rasuiy Rasui Yoon

O sorrisinho convencido do lutador o incomodava, mas não se lembrava quando tinha deixado de se incomodar com as brincadeiras constantes do Park. E por outro lado, ChanYeol não sabia quando suas brincadeiras começaram a ter um fundo de verdade, mas infelizmente BaekHyun não era do tipo que acreditaria em si, muito menos depois de tanto tempo naquela relação repleta de alfinetadas. Então aquele seria o último round, e não haveria brechas para derrota, não quando isso significava perderem um ao outro. Capa por: @minseokbaek | @apoloproj


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#romance #yaoi #luta #chanbaek #exo #Lutador-X-Assessor
1
2.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capitulo 1

- Chanyeol, cinco minutos. – Sehun passou pela porta do vestiário colocando apenas a cabeça para dentro antes de sumir novamente.

O maior apenas acenou de volta mesmo sabendo que o outro não veria sua resposta, estava sozinho tentando manter a cabeça fria e se concentrar para lembrar de cada movimento e conselho que seu treinador o tinha dado.

Conseguia ouvir o som abafado das vozes gritando e das músicas que tocavam para animar o ambiente, a voz do mestre de cerimonias anunciando os minutos que faltavam para começar a luta o deixava tenso. Procurou respirar fundo e sentir o ar gelado entrando por suas narinas junto com o cheiro característico de metal e alvejante que provavelmente tinha sido utilizado para limpar o ambiente, a sensação do frio que tocava as partes do seu corpo descobertas, sentir as luvas envolvendo suas mãos, e os músculos que contraiam em antecipação.

Tudo daria certo, sabia os pontos fortes e fracos do oponente e estava confiante que poderia o nocautear antes do fim do segundo badalar, ganharia como o esperado por todos e não teria que aguentar nenhum discurso ofensivo de patrocinadores insatisfeitos por suas apostas.

Se levantou se sentindo pronto, vestiu o robe vermelho com seu nome escritos em preto nas costas, “aligátor”, mais conhecido como ‘o devorador ‘, possuindo um histórico quase perfeito de vitorias em sua carreira, perdendo apenas algumas poucas vezes vendo que não se podia ganhar todas. Bateu as luvas, sentindo aquela energia o tomando, aquele senso de competividade que a maioria das pessoas odiava em si, digamos que era o tipo de pessoa que não sabia perder.

- Park. – aquela voz, estava tudo sobre controle, nada poderia o desconcentrar, menos aquela voz vinda especificadamente daquela pessoa parada entre a porta aberta olhando um tablete em mãos.

Ele nem ao menos o olhava, parecia nem se interessar que estava indo em direção a uma luta que poderia o machucar, aquele desgraçado sem coração, frio como uma pedra de gelo, deveriam ter arrancado o coração de BaekHyun assim que ele nasceu para aquele moreno ser tão averso a si, já tinha tentado de tudo, mas aquele gostoso do caralho não dava o braço a torcer.

Não disse nada, apenas foi em sua direção e o seguiu porta a fora deixando que o menor seguisse o guiando ainda sem tirar os olhos do que quer que fosse que estivesse digitando fervorosamente, não conseguiu evitar desviar o olhar para as bandas marcadas pela calça social azul marinha, só aquele cretino para o fazer perder toda a concentração que tinha conseguido juntar apenas com um andar.

Não demorou muito e logo ouviu seu nome ser anunciado, SeHun já estava ao seu lado segurando toalhas e todas aquelas coisas que ele como preparador físico carregava, e tinha KyungSoo com aquela cara séria analisando tudo ao redor, seu treinador era de perto assustador, conseguia lembrar quando começou ainda com seus dezesseis anos e como ele fora rude e duro consigo, nada tinha mudado muito mesmo após catorze anos juntos.

BaekHyun tinha ficado para trás e não estava mais no seu campo de visão e assim que o menor sumiu e começou a andar entre as luzes dos holofotes que estavam sobre si, focou no que tinha que fazer e tentou se concentrar em ouvir tudo que KyungSoo dizia sobre o que tinham treinado.

E assim que seus pés tocaram o octógono, foi questão de cinco minutos para aquela luta ter um fim, um pouco de sangue escorria de sua sobrancelha por um deslize em manter a guarda alta, mas nada muito sério, com uma sequência bem elaborada e pronto, o adversário tinha caído, levantou os braços e urrou junto da plateia que gritava e aplaudia.

Aquela adrenalina o envolvia, enchia seus músculos e o deixava excitado, estava pronto para uma boa foda, desceu as escadas indo em direção a saída para os vestiários, cumprimentou alguns fãs no caminho e parou para sussurrar algo no ouvido do seu chefe de segurança que logo entendeu o que queria.

Estava seguindo corredor a dentro quando finalmente conseguiu mirar os olhos castanhos de BaekHyun naquele dia, e pela cara do menor ele sabia exatamente o que tinha dito para o homem que agora guiava duas garotas da plateia em direção ao vestiário.

- Seja rápido, te dou dez minutos antes de irmos. – foram essas palavras que ouviu assim que passou ao lado do mais velho, este logo em seguida voltando a olhar o tablet que apitava.

Sorriu de lado se aproximando em seguida, sentindo o cheiro da colônia masculina se desprender da camisa branca impecável que o menor vestia, raramente se sentia atraído por homens, nas poucas vezes não fora nada muito memorável, mas sabia que aquele homem o deixaria viciado em apenas um saborear daqueles lábios finos.

- Eu não precisaria de dez minutos aqui se você me desse só dez minutos lá na minha casa. – sussurrou perto da audição deste, encostando os ombros vendo este se afastar assim que seu suor manchou o tecido fino com o resvalar.

- Só nos seus sonhos e nos meus piores pesadelos. – já estava acostumado a aquele tom de voz seco – São sete minutos agora. – não conseguiu conter a risada, mas apenas maneou e continuou o caminho até o vestiário sabendo o que lhe esperava.

Não deixaria aquele fora o desmotivar, precisava gastar toda aquela energia que ainda corria por suas veias, colocaria aquele fora na caixinha junto com todos os outros que vinha acumulando por esses quatro longos anos trabalhando juntos.

- Eu só preciso de cinco. – gritou pelo corredor antes de fechar a porta do vestiário e dar de cara com duas garotas seminuas que o esperavam animadas.

BaekHyun suspirou assim que o som da porta do vestiário se fechando se sobrepôs ao som das pessoas ainda gritando, o maior o deixava puto ao mesmo tempo que o deixava frustrado, as investidas vinham se tornando mais frequentes e desavergonhadas, mas era sempre a mesma coisa, ChanYeol investia e o menor desviava, não era pro bico do Park, merecia mais do que ser só mais uma noite para aquele mulherengo de mão cheia.

- Vou indo na frente, me ligue assim que ele terminar e estiverem indo. – falou para o chefe da segurança – E não deixe que ele leve nenhuma amiguinha junto, não preciso lidar com escândalos. – teve sua ordem acatada antes de tomar o caminho para fora daquela arena, KyungSoo apenas o seguiu sem dizer nada, sabia que o amigo não gostava de muita aglomeração.

Foram em direção ao carro assim que saíram pela porta dos fundos, BaekHyun tomou a direção indo no sentido da casa de KyungSoo, este apenas o observava esperando que começasse a falar qualaquer coisa que precisava dizer, era incrível como ele sempre sabia que tinha algo lhe incomodando, mas nunca era insistente para saber, sempre o esperava estar pronto e iniciar por si só o desabafo.

- Eu estou indo embora essa semana. – soltou no silencio que preenchia o carro.

As luzes dos postes passavam correndo iluminando o rosto do moreno ao seu lado que ainda olhava pela janela, apenas um suspiro solto por este foi audível, sabia que ele estava esperando o resto, porque de longe aquilo seria tudo, KyungSoo esperava a explicação daquilo.

- É por isso que anda tão ocupado? – o outro ainda não o olhava – Pensei que tinha substituído seus livros por um namoradinho de verdade. – ambos riram ao mesmo tempo, aquela piada interna sempre reinou entre eles, não era como se BaekHyun tivesse tempo para ter alguém na sua vida, ChanYeol dava trabalho de mais e ocupava quase vinte e quatro horas do seu dia.

- Idiota. – o empurrou com o ante braço – É sério Kyung, cuida dele depois que eu for, nós dois sabemos como ele é instável com mudanças bruscas. – não queria demonstrar, mas se importava com o lutador, ele podia ser escroto em grande parte do tempo, mas o maior era importante para si de um jeito que não saberia explicar, era mais do que apenas seu trabalho, a relação de ambos era estranha e complicada demais para colocar em palavras.

- Devia contar a ele então. – aquilo seria o mais certo a se fazer, mas ambos trocaram olhares após aquela frase e sabiam que embora fosse o certo, não era o caminho mais aconselhável.

- Ele tem trabalhos publicitários entre outras coisas na agenda, e sabemos que ele é um chantagista de merda, ele ia fazer de tudo para fazer eu ficar e isso inclui até se auto sabotar para me dar mais trabalho. – suspirou enquanto KyungSoo parecia concordar e entender a onde queria chegar – Você é o único da equipe que sabe, e espero que continue assim até eu ter ido, já arrumei a agenda dele para as semanas seguintes da minha partida e pode deixar que ele não vai conseguir usar isso para atrapalhar o trabalho de vocês. – sorriu vendo quando o outro riu em escarnio como se estivesse agradecendo pela cortesia.

ChanYeol era controlador, tudo tinha que estar no devido lugar, os horários eram cumpridos e nunca furava a agenda, o que era essencial para um lutador que precisava ter treinos assíduos todos os dias, disciplina não faltava para o maior, mas assim como era disciplinado era tão teimoso quanto, e BaekHyun descobriu isso em sua primeira semana de trabalho.

Tinha sido contratado pelos principais patrocinadores para ser assessor de Park ChanYeol, um lutador conhecido e em ascensão, mas que era de difícil convivência pelo seu gênio forte, no início foi difícil aguentar as brincadeiras e até algumas pegadinhas, saber como lidar com o humor as vezes ácido do maior fora um desafio, mas em meio a alguns transtornos aprenderam a se respeitar em seus respectivos trabalhos e papeis a serem cumpridos, as pegadinhas pararam, suas instruções e ordens eram ouvidas com mais frequência e a convivência passou a ser profissional e tranquila, quem dera as falas de duplo sentido tivessem ido embora também.

Por algum motivo que desconhecia a tensão sexual que ChanYeol conseguia causar as vezes era sufocante, não ia negar que o maior era muito bonito com seu sorriso cafajeste e musculatura bem trabalhada, não era cego e nem hipócrita de negar que se fosse em outras circunstancia talvez, e só talvez aceitaria ter um casinho com ele, mas depois de tudo o que vira o maior fazer e o tipo de pessoas que ele costumava levar para a cama não conseguia entender o que de tão interessante ele via em si.

Não era sarado e musculoso, e muito menos alto e esbelto, tinha seus quilos a mais distribuídos por gordurinhas que se acumulavam em sua barriga e coxas que se espremiam em suas calças sociais, tinha sua beleza, mas sabia que não chegava nem perto das pessoas que o maior se sentia atraído, então sabia que no fundo ele não estava interessado em si, aquele era só um jogo e o método que ChanYeol parecia ter adotado para os aproximar fora do âmbito profissional, quase como uma forma de serem mais amigáveis sem serem amigos de verdade.

Por isso sempre o respondia com cortes e respostas a altura, por que aquilo era só um jogo que aprendeu a jogar com o tempo e não se permitia iludir achando que aquela brincadeira poderia ter um fundo de verdade, não é como se o maior fosse mesmo o querer em sua cama no lugar de duas mulheres completamente lindas e encorpadas.

- Não vou contar a ninguém, mas sabe que ele vai te encher o saco mesmo assim, então espero que esteja preparado para muitas ligações inconvenientes. – KyungSoo findou a conversa assim que parou o carro em frente ao prédio deste, que apenas se despediu com um aceno de cabeça antes de o deixar sozinho no silencio do carro.

Tinha coisas mais importantes para se preocupar do que um surto de um homem feito de trinta anos que não sabia entender que a vida das pessoas não girava ao redor dele, tinha um pai idoso que a muito tinha negligenciado por conta de trabalho, sua pai precisava de si e essa era a última chance de estar ao lado daquele homem incrível que tinha vencido uma depressão após a morte de sua mãe a um ano.

Precisava tirar um tempo para ficar com o Sr.Byun, até o velho se irritar de sua presença e o mandar voltar a procurar o que fazer, o senhor de oitenta e cinco anos não iria admitir que precisava de ajuda para trocar lâmpadas e de alguém para carregar suas compras, mas desde que recebeu aquela ligação do hospital dizendo que ele tinha caído na rua e estava internado por causa de um braço quebrado, tinha percebido que seu pai não era mais o homem forte e sagaz que o carregou nos ombros quando menino, fez os médicos prometerem o seguram no hospital até daqui duas semanas, quando conseguiria deixar o emprego e voltar ao interior para morar com o mais velho.

Então ChanYeol e suas crises de humor precisavam esperar, porque seu pai era mil vezes mais importante para si do que um emprego tão bem remunerado que vinha como brinde um homem insuportavelmente lindo e irritante.

------

O sol batia na cara de ChanYeol, as janelas estavam abertas e o vento frio da manhã tocava no seu corpo nu, as cobertas tinham se embolado aos seus pés e o som da porta da frente batendo indicava que BaekHyun tinha acabado de chegar.

Pegou o celular largado sobre o travesseiro extra ao seu lado vendo o horário, oito horas em ponto, sempre pontual aquele baixinho carrancudo, sabia que e a primeira coisa que este iria fazer era vir até seu quarto o mandar levantar, e era esperando por isso que se virou de barriga para cima deixando todos os seus dotes a vista com o intuito de envergonhar o moreno ao fingir que ainda estava dormindo.

Tentou segurar o sorriso assim que ouviu a porta se abrir e os passos cessarem, ele provavelmente estava lhe encarando e queria muito ver a cara deste, mas se conteve, logo o primeiro xingamento veio o “idiota, nojento” proferido pelo o menor o fez rir entregando seu fingimento.

- Muito engraçado, mas eu não precisava dessa visão grotesca logo de manhã. Então se não se importa, você tem um coletiva hoje à tarde e temos que repassar o que você vai dizer. – olhou para o menor que para sua decepção não o estava olhando e sim com a cara enfiada naquele maldito tablet de novo.

Tinha vontade de destruir aquele pedaço de metal de merda, por que era tão difícil manter aqueles olhos castanhos presos em si? Caramba não era de se jogar fora e sabia que o menor curtia caras, então por que era tão difícil conseguir algo com o mais velho, tinha tentado durante duros e árduos anos em que estavam juntos e nada.

- Não precisa falar assim, meu ego se sente ferido. – se levantou deixando a cama e andando até o castanho ainda nu, parando em frente deste e tirando o tablet das mãos finas que tanto gostava de admirar secretamente vendo o menor finalmente o olhar meio perdido e irritado com a atitude a aproximação – A gente bem que podia aproveitar essa manhã para fazer algo mais prazeroso e relaxar, o café da manhã pode esperar. – estava perto demais, quase juntando os corpos ao levar a mão livre em direção da cintura coberta por uma das camisas bem passadas do outro, quando aquela mãozinha pequena encostou em seu peito e o afastou levemente parando seus movimentos.

Ele nunca tinha encostado em si de um modo tão íntimo, podia contar nos dedos as vezes que as peles tinham se tocado, e se lembrava de cada uma delas, as aproximações ocorriam frequentemente, mas ambos nunca passavam para o outro nível, era como se soubessem respeitar aquela linha tênue entre o roçar dos ombros e um toque direto como estava acontecendo agora.

Queria tanto aquele baixinho, ele tinha passado de ser um desafio, tinha deixado de ser só uma bunda gostosa que queria ter em sua cama, a convivência o tinha ensinado a respeitar BaekHyun pelo homem que ele era, e o admirar pela postura e decisões firmes que tomava, aquela coceirinha no peito o incomodava a algum tempo e embora tentasse demonstrar que esperava mais do assessor do que esperou de qualquer um antes, não sabia como se aproximar do menor sem ser do jeito que estava acostumado a se aproximar das outras pessoas em geral ao qual tinha aquele tipo de interesse.

- Para com isso ChanYeol. – sabia que aquilo tinha sido diferente, que tinha forçado a barra a um nível que nunca tinha tentado antes, ele nunca dizia seu nome, era sempre Park para lá e para cá.

Mas precisava de uma reação, estava cansado de o ter sempre tão perto e não poder tocar aqueles cabelos pretos e penteá-los com seus dedos para trás quando os fios compridos o incomodavam a vista, ou acariciar as bochechas cheinhas que tinham a pele sempre bem cuidada parecendo que poderia quebrar se o apertasse muito.

O menor parecia envergonhado, mas olhando bem tinha aquele vinco entre as sobrancelhas que mostrava o quanto estava irritado pela suposta brincadeira, mas lá estava as bochechas coradas que tanto tentou arrancar de BaekHyun, ele não parecia mais tão indiferente. Os olhos castanhos lutavam para permanecerem focando na mão que pressionava seu peito nu, ele estava evitando olhar para cima e encarar seus olhos, como também não focar em sua nudez mais a abaixo.

Tinha conseguido desestabilizar o mais velho depois de tantos anos, mas não sabia se aquilo era bom ou ruim.

Temendo como aquilo poderia acabar ousou levando a mão livre segurando o queixo pequeno, era tão bom sentir a textura da pele macia contra seus dígitos, podia sentir seu coração acelerar com o toque quente da mão pequena ainda contra sua pele e agora em seus dedos também, forçou aqueles olhos castanhos a o encararem, eles estavam irritados quando cruzaram com os seus.

- Desculpa, não vou mais fazer esse tipo de brincadeira. – e foi mais além do que achou que poderia quando deixou um selo na testa ainda enrugada do menor antes de se afastar infelizmente daquele toque tênue sobre seus lábios, estendo o tablete que ainda segurava na direção do outro que o arrancou de sua mão em um movimento agressivo saindo pela porta em um baque alto.

Foi difícil se afastar de BaekHyun, ainda tinha aquela sensação do dedos finos sobre sua pele que o queimavam e a quentura e maciez da testa sobre seus lábios, e trancado no banheiro imaginou como seria ter aquelas mesmas mãos tocando em seu rosto ou lhe arranhando as costas e em outras mais situações que preferia não mentalizar no momento ou como gastaria o dia todo beijando cada parte daquele corpo que tanto admirava de longe, e de dentro do banheiro conseguiu ouvir coisas batendo com uma força fora do normal, talvez tenha conseguido o irritar mais do que esperava.

E qual não foi a surpresa de ChanYeol ao sair do quarto já vestido e não conseguir achar o menor em canto algum, até cogitou a ideia deste ter ido embora, mas aquele tablete em cima da mesa da sala dizia que ele ainda estava por algum canto daquela casa, o menor não iria a lugar nenhum sem aquela porcaria.

BaekHyun encarava o jardim a sua frente sentindo seu corpo ferver em raiva, ainda conseguia sentir o toque dos lábios sobre sua testa levando as mãos furiosamente até aquele local e o esfregando fortemente, aquela atitude tinha sido infantil por parte do maior e aquele beijinho de merda na sua testa tinha sido a gota d’ agua, era a porra de uma homem formado com seus trinta e três anos nas costas, e estava se sentindo um adolescente de merda sendo tratado como um virgenzinho que se sentia incomodado por ver o pau de um homem nu.

Queria matar ChanYeol, socar aquela cara bonita e encher de chute aquela barriga sarada e aquele peito malhado que tinha acabado de encostar pela primeira vez, e o que mais o estava enervando era o fato de que tinha sim se sentindo atraído pela nudez do maior, e tinha sim ficado envergonhado, mas teria sido mil vezes melhor se o outro tivesse terminado aquilo com uma piada indecente do que ter agido de modo tão terno e carinhoso, aquele troglodita sempre esteve longe de ser carinhoso com qualquer coisa ou qualquer um, qual era o problema dele agora afinal?

A vontade de não olhar mais na cara do Park ia contra tudo o que seu trabalho exigia no momento, tinha que manter a postura e fingir que nada daquela merda tinha o afetado, que com certeza não devia passar de outra brincadeira sem graça do maior para o envergonhar, e ele tinha conseguido, o odiava por isso.

Respirou fundo olhando o relógio sobre seu pulso, vendo que não tinha tempo a perder e que precisava repassar tudo antes do almoço para aquela coletiva, e foi tentando ser o mais profissional possível que entrou novamente na casa indo até a sala de estar onde sabia que o maior estaria comendo algo frente a tv.

E la estava o foco da sua raiva, vestindo uma bermuda larga e uma regata comendo como se nada tivesse acabado de acontecer, não esperava nada de diferente vindo dele mesmo.

- Desligue a tv e vamos começar. - ditou assim que alcançou o tablete esquecido e se sentou em uma poltrona evitando o máximo de proximidade com o maior, este fez o que lhe foi pedido e continuou comendo com os olhos agora virados em sua direção – Vou enviar tudo no seu email, então abra e acompanhe comigo enquanto leio e lhe passo os detalhes. – se manteve serio, não conseguia olhar para o maior sem querer o bater ou o xingar então optou por permanecer focado em seu trabalho.

A assim se sucedeu durante uma hora, tudo fora revisado, e tinham combinado que as perguntas quanto a vida particular seriam desviadas para falar de outros tópicos menos invasivos, e tudo teria sido perfeito, era só se levantar e sair dali para o reencontrar apenas durante a coletiva, mas ChanYeol não parecia gozar das mesmas vontades ou pensamentos.

- BaekHyun. – o tom era reticente, diferente do habitual o que o deixou levemente alarmado. Levantou os olhos finalmente para encarar o lutador que o mirava intensamente – Eu realmente sinto muito se me excedi agora cedo, sei que faço muitas brincadeiras em geral, mas nunca te expus antes e sempre respeitei seus limites, então me desculpe. – aquele homem só podia estar tirando com sua cara.

Não conseguiu segurar o sorriso sarcástico, aquele tipo de postura não era tomada por si normalmente, mas estava tão irritado pelo maior achar que o tinha afetado diretamente, não que não tivesse, apenas queria que ele entendesse que não era tão frágil ao ponto de se ofender com tão pouco.

- Park, o seu pau não me ofendeu, não é como se eu nunca tivesse visto um antes. – a surpresa no olhar do outro pela postura e tom de voz adotados por si o encheu de confiança – Não me tire por idiota, sei que suas intenções são bem de longe exatamente aquilo que suas brincadeiras de conotação sexual dizem, não é como se eu não soubesse o meu lugar nesse jogo idiota. – se levantou arrumando a camisa amassada e pegando suas coisas – Nos vemos mais tarde, e não se esqueça de rever tudo. – saiu deixando para trás um homem chocado e um sorriso em seu rosto por pela primeira vez ter conseguido o silenciar.

ChanYeol estava se sentindo perdido, como assim “jogo”? E o que era aquilo de “saber o meu lugar”? Que lugar? Que jogo? Do que porra o menor estava falando? Tinha certeza que tinha ouvido tudo com extrema atenção, ainda mais pelo jeito e postura tomada que o Byun inatingível nunca tinha demonstrado antes, do que merda ele estava falando? Não tinha conseguido entender quase nenhuma palavra mesmo prestando atenção em cada uma delas.

Repassou tudo aquilo em sua cabeça um milhão de vezes e de nenhum modo aquilo lhe fazia sentido, passou a manhã toda tentando entender o tal jogo que o menor tinha citado, mas não conseguia colocar aquilo em nenhuma explicação lógica e aquilo estava o consumindo, teria que tirar aquela história toda a limpo, e se tudo desse certo seria naquela mesma noite.

E realmente tinham se encontrado, a coletiva estava prestes a começar, estava sentado vendo todos os jornalistas se acomodarem e fora do palanque a sua direita conseguia ver BaekHyun conversando com alguns organizadores do evento de luta que também estavam presentes, e sentados em ambos os lados tinha KyungSoo e SeHun que sempre o auxiliavam com perguntas que fugiam daquelas que seu pequeno assessor não previa.

- Cara, você ta bem ferrado. – o loiro a sua direita disse seguindo a direção que estava olhando acabando por ser flagrado olhando descaradamente para o menor enquanto divagava sobre as coisas que ele tinha dito de manhã.

- Do que ta falando? – respondeu a SeHun tentando desconversar.

Fingir e dar uma de desentendido era a única alternativa, não sabia explicar o que estava acontecendo, fazia tempos que não conseguia evitar não olhar para o moreno de expressão fechada, estava sempre atento esperando aquele sorriso bonito e cordial que ele lançava para as outras pessoas, o mais velho nunca tinha sorrido para si, mas não podia negar que mesmo a distancia não conseguia deixar de ver o quão lindo ele era.

- Eu não sou cego, tem alguma coisa rolando entre você e o Byun. – na hora seus olhos fugiram do menor ao longe para focar na cara convencida do mais novo ao seu lado que parecia ter descoberto um grande segredo - E por esses seus olhos hipnotizados eu por experiência própria posso afirmar que você ta caidinho por ele, e o que logo leva a gente a deduzir que você vai quebrar a cara feio. – o som sarista não o agradou.

Sua cara se contorceu em desgosto, pra começar achava um exagero tudo aquilo, não estava caidinho pelo Byun, e mesmo se estivesse, o que não admitiria tão facilmente em voz alta, sabia ser discreto, ou era o que acreditava. Mas parando para analisar o que fora dito, tinha sido pego por SeHun, e o tom de voz usado para deixar evidente que o outro estava convencido de tudo que estava falando o fez torcer o nariz, por que quebraria a cara? Era sim, capaz de conquistar aquele homem, só não tinha descoberto como ainda.

- Por que eu vou quebrar a cara? – a pulga tinha sido plantada atrás de sua orelha, o que o loiro estava vendo que não tinha conseguido enxergar? Será que ele poderia lhe dizer onde estava errando em suas investidas?

Estava pronto para entrar no tópico proibido e começar a pedir conselhos de como chegar em BaekHyun, e tentar entender o que merda estava acontecendo, talvez SeHun conseguisse entender aquela história toda que o menor tinha dito mais cedo, e estava desesperado o suficiente para contar tudo em troca de ajuda.

- Será que vocês podem parar? A coletiva já vai começar. – se sentiu frustrado quando KyungSoo cortou a conversa bem quando o mais novo tinha se ajeitado na cadeira em sua direção para lhe responder.

Olhou para frente parecendo se lembrar de onde estava, quase tinha começado a falar altas merda sobre sua vida particular na frente de um monte de repórteres que adorariam distorcer suas palavras e coloca-las estampadas em alguma primeira página como uma novo escândalo super sensacionalista, definitivamente estava desesperado.

Tentou ignorar a conversa anterior tida com o loiro, focando nas perguntas e nas respostas e conselhos dos que o cercavam, mas sabia que aquele tópico iria chegar mesmo tendo sido orientados a não fazerem qualquer tipo de pergunta relacionada a vida particular do lutador.

- ChanYeol, poderia nos dizer se tem alguém na sua vida que você vai dedicar suas futuras vitorias? Ficamos sabendo que você anda se divertindo muito por ai. – a jornalista tinha aquele sorriso convencido que eles costumavam expressar quando percebiam que o pegavam desprevenido.

Respirou fundo tentando procurar uma saída que não deixasse nada aberto para especulações e mais perguntas, mas ali estava sua chance de chamar a atenção de um certo baixinho que mantinha os olhos em si, e adorava quando aqueles olhos castanhos o miravam por bastante tempo.

- Na verdade, eu dedico tudo a um certo alguém que está comigo a um tempo, só basta ele perceber isso. – falou encarando a jornalista e em seguida desviando os olhos para BaekHyun que fazia uma cara de limão azedo e vinha andando na direção do palanque quase soltando fumaça.

- Então é um homem? – outro jornalista se levantou, e assim se sucedeu uma avalanche de perguntas sobre sua sexualidade e quem era essa pessoa, todos gritando e tentando lhe arrancar uma resposta.

- A coletiva está encerada. – a voz de BaekHyun ecoou pelo ambiente e um segundo depois todos os microfones foram cortados, a equipe foi conduzida até a saída pelos seguranças que tentavam afastar os jornalistas que famintos por uma boa reportagem tentavam obter respostas.

Não conseguia controlar o sorrisinho que adornava seus lábios, o menor andava a sua frente com os ombros tensos e quase berrando ao telefone, sabia que tinha causado muita dor de cabeça a mais para o outro apenas por conta de uma resposta simples, mas queria que ele entendesse que estava interessado nele de verdade ou ponto de não se importar se outros soubessem.

E assim que se viu junto a ele no carro deste, ambos sozinhos, sentiu o quanto o menor estava puto, o celular tocava sobre o painel e este apenas bufava revezando em encarar o aparelho e a rua a sua frente.

- Eu fui bem especifico Park, nada de respostas com entre linhas, sabe como vão cair em cima de mim agora? – este dizia raivoso, mas sem o encarar – Por que fez isso? Já não basta todo o estresse que você me causa diariamente? Tem mesmo que me atolar mais ainda? Essas brincadeiras já estão passando dos limites. – a seriedade na voz de BaekHyun deixava claro o quanto tinha sido imprudente, e mais uma vez fracassado.

O menor tinha visto aquilo apenas como mais uma provocação, não como sinal de interesse, e realmente aquilo estava começando a o irritar.

BaekHyun sentia sua cabeça doer, sabia que o maior iria aprontar assim que viu aquele sorrisinho começar a nascer no canto dos lábios cheinhos, e aquela encarada que levou depois das palavras que este soltou feito uma bomba de problemas em se colo o confirmou isso, como se já não bastasse o que lhe fizera de manhã.

Não conseguia olhar na cara do lutador, ChanYeol tinha conseguido ultrapassar todos os limites de seu estado mental considerado saudável naquele único dia, e o ter tão perto e não poder o socar o estava levando a um nível de estresse mesclado a raiva nunca sentido antes.

- Qual é o jogo? – foi despertado de sua bola de fúria pelo maior que o olhava com uma expressão confusa. Do que ele estava falando? Jogo? O devolveu a mesma cara confusa, só podia ser pegadinha, ele devia estar tentando o distrair do surto interno que ele mesmo tinha causado – Eu fiquei pensando o dia todo nisso, você disse que sabia o seu lugar no jogo, mas de que jogo você tava falando? – e com um estalar a conversa que tiveram de manhã após aquele incidente desagradável envolvendo aquele corpo maravilhoso e nu vieram a sua mente.

A risada sarcástica simplesmente surgiu em sua garganta, não costumava ter esse tipo de postura quando estava trabalhando, mas o maior estava tirando com sua cara fingindo não saber do que se tratava tudo aquilo que viviam durante os anos que estiveram trabalhando juntos.

- Me poupe Park, você começou com isso no meu primeiro dia, ou não lembra? – a expressão distorcida na cara do maior mostrava o quanto este estava se esforçando para entender, e quando os olhos negros voltaram para os seus castanhos ainda perdidos sentiu seu sangue ferver – Você faz essas brincadeiras e essas piadinhas sobre o quanto quer me comer, ou o quanto me acha atraente, essas merdas todas como se eu não soubesse que são apenas isso, brincadeiras sem fundamento. Então não precisa se incomodar ou achar que eu realmente não vejo suas claras intenções e que eu vá me iludir com suas cantadas baratas, eu não sou um adolescente que vai se ofender se você mostrar o pau pra mim.

Sabia que tinha se excedido nas palavras, não era a postura profissional que costumava se policiar para ter, mas estava tão frustrado e cansado que não estava ligando para como ChanYeol o estava vendo naquele momento, só queria deixar o maior em casa e se esquecer dele durante os próximos dois dias que a agenda estava fazia e ele provavelmente ia passar apenas treinando.

- BaekHyun, você ta falando merda. – aquela resposta tinha sido mais agressiva do que esperava, o maior parecia ter se enfurecido com sua resposta e no fundo aquilo apenas o estava deixando mais irritado, afinal, ele não tinha motivo para estar irritado consigo se ele era o errado na história.

- Olha eu não vou discutir com você, tenho um monte de coisas pra lidar depois da sua brincadeirinha, então se me fizer o favor. – apontou a porta assim que parou em frente a entrada da casa do maior.

Este apenas o olhou de um modo intenso que jurava nunca ter visto antes, os olhos estavam enegrecidos em uma seriedade furiosa que foi exteriorizada assim que este saiu batendo a porta do automóvel de forma brusca.

Suspirou sentindo sua cabeça dar uma pontada em dor, seria uma última semana conturbada.

-----

ChanYeol acordou sentindo aquele friozinho que entrava pela janela aberta do quarto, chovia do lado de fora e o clima estava cinzento indicando uma possível tempestade, olhou para o celular percebendo que faltava meia hora ainda para o despertador tocar, faziam dois dias que não via BaekHyun, o que o estava deixando frustrado.

Teria uma luta na semana que vem, fora desafiado depois da última vitória, e estava ansioso para desbancar aquele metidinho de merda que mal tinha saído das fraudas e já queria bater de frente consigo, então tinha passado esses dois dias treinando assiduamente tentando manter o foco, mas aquela ausência o estava deixando louco.

Claro que as vezes passava dias sem ver o menor, tendo apenas alguns telefonemas, mas nunca tinham tido aquele tipo de conversa, que a seu ver parecia quase uma briga, e esse era o problema, não conseguia entender qual era o foco principal daquilo, tinha passado dos limites com sua investida direta? Sim, concordava. Tinha feito merda na coletiva? Sim, mas tinha se desculpado por ambos.

Então não conseguia entender aquela conversa do menor, chegou até mesmo a achar que podia ter ofendido BaekHyun esses anos todos e este agora estava irritado demais consigo, mas parecia ter muito mais coisas escondidas naquelas palavras sobre ele achar que suas brincadeiras eram só brincadeiras.

Até mesmo quando fora direto e sério sobre suas investidas o mais velho não tinha acreditado em si, e simplesmente não sabia mais o que fazer para ele entender que o queria de verdade, talvez tivesse que apelar.

E foi isso que fez quando se trocou, tomou um café rápido e se dirigiu para a academia onde treinava regularmente, não demorando a chegar e indo a procura da única pessoa que talvez pudesse o ajudar.

Avistou SeHun atrás de alguns sacos de areia onde normalmente o equipamento ficava guardado, se dirigindo diretamente ao loiro que o olhou confuso.

- Chegou mais cedo é? Milagres acontecem. – o mais novo debochou, mas assim que notou sua expressão séria parou de sorrir – O que foi?

- Preciso de ajuda, eu estou ao ponto de subir pelas paredes. – falou pegando de uma das mãos do outro algumas fitas para começar a enrolar nas mãos, se preparando para começar o treino enquanto recebia um olhar perdido.

- Fala então, o que é? – SeHun o questionou largando tudo o que segurava e se voltando em sua direção demonstrando que prestava atenção em suas palavras.

Não sabia como dizer tudo que se passava na sua cabeça, não sabia nem por onde começar a dizer toda a confusão que o tinha atormentado pelas últimas duas noites, mas estava disposto a fazer com que o outro talvez entendesse tudo aquilo no seu lugar.

- É o BaekHyun, cara ele ta me deixando maluco. – olhou de modo frustrado para o mais novo que cruzou os braços adquirindo uma postura risonha em sua direção.

- Eu sabia, ta traçando ele néh? – riu seco da expressão maliciosa que recebia em resposta.

- Antes fosse, não que eu não morra de vontade de enterrar a cara naquela bunda, mas ele ta me deixando louco é de outro jeito mesmo. – suspirou finalmente olhando diretamente para o loiro após terminar de enfaixar ambas as mãos – Ele veio com um papo estranho sobre um jogo, sobre saber qual era o lugar dele nesse jogo.

- Que jogo? – a cara confusa do preparador físico descrevia exatamente tudo o que vinha sentindo nos últimos dois dias.

- Exatamente! Eu não faço a mínima ideia, mas calma que não acabou por ai. – se recostou em uma das paredes próximas tentando achar as melhores palavras para descrever os eventos que anteriormente o deixaram frustrado - No dia da coletiva, eu só falei aquilo porque eu queria que ele entendesse que eu estou realmente a fim, saca? Pra ver se ele percebe que é um puta gostoso, e eu quero realmente traçar ele, mas depois ele falou umas coisas confusas sobre não se ofender com o meu pau, que entendia que minhas brincadeiras não passavam de brincadeiras, e que a culpa era minha.

Suspirou, tinha sim acabado de admitir ao loiro o que negara na última conversa que tiveram, se não conseguia mais esconder que estava atraído de verdade pelo menor, não compensava mais mentir para os outros ou para si mesmo.

- Calma, o que é culpa sua? E como teu pau entrou na história? – riu sobrado da cara destorcida em confusão e duvida.

- Entende porque eu to ficando maluco? Eu não consigo entender o que ele quis dizer! – levou as mãos aos cabeços os jogando para trás tentando descontar a irritação que tudo aquilo o causava, talvez estivesse mais ferrado do que imaginava.

- Pergunta pra ele então. – a resposta óbvia o fez querer socar o amigo.

Já tinha pensado em ligar no meio da madrugada e tirar a limpo todas as suas dúvidas com BaekHyun e aquela conversa estranha, mas sabia que talvez fosse irritar mais ainda o baixinho, e não era o que queria, sabia que este o estava evitando por estar com raiva, então não queria o afastar mais.

- Eu pensei nisso, mas depois que ele me mandou sair do carro depois da coletiva, não apareceu mais lá em casa e nem ligou. – abaixou o olhar sentindo sua cabeça doer de tanto pensar sobre a mesma coisa.

- E porque você não liga pra ele então? – SeHun perguntou novamente o obvio fazendo o maior o olhar com a sua melhor cara irritada, dizendo como se não tivesse cogitado a ideia.

Não sabia o que tinha na cabeça quando se quer se deixou pensar que o mais novo ia conseguir o ajudar ou ter uma explicação descente, nem mesmo um conselho que servisse o outro conseguia dar, estava prestes a desistir e ligar logo para o Byun mesmo que fosse enfrentar sua ira depois.

- Por que o ChanYeol é um cuzão, que vai deixar o BaekHyun em paz. – ambos se viraram surpresos e olharam para KyungSoo que tinha se aproximava andando de modo relaxado, mas os mirando sério.

- Olha Kyung, eu só preciso que ele me diga o que eu fiz de errado, pra que eu me desculpe, ele te disse alguma coisa? – talvez ali estivesse sua resposta afinal, a salvação que precisava e que o encarrava com uma expressão nada amigável.

Sabia que o Do e o Byun eram próximos, bons amigos que as vezes o deixavam irritado com aquela amizade toda, principalmente quando o treinador conseguia arrancar um daqueles sorrisos quadrados e lindos do assessor que parecia fingir que não sabia sorrir quando estava junto consigo.

- Você quer realmente saber Park? – o outro o encarrou sério e irritado.

As expressões do menor diziam claramente que este estava bravo, o conhecia muito bem para saber que coisas boas não viriam, mas estava curioso e precisava de ajuda, e não seria idiota de negar qualquer informação que fosse.

- Sim. – respondeu juntamente com SeHun que parecia interessado até demais na história para saber onde tudo aquilo iria levar, encarrando KyungSoo com expectativa.

- O BaekHyun ta cansado das suas investidas, ele sabe que tudo isso não passa de um jogo pra você, e que você realmente nunca se interessaria por ele. Então deixa ele em paz e vê se cresce, porque você não é mais adolescente pra ficar agindo igual um babaca filho da puta. – a resposta veio grosseira e carregava uma clara dureza.

- Espera! Você ta falando que ele acha que eu só faço isso pra tirar com a cara dele? – esperava ter entendido errado, contorcendo o rosto em pânico.

Claro que aquilo explicaria muita coisa, principalmente aquele papo estranho todo, e talvez o motivo de nunca ser levado a sério ou correspondido, BaekHyun não conseguia acreditar em si, e isso dizia muito sobre o porquê tinha o deixado tão desconfortável ao o pressionar estando nu naquele dia.

- E não é?! Você o trata assim desde sempre. – o treinador o respondeu incomodado.

- Não! Quer dizer, no início até era, mas agora é sério! – estava se sentindo desesperado para tentar fazer com que entendessem que o levava a sério, mais sério do que tinha levado qualquer outra pessoa antes na sua vida.

Baekhyun tinha deixado de ser só mais uma bunda bonita, ele era encantador com suas camisas bem passadas com a colônia masculina que exalava a cada passo que ele dava, com os cabelos castanhos sempre bem penteados em um topete milimetricamente arrumado, com o rosto sério e as vezes risonho que o davam dois ares completamente diferentes mas que o deixava incrivelmente lindo da mesma forma, o jeito firme como lidava consigo sempre profissional, cuidando de sua agenda e de seu bem estar.

O menor estava consigo nas vitorias e nas derrotas, nas contusões e reabilitações, com aquela boquinha bonitinha brigando por não ter sido mais cuidadoso e ter se machucado, ou aqueles olhos na maior parte do tempo gentis que mesmo tentando disfarçar deixava claro que ficava feliz consigo quando batia suas metas pessoais, ele se importava consigo como nenhum outro assessor antes tinha se importado.

E apesar das brincadeiras e provocações ele tinha sido o único que tinha lhe mostrado que estava ali para ficar, o único que ocupou espaço na sua vida depois de SeHun ou KyungSoo, BaekHyun era importante para si, só não sabia dizer o quanto.

- Olha Park, só deixa ele em paz, o Byun não é qualquer um pra ser só mais um a passar na sua cama, tenha respeito por ele e por quem ele é quando está trabalhando, não quero mais ouvir vocês dois falando sobre a bunda dele ou qualquer coisa com conotação sexual dentro da minha academia, ou eu mesmo vou dar uma surra em vocês até que cresçam e aprendam a ter respeito pelas pessoas. – ouvir o treinador falar consigo de um modo sério como a muito não escutava deixava claro o quanto estava fodido.

Então era isso o que pensavam de si? Era por isso que BaekHyun não o correspondia? Será que ele também pensava isso de si? Que ele seria apenas mais um na sua listinha de fodas?

Seu humor que já não estava bom parecia ter piorado, nenhuma palavra mais foi trocada após o ultimato de KyungSoo, o treino tinha começado após seu aquecimento, e se sentia tão irritado consigo mesmo por pela primeira vez ter notado o quão babaca era que descontava sua ira nos movimentos e nos aparadores segurados pelo auxiliar físico.

Precisava urgentemente conversar com BaekHyun, sem mais brincadeiras de duplo sentido, sem mais piadas ou investidas, precisava ser claro com o menor e se desculpar mil vezes se fosse preciso por tudo desde o início, precisava que o menor soubesse que se ele o quisesse iria o querer também, que não sabia o que era exatamente o que sentia, mas que o assessor mexia consigo como ninguém antes.

Tentaria fazer as coisas de modo correto e sensato dessa vez, se queria o menor, teria que o conquistar pelos métodos mas honestos possíveis, era isso que alguém como BaekHyun merecia.

17 de Abril de 2021 às 12:37 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Capitulo 2

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!