1
2.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Parte I

Parte I: Governador


Em uma escuridão, nasce uma luz bem pequena que ofuscava no vasto Vácuo. Lá se encontrava o futuro. Em segundos se transformou em algo totalmente diferente que ninguém nunca viu, em pouco segundos vai se evoluindo em várias formas até se criar. Ele estava parecendo maior, com o peito estufado, postura ereta e as pernas paralelas acima do ombro, se mantendo rígido, uma figura Humanoide. Seu corpo havia uma cauda que pegava de sua coluna até sua cintura e eram cinza junto com sua cabeça que havia dois chifre apontados para cima, já sua pele era branca como a neve, rosto estava raso, pois então, olhos para ter uma visão panorâmica de tudo, e sua boca e seus ouvidos... para que iria ter uma boca e ouvidos? Ele ficou parado por um momento e se perguntou por onde ele estava? Por que ele está ali? Quem o criou? Quem era ele? O que ele estava fazendo ali? Ou o que ele iria fazer ali? Muitas perguntas para serem feitas, mas nenhuma para ser respondida. Ninguém poderia responder as suas perguntas, pois ele estava sozinho. Sozinho, no vasto abismo cinza, onde o branco de sua feição estava destacando.


Ainda não tendo respostas, ele decidiu pensar. Naquele profundo abismo ele estava sozinho, ele estava flutuando, então não tem uma superfície para ele poder andar com suas pernas. Olhou para si mesmo " Minhas pernas!" Pensou. Ele criou sua forma física conforme o seu desejo então significa que ele pode fazer algo conforme o vácuo? Pegou sua mão direita aberta, olhou para ela e em seguida a fechou. Em sua frente abriu um buraco que em segundos o vácuo tinha a superfície que o ser tanto desejava. A superfície não estava certa, ela não estava se adaptando ao vácuo, nisso o ser levantou a mão esquerda na altura dos seus ombros, e o profundo vácuo tinha sido totalmente desfigurado. Em poucas ações podíamos ver do que era feito o abismo, de uma matéria nunca vista. Ele era rígido e ao mesmo tempo líquida, ela se adaptava de acordo com que o ser mandava e até transformava em coisas inimagináveis. Estava tudo restruturado, havia locais mais fundos e outros mais densos, superfícies flutuando e assim por diante.


Tudo em seu devido lugar, o ser se aproxima de uma superfície onde ele concentrou a tal matéria em um local alto, para assim se sentar. Tendo sua postura reta com as suas mãos em cada lado, fazendo com que o local se adeque se transformando em seu aposento. E assim sentado ele ficou, encostou sua mão em seu queixo e ficou a observar o abismo. Depois que reestruturou o abismo, ele estava completamente irreconhecível. Montanhas, planícies flutuando, locais que poderiam ter uma grande queda e até não poder ter chão. Mas somente naquele lugar cinza, sua matéria era completamente diferente, ela se destacava com cores aleatórias. O ser se levantou e foi caminhando ao uma parte que se encontrava a matéria.


Branca, amarela, rosa, vermelha, todas as cores que tinha por direito. O ser se abaixou, pegou-a e ficou olhando para o pedaço de pedra transparente que tinha todas as cores com algumas coisas brilhosas se mexendo. Se abaixou e pensou "O que é isso?"


A matéria se encontrava em um pequeno espaço que se encontrava um pedra ou seria um pedaço de terra que era uma parte inicialmente da superfície que O ser trouxe. Abaixado esticou o braço e tentou pegar aquela matéria que se destacava no tom escuro do pedaço da superfície, mas quando olhou para sua mão, metade dos seus dedos estavam cinza com as pontas pretas.


Ele ficou olhando para as mãos e pensou o que teria feito isso, então percebeu que as únicas coisas que tinha feito era somente tocado na matéria. Não tinha certeza se realmente foi a matéria que tinha feito isso, comparou a outra mão e a outra estava branca, sem nenhuma mancha cinza ou preta. Pensou na possibilidade de estar somente no abismo e foi uma reação para ter essas manchas, olhou para seus pés e estavam cinza. "Por que?" Olhou para mão branca, percebeu que em nenhum momento ela tinha tocado na matéria do Abismo. Então o que era o Abismo? Uma prisão para ele?


"Não faz sentido" pensou, "Qual sentido de estar preso em um lugar em que eu consigo controla tudo? " Novamente perguntas que não poderiam ser respondidas. E lá ele estava novamente perdido, o que iria fazer com aquela Matéria? Mas o que era aquela matéria?


Perto de onde se encontrava a matéria. Olhou para ele e pensou sobre as manchas. "Não posso perder tempo, se esse lugar está me danificando por estar junto com essa matéria, tenho que fazer alguma coisa a respeito disso. Mas primeiro o que é ele? " pensou o ser observando. A matéria de cor transparente, nisso ao elevar sua mão e com um simples estralar de dedos aparecer um graveto e assim ele estava mexendo na matéria para assim tirar um pedaço para analisar. "Ele é estranho, transparente e será que ele tem um nome?" O ser observava a matéria detalhadamente e então olhou ao redor para ter mais alguma referência e observou por alguns segundos um pequena possa de matéria que derramava em pingos em outra plataforma a abaixo e então se levantou para ver de perto. Chegando de perto se abaixou e percebeu que a parte derramada perto do pedaço da terra da superfície estava rígida, como se fosse um vela secando. O ser pegou o graveto que tinha em mãos e então molhou com matéria e ela rapidamente ficou solida ao redor do graveto. “Ele também se adapta muito bem conforme o abismo, sendo liquido ou ate mesmo rígido”.


Percebendo que pouco sabe da matéria, O ser precisava testar como ele reagiria o ser tocando diretamente e então voltou novamente para aquele pedaço de materia que estava rigída e presa em um pedaço de terra. Em um impulso o ser estralou os dedos novamente e o graveto desapareceu e a matéria que estava nele foi derramado no chão tornando-se líquido novamente. Levantou o dedo indicador em direção para o local onde encontrava a matéria e indicou para cima, imediatamente a materia foi deslocada do local onde estava presa e estava flutuando, O ser virou-se e saiu andando e o pedaço médio de matéria com um pequena de poção terra o cobrindo foi o seguindo.


O Ser nem saberia o que iria fazer com aquele pedaço de pedra, , aquela pedra.

“Nem tem nome aquela pedra, qual seria seu nome?” pensou O ser ainda andando com a materia flutuante atrás dele. Então o ser pensou, pensou e pensou."Éfily", esse era o nome da matéria que futuramente seria o motivo de união de 3 mundos totalmente diferentes, com o intuito de destruição, orgulho, hipocrisia e ira.


Parando o ser olhou para Éfily e decidio toca-lá, essa era uma única coisa que faltava para fazer, pois não tinha certeza que foi realmente a materia que deixava esse desconforto em seu braço cinza. Deu um passo a frente esticando o braço e seu dedo indicador o tocou.


Ao tocar o ser foi levado para uma dimensão completamente estranha, lá estava mostrando visões dele em primeira pessoa. Com um impulso seu corpo se chocou com uma força extrema, estando na dimensão seu corpo não era mais reconhecido, a gravidade estava deformando suas moléculas. O ser estava sendo sugado pela gravidade, em um vai e vem, sentia-se leve e em seguida pesado, mas sem perceber estava tendo visões e com o passar das imagens estava reconhecendo algumas coisas que ele já tinha visto ou até tinha feito, mas não sabia como se chamava ou não sabia o motivo de ter feito isso, em segundos bilhões de coisas vieram em sua mente, até que em um piscar de olhos ele estava sentando diante da pedra de Éfily novamente, e sua dedo estava o toca-lo.


- Eu estive te esperando por tanto tempo.


Em instantes o silêncio do vasto Abismo é quebrando.


- Por onde você esteve?


24 de Novembro de 2021 às 00:00 0 Denunciar Insira Seguir história
3
Leia o próximo capítulo Parte I

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Era de desequilírio e escuridão: Terra, Lialles.
Era de desequilírio e escuridão: Terra, Lialles.

Com uma explosão uma energia entrou na atmosfera e se espalhou pelo globo, agora existem dentro de cada ser vivo e estão ligados à sua estrutura molecular. Normalmente, a vibração da energia é completamente inofensiva. Entretanto, quando a pessoa ao morrer, eles multam a biologia de seus hospedeiros que se transformavam em calamidades. Além de desencadear transformações físicas, a energia que eles vibram também podem afetar a mente, transformando a maioria das calamidades em criaturas sem consciência como os obsessores, ou Bestiais. Leia mais sobre Era de desequilírio e escuridão: Terra, Lialles..