maatersi Marcela Tersi Pereira

Um homem sai no meio da noite, em seu carro. De mim, ele não pode se esconder. Façam-no queimar.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#miniconto #Cinzas #incêndio #Pantanal
Conto
2
4.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Cinzas

Este conto foi baseado nos incêndios que ocorreram no mês de outubro no Pantanal


Ele não sabe que eu o observo, de debaixo da terra. Que eu vejo seus passos mudos. Ele não sabe que eu o veria a milhas de distância, mesmo na noite mais escura, enquanto ele sai daquela casa construída sobre sangue.

Mas eu o vejo, entrando naquela caminhonete no meio da noite, com um vazio no lugar da alma e um tanque de gasolina nas mãos. De mim, ele não pode se esconder.

Porque palavras vazias não escondem a sua fome. Prestígio e poder não preenchem o vazio.

E o sorriso de quem nunca teve que enfrentar um "não" na vida não esconde a existência vazia de quem se sente pequeno.

E ele é pequeno.

Tentando fingir ser gigante ele continua a dirigir. Buscando na memória as palavras de apoio débil proferidas por gente tão pequena quanto ele.

A determinação no olhar é só sinal do seu grande esforço em continuar fingindo ser o centro do mundo. Cada músculo contraído não me engana. Por debaixo das máscaras há um homem quebrado.

Mas reconhecer a escória em sua natureza é tarefa tão penosa que não lhe faltam subterfúgios para se sentir aliviado. Ainda dirigindo, ele começa a repetir a si mesmo todos os devaneios que ensaiou por horas a fio. Que ele estava certo, que o mundo estava errado, que ele merecia mais que o outros, que ele era mais importante...

A terra treme com o seu esforço de ser mais que alguém.

Eu continuo observando, enquanto ele para o carro ao lado da mata. Nem sequer pisco quando ele derrama o tanque de gasolina e acende o isqueiro. Vejo o sorriso no canto dos lábios de quem sente que teve sucesso em sua empreitada.

E enquanto ele vê o fogo se alastrar no chão, eu planto o fogo em sua mente. Ele não sabe, mas enquanto meus filhos queimam, sua mente queima junto. Um por um, planto os pensamentos que queimarão como fogo em sua alma e, preso em minha alucinação, ele não consegue se afastar do fogo que ele mesmo criou.

De repente, ele não está mais aqui, queimando com a floresta e os animais. De repente, o que ele vê são todos aqueles acres de plantação e aquele gado queimando junto. Aquela herança de família e todo seu poder e influência queimam. O fogo a tudo engole, e agora nada mais esconde seu sentimento de inferioridade. Quando vê tudo queimando, ele queima junto.

Desesperado, ele tenta correr e encontrar alguma maneira de apagar aquele fogo. Mas a cada passo ele se sente mais tonto com aquela fumaça tóxica. Alucinação e realidade se misturam em sua mente, ele sente as bolhas se formando na pele.

Ele só consegue se afastar quando a temperatura já não é mais suportável. Longe da fumaça, ele até consegue escapar da ilusão e se lembrar de que aquelas não são suas terras. Mas agora não tem mais volta.

O fogo que eu plantei se apaga, mas as cicatrizes são eternas, são escritas com cinzas. Nada pode levar embora o medo que se acomodou sob suas juntas. Ele nunca mais deixará de pensar no medo de que alguém um dia faça com ele o que ele fez com meus filhos.

E esse é o meu chamado. Façam-no queimar.

19 de Abril de 2021 às 01:35 4 Denunciar Insira Seguir história
4
Fim

Conheça o autor

Marcela Tersi Pereira Olhei pela fresta a luz que escapava na sala escura. Virei poeira no espaço e segui o vento. Do outro lado, ainda era eu.

Comente algo

Publique!
Isís Marchetti Isís Marchetti
Olá, Marcela! Tudo bem com você? Faço parte do Sistema de Verificação e venho lhe parabenizar pela Verificação da sua história. O que aconteceu naquela vez foi realmente uma perca, todos sentiram e todo coração chorou um pouco devido a falta de noção e de amor do homem. Não é errado dizer que cada um colhe aquilo que planta, pois assim foi também com quem começou aquele incêndio, a mente dele queimou por fim. Eu gostei muito da forma que você trouxe um tema real e colocou em um conto, de certa forma faz com que aquele fatídico dia nunca seja esquecido e que assim seja. Também posso dizer que a história trouxe um “quê” de realidade, como se fosse isso mesmo que tivesse acontecido, acho que é porque as pessoas ainda procuram por um culpado e dessa forma podemos atribuir a alguém aquele peso, entende? Bom, vamos lá. A coesão e a estrutura do seu conto estão maravilhosas. A narrativa está surpreendente e de alguma forma leva o leitor até aquela cena, fazendo com que pudéssemos expectar tudo com nossos olhos. Cada cena, cada momento e cada ação. Cada arvore em que o fogo se alastrou. Foi tudo muito vivo e muito real. Quanto ao personagem, uma parte de mim gosta de questionar o porque da ação, isso dado em conta de que todo mundo tem um antes, durante e depois, algo o levou ali, qual é a triste história de vida desse homem que o levou a fazer tal calamidade? Aos olhos dele, aquilo tudo valeu a pena ou depois ele se arrependeu do coração? Questões essas que foram levantadas ao longo do texto, dado em conta que toda ação gera uma reação, parece loucura, mas a vida e o ser humano são movidos assim. Quanto à gramática, seu texto está muito bem escrito e desenvolvido, realmente foi uma experiencia sem igual poder ter tido a oportunidade de lê-lo. Desejo a você sucesso e tudo de bom sempre. Abraços.
April 26, 2021, 11:43

  • Marcela Tersi Pereira Marcela Tersi Pereira
    Olá, Isis, fico muito feliz que você tenha gostado desta história, muito obrigada por compartilhar sua experiência com a leitura. Cinzas é importante para mim como uma história que eterniza um sentimento de impotência frente o que aconteceu, por isso fico feliz que a mensagem tenha chegado e que possa chegar em novos leitores com a verificação. Mais uma vez agradeço de coração April 29, 2021, 01:06
Luana Borges Luana Borges
EU AMO QUALQUER COISA QUE A MARCELA ESCREVE AHHHH ❤️😍
April 19, 2021, 10:19

~