jimin #Yoongi #Jungkook #Hoseok #vhope #jikook #namjin #Jin #Namjoon #abo #
2
3.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Chapter 1



1788- Província de Daegu


O casarão estava em chamas, os gritos dos serviçais eram ouvidos de longe, enquanto corriam de um lado para o outro tentando fugir.

O alfa líder da casa entregou seu bem mais precioso a seu fiel amigo, Jeon Lee Hee.

- Proteja ela... minha pequena princesa, não deixe ela morrer Jeon. Eu terei que arcar com minhas escolhas do passado, mas ela não tem culpa. - O alfa sorriu vendo pela última vez o rostinho delicado de sua filha que chorava assustada nos braços do tio.

- Appa eu não quero ir. Appa, por favor, deixa eu ficar com você e o Oppa, appa... - A pequena chorava sentida sabendo que aquela seria a última vez que iria ver seu pai.

- Não se preocupe filha, você ficará protegida com osJeon. - O alfa abraçou a sua pequena ômega, tirando de seu pescoço o colar com o brasão de sua família, que adorava, dando a sua pequena e beijando com carinho sua testa.

Como ele se arrependia de seu passado, mesmo que por uma boa causa e por bons motivos, ele era o causador daqueladesgraça.

- Appa… - A garota foi tirada da casa, e a última coisa que viu foram os olhos negros do homem que observou o lugar buscando algo, ela não pode vê-lo mas sabia que aquele era oMin…

Enquanto isso, seu Appa lutava para que ela pudesse fugir atraindo a atenção de todos. A pequena segurava firme o colar, enquanto chorava agarrada às costas do homem que corria com o cavalo para proteger a si e a menina.

- Não se preocupe, tudo ficará bem! - Foi o que ela ouviu de seu tio Jeon enquanto ele fugia com ela pela floresta, deixando para traz o melhor amigo que teve em sua vida. Lee jurou que cuidaria da herdeira dosAzuracom sua vida.

Já na casa, Kwan, após ver que sua filha estava em segurança, se deixou ser dominado. O alfa não queria mais guerras, ele queria que tudo acabasse e sabia que isso só aconteceria se o herdeiro dos seus inimigos o visse cair. Kwan precisava proteger sua filha, então morreria para que ela vivesse, e assim também pagava por seus erros.

A casaAzurafoi totalmente dominada. O filho mais velho era levado como escravo e provavelmente morreria dias depois, porque o líder, e único sobrevivente do clãMin, não tinha a menor intenção de manter nenhum membro dosAzuravivos, mas tinha seus desejos e humilharia aquele bastardo por muito tempo antes de matá-lo, assim como fizeram com seu irmão.

O líder dosAzurafoi trazido preso e ferido. Aparentemente ele não resistiu, ele sabia que tinha perdido.

E ali estava ele na sua frente, o homem que destruiu a família de Min Yoongi, que tirou tudo dele, mas que agora pagaria com sangue.

Kwan Azura estava preso e ergueu os olhos vendo que ali estava o últimoMin. Esse se vingaria de Kwan e de sua família tendo sua alma lavada e sua honra restaurada, assim como o nome de seu clã seria novamente o mais poderoso daquela província.

- Então é isso, parece que a poderosa casaAzurairá cair diante dosMinpara sempre. - O sorriso de satisfação era enorme nos olhos de Min Yoongi, enquanto Kwan Azura o olhava fixo.

- Está destruindo minha família por qual motivo Min Yoongi? Não me lembro de ter lhe feito nenhum mal, não a você, se me lembro bem, eu poupei sua vida não foi? - Por mais que ele estivesse derrotado, aquele alfa continuava com o olhar altivo e forte de sempre, aquele desgraçado, na visão de Yoongi, sempre tinha tudo que queria... Mas sua glória acabaria ali, ele nunca mais humilharia a famíliaMine nem ninguém .

- Está com amnésia agora Kwan?Esqueceu tudo o que fez a minha família? Esqueceu tudo que fez contra meu pai e meus irmãos? - Yoon Suh falou observando um retrato em uma das paredes. A imagem ali o fez ficar ainda com mais raiva.

Estava ali exposta, no meio do salão principal da casa, a imagem do ômega que era desejado por seu pai e que causou toda adesgraçade sua família. Ali estava a face desenhada com cuidado e realismo do ômega que atraiu seu pai, mas foi marcado por Kwan.

Segundo seu pai, Kwan fez aquilo apenas para machucar o orgulho dosMin, pois Kwan sabia que seu pai havia protegido e cuidado daquele ômega por anos para poder tê-lo para si, e aquelemalditoAzurao tomou procriando e o marcando, fazendo o seu pai cair em dor e agonia, definhando e entregando a honra da família de bandeja àquele bastardo aproveitador. Porém, o ômega que ele roubou estava morto, e agora o filho deles era levado como escravo, mas morreria em breve, e em breve Kwan Azura também estaria morto.

Kwan foi forçado a ficar de joelhos, seus braços estavam amarrados às costas, os cabelos do alfa foram puxados para baixo o forçando a olhar para Min Yoongi que o via por cima. Kwan sorriu diante de Min Yoongi e falou firme, fazendo metade dos betas e ômegas ali se encolherem com o poder daquele alfa.

- Nunca fizemos nada além de buscar justiça. Seu pai era ganancioso e queria meu ômega e usava o poder que tinha para o ter a qualquer custo, ferindo e machucando pessoas inocentes, isso nunca admiti e nunca iria permitir, eu matei seu pai... matei seus irmãos que maltratavam inocentes por prazer, mas nunca toquei no seu irmão mais velho como me acusam, ele era diferente, tudo que fiz foi, apenas para proteger aqueles que não tinham como se proteger de vocês. Eu não roubei Saenin dele como você acredita, ou como ele quis forçar você a acreditar. Eu me apaixonei por ele e ele por mim essas coisas acontecem, é mais forte do que nós. Eu tentei não amá-lo sabendo da obsessão de seu pai, mas ele era meu, era meu ômega. O destino já o tinha criado para ser meu, mas seu pai não aceitou isso e passou a atacar inocentes da minha aldeia com intuito de me forçar a entregar meu ômega. Eu apenas tentei proteger quem deveria proteger e, mesmo assim, seu pai o matou. Tirou meu ômega de mim, e eu agi por vingança da mesma forma que está fazendo agora. - Kwan suspira olhando para oMinque o observava imparcialmente impassível. - E isso não trouxe meu ômega de volta e nem trouxe bons frutos. - Kwan ofegou ao pensar em um dos frutos do seu amor com o ômega que ele tanto amou, sua pequena princesa que agora deveria estar longe.

Kwan sabendo do ódio que o último filho de Seuon Min tinha de sua família, ocultou de todos o nascimento de sua segunda filha, a criando como filha de uma serviçal diante dos olhos dos demais. Seu primeiro filho com Saenin tinha seus 15 anos, dois anos a menos que Min Yoon Suh, enquanto sua filha tinha, agora, seus nove anos. Saenin foi morto por Seuon quando seu primogênito completou 6 anos, pouco depois de sua filha ter nascido, e para protegê-la, Kwan a escondeu.

Somente os da casaAzurae osJeonsabiam a verdade, a menina que crescia livre era descendente direta de Kwan e Saenin, fruto do amor deles. Amor esse que foi brutalmente interrompido por Seuon, que era totalmente obcecado pelo ômega e acusou Kwan de o roubar de si, trazendo a discórdia entre as casas mais poderosas daquela província.

Seuon não descansou até matar Saenin, fazendo com que Kwan fosse cegado pela ira, pela raiva e pela dor da perda de seu amado, eliminando toda a família de Seuon como vingança, e por último, o próprio patriarca da família. O único que escapou foi o filho menor que, na época, era um garotinho assustado de no máximo nove, dez anos. Kwan não teve coragem de matar o rapaz, mas agora se arrependia de sua complacência, pois o filho de Seuon estava ali em sua frente prestes a matá-lo. O olhar de Min Yoongi era frio e cheio de arrogância e desejo de vingança.

- E agora quem irá te proteger? Você está sozinho, sua casa sucumbiu… Saenin está morto, seu filho será meu escravo até que eu decida matá-lo. Você não tem mais nada. - Yoongi disse vitorioso.

Kwan observou os olhos de Min Yoongi, eram diferentes dos de seu pai e seus irmãos, havia bondade no seu coração, e foi por esse motivo que a oito anos atrás ele havia poupado a vida do Min.

- Não seja como seu pai... pois eu posso morrer aqui, mas será sobre o orgulho do clãAzura, alfas, betas e ômegas honestos e justos. Pense bem, um dia você pode se arrepender de suas escolhas e não ter como voltar atrás. O passado sempre volta para atormentar e vingança nunca é a melhor escolha. Infelizmente percebi isso tarde demais, não cometa os mesmos erros que eu cometi, Min Yoongi.

- Quem disse que irei me arrepender de destruir você? - Yoongi vacilou por um segundo, mas pensou na dor de sua perda e voltou a sua postura.

- Não subestime o destino Min Yoongi… - Essas foram as últimas palavras de Kwan, antes de sua cabeça rolar no chão pela lâmina da espada de Yoon Suh.

Assim que o fez, Yoongi olhou as pessoas da casa de Kwan todas assustadas e com medo dele. Yoongi caminhou até o quarto expondo a cabeça de Kwan no parapeito da casa, fazendo todos se calarem nas ruas olhando apavorados aquela cena.

Yoongi respira fundo, estava acabado...

- De hoje em diante as coisas serão pacíficas porque o clãAzuranão existe mais, e não tenho mais porque lutar. A paz irá reinar, não há porquê temerem. - Ninguém respondeu nada, apenas olhavam a cabeça de Kwan não mão de Yoongi. Aquilo não era nem de perto uma prova de calmaria e sim de ditadura, mas Yoongi não se importava, ele só queria ir para casa tirar todo o sangue de suas mãos.

OMinsai de lá vendo toda a aldeia destruída. Não foi sua culpa, tudo foi culpa de Kwan que escolheu o desafiar, e aqueles aldeões sofriam naquele momento porque escolheram o lado de seus inimigos. Mas agora não tinha mais importância para Yoongi, quem sobreviveu poderia recomeçar sua vida sem problemas, ele não tinha interesse em ninguém ali.

Ele caminhava para onde estava seu cavalo quando foi barrado por uma sombra estranha.

Uma mulher se aproxima de Yoongi. Seu aspecto era estranho, seus olhos tinham um brilho diferente, ela era corcunda com cabelos longos e grisalhos, ela sorri pra ele de forma assustadora, falando palavras desconexas.

- Seu futuro está nebuloso... em seu futuro seus fantasmas lhe perseguirão, mas não da forma que o fez, eles atormentarão seu coração. E a escolha se você vive ou morre estará nas mãos do sangue que você mesmo derramou essa noite. Nunca se aproxime do frutoproibido... do fruto do sangue que você derramou. Ela pode ser sua redenção ou sua perdição. Sua vingança não lhe trará nada de bom, a não ser que o coração dela seja melhor que o seu e você tenha tido ao menos um ato de bondade.

- Cale a boca velha louca, pare de dizer coisas sem sentido. - Um dos homens de Yoongi se aproxima, mas logo se afasta assustado.

Yoongi não entendeu aquilo. Quem era aquela velha?

- O frutoproibidoé sempre mais doce...terá cheiro de maçã. Ela poderá salvá-lo, mas poderá destruí-lo. A filha de Kwan tem a chave de seu destino, Min Yoongi.



Yoongi travou no lugar,filha…Kwan tinha uma filha?

- Quem é você ? - Yoongi disse à mulher que ergueu os olhos sorrindo, o brilho vermelho deixou claro a Yoongi, uma bruxa…

- Nos veremos em breve Yoongi. - Ela se afastou saindo da frente do cavalo de Yoongi, ele encarou as pessoas em volta que sequer o olhavam. Ele pôde sentir a raiva e o ódio daqueles que estavam ali, mas ele ainda tinha algo a fazer, ainda existia umAzura.

Yoongi mandou trazer um dos serviçais da casa de Kwan, e sobre tortura, o serviçal revelou que Kwan tinha uma filha, mas que esta já estava longe, provavelmente a caminho da província de Busan onde Yoongi não podia ir, pois muitos aliados seus viviam lá e suas inimizades também, isso incluía osPark.Ele não poderia causar mais discórdia, ele não queria mais sangue, apenas o sangue dosAzuraera de seu interesse.

Yoongi se sentiu frustrado momentaneamente, mas assim como Kwan poupou sua vida quando ele era uma criança, ele pouparia a vida de sua filha por enquanto, porém as palavras da velha rondavam seus pensamentos, ele não tinha certeza se era uma boa ideia.

“Ela poderá salvá-lo mas poderá destruí-lo” -Yoongi sempre foi cético, mas algo naquela frase fez todo o ser do alfa se contorcer, seu lobo estava agitado. Uma profecia sobre si, o que aquilo queria dizer…

(...)

Longe dali, dias depois na casa dosJeon, Lee acabava de chegar trazendo a pequena Sun Myu Azura, ambos estavam exaustos, cansados, mas Lee havia conseguido trazer Myu em segurança.

Assim que desceu do cavalo, um garotinho correu até ele, carregando uma espada de madeira talhada, um brinquedo que ele deu a seu pequeno alfa. Ele sorriu abraçando o seu filho, deixando toda a saudade no seu peito se dissipar. Como ele amava seu menino.

- Appa o senhor voltou! - O garoto que tinha seus 10 anos, tinha a pele branca olhos negros que brilhavam como galáxias, uma boca desenhadinha com um sorrisinho de coelho, que amolecida totalmente o coração de seu pai, além de lindos e sedosos cabelos negros que ficavam caindo em seus olhos. O garoto, após abraçar forte seu Appa, percebeu a garotinha presa a capa do mais velho se escondendo olhando para o chão.

- Quem é essa ? - O pequeno alfa falou emburrado por ver que seu Appa não estava sozinho.

- Esta é Myu, ela é filha de um amigo e irá passar uns tempos conosco.

- Não gosto dela, porque ela vai ficar aqui?! - O pequeno alfa disse fazendo bico, enquanto a menina se escondia atrás do manto de seu Appa com medo do pequeno alfa ciumento que olhava emburrado.

- Não seja rude Jeon Jungkook, ela é uma boa menina, mostre que é um cavaleiro valoroso, a deixarei sobre sua proteção se agir corretamente. Ela é uma princesa, a última de um clã poderoso e precisa de um cavaleiro de valor, achei que seria você, mas com essa atitude terei que buscar outro! - Jungkook abriu um enorme sorriso ao receber de seu Appa uma missão tão importante, ele seria um cavaleiro, e como herdeiro da casa Jeon mostraria a garota que ele podia ser gentil. Ele seria o melhor amigo que ela já teve, ele não ia deixar ninguém mais cumprir uma missão que era sua.

Com seu sorrisinho de coelho ele deu a volta pelo manto de seu pai, vendo a pequena que tinha longos cabelos trançados em um tom castanho, seu rosto tinha algumas sardinhas que a deixavam muito bonita. Sua pele era branca, e suas bochechas estavam rosadas a deixando muito fofinha na visão do pequeno alfa ela tinha olhos castanhos esverdeados claros eram grandes e faziam um contraste fofo com o narizinho redondinho e empinadinho dela.

Ela deu um passo para trás, segurando o cordão de seu pai com um pouco de medo e vergonha do garotinho que se aproximava sem nenhuma hesitação.

- Madame… - Ele se curvou esticando a mão diante de Myu, que olhou para seu tio Jeon que fez sinal para ela positivo, o garoto tentava manter o equilíbrio de sua posição, mas era complicado ficar com as duas pernas meio cruzadas curvado olhando para cima e com a mão esticada.

Myu segurou devagar às mãozinhas finas e magras do garotinho, fazendo uma leve reverência como uma dama faria. Jeon finalmente pode se erguer sentindo um cheirinho gostoso vindo da garota, o que fez ele se aproximar e fungar na menina que sentiu cócegas e riu um pouco.

Jeon Jungkook ficou feliz com isso e levou às mãos delicadas e gordinhas da menina a boca, limpando com a manga de sua roupa a mesma antes de depositar um beijo nas costas da mão da pequena ômega, do mesmo jeito que ele via seu Appa fazer com sua Omma.

Myu sorriu fraco ficando vermelha, ela não entendeu porque ele fez aquilo, mas decidiu não discutir com um alfa que aparentemente se achava adulto.

- Vem vou te mostrar minhas armas vem... - Jungkook puxou a garota pela mão a arrastando consigo. Jeon Jungkook parou para pensar, talvez seria bom ter outra criança para brincar com ele, mesmo que fosse uma menina cheia de sardinhas.

O Appa de Jungkook sorriu da cena, vendo a menina tropeçando em seu vestido devido a forma que Jungkook a forçava a correr. Lee entrou em sua casa em busca de sua esposa, uma linda beta de cabelos negros e olhos castanhos

- HiaMi meu amor, precisamos conversar. - O Beta líder daquela casa falou assim que encontrou sua esposa sentada sobre a grama cuidando das flores. A casa dosJeonera uma casa formada por betas, porém tanto Lee quanto HiaMi eram filhos de alfas e betas o que deu a eles genes alfas, que foi passado a Jungkook que nasceu cem por cento alfa, ele era o orgulho de seus pais.

Lee, pacientemente, contou a sua mulher tudo que aconteceu com seu grande amigo Kwan Azura e sua casa, e explicou sobre Myu. HiaMi aceitou de imediato cuidar de Myu, afinalAzuratinha feito muito por eles quando precisaram. E a beta sempre quis uma menina, mas por uma doença que teve não pode ter mais filhos depois de Jungkook.

Lee sorriu satisfeito e aliviado, ele cumpriria a promessa que fez a seu amigo. Lee era imensamente feliz agora tinha dois filhos, um alfa ciumento e possessivo e uma ômega delicada e gentil. Ele ensinaria ambos a serem justos, principalmente Myu, ele sabia que o coração da pequena estava negro, e ele não permitiria que ela tivesse o mesmo fim de seu pai e seu irmão por culpa do orgulho e da vingança.

Enquanto isso, no campo aberto da casa dosJeon, Jungkook mostrava todas suas armas de madeira com imponência como se fossem de verdade. Myu ouviu atentamente tudo que ele falou achando graça da ênfase que ele dava a suas palavras, sobre como ele explicava a respeito de cada uma delas e como usá-las, como se ele fosse o expert naquele assunto, fazendo Myu rir baixinho. Ele a encarou se aproximando, fungando nos cabelos dela, ele realmente gostava do cheiro que ela tinha. Myu sentiu cócegas e riu olhando Jungkook enquanto ela perguntou.

- Você sabe lutar ? - ela abaixou os olhos quando o pequeno alfa se aproximou mais, agora apontando a espada de madeira no meio do nariz de Myu, a deixando vesga. O pequeno era forte e aquilo deixava Myu recuada e submissa, e Seongguk estava gostando disso. Ele encara os olhos dela abaixando a sua espada.

- Sim... quer dizer... mais ou menos... estou aprendendo, mas já sou melhor que todos os outros da minha idade. - Jungkook falou orgulhoso de si mesmo, ele estava gostando da garota, ela tinha um cheirinho gostoso de maçã e flores do campo e ele sempre que podia fungava os cabelos dela ou seu ombro, fazendo-a rir.

A pequena olhou pra ele e falou sem muita firmeza, um pouco acuada com o cheiro intenso que o garoto tinha.

- Você me ensina? - Myu ficou em pé olhando para Jungkook, que era bem maior que ela.

- Por que quer lutar? Mulheres não lutam, muito menos ômegas. - Jungkook disse sério, ele era o cavaleiro, ela não podia querer roubar seu lugar. Ele lançou um olhar totalmente sério a Myu, enquanto a menina entrelaçou seus próprios dedos se sentando no chão, se lembrando de seu pai lutando para salvá-la.

A dor no peito da pequena ômega era enorme, ela apertava seu cordão com força.

- Eu quero matar um homem mau... ele matou meu Appa… - Myu disse baixo chorando amargurada e tristonha deixando sair sua dor. - Jungkook ficou compadecido da pequena ômega. As lágrimas dela pareciam machucar a ele também, ele sequer podia imaginar como ficaria se perdesse sua família. Ele se sentou no chão ao lado dela acariciando seus cabelos com ternura e tentou ser o mais gentil que pode só para ela não chorar, o choro sôfrego dela incomodava o pequeno alfa.

- Hey, não chore. Eu te empresto meu Appa, e também prometo te ajudar, está bem? Apenas não chore. - Ele fungou os cabelos dela dessa vez com mais força sentindo o cheiro doce que ela tinha. Jungkook acariciou os cabelos da ômega em seguida. - Eu vou te proteger e te ajudar, não fique assim.

Myu ergueu seus olhos encontrando os de Jungkook que estavam firmes, realmente ele era bem adulto para uma criança.

- Você promete? - Ela esticou o mindinho enquanto secava os olhos com a outra mão.

- Prometo! - Jungkook uniu seu mindinho ao dela selando ali a primeira promessa deles. Jungkook seria o irmão que Myu perdeu e a protegeria com todo seu empenho.

- Eu vou matar aquele alfa! - Myu jurou a si mesma enquanto apertava forte o colar com o brasão de sua família. - Eu vou matar vocêMin. Leve o tempo que for eu vou fazer você pagar. Farei justiça... em nome dosAzura.


——

14 de Maio de 2021 às 14:27 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo Chapter 2

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 15 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!