sou_well_ Dreams_Cabello

Uma parceria com a @Sou_Da_Cabello O que você faria se acordasse em um mundo totalmente diferente do que está acostumado? Num belo dia, a Camila cabello, descobre que o mundo está virado de cabeça pra baixo. Metade da população do havia sumido repentinamente após o surgimento de um vírus contagioso. Que supostamente foi liberado pela irresponsabilidade do governo. Após isso, ela descobre que poucas pessoas estão himunes à esse vírus. Até conhecer Lauren Jauregui no meio de uma floresta, apavorada com medo de tudo que estava ao seu redor. Será que elas conseguiram encontrar uma salvação, paz ou até mesmo um amo no meio de todo esse caos?? Vamos descobrir...


Pós-apocalíptico Para maiores de 18 apenas.

#camilacabello #laurenjauregui #normani #allybrooke #norminah #apocalipse #zombies #fifthharnony #camren
1
922 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Quartas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Bom dia/ Boa tarde/ Boa noite/ Boa madrugada.

Primeiro eu gostaria de dizer que esta história é uma parceria minha com a Sou_Da_Cabello, a gente juntou ideias e formamos uma história bacana que a gente espera que vocês gostem e acompanhem com muito carinho.

Ela está com um grupo no whatsapp de todas as histórias dela quem quiser participar e só pegar o número que tá disponível no perfil e me chamar.

Enfim... Boa leitura !

Byeeeeeeeeee !

______________________________________

Winterfield / 01 de maio de 2032...

Point View Of Camila

O mundo havia despertado em um caos tremendo ao qual metade da população existente havia sido extinta restando apenas alguns sobreviventes. Eu não sei como tudo isso aconteceu e sinceramente nem pretendo descobrir, mas o mais engraçado é que todos sumiram após uma vacina misteriosa entregue pelo governo. Pelo visto as experiências feitas em animais não foram o suficiente para suprir as necessidades para o avanço do que eles queriam com essa mistériosa vacina.

É muito bizarro ver ruas e estabelecimentos fechado há dois meses, isso não era muito comum, nem quando teve aquela pandemia anos atrás os estabelecimentos não fecharam totalmente, porém quem foi vacinado começou a ter alucinações fortes e em alguns caso chega até à levar a morte, mas o mais engraçado é que não há corpos em lugar algum, as ruas estão vazias, os cemitérios não estão lotados como deveriam, nada está como deveria, tudo está fora do comum principalmente aqui em Winterfell.

Suspiro cansada de tanto pensar em como tudo está uma bagunça e decido sair um pouco.

- Vou sair para pegar um ar. - digo abrindo o zíper da barraca.

- Pode trazer lenha, por favor ? - Dinah gritou, mesmo eu estando ao seu lado.

- Precisamos nos proteger de alguma forma, não sabemos o que nos espera lá fora. Estão carregadas ? - pergunto apontando para as armas e Dinah pega sua submetralhadora e me entrega.

- Cuidado, não quero te perder, assim como eu perdi os outros. - diz franzindo as sobrancelhas e em seguida se levantou é me abraça como se fosse uma despedida.

- Dinah, para com isso, vamos ficar juntas pra sempre. - digo e ela sorrir aliviada pelas minhas palavras.

A população foi dizimada como se o apocalipse tivesse chegado, eu não acreditava muito nessas coisas, mas por via das dúvidas era melhor não arriscar. As armar já eram minhas melhores amigas, mas durante esses dois meses elas se tornaram minha companhia dia e noite, arrisco até dizer que elas quase minhas amantes, eu devo ter a esposa, a namorada, a ficante é a amante. Durante esse tempo em que Dinah e eu estivemos escondidas na floresta, não vimos nenhuma presença humana ou algum indício de que tenha alguém por aí. Caminho tranquila pensando bobagens quando ouço um barulho vindo de uma das moitas e isso me deixa em alerta, rapidamente saco a a submetralhadora do culler e aponto para as moitas, ando devagar até o lugar de forma cautelosa, mas pronta para atirar.

- Quem está aí ? - pergunto destravando a arma. - Eu não vou repetir de novo, ouviu ? Eu tenho uma arma e não tenho medo de usar. - completo e ouço um sussurro vindo dali e respiro fundo.

- Eu preciso de ajuda. - ouço uma voz rouca e feminina.

- Saia com as mãos atrás da cabeça, quero observá-la melhor. - digo e a mulher se apresenta de forma desengonçada, ela estava suja de poeira e cheirava a fumaça, seus cabelos estavam bagunçados, mas mesmo assim seus olhos verdes vibrantes se destacavam em meio ao seu estado lamentável.

- Não queria te assustar, eu estava com medo do que eu vi e eu corri, corri até chegar aqui. - diz e eu reparo que sua pele estava pálida como neve e seus olhos arregalados e a forma como ela olhava de um lado para o outro assustada comprovava que ela não está mentindo.

- Onde está sua família ? - pergunto mais não tenho resposta.

Ela me olhoa como se procurasse algo ou alguém, ela não me pareceria está bem, parece está em estado de choque ou ela pode ter batido a cabeça pois tem um pouco de sangue escorrendo em sua testa.

- Você disse que viu alguma coisa. - questiono e ela me encara.

- Sim, estava vindo atrás de mim. - responde ficando agitada.

- O que exatamente estava vindo atrás de você ? - pergunto e ouço um barulho estranho.

-Aquilo ! - exclama apontando para um ponto atrás de mim e eu me viro para ver o que era.

Meus olhos não podia acreditar no que estava vendo, era um ser humano andando feito bêbado, pelo menos parecia ser, porém sua fisionomia, seu corpo e sua boca suja de sangue e seus olhos sem cor como se ele estivesse morto, o cheiro de carne podre fazia parecer um daqueles zumbis de filme.

Isso é era real mesmo ?

Zumbis só existem em filmes.

Que droga tá acontecendo aqui ?

Vejo a moça correr o mais rápido que consegue fazendo com que eu a perdesse de vista. Eu tentei correr, mas não poderia deixá-la sozinha com aquela coisa a solta, então aponto a arma para aquele troço, miro em sua cabeça e disparo várias vezes vendo seus miolos caírem no chão e ele cair no chão imóvel. Encaro o corpo caído no chão e noto várias marcas de agulhas em seu braço, fico observando por alguns segundos até me lembrar da mulher, corro pela floresta em busca dela, acho que levei quase meia hora para a achar, mas quando a vejo abaixada atrás de uma árvore com seu rosto escondido entre suas pernas, me aproximo devagar e toco seu ombro.

- Moça ? -chamo.

_______________ Continua _____________

11 de Maio de 2021 às 11:41 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo 2. Quem é Você?

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!