picsknjbr May

[ EM ANDAMENTO ] Onde Jungkook, o capitão do time de basquete fica trancado no vestiário com Park Jimin, o garoto prodígio da escola. Sem roupas e sem noção, ele decide que seria a hora certa para fazer valer a pena. clichê!fic | clichê!au | longfic | lemon | namjin | taeyoonseok


Fanfiction Livros Todo o público.

#Taehyung #bts #Jimin #Yoongi #Jungkook #Hoseok #basquete #namjin #kookmin #Jikook #Namjoon # #Seokjin #Taeyoonseok
63
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Park Jimin


Eu odeio basquetebol.


E para quem não conhece esse esporte, são apenas alguns meninos que acertam uma bola no chão, cinco de cada lado, enquanto tentam alcançar uma cesta que fica no canto da quadra por quarenta minutos.


Eu não vejo nenhuma graça.


Não que eu goste de julgar o esporte de outra pessoa, por favor, não pense nisso. O que acontece é que odeio basquete por causa de um cara que honestamente me fez odiar até oxigênio.


Jeon Galinha Jungkook. Este é o nome do dito cujo.


Porque, olhe para isso. O cara é tudo que eu odeio em um homem, só tudo de uma vez e não tem como, não se irritar com isso. Acredite em mim, é insuportável.


Não que eu esperasse muito desses caras que jogam já que eles são a elite da escola e vivem aqui e ali cercados de garotas, usando aqueles casacos vermelhos enormes, com leões por toda parte como motivo de orgulho e tudo mais.


Meu problema era com apenas um cara.


Jeon Jungkook é um típico adolescente mimado, malcriado, arrogante, namorador e cara de pau que não estuda nada porque prefere ser acompanhado dentro do vestiário masculino com alguma garota.


Agora por favor. Quem em sã consciência aceitaria estar com alguém em um vestiário sujo e coberto de germes?


Tudo bem, não estou aqui para julgar, imploro seu perdão. Mas o que aconteceu naquele dia em questão me irritou absurdamente, porque se há algo que descobri dentro daquela sala e dentro daquela escola, é que nada mais importa exceto os jogadores do time de basquete que claramente precisam passar de ano a todo custo, mesmo que não saibam de nada.


E é claro que eu, Park Jimin, tive que lidar com isso assim que a professora de história resolveu começar a me odiar de uma maneira incomum.


— Vou começar a separar os grupos. Por favor, fiquem em silêncio enquanto eu escolho os pares — A professora Sunhee mexeu em seus papéis enquanto eu, Yoongi e Seokjin trocamos olhares cúmplices. — ... agora, Kim Seokjin, você irá fazer com Kim Namjoon. Min Yoongi, você está com Jung Hoseok, e você Park Jimin — ela pausou. — Parece que só sobrou Jeon jungkook.


Não faça isso.


Não não não!


— Professora — vi Seokjin se levantar já revirando os olhos sem nenhuma paciência, pois sabia que iríamos ser usados.


Não era à toa que do outro lado da sala já no fundo, cercado por várias pessoas que gostavam de bajulá-los, estava o frango da turma, sentado na mesa, e estranhamente sem o uniforme do time, mas desta vez vestindo uma jaqueta de couro preta e calças da mesma cor.


— Sr. Kim, se quiser questionar minha escolha, peço que vá ao conselho e informe a diretora. Pois eu não irei mudar os pares apenas para agradar você — os alunos gargalharam alto enquanto o garoto mencionado apertou as mãos de Jungkook, como se fosse uma estranha comemoração de vitória. Ele havia ficado com Seokjin o garoto mais inteligente da classe, essa reação ridícula era de se esperar.


— Professora — chamei baixinho tentando não ter a atenção de todo mundo na sala, porque se tinha algo que me deixava envergonhado era atenção demais. Só que como o universo me odiava, todo mundo pareceu escutar já que de imediato tudo ficou silencioso.


— Park Jimin?


— É que bom, eu gostaria de saber como será feito já que não temos conteúdo suficiente — acabei olhando para o chão porque convenhamos, sou bastante tímido. Pode parecer que não, pois falo abertamente do meu ódio e de como sou injustiçado nesse lugar. Mas a realidade é que além dos dois amigos que citei, não falo com ninguém por aqui, exceto a hwasa que sempre me ajudou, mas fora os três, mais ninguém.


— Vocês podem pesquisar na internet e buscar livros na biblioteca. Podem também usar cartolina para fazer um mapa mental ou conceitual, tenho certeza que vai ajudar — pegando a caneta azul, ela começou a escrever no quadro branco o assunto que deveríamos utilizar para o aprendizado, mas sua última frase foi a que me preocupou. — Façam na casa do colega de vocês, não quero ver ninguém perambulando pelo os corredores com a desculpa de que estão estudando, entenderam? Sei bem que vocês querem apenas badernar.


Droga.


Vocês entendem agora o motivo para eu ter dito que ela me odiava? Era esse. Como eu vou receber Jeon jungkook na minha casa!? Não existia sequer a possibilidade daquilo dar certo, mas não era como se eu tivesse opção. Era o primeiro trabalho do semestre já que havíamos acabado de iniciar o terceiro e último ano. Precisávamos de boas notas desde o início, e é claro, tudo seria graças ao meu esforço.


Enquanto eu estava parado sem parecer sequer respirar, olhando fixamente para o quadro branco vez ou outra vendo a professora guardar todo o material antes do sinal tocar, eu senti levemente uma mão tocar o meu ombro me tirando totalmente dos meus devaneios. Foi automático quando olhei primeiro para a mão que me segurava, e bom, eu não precisei ao menos olhar para trás para tentar descobrir quem fazia isso.


As tatuagens nas mãos e as dos dedos já o entregavam, e fora que, eu estava envergonhado demais para me virar e dar de cara com ele.


Odiava esse sentimento de impotência.


— Parece que vamos fazer juntos, doçura — ele provavelmente se inclinou já que eu sentia sua voz já rente ao meu ouvido. O que ele estava fazendo? — E quero que saiba que com a palavra vamos, quero dizer que você vai, eu não tenho tempo devido aos treinos e tudo mais — pela primeira vez eu descobri que Jeon jungkook cheirava a perfume francês, misturado com cigarro e perfume feminino. Uma combinação que quase me deu náuseas. — Mas não se preocupe, meu doce. Sei que você é inteligente e pode fazer isso sozinho, vou dar o meu melhor por você na quadra, certo?


Eu já disse o quanto ele era cara de pau?


Nesse momento eu juro para vocês que eu tive uma vontade tremenda de procurar na minha bolsa o óleo de peroba que eu sempre carregava comigo para passar na cara dele.


O óleo é só uma metáfora, não me leva tão a sério.


— Não vou fazer sozinho, Jeon — eu ainda olhava para frente enquanto falava. Tinha certeza que se eu me virasse para ele e tentasse dizer algo olhando em seus olhos, eu me arrependeria amargamente, fora que cederia já que era sempre assim — Por favor, tire um tempo para fazer comigo, ou então eu faço sozinho e tiro seu nome do trabalho.


A sala estava uma bagunça, todos estavam arrumando os materiais para que pudessem finalmente ir embora, então acabou que ninguém ouviu o que ele falou baixinho depois de ter escutado aquilo.


— Eu tenho um encontro agora à tarde, e tenho treino à noite por volta das seis horas. Se você quiser me levar para a sua casa depois, tudo bem. Mas vai ter que me pagar uma bebida antes, senhor Park.


Eu acabei tossindo vergonhosamente igual a um tuberculoso, sentindo as minhas bochechas esquentarem na hora. Não era isso que vocês estão pensando porque o Jeon Galinha Jungkook é hétero. O que ele estava fazendo era apenas controle reverso, só que eu não permitiria que ele me usasse como fazia com todos naquela escola.


Ele acabou deixando uma coisa muito importante escapar, iria treinar a noite. Os treinos aconteciam aqui na escola, então, eu poderia muito bem vir até aqui só para sair puxando ele até a minha casa ou até a biblioteca para começarmos esse grande pesadelo.


Porque por mais que eu preferisse de fato fazer sozinho, coisa que evitaria muita dor de cabeça desnecessária, eu não deixaria a oportunidade de fazer aquele garoto tomar jeito passar, então, eu iria sim fazê-lo ao menos pesquisar metade do assunto.


— O seu encontro será comigo, senhor Jeon. Pode esperar — falei baixinho para ele não escutar, mas claro que ele já havia saído para se juntar com a sua turma.


Seria muito difícil, mas eu iria tentar.


E antes que eu pudesse começar a arrumar as minhas coisas, e finalmente ir para casa tentar pensar em um plano que funcionasse, vi a luz do meu celular acender, mostrando que havia recebido uma mensagem de texto.


Hwasa:


• Minnie, ouvi toda a conversa com o jungkook já que estou sentada aqui atrás de você. Acredito que você vá tentar fazer com que ele realmente ajude, não é? Então, eu tenho um plano. E ele consiste em você entrar no vestiário e esperar ele lá quando o treino acabar. Acredite, vai dar certo. Te explico melhor mais tarde quando minha detenção acabar. Xoxo :* ✓✓ 11:03am.


Então era isso, eu realmente iria me meter no meio do vestiário masculino, quando todo mundo já tivesse saído. Não era como se algo pudesse dar errado, não é?


🏀


Obrigada por toda assistência :(


Contas dos personagens no twitter:

@/jkbasquete @/jkbasquete @/mygbasquete @/jhsbasquete e @/mygbasquete



8 de Maio de 2021 às 17:23 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Leia o próximo capítulo Capítulo 01

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!