minimonisun keiro r

Kim Namjoon é um dos poucos sortudos que conseguiu um lugar em uma das últimas cidades não infectadas do mundo. Depois de ser encontrado e resgatado, ele não tinha porque reclamar da vida que levava. Eles estavam ajudando o mundo de forma gradual, ter que começar a sua vida do zero após ter perdido suas memórias para o vírus era um preço pequeno a ser pago. Era isso que ele pensava, até que começou a se lembrar e foi jogado de volta para uma vida que não parecia ser dele.


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#distopia #bts #kimnamjoon #kimtaehyung #kimseokjin #junghoseok #minyoongi #jeonjungkook #parkjimin #taekook #angst #sope # #finalfeliz #minjoon
0
424 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

PRÓLOGO

Os episódios começaram a ser mais frequentes quando o inverno chegou.


Eles já haviam acontecido antes, especialmente após o seu resgate. Neles, Namjoon escutava diversas vozes e via lugares que não conhecia. Ele nunca conseguiu dizer ao certo o que estava acontecendo, mas que podia, tentava convencer a si mesmo de que nada do que via era real.


As sessões com a sua conselheira sempre ajudavam. Ele tentava dar detalhes e sempre se esforçava para dar sentido às "lembranças", mas seu esforço raramente era recompensado.


Até que um dia, ele saiu para caçar.


Não foi nada fora da sua rotina. Ele havia terminado seu trabalho nos laboratórios um tanto mais cedo e não tinha mais nada planejado para o resto do dia. A neve ainda não estava tão acumulada ao redor dos muros que mantinham a cidade segura e o instinto dos guardas de permanecerem dentro das guaritas para escapar do frio facilitou a sua "fuga" para a floresta mais próxima.


Ninguém costumava caçar com um arco e flecha como ele caçava, pelo menos não com um arco tão tradicional quanto o dele. Namjoon nunca conseguiu explicar como ele podia ser tão bom com uma arma tão difícil de ser dominada. Sua conselheira explicou uma vez que isso talvez fosse um dom que ele desenvolveu nos anos que passou tentando sobreviver sozinho. Como a maior parte das suas memórias foram afetadas pelo vírus, Namjoon não tinha como confirmar a teoria.


Ele saiu discretamente pelo túnel secreto que havia descoberto em uma das estações de trem interditadas perto do muro. Graças à isso, o caminho para o lado de fora foi relativamente rápido e, felizmente, o túnel estava disfarçado demais nos escombros para que qualquer autoridade notasse a pequena falha na segurança.


Não é como se alguém pudesse sobreviver sozinho até encontrar a cidade de qualquer forma. Namjoon foi extremamente sortudo por ter sido encontrado durante as rondas feitas pela área.


Namjoon tem o cuidado de colocar sua máscara antes de sair do túnel. Ele pode ter sido considerado imune, mas a precaução nunca seria demais. Namjoon tinha lido artigos suficientes sobre o que acontecia com aqueles que passavam tempo demais expostos em áreas infectadas. Com tudo pronto, ele finalmente entrou no mundo exterior, sem segurar o seu sorriso ao admirar a natureza pacífica.


Aquela visão sempre acalmava os seus nervos. Por mais que quisesse sentar e talvez desenhar o que os seus olhos admiravam, ele sabia que deveria voltar antes do pôr do sol. A sua presença era aguardada no jantar e todos sempre eram extremamente pontuais.


Nada fora do comum aconteceu quando ele entrou na floresta. Ele seguiu seu plano de sempre, começou interpretando as pistas deixadas na neve, seguiu a trilha, procurou mais algumas coisas aqui e ali e finalmente encontrou o que estava buscando. Um cervo.


Namjoon sorriu ao perceber como ele estava ficando melhor em seguir os rastros deixados na floresta. No começo ele sempre era desleixado e quase nunca conseguia terminar a caça sem ter que correr atrás da presa diversas vezes. Ele manteve esse pensamento na cabeça mas assim que ele puxou o arco e posicionou a flecha, aconteceu.


De repente ele não estava mais na mesma floresta. Os pinheiros de antes foram substituídos árvores mais baixas que Namjoon não reconhecia. Elas também estavam cobertas de neve mas ainda tinham algumas folhas presas aos galhos. O ambiente desconhecido fez com que ele se sentisse perdido por um momento, até que ele escutou voz familiar que sempre aparecia em seus pequenos episódios.


"Você não está segurando a flecha direito, ela tem que ficar mais alta que isso." o desconhecido disse. A voz que respondeu era de Namjoon, mas ele não lembra de ter falado alguma coisa. Era como se ele estivesse escutando uma gravação e o seu corpo estivesse agindo de acordo com o roteiro.


"Se eu colocar mais em cima, ela vai acabar parando no meu olho." a sua voz disse. Namjoon estava prestes a questionar a si mesmo sobre como ele soava feliz apesar do claro sermão que estava levando, mas então ele sentiu seu corpo se arrepiar quando algo tocou os seus braços.


Se ele não soubesse que aquilo não era real, Namjoon teria certeza absoluta de que alguém estava atrás dele, colocando seus braços na posição certa. Ele sentiu uma mão segurar a sua cintura enquanto outra permanecia apoiada no seu braço dobrado. A respiração alheia tão próxima do seu pescoço fez os seus joelhos vacilarem. Ele não sabia porquê uma alucinação teria um efeito tão forte nele, mas naquele momento ele mal conseguia diferenciar as sensações reais das inventadas.


"Agora respire fundo, moni." o desconhecido sussurrou em seu ouvido, a mão que estava na sua cintura agora sendo movida para o seu abdômen. "E... Atire."


Namjoon não teve a chance de saber se sua flecha imaginária acertou alvo. Como se tivesse sido puxado à força de um sonho, ele acordou nos pinheiros mais uma vez. A luz do dia já estava bem mais fraca do que antes e ele provavelmente havia caído no chão durante o seu episódio. O cervo obviamente já havia fugido e o frio estava começando a congelar a ponta dos seus dedos.


Ele juntou o último pingo de coragem que havia sobrado dentro de si e correu de volta para o túnel que levava até a cidade antes que fosse tarde demais e o seu sumiço fosse percebido. Ele estava tentando concentrar suas ações para poder chegar sem atrasos ao jantar mas aquela cena ainda brilhava na sua cabeça. Onde ele estava? Com quem ele estava? Por que ele se sentiu tão afetado com todos aqueles toques que pareciam conhece-lo tão bem?


Quem era 'Moni'?

8 de Maio de 2021 às 23:58 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

keiro r keiro |22 perfis do wattpad: @minimonisun e @lourryleeds deem amor para as minhas histórias 🤍

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~