misuhotita Thais Grigorio

Gêmeos nascem no reino de Marchell, o glorioso e belo Reino do Sol. Mas, o que poderia se tornar uma alegria, acaba se tornando uma maldição na vida do rei Randall, pois, se dois meninos nasceram ao mesmo tempo, qual dos dois tem direito ao trono e a coroa de rei? Uma decisão difícil. Uma escolha. Um segredo. Anos depois, Elder trama contra o irmão Edric para tomar dele não apenas a sua vida, como seu lugar como futuro monarca do reino de Marchell.


Fantasia Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#fantasia #drama #magia #gêmeos #lutas #Usurpação
4
3.8mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Nascimento dos Gêmeos Reais

O mundo de Markgar é um mundo belo e, nos dias atuais, vive uma era de paz. Este mundo é repleto de enormes e belas florestas, rios e mares de águas cristalinas, cadeias de vastas montanhas e todos os tipos de animais, tanto terrestres, quanto marinhos e alados.

E, três reinos, separados por várias cadeias de montanhas e extensas florestas formam o mundo de Markgar. O Reino Leymen é também conhecido como o Reino do Mar, é, é regido por Volal, o deus dos mares, que é divindade responsável pela proteção deste reino.

Leymen é o reino mais fraco, e, por ter a proteção do deus dos mares, é cercado pelos mais belos rios e mares, e, eles cultuam o mar como algo sagrado. Suas cidades, todas cercadas por pelos mais belos rios. Sua capital é a cidade de Lyron, e, o reino é governado pelo Rei Palmer, da Casa Blauth.

O Reino Egel é o reino mais forte e, é conhecido como o Reino da Lua. Sua deusa Guardiã é Nyera, a deusa da Lua, e, a mais perigosa entre os três deuses. Egel é um reino sombrio e, temido, sua Capital é Acker e, é governado pelo Rei Gared, da Casa Ebertz.

O último dos três reinos é o reino de Marchell, o Reino do Sol e, o mais próspero dos três reinos. O deus Riondir, o deus do Sol é o guardião deste belo reino. Marchell também é o maior dos três reinos. Sua Capital é Anvell e, o reino é governado pelo Rei Randall, da casa Sawyer.

Outrora, e, durante um período que durou duzentos anos, os reinos de Egel e Marchell sempre estiveram em guerra, o Reino da Lua querendo se apoderar do reino do Sol, luz contra trevas. Dia versus noite.

Como se pode supor de uma guerra, inúmeras pessoas foram mortas, cavaleiros, Lordes e inocentes, em nome de uma paz que demorou quinhentos anos, mas, que fora assinada com um tratado pelos dois reis da época, depois que os príncipes dos dois reinos vieram a falecer com o horror da guerra.

Desde o assinado do tratado de paz, trezentos anos se passaram e, Egel nunca mais tentara atacar. Porém, as relações com Marchell foram completamente cortadas e, o reino do Sol só mantém relações com o reino do mar.

E, nos dias atuais, o Reino de Marchell está vivendo a ansiedade, pois, no palácio real, a mais bela construção da Capital Anvell, a rainha Alaina está em trabalho de parto, lutando com todas as suas forças para trazer o herdeiro da casa Sawyer e da Coroa de Marchell ao mundo.

A rainha está em seus aposentos privativos, cercada por parteiras e pelo Mestre do castelo, o homem responsável pela medicina e artes curativas.

E, na antessala, está o Rei Randall, andando em círculos e preocupado com o bem estar de sua esposa. O Rei Randall tem seus vinte e cinco anos de idade, é, é um homem formoso, com porte físico perfeito. Estatura mediana, com a musculatura perfeita. Seus olhos são azuis, de um azul tão profundo que parecem duas safiras em seus olhos, a pele branca como cristal, os cabelos são loiros e lisos, um pouco abaixo do ombro e, ele se veste com uma calça social preta, botas de cano alto pretas, uma camisa azul marinho com um colete azul celeste por cima. Na sua cintura, está embainhada uma espada, chamada “O Grande Sol” e, dizem as lendas que esta espada fora forjada pelo grande deus Riondir e entregue ao primeiro Rei de Marchell e, desde então, esta espada é passada a cada novo rei que sobre ao trono.

Ao lado do Rei Randall, está seu Conselheiro, e braço direito, Leander, da Casa Swan. Leander tem seus trinta e sete anos, é um homem alto, pele acobreada, cabelos negros e curtos, em um corte militar e, olhos castanhos escuros. Usa calça cinza e, camisa branca. Um homem em que ele confia de olhos fechados.

Na antessala, também está presente o Mago Micah, o Diretor da Academia de Magia de Marchell e, o mago mais poderoso do reino, amigo de infância de Randall. Micah tem trinta anos, pele branca, cabelos longos e loiros platinados, lisos, presos com uma fita de cetim, tem olhos tão verdes que parecem duas esmeraldas e, usa uma túnica branca, pois todos os magos usam túnica. Quando um homem entra para a Academia de magia, deixa para trás seu sobrenome, pois um Mago serve ao reino e não a família.

Randall está preocupado com a sua esposa, que está há horas no quarto principal do casal, em trabalho de parto, e, ele não pode entrar e estar ao lado dela, como é seu desejo.

E, para tentar dissipar um pouco a sua aflição, o monarca começa a andar em círculos, sob os olhares do Conselheiro Leander e do Mago Micah.

― Vossa Graça. – a voz de Micah se faz ouvir – Sei que, em um momento como este, em que a rainha Alaina está trazendo ao mundo o herdeiro ao trono de Marchell, é difícil manter a calma, mas, Sua majestade precisa fazê-lo.

― É complicado, Micah. – fala Randall – Tenho medo de que algo aconteça a Alaina e a meu filho, ou filha. Vocês viram como a barriga dela está grande, o próprio Mestre Kendell disse que é uma criança grande e que por isso mesmo o parto seria difícil! Como não me preocupar?

― O grande deus Riondir fará com que a rainha dê a luz a uma criança saudável. – é a vez do Conselheiro Leander falar – E, se não vier um menino, podem tentar novamente, até que venha um filho para herdar o trono depois de você.

― No momento, não me importo em ter um filho ou uma filha. – o monarca volta a falar – Tudo o que eu quero, tudo o que eu necessito é que Alaina fique bem, que nada de mal aconteça a ela!

― Não vai acontecer, Randall! – Micah volta a falar, e, deliberadamente chama o amigo de infância pelo nome, e não pelo título – Apenas tente manter a calma e espere, pois muito em breve você terá seu filho ou filha em seus braços!



*****



Um grito feminino de dor se faz ouvir e, deitada sobre uma enorme cama king size, a rainha Alaina Sawyer, sofre com as dores do parto para trazer um príncipe ou uma princesa ao mundo. A rainha tem uma aparência encantadora, a pele tão branca como um cristal, os lábios bem cheios e carnudos, olhos verdes que, no momento, refletem toda a dor do parto e, longos cabelos loiros, cacheados, uma linda e bela cascata de cachos dourados. Com seus vinte e dois anos, ela sofre para trazer o filho ou filha ao mundo.

Ao seu lado, está o Mestre Kendell, um homem com seus quarenta anos de idade. Pele branca, cabelos castanhos claros e curtos e, olhos igualmente castanhos. Usa uma vestimenta cinza, assim como todos os mestres e, ele é o responsável pela medicina do palácio.

Junto com o mestre, estão três parteiras e cinco criadas, todas prontas para atenderem todas as necessidades da rainha e, ajudar a trazer esta criança que ela está esperando ao mundo.

O rosto de Alaina está completamente molhado de suor e, uma das criadas passa um pano na testa da rainha, a fim de secar o suor. Em posição ginecológica, Alaina dá mais um grito de dor, ao mesmo tempo em que sente o seu útero se contrair e, sabendo que seu filho ou filha quer vir ao mundo.

― Kendell...! – a voz da rainha se faz ouvir, completamente fraca – Quanto tempo mais...?

― Eu não sei, Majestade. – responde o Mestre – A única coisa que sei é que este bebê virá ao mundo hoje e, não falta muito! Sua Graça precisa ser forte, eu sei que vai conseguir!

― Estou sentindo muita dor...! Eu estou com medo...!

― Vossa Majestade, tudo ficará bem. Concentre-se apenas em trazer o bebê a este mundo, pois, ele quer vir!

Alaina fecha os olhos, ao mesmo tempo em que sente outra contração e, volta a gritar de dor, sentindo os movimentos do bebê dentro de si. Seus olhos derramam lágrimas de dor e medo, pois quer que este filho que venha ao mundo seja saudável, não lhe importando se será menino ou menina, pois, se vier uma menina, mesmo que ela não possa subir ao trono, será amada de qualquer forma.

Outra contração e mais um grito de dor. O Mestre Kendell se coloca aos pés da cama, ao mesmo tempo em que toca o ventre volumoso da rainha, tentando sentir a criança em seu ventre.

― Falta muito pouco agora, Vossa Graça. – diz Kendell – Só mais um pouco e terá um príncipe ou uma princesa em seus braços.

Ouvir as palavras do mestre faz Alaina sentir as suas forças retornarem e, ela queira se esforçar para ter o filho ou a filha em seus braços. Foram nove meses de espera em que ela e Randall sonharam com este filho e, agora que eles tá vindo ao mundo, ela deve se esforçar!

Sente outra forte contração. Outra vez o seu útero se contrai, em movimentos de expulsão e, novamente, ela não consegue conter um grito de dor. Não sabia que para se trazer uma criança ao mundo tinha que sofrer tanto.

Outra contração e mais um grito de dor. Sente a criança em seu ventre se mexendo. Sente que seu útero quer expulsá-la e, grita mais uma vez, na esperança de o bebê venha ao mundo e ela pare de sentir estas horríveis dores de parto.

Kendell pressiona levemente o útero da rainha, a fim de ajudar no parto. Sente os movimentos da criança e sabe que, agora, falta muito pouco para que ela venha ao mundo.

― Só mais um pouco, Vossa majestade! – a voz de Mestre se faz ouvir – Falta muito pouco agora. O bebê já está chegando! Esta criança que trará uma alegria imensurável a todo o reino de Marchell!

Alaina sente outra contração e, novamente, sente o seu útero se contrair em movimentos de expulsão e, sabe que é o herdeiro da Casa Sawyer querendo vir ao mundo!

A ranha grita mais uma vez!

O Mestre Kendell começa a ver a cabeça da criança através do canal vaginal da rainha, e, Alaina grita mais uma vez, usando todas as suas forças para trazer ao mundo o filho ou filha.

Outra contração e, o bebê novamente é empurrado. Kendell segura a cabeça da criança, ao mesmo tempo em que a rainha grita de dor mais uma vez, e, a criança é novamente empurrada, seu corpo sendo expulso para fora do útero da mãe.

Um choro estridente de bebê é ouvido, ao mesmo tempo em que Kendell anuncia:

― É um menino!

Antes que uma das parteiras possa cortar o cordão umbilical da criança, Alaina grita novamente de dor, sentindo o seu útero se contrair mais uma vez. Sem perder tempo, Kendell entrega o bebê a uma das parteiras, que corta o cordão umbilical e, ele olha para o canal vaginal da rainha, vendo, completamente estarrecido, a cabeça de outro bebê vindo ao mundo!

― Grande Riondir! – exclama o mestre – São duas crianças!

Outro grito de dor de Alaina e, o útero dela novamente se contrai, em movimentos para expulsar a segunda criança. O mestre segura a cabeça do bebê e, após uma quarta contração, o corpo do bebê é expulso.

O choro do segundo bebê ecoa de forma estridente, se misturando ao choro do primeiro. Outra parteira imediatamente corta o cordão umbilical do segundo bebê e, Kendell junto com a parteira entregam os gêmeos para uma mãe extremamente cansada e com os olhos derramando lágrimas da mais pura felicidade.

― Meus filhos...! – exclama a rainha Alana – Meus filhos lindos...!

Os dois bebês são exatamente iguais, pele branca, cabelos loiros e, os olhos azuis, como o do pai.

― Descanse, Vossa Graça. – Kendell volta a falar – A senhora precisa, foi muito corajosa ao trazer dois príncipes ao mundo.



*****



Na antessala, os olhos de Randall estão arregalados de espanto, pois, ele tem certeza absoluta de ter ouvido não apenas um, mas o choro de duas crianças. Olha para Leander e Micah e vê que os dois estão tão surpresos quanto ele.

Será que...?

O monarca não tem tempo de esboçar qualquer pergunta, pois as grandes portas do quarto se abrem e, surge Kendell, extremamente cansado.

― E então? – é tudo o que Randall consegue perguntar.

― Gêmeos, Vossa Graça. – responde o Mestre- Vossa Graça é pai de gêmeos. A Rainha Alaina está exausta após o parto, que foi difícil, mas, Vossa Majestade pode entrar para vê-la.

Kendell não precisa falar duas vezes, e, Randall adentra o quarto, caminhando até a enorme cama king size, afastando algumas cortinas dos dosséis e se sentando, para olhar para sua esposa, com o rosto cansado, mas feliz. E, em seus braços, dois meninos, exatamente iguais.

― Nossos filhos, Randall...! – a voz de Alaina soa extremamente cansada – Dois meninos...!

Randall, completamente emocionado, pega um dos bebês em seus braços, dando um beijo no rosto adormecido da criança.

― Edric! – exclama o rei.

Em seguida, o monarca entrega o bebê a uma das criadas, para então pegar o outro, repetir o gesto, beijando o menino e exclamar:

― Elder!

Randall entrega o segundo bebê a outra criada, para em seguida dizer:

― Banhem meus filhos e levem-nos para os aposentos destinados a eles.

As duas criadas nada dizem, apenas fazem uma genuflexão em sinal de reverência e deixam o quarto. Randall olha uma última vez para Alaina, que dormira por ponta do parto.

Beija o rosto da esposa, e, em seguida, dá a mesma ordem as criadas que permaneceram no quarto, para que limpem sua rainha e troquem a camisola dela, bem como as roupas de cama, sujas de sangue.

Em seguida, o monarca deixa o quarto, para que sua esposa possa descansar. Em seu rosto, está o sorriso da mais completa alegria, pois, não fora agraciado apenas com um filho, mas dois. Dois meninos exatamente iguais! E, isso faz com que se sinta em júbilo, que não consiga controlar a alegria que sente. Na antessala, só se encontra Leander, seu fiel Conselheiro, pois Micah e Kendell foram ajudar as criadas a cuidar dos gêmeos.

― Vossa Majestade, nós precisamos conversar. – a voz de Leander se faz ouvir.

― Sou todo ouvidos, Conselheiro. – responde o Monarca.

― Não aqui. – continua o Conselheiro – Pois, esta é uma conversa demasiado importante, e, não deve ser feita nos aposentos de Vossa Grassa.

― Vamos até o meu escritório particular.

Dizendo isto, Randall deixa os seus aposentos, seguido por Leander. Os dois começam a caminhar pelos corredores do andar destinado a aposentos particulares da família real, uma das maiores alas do palácio. Em seguida, eles descem uma grande escadaria, para caminharem por outro corredor até chegarem ao escritório particular do monarca.

O cômodo é demasiado grande, tapeçarias vermelhas, desenhadas com vários sóis dourados estão no chão, pois o escudo da Casa Sawyer é um Grande Sol dourado transpassado por duas espadas com um fundo vermelho.

Nas janelas, cortinas vermelhas e douradas, abertas e, através das janelas, pode-se ver o crepúsculo, que vem dando adeus anunciando o fim de mais um dia e, o início de outra noite.

Randall caminha até a sua grande mesa, sentando-se em uma confortável poltrona atrás da mesma e fazendo sinal para que Leander se sente, e, o homem o faz imediatamente.

― O que quer conversar comigo, Conselheiro Leander? – questiona o monarca.

Ao ouvir a pergunta de seu rei, Leander o encara com cuidado, tentando encontrar as palavras certas para dizer. É o Conselheiro do Rei, fora escolhido pelo próprio Randall, três anos atrás, quando ele assumiu o trono, após a morte do Rei Pietro. E, como Conselheiro, é seu dever alertar o rei para o que acaba de acontecer, bem como dar conselhos no que se refere ao melhor para o reino, pois, é nisso que ele pensa, no melhor para o reino, e, sabe que o Rei Randall Sawyer também partilha deste mesmo pensamento.

― Vossa Graça. – Leander finalmente encontra as palavras certas para dizer – Temo que o assunto que tenho a tratar não seja de seu agrado.

― O que quer dizer com isso, Conselheiro Leander?

― Vossa Graça, quero falar sobre o nascimento dos príncipes.

― Meus filhos vieram ao mundo saudáveis e Alaina passa bem após o parto. O que pode querer me dizer sobre isso?

― Vossa Graça, sei que as palavras que vou dizer agora podem ser demasiado cruéis, e, me dói, no fundo de minha alma, ter de dizê-las, mas, eu penso no reino e, penso que Vossa Majestade deve fazer o mesmo.

― O que quer dizer com isso?

― Vossa Graça, tenho medo do futuro dos príncipes.

― A cada palavra que você profere eu compreendo menos, Leander.

― Vossa Majestade, o grande deus Riondir lhe deu uma grande benção, ao lhe dar dois filhos de uma vez, mas, ao lhe presentear com dois filhos de uma vez, mas, ao mesmo tempo, deu aos dois o mesmo direito, e, este direito, é o direito ao trono! No futuro, os dois príncipes terão os mesmos direitos e, não há ninguém que poderá dizer o contrário! Se tivessem nascido duas meninas, não haveria problemas, pois mulheres não podem herdar, se tivesse vindo um casal, também não haveria problema. Mas, dois meninos, Sua Graça sabe que os dois terão os mesmos direitos e, quando chegar o momento de um subir ao trono, os dois podem até mesmo vir a se matar, pois terão direitos iguais, porém, só um poderá ser rei em vosso lugar.

Randall escuta com atenção as palavras de seu Conselheiro, pois, sabe que ele está certo. Céus, não havia pensado nisso! Havia ficado tão feliz com o nascimento de Edric e Elder que, em momento nenhum, pensou no futuro. Dois filhos! Os dois com o mesmo direito ao trono!

E se os dois realmente, no futuro, se matarem por conta da coroa?

― Grande Riondir! – é tudo o que Randall consegue exclamar, sabendo da veracidade das palavras de seu Conselheiro.

― Felizmente, eu tenho a solução para este problema, Vossa Majestade.

19 de Abril de 2021 às 01:42 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo A Decisão de Randall

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!