waldryanorj waldryano rj

Você esta convidado a conhecer várias histórias de animais, Um cãozinho simpático, uma aranha autruísta, um gato livre leve e solto, um corvo de um feiticeiro, aquele patinho medroso, a pombinha da pracinha ao lado. Vários contos de animais para você refletir através desta perspectiva . Seja bem vindo e boa leitura! Conto, personagem Cachorro - O que foi que eu fiz Conto, personagem Gato - A morte mora ao lado Conto, personagem Corvo - O feitiço Conto, personagem Pato - O Nascimento Conto, personagem Cavalo - Ajudar Conto, personagem Aranha - A tecelã Conto, personagem Rato - Abdução Conto, personagem Pombo - Meu protetor Conto, personagem Papagaio - Papagaio de pirata


Infância Todo o público.

#fábulas #histórias-infantis #contos-fantásticos #contos-infantis
0
1.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Papagaio de Pirata ♦ Papagaio

Estou olhando o horizonte e pensando no meu passado como fui encontrado. Era um filhote, que tinha caído do ninho e tentava sobreviver. Bem, assim ele me contou... Dês de então, sou seu fiel companheiro. Neste navio, há uma autoridade, o Capitão, os outros são subordinados a ele. Menos eu. Eu sou quase como uma parte do seu corpo, pois estou sempre com ele.

Até hoje...

— Capitão, Capitão, o vento a deriva demonstra que está surgindo uma tempestade! Eram os marujos que tentavam em vão manobrar as velas daquele navio pirata, procurar algum porto próximo. Complicado admitir que porto não encontrariam, o vento tendia a leva-lo para alto mar, o pior local de ir quando se há uma tempestade. Nem mesmo o Capitão com toda a sua experiência conseguia domar aquele leme, nosso navio Brigue iria sucumbir.

— Fique aqui, é perigoso para você amigo estar nesta tempestade. Ele me colocou dentro da gaiola, eu respondia afoito: — Curupaco, Capitão.

Ele veio e passou a mão nas minhas penas, e disse:

— Amigo de todas as horas fica um pouco dentro desta gaiola, já te tiro daí e coloco no meu ombro. Eu olhava de longe o meu amigo sucumbir puxando cordas em vão, tentando domar aquela tempestade.

As ondas levavam o nosso navio para o lugar mais perigoso entre rochedos de uma mal formada ilha. O navio partiu-se em dois, era gritos desesperantes e homens ao mar. Meu dono, veio, ensanguentado, estava ferido pois algo lhe atingira. Soltou me. Foi assim que eu o ouvi dizer as últimas palavras:

— Voa, amigo voa! Salve-se!

E uma grande onda o levara para dentro do mar.

Eu com as asas meio que enferrujadas, voei para o alto, a chuva queria me derrubar, batia as minhas asas domesticadas na esperança de me salvar.

Senti a canseira tomar conta, olhava o imenso mar, em uma madeira que boiava da embarcação já dizimada me deitei, a tempestade passara. Tentava me levantar e tomar voo novamente, era morte na certa ficar apoiado no meio de ondas que me levavam para o nada. Cansei e fechei os olhos era o fim.

Quando acordei, senti barulho de pessoas gritando, tinha muitos barris de rum boiando, e um navio bem maior do que o meu estava coletando aquele tesouro.

— Olhem! Vejam uma ave, dará um belo fritado!

Eram marujos. Eu abri meus olhos e tentei fugir, em vão, atacaram uma rede de pescaria em mim. Era agora o bobo daqueles abutres.

O cozinheiro já afiava a faca, dava risadas de alegria, teria um bom prato para a noite. Estava no meio daquele navio, prestes a ser morto.

Quando um novo dono me olhou e salvou-me daquele final triste.

No desespero da morte, só sabia repetir: — Curupaco, Capitão! Ele escutou de longe, deu um belo sorriso. Os marujos todos se assustaram.

— Era algum mago do mar aquele pequeno ser?Em sinal de respeito os marujos se retiraram daquele tumulto e agora estava somente eu e ele. Ele tirou a rede. me colocou no ombro e disse.

— Gostei de você, será meu novo amigo. O cozinheiro ficou frustrado, certamente já estava esquentando a água para me depenar. Os marujos falsos que só, fizeram uma roda e cantavam alegremente tomando rum. — O Capitão tem um novo companheiro e nós uma garrafa de rum!

Conto gêneroFantasia

📷

Foto Comum Creative Pixabay

15 de Março de 2021 às 21:21 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo O nascimento ♦ Pato

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 9 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!