jikook_stan Jikook stan

Jimin sempre viveu uma vida tranquila, sem muitos amigos, mas vivia bem, até novos acontecimentos que vão mudar sua vida pra sempre. Após alguns anos, Jimin se torna uma pessoa diferende de quando era mais jovem, com objetivos e foco para conseguir, não se importanto com fazer amigos ou ter romances. Mas talvez tudo isso mude com sua ida à universidade, onde reencontra não somente seu melhor amigo, como tambem o cara com quem deu seu primeiro beijo. Será que Jimin se abrirá para novas emoções? Será que Jungkook ocupará um espaço em seu coração?


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#jogo #namjin #dança #faculdade #taeyoonseok #jikook
62
3.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

🐝01🍪

Hoje acordei animado, papai viajou a trabalho e mamãe me deixou ir na festa de aniversário do meu amigo e vizinho Taehyung, ele é basicamente meu único amigo, crescemos juntos, pois sempre moramos lado a lado. Eu estou muito feliz como não estive em muito tempo, o sol parece brilhar lá fora e a brisa que entra pela janela do meu quarto parece tão refrescante, estou tão empolgado que esqueci de me apresentar:

— Olá, sou Park Jimin. Tenho 15 anos e hoje vou à minha primeira festa, e talvez, só talvez, dê meu primeiro beijo.

Passei quase duas horas escolhendo minha roupa, minha mãe tentou me ajudar, mas o estilo dela é bem duvido; hoje ela estava usando uma camisa amarela de mangas ate o cotovelo com uma frase que dizia "love cats" e ela nem gosta de gatos, tem alergia a eles, aliás; e uma saia verde limão ate a altura dos joelhos, uma combinação de cores que dói em minha vista.

Ela não costuma se arrumar muito, não usa maquiagem como as outras mães, não arruma o cabelo e também não sorri muito. Meu pai diz que ela não precisa se arrumar por que ela já o tem, se ela se arrumasse seria para os outros olharem.

Meu pai é um pouco duro com as palavras, ele se irrita com muita facilidade, está sempre gritando.

Minha mãe me disse que sempre que ele gritar muito alto, era para me esconder no armário, colocar meus fones e escutar minhas músicas favoritas. Eu faço isso desde muito novo, acho que desde os 7 anos, que foi a época que meu pai mudou e se tornou esse homem que é hoje.

Eu tenho muito medo dele, não conseguia nem olhar nos seus olhos direito quando ele fala comigo. Uma vez ele jogou uma lata de cerveja na minha cabeça por não olhar nos seus olhos enquanto ele falava, disse que isso era desrespeitoso. Desde então, adquiri o habito de ser extremamente sincero e olhar nos olhos de todos enquanto converso.

Voltando a escolha da minha roupa, eu estou muito nervoso, não quero me vestir mal, estou com um frio na barriga e minhas mãos estão suando. Nunca fui a uma festa de aniversário antes, e também nunca tive uma, meu pai diz que é um gasto desnecessário, pois não acrescenta em nada na minha vida.

Meu quarto está uma bagunça, roupas espalhadas no chão, somente minha cama está arrumada, com minha roupa de cama do Batman, não sou muito fã dele, mas como foi minha mãe que me deu, eu digo que é meu herói favorito. Meu quarto não é grande, eu acho que é um tamanho normal. Também não tenho muitas coisas, minha cama está do lado da escrivaninha com um computador, que eu uso pra estudar, do outro lado tem uma prateleira com alguns livros, e tem o armário que fica de frente pra cama, é de tamanho médio, e uma coisa eu sei, me cabe lá dentro.

Então descido usar uma calça jeans preta não muito apertada e uma camisa amarela com listras pretas. Arrumo meus cabelos escuros, minha franja está sobre minha testa e coloco um boné amarelo da mesma cor da minha camisa. Estou pronto e nervoso.

— Querido, você está uma gracinha — Diz minha mãe apertando minhas bochechas e com um sorriso que eu não via a muito tempo.

— Mãe, vou ficar todo vermelho desse jeito — Digo sorrindo de volta pra ela — Mãe, será que os outros meninos vão gostar de mim? — Digo um tanto nervoso.

— Por que não iriam gostar, Jiminie? Você vai fazer muitos amigos hoje e claro que vão gostar de você meu filho e se não gostarem eles que vão perder — Diz com orgulho na voz e mais um sorriso.

Acho que hoje é o melhor dia da minha vida, não tem porque ficar nervoso. Não fiz muito amigos na escola porque sempre foquei em estudar e nunca podia sair pra brincar ou me divertir, então ninguém falava comigo. Fora que sou muito tímido, quando eu digo muito, é muito mesmo, mas hoje estou decidido a fazer novas amizades.

— A senhora tem razão, eu sou bonitão e inteligente. Quem não iria querer ser meu amigo? — Digo com convicção, minha mão apenas ri e desce para a cozinha.

Espero dar a hora da festa; falta apenas meia hora, mas para mim parece uma eternidade. Não quero chegar na hora marcada, quero parecer mais descolado e chegar meia hora atrasado, pelo menos é o que diz nos sites que eu pesquisei. Sim, pesquisei na internet como ser descolado em festas, não me julgue eu estava desesperado. Enfim, se passou a meia hora e desço as escadas correndo.

— Calma garoto, vai acabar caindo — Minha mãe diz ao me ver.

— Não posso me atrasar mais mãe, vai que já está na hora de bater os parabéns — Estou suando de novo, seco minha mão na minha calca e sigo para a casa de Tae.

A casa dele não é tão diferente da minha, basicamente só o que muda são as cores: a minha é num amarelo pastel e a dele num verde piscina e sua casa é um pouco maior. Paro em frente à porta e toco a caminha, alguns segundos se passam e ele abre a porta com seu sorriso quadrado. Taehyung era um menino muito alegre, temos a mesma idade questão de poucos meses de diferença em que sou mais velho. Ele era o único que conversava comigo na escola, meu melhor amigo. Nós conversamos sobre tudo, nunca ouve nenhum segredo entre nós.

— Feliz aniversário, TaeTae! — O abraço e ele me abraça de volta bem apertado.

— Eu tô muito feliz que pôde vir dessa vez — Abre ainda mais seu sorriso. — Nem acredito que você está aqui.

— Nem eu — Digo com um sorriso meio tímido.

— Vamos, entra. — Me puxa pelo braço me levando até a sala, que era bem espaçosa com um sofá enorme, um tapete bem colorido na frente do sofá, e uma tv de 60 polegadas eu acho, com caixas de som ao lado, que tocava uma música que eu não reconheço.

Olhando pela sala, vejo alguns garotos sentados, reconheço alguns e outros não. Seokjin estava sentado no sofá conversando com Namjoon, eles eram dois anos mais velhos, os mais populares da escola junto com Yoongi e Hoseok, que eram um ano mais velhos. Não sei como o Tae conhecia eles, pois são o grupo de garotos mais populares da escola.

Mas faltava mais um pra fechar o grupo: Jeon Jungkook. Ele é da nossa turma, apesar de ser um ano mais novo, pois pulou uma serie, era incrivelmente inteligente pra idade. Andava com os meninos mais velhos e mais populares da escola, eu nunca tive muito contato com nenhum deles.

Estavam os quatro conversando na ponta do sofá de couro marrom, e do outro lado havia algumas meninas da nossa turma, Lisa, Chaeyoung e Jennie, que é irmã do Namjoon. Nunca troquei nem sequer uma palavra com elas, as três eram inseparáveis, sempre muito bem arrumadas e sorridentes.

Olho pro lado e vejo Jisoo, irmã mais velha do Tae, ela sempre me tratou muito bem, sempre com gentileza e educação.

— Pessoal, esse é Jimin, meu vizinho e melhor amigo — Tae diz e antes que eu perceba, todos estavam olhando pra mim como se nunca tivessem me visto na vida.

— Boa noite, é um prazer conhece-los — Digo me curvando e vejo eles riem.

— Muito bem educado esse seu amigo em, Tae — Yoongi diz com a mão sobre a boca tentando conter os risos.

— Vem cá, senta aqui com a gente. — Hoseok diz com um sorriso simpático e vou até o sofá em que todos estavam. Ouço a campainha tocar e Jisoo vai atender a porta e então vejo Jungkook entrar com uma calça preta com uns rasgos no joelho e um suéter azul escuro com um M branco bem grande na frente. Vejo-o abraçando Tae e vindo em nossa direção.

— Fala, seus desocupados — Diz sorrindo. Eu nunca tinha reparado, mas seus dentes lembravam muito os dentes de um coelho, era fofo.

— Olha o respeito, pirralho — Seokjin diz com um olhar de deboche.

— E esse aqui, quem é? — Diz olhando pra mim. Acho que sou invisível, só pode, a gente estuda na mesma sala faz dois anos.

— Ele é vizinho do Tae — diz Yoongi

— Onde você estuda mesmo? — Namjoon me pergunta.

— Ele estuda com a gente, na nossa turma — Tae diz irritado. Eu não consegui falar nada até agora, me sinto muito deslocado e sem graça. Eu vejo essas pessoas quase todos os dias há anos e nem mesmo lembram meu rosto. Sinto minhas bochechas queimarem de vergonha, fico vermelho igual uma pimenta.

— Como não lembro de você, sendo que somos da mesma turma? — Jungkook pergunta olhando nos meus olhos e sinto meu rosto ficar cada vez mais vermelho e mais quente.

— Acho que sou meio que invisível. — Digo sem gaguejar, com um sorriso bem falso e todos dão algumas risadas

— Senso de humor, gosto disso — Jungkook diz ainda olhando fixamente pra mim. Os garotos engataram numa conversa sobre filmes da Marvel e eu, bem fiquei mais observando. Olhei pras meninas e elas falavam sobre alguns atores de doramas.

Me levantei e fui até o banheiro, entrei e me olhei no espelho, acho que todo meu animo estava indo embora aos poucos, não sinto que me encaixo nesse lugar com essas pessoas. Vou tentar dar alguma desculpa e ir pra casa ler um livro ou ver um filme e depois dormir e voltar a minha vida de sempre, não sei o que eu estava pensando, não preciso de novos amigos, eu posso fazer muitos amigos quando estiver na faculdade. Lavo o rosto e saio do banheiro tentando pensar em alguma desculpa pra ir pra casa, quando volto pra sala estão todos sentados num círculo.

— Jimin, se senta aqui, vamos brincar — Tae diz me puxando pra sentar-se ao seu lado.

— Brincar de que? — pergunto meio confuso.

— Sete minutos no céu — Escuto Jungkook dizer.

Sinto meu coração dar uma acelerada e minhas bochechas queimarem, minhas mãos começam a suar com meu nervosismo. Eu vi esse jogo em uma de minhas pesquisas sobre festas; é parecido com verdade ou desafio, mas sem a verdade e sem o desafio, se roda uma gafara e as duas pessoas para qual a garrafa aponta terão que passar sete minutos trancados em algum lugar sozinhos. Sinto meu coração palpitar, talvez hoje eu realmente beije pela primeira vez.

— Vou girar primeiro — Diz Taehyung, ele gira a garrafa que dá vários giros até parar no Yoongi, que sorri de um jeito estranho.

— Vão para o quarto do Tae e passem os sete minutos lá, não façam nada que eu não faria, crianças. — Seokjin fala com um olhar esquisito para os dois.

— Tá otários, minha vez — Diz Lisa com deboche e gira a garrafa, que para na Chaeyoung, que sorri para a outra garota.

— Vocês podem ir para o quarto dos nossos pais, já que eles não estão em casa. — Deu pra ouvir Jisoo dizer lá da cozinha, e as garotas sobem as escadas em direção ao quarto. Eu estava torcendo muito para que na minha vez ,eu caíssem com a Jennie, ela é muito bonita, tem olhos penetrantes e um sorriso sedutor.

— Minha vez — Jungkook pega a garrafa e gira.

Não sei por quê, mas seu olhar se manteve em mim. Vejo a garrafa perdendo a força do giro e parando em mim, meu coração acelera, e meu rosto começa a esquentar, não sei por que estou tão nervoso, todos olham pra mim, e eu continuo parada sem nem piscar.

— Vamos — Ele diz olhando fixamente pra mim, sem perceber sinto suas mãos tocando a minha e me dando impulso pra levantar. Sem olhar pra trás, sigo ele até o quarto da Jisoo. Entramos no quarto e ele tranca a porta, e eu olho pra frente e vejo um quarto completamente arrumado, as cores das paredes em tons pasteis verdes, a cama muito bem arrumada, um puff rosa no chão, prateleiras com muitos livros.

— O.. oque...você q..quer fazer? — Pergunto sem jeito

— O que você acha de beijar? — Eu congelo por um segundo, sinto meu coração acelerar, sinto meu rosto queimar quando vejo ele olhar pra mim.— Você fica muito fofo vermelhinho assim. — Diz se aproximando.

A cada passo que ele se aproxima, dou um passo pra trás. Ele se aproxima cada vez mais e eu sinto a porta atrás de mim me impedindo de ir mais para trás.

— Você nunca beijou, não é? — Pergunta, passando seu indicador nos meus lábios delicadamente.

Ele se aproxima mais um pouco e posso sentir sua respiração quente, olho pro seu rosto e vejo uma pintinha embaixo de seus lábios, uma pequena cicatriz na bochecha, seus olhos parecem olhar dentro de minha alma, tão profundos e lindos. Pera, o que eu tô pensando?

— Você quer que eu te beije? — Pergunta olhando meus lábios umedecendo e mordendo meu lábio inferior, que é um pouco mais grosso que o superior, que é mais fino e delicado.

Sinto sua destra de encontro a minha cintura, minha respiração está cada vez mais lenta e profunda, ele se aproxima mais um pouco, eu estou completamente paralisado. Ele encosta sua testa na minha, e eu fecho meus olhos, um tanto quanto ansioso e nervoso pelo contato. Jungkook deixa um selar no canto da minha boca sinto se aproximar mais ainda e selar meus lábios com delicadeza, uma de suas mãos acariciando meu rosto e a outra na minha cintura.

Me sinto quente, enquanto sinto seus lábios entre os meus se movendo lentamente. Senti sua língua pedindo passagem e eu concedi, começando a mover sua língua lentamente para dentro da minha boca num ósculo muito gostoso. Minhas mãos foram de encontro aos seus ombros, eu nem sei bem o que estou fazendo, mas estou gostando.

Meu corpo fraqueja e ele me segura firme, sem separar nossos lábios. Começo a imitar os movimentos que ele faz com a língua. Senti um arrepio na nuca quando ele apertou minha cintura. Nos aprofundamos no ósculo, me sentindo cada vez mais quente.

Como isso é bom, dou um leve suspiro entre seus lábios. De repente ele separada nossos lábios e desce a boca ate meu pescoço, segura meu rosto firme e começa a beijar meu pescoço e dar leves mordidas, o que me faz arfar. Minha destra vai ate seu cabelo macio e seguro puxando com pouca força, o que faz com que ele intensifique os beijos, me sinto totalmente entregue.

— Sua pele é tão macia e sua boca é muito gostosa — Diz no meu ouvido, como um sussurro e depois morde o lóbulo da minha orelha, sinto meu corpo estremecer com seus toques e seus beijos, minha respiração está cada vez mais profunda. Sinto meu corpo todo queimar, ele volta a selar meus lábios, e aprofunda nosso ósculo, sinto minha respiração falhar junto com meu corpo que está totalmente entregue há esse beijo.

— Já se passou 8 minutos crianças — Escutamos uma voz dizer e nos afastamos rapidamente, assustados, com a respiração rápida e coração acerado. Tento me recompor para podermos sair do quarto.

— Eu quero continuar isso depois — Diz olhando meus lábios avermelhados pelo beijo que acabamos de dar, eu tento controlar minha respiração que ainda está descontrolada.

— Eeeu... — Tento dizer alguma coisa, mas nada sai.

— Não precisar dizer nada agora, eu sei que quer mais — Diz um tanto convencido saindo do quarto, mas ele tinha razão, eu com certeza vou querer muito mais. Em seguida sigo para o corredor e desço as escadas, vejo as pessoas conversando e sinto uma mão me puxando quando olho.

— Vai me contar tudinho que aconteceu dentro daquele quarto. — Diz Taehyung, me puxando pra cozinha.

Olho pra ele envergonhado e baixo a cabeça e começo a brincar com meus dedos, faço isso quando quero fugir de um assunto.

— Nada disso, olha pra mim Jimin, desembucha — Segura meu queixo e levanta minha cabeça, me fazendo olhar seus olhos.

— A gente se beijou — Digo com uma voz baixa.

— Puta que pariu, caralho, não tô acreditando que meu melhor amigo perdeu o BV! — Diz muito empolgado, segurando meus pulsos. — Como foi? Você gostou? Ele beija bem? Como está se sentindo? Porra, o aniversário é meu, mas quem ganhou presente foi você.

Eu fico meio tonto com tantas perguntas, Tae sempre foi assim, gosta de saber os mínimos detalhes das coisas, ele é muito curioso, mas tem um coração enorme.

— Eeu.. go..gostei, me senti estranho... — Digo com a voz arrastada.

— Como assim "estranho"?

— Senti meu corpo esquentar e ficar mole, sei lá... — digo levando um copo de refrigerante a boca.

— Você sentiu tesão, isso sim. — Engasgo com o liquido e cuspo. Tae dá tapinhas nas minhas costas

— Não precisa ficar nervoso, essas coisas são normais pra garotos da nossa idade – Diz dando um tapinha nas minhas costas

— Tae?

— O que?

— Eu tô muito feliz — Ele me olha e abre um sorriso, me abraça bem apertado e sinto que ele também tá feliz.

A festa seguiu bem animada, conversei com várias pessoas, dancei just dance. Uma coisa sobre mim é que eu amo dançar, quando eu danço sinto que meu corpo pode me levar a outra dimensão, sinto a música e sinto meu corpo flutuar.

Jisoo pediu pizza e todos comemos muito felizes. Houve algumas trocas de olhares com Jungkook, e umas pagações de micos também, mas eu estava muito feliz. Acho que nunca me senti tão feliz assim na vida.

Estou fazendo novos amigos, beijei pela primeira vez, e foi com um garoto muito lindo, não poderia ficar melhor. No fim da festa as pessoas começaram a se despedir.

— Já vamos indo otários, me diverti muito — diz Lisa arrastando Jennie e Chaeyoung com ela.

— Também já vamos, foi da hora TaeTae — Seokjin diz ao lado de Namjoo que sorri e dá tchau.

— Vamos indo, Yoongi? — Pergunta Hoseok

— Espera, quero me despedir direito do Tae —Diz Yoongi, que puxa o garoto e sela seus lábios, eu arregalo os olhos olhando pra eles sem acreditar.

O que tá acontecendo? Quando isso começou? Tantas perguntas, mas depois as faço, depois de dar uma voadora na cara do Tae por não ter me contado.

— Jimin, até a próxima — Jungkook diz me olhando.

— Vamos, depois vocês namoram, que droga eu to com fome — diz Hoseok puxando os dois garotos pelos braços, esses que vão em direção a porta.

Olho para o Taehyung desconfiado.

— O que foi isso agora a pouco com o Hyung? — Ele ri cinicamente, sem responder. E antes que possa dizer mais qualquer coisa, Jisoo aparece.

— Jimin, sua mãe ligou e disse pra você ir pra casa — Escuto Jisoo dizer.

— Certo, amanhã o senhor vai me explicar direitinho essa história. — Digo olhando bem serio para ele e em seguida me dirijo a saída, indo pra casa.

8 de Maio de 2021 às 02:34 0 Denunciar Insira Seguir história
9
Leia o próximo capítulo 🐝02🍪

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 36 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas