kenttrust Audrey Lorraine

Diana, uma mulher ambiciosa, recebe a oportunidade de conseguir o trabalho dos sonhos na CIA como agente de campo participando de uma força tarefa em uma nova missão. Ela vê seu sonho ser colocado em risco quando é apresentada a seu parceiro de missão, alguém com quem teve uma breve história e certamente contou mentiras, se questionando que segredos mais ele pode estar escondendo para colocar tudo a perder. Nota do Autor: Bom, queria primeiramente agradecer a minha grande amiga Sininho, e dona da pagina Litera Fanfic, ela me apoiou e suportou meus surtos, enquanto fazia a fanfic, ela fez minha capa da fic, essa capa incrível e especial. Obrigada também por me ajudar a construir uma sinopse para a minha historia. Você é incrível Helô <3


Erótico Para maiores de 18 apenas.

#hot #bdsm #policial #erotico #sexo #nudez #258
2
789 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Toda semana
tempo de leitura
AA Compartilhar

Olá estranho...

É inicio de novembro, o clima é agradável, eu caminho pelo parque com um copo de café na mão, indo em direção ao chamado do meu chefe Greer. Apreciando as lufadas de ar, o vento crepitando pelos galhos das arvores, enquanto vou em direção ao meu destino.

Caminho pelo saguão do prédio da agencia, aperto o botão do elevador. O elevador se abre, e entro impaciente, o elevador chega no andar e caminho até a sala do chefe, ajeito a blusa, bato na porta e entro.

— Romanov, que bom que chegou. Por favor — Greer aponta para a cadeira.

— No que eu posso ser útil, Greer? — Me sento na cadeira de frente para a mesa de Greer.

— Eu tenho uma nova missão para você.

— Mas já? Acabei de sair de uma missão, você mesmo falou que demoraria um tempo até a próxima.

— Eu sei, mas houve um imprevisto, ficamos sabendo de um agente infiltrado. E preciso de você nessa missão. Você pegou a Martha, você vai conseguir pegar esse também. Aqui está tudo o que você precisa saber sobre ele — Ele entrega uma pasta de arquivo. — E não se deixe enganar, ele consegue ser imprevisível e traiçoeiro.

Saio da sala do chefe, caminhando em direção ao elevador com a pasta na mão.

Faço o mesmo caminho de volta para casa, apreciando o farfalhar dos pássaros em meio às arvores. Chegando em meu apartamento, tiro as botas, e como de costume as coloco no armário ao lado da porta de entrada. Vou até a cozinha e abro uma garrafa de vinho, me sentando no sofá e abro o arquivo que me foi dado para a missão.

MISSÃO: Descobrir as informações que estão sendo passadas para o Serviço Secreto Sovietico, pegar o HD que está com as informações.

Alvo: James Kasinski

Ex Fuzileiro.
Atualmente agente da KGB – Serviço Secreto Soviético.

Está atualmente infiltrado coletando informações da CIA.

Reportar progresso e informações confidenciais da missão diretamente para Pablo Greer.

Beberico meu vinho enquanto leio todo o arquivo, mas sou interrompida por um toque no celular. Mas quem estaria ligando 23h da noite? Tiro a almofada de cima do celular, e leio o nome na tela. Audrey Zapata ligando, minha melhor amiga, e também agente da CIA. Luto contra a vontade de recusar a ligação, mas atendo.

— Oi amiga, eu estou acabada, to lendo o arquivo que o Greer me passou, mais uma missão secreta. As vezes eu desejo não ter sido tão bem sucedida na missão de captura da Martha.

— Ah nada de trabalho hoje amiga, amanhã eu vou para Moscou, hoje eu quero relaxar. Eu vim no pub do lado de casa, vem cá beber comigo amiga, por favor.

— Ah amiga... Eu não sei...

— Por favor, eu vou ficar indefinidamente em Moscou, preciso de uma despedida.

— Chego em 20 minutos.

Me dou por vencida e levanto do sofá e vou me arrumar.

Abro a porta do pub, reconhecendo o local, que foi cenário do meu ultimo aniversario, com meus olhos aguçados a procura de Audrey, e a encontro no bar, sentada conversando com o barman.

— Amiga finalmente você veio. — Audrey fala mostrando sua animação.

Audrey apresenta a amiga para o barman, que prepara uma bebida para Diana. Audrey cochicha no ouvido da amiga, fala do interesse no barman, e que está tentando fisgar ele.

— Eu venho aqui toda semana só para poder olhar para ele, ai que homem Diana. — Audrey Zapata ri. — Será que ele ainda não percebeu que eu o quero?

— Amiga se ele não percebeu ele é muito lerdo. — Falo e logo em seguida bebo o meu Martini.

— Que homem... — Zapata fala com admiração.

Dou uma checada no local varrendo os olhos pelo salão do pub. E paro quando vejo um homem alto e forte, com cabelo castanho e barba por fazer. Ele olha de volta para mim enquanto fala no telefone. Consigo ler os lábios dele, ele está falando em russo.

— Hmm, Diana ele ta olhando de volta, porque você não vai lá falar com ele? — Audrey pergunta e em seguida bebe a sua cerveja.

— Não. — Acabo respondendo de imediato. — Ele está no telefone. Aliás, se ele quiser, ele que venha.

Audrey ri me provocando.

— E o teu piloto da aeronáutica, cadê ele? — Falo lembrando-me do caso da Audrey com o piloto.

— Ih amiga, aquele foi só um caso de verão, já acabou, ele tinha muitos problemas, tadinho, eu já tenho problemas demais, não queria mais um para esquentar a cabeça.

Rio e então começamos a falar de várias coisas, entre elas falamos sobre os problemas, e de como Audrey está ansiosa para a missão em Moscou, e acabo trocando olhares com o homem misterioso.

— O grandão ali mandou isso para você. — O barman aponta para o homem misterioso e entrega um Martini para mim.

Então eu me viro para o homem misterioso e sorrio, bebendo em seguida o liquido transparente.

— Uau, se isso não é um convite eu não sei de mais nada. — Audrey fala rindo. — Se eu fosse você iria lá agradecer. Gato demais. Amiga faz esse favor pra mim, não deixa esse gato passar.

Eu rio, mas tomo coragem, falo no ouvido da minha amiga para ela não me esperar voltar, em seguida caminho em direção ao ‘’ gato ‘’, com a bebida na mão. Ele me olha sorrindo, esperando pacientemente enquanto me aproximo vagarosa e sedutoramente.

— Me pergunto se o Martini seria um convite.

— Que tipo de convite? — A voz grossa e aveludada.

— Seria mais uma cantada, o tipo de convite que se faz quando se pensa em passar a noite toda na companhia da outra pessoa. — Decido me sentar no divã ao lado da poltrona do homem misterioso, bebericando o Martini.

— Por que alguém faria tal convite a uma desconhecida? Eu não sei nem seu nome, não seria ousado demais da minha parte?

— Ousado? Talvez, mas você poderia me acompanhar e beber junto comigo, aí seria totalmente perdoável, e se me disser seu nome talvez eu diga o meu também, e aí passaríamos de completo desconhecidos para...

— Jack, eu me chamo Jack. — Jack fala e pede uma bebida para o garçom.

— Diana, prazer Jack. — Falo estendendo a mão para Jack, que pega e a beija. — Então, o russo vem da onde Jack?

— Ah você fala russo?

— Falo, um pouco.

— Bom eu sou analista, e morei em Moscou a trabalho por dois anos. Então achei que seria bom aprender um pouco do idioma, e hoje em dia ainda tenho amigos por lá. Agora sua vez Diana.

— Minha vez?

— Sim, me conta algo sobre você, garanto que você deve ser muito interessante.

Rio suavemente e tomo meu Martini antes de falar novamente. Jack e eu trocamos risos e conversa fora durante as horas que passam voando. Quando percebemos o pub está fechando as portas, e decidimos sair, caminhamos pelas ruas conversando e trocando risadas, completamente alheios ao mundo a nossa volta, chego no meu apartamento, e convido Jack para entrar.

— Você vai adorar minha gata, ela adora macho. — Rio.

— Não sei bem se eu sou o tipo de macho que ela procura. — Jack ri acompanhando-me, consigo abrir a porta com um pouco de dificuldade.

Entro e tiro a jaqueta e jogo no sofá.

— Seja bem-vindo ao antro da alegria.

Solto uma risada feliz e logo pego uma bebida e sirvo para nós dois.

— Vamos brindar. — Sugiro.

— Ao que estamos brindando?

— Aos convites em bares. E a todos que tomam iniciativa. — Brindamos e bebo o liquido que desce queimando. Pego o copo da mão de Jack, e apoio na mesa de centro da sala. E decido colocar para tocar uma música.

Apartment – BOBI ANDONOV

Nos olhamos,me aproximo, e Jack me beija suavemente, e vai aumentando a velocidade do beijo, ficando mais urgente a cada toque. Suas mãos passeiam pelo meu quadril e bunda, subo a camisa de Jack, interrompendo o beijo para tira-la do meio do caminho, Jack tem cicatrizes, que marcam seu dorso, abdômen e coluna. Volto a beijar Jack, um beijo intenso e acelerado, assim como as batidas do meu coração. Jack começa a desabotoar minha blusa, e faço questão de ajudar, e logo me livro da blusa, empurro Jack para o sofá, ele cai sentado, e subo no colo dele e voltando a beija-lo, descendo por seu pescoço e fazendo o caminho de volta para sua boca. Jack passa a mão por minha cintura, apertando-me contra seu corpo quente, coloco minhas pernas em volta de sua cintura, e Jack levanta comigo no colo e me leva para o quarto.

— Esquerda...porta da esquerda. — Falo entre os beijos, tentando guiar Jack.

Jack entra no quarto me coloca na cama, começa a tirar a calça, abrindo o cinto, depois o zíper, e finalmente se libertando da bendita calça. Faço o mesmo, tirando a calça e a jogando do outro lado do quarto. Jack volta para meus braços, e voltamos a nos beijar, ele começa a descer os beijos pro meu queixo depois pro meu pescoço depois pro meu ombro e finalmente pro meu seio, Jack agilmente abre meu sutiã, o tirando do meio do caminho e então lambe meu mamilo esquerdo, mordiscando e me deixando louca, ofego, puxando seus cabelos, ele desce pelo meu corpo, fazendo uma trilha de beijos, até chegar em minha calcinha, ele toca a umidade por cima do tecido com os lábios, e então desce a calcinha, a deixando no chão, ele abre as minhas pernas, e mergulha no meio delas, beijando minha fenda úmida, agarro seus cabelos e arfo enquanto ele me chupa e lambe, ele me invade com dois dedos, fazendo movimentos de vai e vem, deixando-me fora de controle, acabo gemendo pedindo mais, e ele acelera os movimentos da mão e da língua, Me derreto na boca de Jack, que me olha e sorri travesso. Ele sobe e me beija, um beijo quente e cheio de desejo, eu tiro sua cueca e envolvo sua cintura com as pernas, Jack me invade, penetrando em minha fenda encharcada, eu arfo e rebolo em resposta ao estimulo, ele faz movimentos sincronizados, beijando meu pescoço e mordendo minha pele, deixando pequenas marcas, e então o clímax chega, e Jack se desfaz dentro de mim.

Acordo no meio da madrugada e noto que Jack já foi embora, então volto a dormir.

Na manhã seguinte me levanto e me visto, vou fazer o café, olhando sempre para o relógio para não perder a hora da reunião. Bebo o café enquanto mando mensagens para Audrey e vou para o carro, dirigindo até o complexo da CIA. Chegando ao prédio estaciono na minha vaga de garagem e caminho pelo hall de entrada até os elevadores, aperto o andar 10 para a sala de reuniões.

Hoje será apresentado todo o caso envolvendo James Kasinski o informante russo infiltrado, e serão apresentados todos os agentes que trabalharão na força tarefa Operação Falção.

O elevador para no andar e caminho para a sala de vidro e entro discretamente enquanto Greer apresenta o caso de James Kasinski.

—... E James Kasinski é um agente infiltrado, altamente treinado, a nossa força tarefa foi escolhida a dedo para esta operação.

Enquanto Greer discursa lá na frente, a porta da sala se abre novamente e por ela entra ninguém mais ninguém menos que Jack, o homem misterioso do bar. Rubor sobe pelas minhas bochechas na hora, me encolho tentando me esconder, ao mesmo tempo em que tento entender o que está acontecendo e o que isso significa. Jack se senta num lugar ao lado da cadeira de Greer.

Greer levanta mais algumas considerações sobre o caso e anuncia as apresentações.

— Então, por favor, um por um se apresente e diga sua função na força tarefa. Começando por mim, eu sou o Diretor da companhia e também o chefe dessa força tarefa, todo relatório deve ser encaminhado para mim.

Jack se levanta e começa a fala.

— Eu sou Dante Vronsky e sou analista, estarei atuando na força tarefa como agente de campo.

Resolvo beber um pouco de água, sem acreditar na cara de pau dele, ele na verdade se chama Dante, mentiroso, cretino mentiroso. As apresentações terminam e falta eu me apresentar.

— Eu sou Diana Romanov e estarei atuando como agente de campo nesse caso, juntamente com Dante Vronsky.

Dante olha para ela e fica pálido sem saber onde enfiar a cara.

Greer levanta mais algumas considerações sobre o caso e então dispensa todos da reunião.

No corredor eu tento caminhar o mais rápido possível, tentando correr do inevitável.

— Diana, espera... — Dante toca seu ombro. — Eu juro que não tive intenção de mentir para você.

— Mas mentiu. Até seu nome você mentiu.

— Eu sei, desculpa, olha, a gente vai trabalhar em campo junto nessa missão, não quero começar essa relação com o pé esquerdo, me dá uma segunda chance Diana, temos que trabalhar em equipe aqui. — Dante fala apreensivo.

— Tudo bem, entendo que às vezes a gente fica muito paranoica, e conhecer alguém novo é sempre um teste de honestidade. Mas isso também não lhe dá direito para mentir deliberadamente, jamais imaginei que o agente Dante Vronsky era o cara com quem dormi noite passada.

— Eu sinto muito, ta legal, não pense que não, pois eu sinto, sinto muito por toda a mentira, mas não pela noite passada.

Fico vermelha.

— Tudo bem Jack... Dante, eu preciso ir agora.

Dante tira sua mão do meu ombroe sorri tímido. Me despeço e vou para a minha sala.

O restante do dia se segue com Dante e eu lendo relatórios e fichas dos possíveis informantes.

Uma semana se passa e eu e Dante estamos juntos coletando dados bancários e correios de voz de ligações de James Kasinski.

James Kasinski já trabalhou para o serviço de inteligência russa como sniper e informante, hoje em dia tem uma empresa fantasma para fazer carregamento de armamento e explosivos sem ser descoberto, ou pelo menos era o que pretendia antes de nós descobrirmos. Ele também vende informações de dentro do serviço de inteligência americana, e precisamos descobrir quem vem dando essas informações para James Kasinski.

12 de Abril de 2021 às 03:15 2 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Capitulo 02

Comente algo

Publique!
Sininho 22 Sininho 22
FOGO NO PARQUINHO!!! Menina, que hot foi esse? to suando aqui!!!! Aii Jack parecia um partidão, ou melhor, Dante né, aff cara tadinha da nossa agente :( Esses dois trabalhando juntos sei não hein!!!! ❤❤
April 12, 2021, 05:01

  • Audrey Lorraine Audrey Lorraine
    Obrigadaaaa sua linda ❤️❤️❤️ Seu comentário vale muito, valeu pelo apoio. April 12, 2021, 05:25
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!