7ma_hokage Ana Brigida 🍥

O mundo corporativo se assemelha a um campo de batalha de gladiadores: Os mais fortes massacrando os mais fracos sem nenhuma misericórdia, visando apenas o topo, porque estar no topo significava força, fama e poder. Mas até o mais forte dos homens, tem uma faqueza. Uchiha Sasuke conheceria a dele.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#Romance #Naruto #Sasuke #Yaoi #BL #SasuNaru #NaruSasu #UniversoAlternativo #
7
603 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 01

O mundo corporativo se assemelha a um campo de batalha de gladiadores: Os mais fortes massacrando os mais fracos sem nenhuma misericórdia, visando apenas o topo, porque estar no topo significava força, fama e poder.


Do vigésimo nono andar do prédio da Sharinga’s Corporation, o homem mais poderoso da corporação vislumbrava-se com a vista que sua grande parede de vidro atrás de sua mesa lhe proporcionava. Sasuke Uchiha estava sentado em sua cadeira presidencial, com os dedos das mãos entrelaçados em frente ao rosto e o polegar batucando impacientemente no lábio inferior. O olhar estava distante, mas sua cabeça não parava por um segundo sequer, sempre tão acelerada em seus pensamentos que buscavam por soluções, inovações e formas de manter o império cada vez maior e melhor. Era assim que Sasuke funcionava.


Não podiam chamá-lo workahollic porque Sasuke adorava - e ansiava - os momentos longe do trjabalho e as raras vezes em que podia simplesmente não pensar em negócios. No entanto, era um homem centrado, analítico e pouco sociável.


Com ajuda de seu irmão mais velho, Itachi, criaram uma das empresas mais importantes no ramo da tecnologia hospitalar. Por onde quer que andassem, sempre haveria uma propaganda da Sharinga’s Corporation informando o quão importante era o investimento no estudo da tecnologia hospitalar para garantir um futuro saudável e longo para as futuras gerações.



E dentre tantos benefícios que tinha por ser um homem poderoso, o de não ter que se esforçar para levar alguém para cama era o que mais gostava, afinal, não tinha tempo para jogos e flertes e tampouco disposição para conquistar alguém. Por sorte não era um homem de amores ou romances. Seu último namoro não chegou a durar três meses e o término foi marcado por duras palavras dizendo o quão frio e insensível era, sendo jogadas na cara do jovem Uchiha, no entanto, nenhuma delas o feriu, pois sabia que eram verdades.


Todavia, a montanha-russa da vida jamais deixaria que o equilibrio se estabelecesse na vida de qualquer um, tampouco a do presidente de cabelos negros. Não importa o quão poderosa uma pessoa fosse, ela sempre terá uma fraqueza. Sasuke via-se diante do seu maior desafio nos últimos meses e não era nada relacionado a negócios, mas sim desvencilhar-se dos olhos azuis penetrantes, do sorriso de curvatura perigosa ou da voz levemente rouca de seu secretário, para quem este não ultrapassasse as barreiras internas construídas pelo próprio Uchiha. Jamais em sua vida fora tão insanamente testado como estava sendo nos últimos oito meses em que Uzumaki Naruto fora contratado como seu secretário pessoal. E estava cansado de lutar uma batalha que não venceria. Até o mais forte dos guerreiros, em algum momento, cai. E Uchiha Sasuke não era um homem de se negar.


Virou-se ao ouvir as batidas na porta, já sabendo que o demônio reluzente, com o sorriso mais cativante que já vira em sua vida, a animação que Sasuke nunca teve, nem mesmo no auge de sua adolescência, e o ridículo poder de lhe distrair, entraria por ela.


— Com licença, Senhor Uchiha, tenho algumas informações para lhe passar, está disponível agora?


Claro que tinha! Naruto sempre tinha “algumas informações” que precisavam ser passadas ao presidente, era o trabalho dele afinal. Se ao menos ele não fosse tão bom no que fazia, Sasuke teria um motivo para transferi-lo ou demiti-lo e voltaria a sua normalidade, embora duvidasse da própria capacidade de fazê-lo.



— Entre.


Viu-o fechar a porta atrás de si e se aproximar da mesa presidencial. Sasuke levantou-se e recostou o corpo na mesma, com as mãos dentro dos bolsos do terno que usava, esperando o relatório que viria a seguir.


Com seus vinte e cinco anos, Naruto tinha os cabelos loiros naturais, a pele clara levemente bronzeada. Para Sasuke, qualquer movimento que o secretário fazia, soava sensual demais. Até o franzir da testa em confusão ao não conseguir desbloquear o tablet que sempre carregava consigo e onde anotava tudo, até o maldito sorriso feliz de quando conseguia.


- Obrigado, senhor! Bem, para começar, o senhor Smith deseja algumas horas do seu tempo para apresentar uma proposta de investimento num dos equipamentos de neurotecnologia, segundo ele, o senhor não vai querer que outra empresa coloque as mãos nesse proje... Senhor Uchiha?


A voz de Naruto calou-se ao perceber que nenhuma das palavras ditas foram de fatos escutadas ou compreendidas por Sasuke porque ele simplesmente não prestou atenção. Estava distraído demais observando a forma perigosa em que os lábios de Naruto se moviam ao proferir cada palavra. O loiro sorriu. O sorriso convencido de quem sabia que possuia um poder que ninguém mais tinha e que Sasuke amava e odiava ao mesmo tempo.



— Sim? —


— Algum problema com a minha boca, senhor?


— O que? Não, ela é perfeita! — Droga, ele disse isso? — Continue.


— Que bom que acha… Como eu ia dizendo, o senhor Smith deseja marcar uma reunião com o senhor, me permite marcá-la?


"Que bom que acha"

Como ele se atrevia a ser tão ousado? Mal havia entrado na sala e já o afrontava daquela forma! Claro que Sasuke achava a boca dele perfeita. Sonhava com ela quase todas as noites de tantas formas que, ao acordar, muitas vezes recorria a banhos frios ou masturbação para se aliviar do calor insuportável que tomava seu corpo.


— O senhor acha que consegue olhar para os meus olhos por um momento? Eu posso voltar daqui umas horas, se preferir.


Ele era abusado demais. Definitivamente!


— Como se fosse adiantar de alguma coisa!


E não adiantaria mesmo! Voltando depois o presidente continuaria se distraindo com seus lábios e, se olhasse para os olhos, o resultado seria o mesmo, porque Sasuke se perderia nos pensamentos em que mergulhava nos azuis celeste que mais pareciam um mar convidando-o se afogar em suas águas.


Contrariado e sem saber ao certo como agir, Sasuke voltou a se sentar na cadeira. Pegou um papel qualquer que estava sobre a mesa e fingiu interesse ao lê-lo


— Perdão?


— Pode agendar a reunião com o Smith.


— Certo! O próximo assunto é sobre a festa dos acionistas. Eu preciso saber a quem devo endereçar os seus convites. Faltam dez dias e eles não foram enviados ainda.


— Droga, eu havia esquecido dessa maldita festa…


— Eu tomei a liberdade de endereçar alguns aos clientes mais importantes que temos e que eu acredito que seria bom manter um relacionamento mais próximo. Não os enviei ainda, encaminhei para o seu e-mail os nomes para autorização. Mas preciso saber quem mais chamar. Seus amigos? Família? Namorada?


Foi quase imperceptível, mas Sasuke notou a falha na voz dele em hesitação ao se referir à última categoria de pessoas que poderia existir na vida do presidente. Um sorriso de canto moldou os lábios e o olhar que antes estava nos papéis, se encontrou com os azuis que o encaravam em expectativa.


— Eu te mando uma lista daqui a pouco com o nome das pessoas que quero chamar. Mas não esqueça que na minha mesa, são apenas dois assentos.


— Não se preocupe, isso já está alinhado com a organização. Eu só preciso dos nomes o mais breve possível para indicar cada mesa.


O jovem secretário estava distraído anotando todas as informações passadas em seu tablet que nem notou quando Sasuke se aproximou sorrateiramente como um gato. Naruto levantou o olhar e percebeu o quão perigosa era a proximidade dos dois.


Não era só Sasuke que lutava uma batalha todos os dias para se manter em controle. Naruto também estava interessado, a diferença é que ele sabia se por em seu lugar. Não era qualquer homem ali, era seu chefe, um dos homens mais poderosos que já conheceu E ele era só um secretário. Deu um passo para trás, sentindo um fio gelado percorrer a espinha ao ver o presidente avançar um passo.


— Eu quero adiantar o nome da pessoa que quero na mesa comigo. Anote e envie o convite o mais rápido possível.


Toda aquela aproximação fora para isso? Naruto arqueou a sobrancelha numa ligeira confusão mental, porém fora rápido ao desbloquear o tablet. Não podia negar que estava ansioso e receoso para saber o nome que viria. Pelo que Sakura, a antiga secretária de Sasuke e a responsável por Naruto estar ali, lhe contou, ele nunca pediu uma mesa com duas cadeiras, àquela era a primeira vez. O Uchiha sempre ficava sozinho e não se demorava no evento. Sasuke odiava esse tipo de confraternização, mas entendia a necessidade de manter, tanto os acionistas, como os parceiros e fornecedores por perto, num bom relacionamento. A festa também era uma forma de inflar o ego dos velhos cheios de dinheiro e que gostavam de ser bajulados.


— Uzumaki Naruto!


— Sim? - O olhou confuso.


— É este o nome que quero sentado comigo à mesa na festa.


— Perdão? O senhor disse…


— Uzumaki Naruto! Sim, eu disse.


— Senhor, essa festa é apenas para acionistas e convidados. Os funcionários não estarão presentes.


— Eu sei Naruto. Foi eu quem criei essa festa idiota.


— Mas… E então?


— Eu estou te convidando para ir comigo. Mas eu entendo se não quiser ir.


Houve um momento de silêncio. Naruto ainda surpreso pensava em todas as possibilidades daquilo ser um erro. Já Sasuke, encarava-o em expectativa. Não conseguia ler o loiro perfeitamente, mas desejava com todas as forças que ele aceitasse o convite. Não queria ter que usar a carta "chefe", não era uma pessoa abusiva, no entanto, desejava demais a presença do loiro, porque Naruto deixava qualquer ambiente mais leve e Sasuke precisava dessa leveza naquela noite.


— Nossa… Eu não esperava por isso.


— Não é trabalho, então você não precisa se obrigar a ir, mas… Eu gostaria muito que fosse.


— Por que?


Haviam tantas respostas para a pergunta.


Porque eu gosto da sua companhia.


Porque você deixa tudo mais interessante.


Porque eu quero você ao meu lado.


Porque me faz rir.


Porque eu estou me apaixonando.


— Porque eu preciso de você lá.


De repente já não havia mais clima de flerte, somente o silêncio. Sasuke sabia que Naruto estava pensando. De alguma forma eles eram iguais e estavam sempre pensando, fato que também assustava o Uchiha.


— Então eu estarei lá. Obrigado pelo convite.



⚞⚜⚟



Os dedos digitavam qualquer coisa no teclado do computador enquanto Naruto olhava a tela em branco com letras aleatórias aparecendo. Não estava trabalhando ou redigindo algum relatório, era só uma forma que tinha de manter a cabeça pensando. Refletia sobre o motivo de ter aceitado o convite, o sorriso largo demais nos lábios após a resposta do presidente e os batimentos acelerado do coração.


Pensava também em todas as consequências de se envolver com seu chefe, não poderia sair nada de bom de um romance entre eles porque: 1- Sasuke Uchiha não era um homem de romance. 2- Ele era um homem lindo, bilionário, poderoso e seu chefe. Não havia a menor possibilidade de haver um interesse além do carnal. E não, Naruto não seria mais um na lista de conquistas do poderoso Sasuke Uchiha.


E o que faria se já havia aceitado o convite? Não poderia voltar atrás e dizer que não iria. Não era certo e não condizia com seus princípios de nunca voltar atrás em sua palavra. Iria a essa festa e se certificaria de que tudo ocorreria bem. Tentou convencer a si mesmo de que tudo estava sob controle.


O som das portas do elevador se abrindo o fez parar de digitar imediatamente, em um instante, parecia que o loiro jamais esteve imerso em seus próprios pensamentos. um Um lindo corpo escultural deixou o interior da caixa metálica, exibindo um simpático sorriso e os olhos verdes como esmeraldas. Naruto sorriu, levantando-se para cumprimentá-la com um beijo no rosto. Ino Yamanaka era a secretária de Itachi Uchiha, o irmão mais velho do presidente. Ao contrário de Sasuke, Itachi não tinha tanto apreço pelos negócios, mas mantinha-se como vice-presidente da corporação por amar demais o irmão e apoiá-lo em seu sonho. Ino era a amiga mais próxima de Naruto na corporação e era a pessoa que sempre o ajudava quando o assunto era Sasuke. A loira estava há anos com Itachi, Naruto suspeitava de que o relacionamento entre os dois era mais do que profissional, mas ele nunca perguntou e ela nunca tocou no assunto.


— Aqui está o que me pediu.


— Obrigado, Ino. Eu não sei o que faria sem você.


— Provavelmente morreria.


— Eu não tenho dúvida.


— Idiota. Não fale assim. Agora estou indo, tenho uma prova maldita hoje. Não demore muito, e beba água.


Após deixar a embalagem sobre a mesa, Naruto acompanhou a amiga até o elevador e esperou com ela. Aproveitaram os poucos minutos de espera para trocarem algumas palavras. Pouco depois da partida de Ino, Naruto tirou da sacola trazida por ela uma bandeja com salada de frutas e uma garrafa de suco natural. Verificou se estavam lacrados e, após a breve conferência, rumou à sala do presidente. Duas batidas na porta foram suficientes para a entrada ser autorizada, porém, por algum motivo sentia-se receoso em entrar, talvez pelos gritos que ouviu alguns minutos antes.


— Eu já estou indo, precisa de mais alguma coisa? — A voz do loiro soava diferente. Um timbre preocupado — Posso ficar mais um pouco se precisar de ajuda com alguma coisa.


O Uchiha limitou-se apenas a menear a cabeça em negação.


Naruto se aproximou em passos lentos, deixando a embalagem com a salada de frutas sobre a mesa. Sasuke levantou o olhar confuso, esperando uma explicação mesmo que nenhuma palavra houvesse sido dita.


— Não vi o senhor almoçando hoje. Achei que pudesse querer um lanchinho saudável para não passar mal. Desculpe a intromissão.


— Nossa, eu nem lembrei de comer… Obrigado Naruto.


O gesto do secretário pegou Sasuke de surpresa, desarmando-o completamente e dissipando a nuvem de fúria que pairava sobre si. De repente o ar estava mais leve.


— Não precisa mesmo de ajuda?


— Não. Eu também vou embora depois que terminar isso aqui.


Com um pequeno sorriso, Sasuke levantou-se com a embalagem em mãos, abrindo-a para comer uma ou outra fruta. Só então reparou que estava realmente faminto.


— O senhor não está comendo para me fazer acreditar e, quando eu fechar aquela porta, jogar tudo no lixo não, certo?


Como Naruto o conhecia tão bem a ponto de descobrir seu truque, Sasuke não sabia. A gargalhada veio em seguida, denunciando suas intenções.


— Me desculpa, eu odeio frutas! - Disse ainda rindo.


— Não adianta nada o senhor trabalhar tanto para dar longevidade às pessoas se só come porcaria.


— Vai adiantar para as pessoas!


— Me dá isso aqui…


Momentos como aquele, em que presidente e secretário agiam como dois adolescentes, eram comuns. Naruto pegou a embalagem com a fruta e começou a comer, como se quisesse mostrar para o chefe o quão boas eram as frutas.



— Há duas coisas que quero te pedir Naruto: Primeira: pare de me chamar de senhor Uchiha. E segunda: me acompanha num jantar? Estou morrendo de fome.


— E como devo chamá-lo então?


— De majestade,


Naruto revirou os olhos e Sasuke riu com a reação. Aparentemente o Uchiha estava de bom humor, o que era raro.


— Brincadeira, azedume. Me chame de Sasuke, oras. É meu nome.


Naruto pareceu pensar por um tempo.


— Sasuke… É um nome bonito.


— Não é atoa que é meu… E então, vai me acompanhar?


— O senh… Você está me oferecendo comida, é claro que acompanho.


Naruto não sabia onde estava com a cabeça ao aceitar, pela segunda vez no mesmo dia, um convite do Uchiha. E não era diferente para o presidente que se indagava silenciosamente. No fim das contas, ambos pareciam se atrair de alguma forma, o magnetismo dos dois parecia ser forte demais para ser ignorado.















28 de Abril de 2021 às 01:11 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Capítulo 02

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!