anneclaksa Anne Claksa

Nova escola? Novos colegas? Novo ambiente? Maria Luíza (Malu) terá que enfrentar isso, quando sua mãe decide muda-la de escola.Só o que Malu não imagina é que, na plenitude de seus catorze anos, o cupido flechará seu coração em um amor divertido e cheio de rivalidade com Marcelo. Um amor que vai além da adolescência. [História também postada no site Nyah! Fanfiction]


Romance Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#romance #colegial #amizade
16
2.8mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Como será daqui para frente

Em um ano tudo pode mudar, foi o que aconteceu com Maria Luíza. Quando pensava que estaria mais um ano na escola em que estudara desde criança, sua mãe decide coloca-la em outra.

— Mãe, tem certeza disso? Outra escola, posso me sentir deslocada. – Disse Maria Luíza um pouco receosa.

— Claro que sim, Malu. – Disse a mãe. — De início, você pode estranhar por ser uma aluna nova, mas logo, logo, você vai se enturmar e fazer novos amigos. Será bom filha, você vai ver.

— Novos amigos? E os meus amigos?

— Você ainda vai continuar falando com eles, pela “internet”, pode encontrar com eles aqui no bairro.

— Ok, mamãe. Amanhã, vamos conhecer essa nova escola.

A mãe lhe deu um beijo e desejou boa noite. Antes de dormir, diversos pensamentos rondavam a mente de Maria Luiza e a faziam pensar “Como será daqui para frente? ”

No dia seguinte, a mãe de Maria Luiza a despertou às 7:30, Malu se levantou, trocou o seu pijama branco e lilás por uma blusa rosa clara e calças jeans, penteou os cabelos e desceu para tomar o seu café da manhã. Sua mãe já a esperava tomando uma xícara de café.

— Bom dia, Malu. Dormiu bem? – Perguntou a mãe logo após dar-lhe um beijo no rosto.

— Bom dia, mamãe. Dormi sim. – Respondeu Maria Luíza bocejando um pouco.

— Ansiosa para conhecer a escola nova?

— Um pouco, talvez. – Malu colocou um pouco de café em seu leite. – Não vamos criar grandes expectativas.

— Tenho certeza de que irá gostar, anime-se filha, será bem legal.

A mãe sorriu de volta, Malu disfarçou sua ansiedade com um leve sorriso, sim, ela estava bem ansiosa, não parava de pensar em como seria na escola nova, se as pessoas eram legais e principalmente se iriam gostar dela. No carro, ficava olhando a janela e sentia um frio na barriga a cada vez que sua mãe parava o carro. Ela achava engraçado o nervosismo da filha, chegava a revirar os olhos rindo e pensava “adolescentes”.

— Fique tranquila filha, daqui a pouco nós chegaremos. – Disse.

Quando chegaram em frente à escola, o carro parou, Maria Luíza respirou fundo e desceu do carro com sua mãe. As duas passaram pelo portão e foram recebidas pelo diretor.

— Bom dia, meu nome é Tiago, sou diretor do colégio Santa Mônica, você deve ser a Ângela, que marcou uma entrevista comigo. – Disse Tiago, apertando a mão da mãe de Malu.

— Sim, prazer em conhece-lo Tiago. – Disse Ângela.

— E essa mocinha deve ser a Maria Luíza.

Maria Luiza acenou com a mão discretamente.

— Não seja tímida Malu, pode dar oi para ele. – Ângela chamou a atenção da filha. — Perdão, Tiago, é que ela está um pouco nervosa com a possibilidade de entrar para uma escola nova.

— Tudo bem, eu entendo, já passei por essa fase há muito tempo. – Brincou Tiago, fazendo mãe e filha rirem um pouco. — Vamos conhecer a escola? Quem sabe esse nervosismo de sua filha não passa?

Ângela e Malu concordaram e acompanharam Tiago em um passeio pela escola. O diretor apresentou o colégio, mostrou as salas, todas estavam tendo aula, ao passar por uma sala, Malu viu uma antiga amiga, que acenou para ela. A professora parou a aula para saber porque a aluna fez aquilo e viu o diretor na porta com uma senhora e uma garota.

— Desculpe, Mônica, não quis interromper a sua aula. Estou mostrando o colégio para essa senhora. – Disse Tiago.

— Não precisa se desculpar, Tiago. – Disse Mônica com um sorriso e acenando para as duas.

— Bom, Malu, pelo menos você terá a companhia da Cecília. – Disse Ângela.

— É, já não me sentirei tão sozinha. – Disse Malu com um suspiro de alívio.

O aceno de Cecília despertou a curiosidade dos outros alunos, eles foram até a janela para ver a garota.

Depois que o passeio terminou, Tiago conversou com Ângela, falou sobre a tradição do colégio em Belo Horizonte, da excelência no ensino, dos campeonatos que o colégio Santa Mônica ganhou, desde olimpíadas de matemática a torneios de futebol. Aquela conversa deixou Maria Luiza tão entediada, que brincava com um cacho de seu cabelo, perdeu a conta de quantas vezes o puxou e enrolou no dedo. Ângela também estava bem entediada, mas, não demostrou, apenas acenava com a cabeça, levantava as sobrancelhas, dava leves sorrisos, não tinha coragem de interromper o entusiasmo de Tiago. Como toda mãe, Ângela sabe quando a filha está entediada, ao ver os olhos da filha meio fechados, ela decidiu interromper a conversa por um instante.

— Perdão em interrompe-lo Tiago, mas, eu gostaria de saber que horas começam e terminam as aulas. – Disse Ângela.

— Ah sim, perdão pelo meu entusiasmo, quando começo a falar, eu me empolgo e perco totalmente a noção do tempo. – Tiago deu um riso descontraído. — As aulas começam às 7 horas, o horário limite é 7:30, a partir desse horário, só será permitida a entrada na sala na segunda aula.

— Ouviu Maria Luiza? Sete horas. Então, aquela lerdeza em se arrumar vai ter que acabar. – Ângela brincou com a filha.

— Mãe! – Exclamou Maria Luíza com certa braveza.

— Pelo visto, teremos uma aluna nova, isso é excelente. – Disse Tiago empolgado.

— Tenha certeza disso, Tiago. Amanhã, a Maria Luíza voltará aqui como aluna.

Ângela e Maria Luiza se despediram de Tiago e foram para casa preparar o material escolar.

— Estou com a lista de material em mãos e com a lista dos livros que serão usados, vou começar a pesquisar o preço desses livros. E o resto do material, está ok? – Perguntou Ângela.

— Sim, está tudo ok. A quantidade de matérias deu certinho com a quantidade de cadernos, viu como foi bom gastar um pouco mais comprando mais cadernos? – Brincou Maria Luiza.

— Percebo um pouco de animação em sua voz.

— Digamos que me animei com o novo colégio e não vejo a hora das minhas aulas começarem.

— Isso é ótimo Malu, me deixa muito feliz. – Ângela sorriu.

Malu subiu para o seu quarto e deu mais uma conferida em seu material, ela estava empolgada, claro que ainda tinha um pouco de receio e insegurança, mas a visita ao colégio a deixou mais tranquila e mais animada em conhecer seus novos colegas. Mas, por enquanto, ela pode conversar com seus amigos pela “internet”, Malu ligou o computador e entrou no chat, a primeira com quem conversou foi Mariana, sua melhor amiga desde a infância, assim que ficou “online”, a amiga logo lhe chamou.

Oi Malu, cê tá bem? Quando cê vai para aula? – Escreveu Mariana.

Malu sorriu e respondeu:

Oi Mari. Eu tô bem. Então...eu não vou mais para aula no Castro Alves, eu mudei de escola.

Sério Malu? Poxa, então o grupinho perderá a nossa nerd favorita?

É, vou sentir falta do nosso grupinho, das palhaçadas de cada um de vocês. Agradeço pelo “nerd favorita”. – Ela colocou uma carinha sorridente.

E você como está com essa novidade?

Confesso que no início tava bem receosa, mas agora, eu já estou acostumada com a ideia e animada em conhecer novas pessoas. Vai ser bem legal, mas, quero que saiba, que você continuará sendo minha melhor amiga e que o Roberto, a Tainara, a Leca, o Thiago, o Leandro e o Vitor serão pra sempre os meus amigos. Ceis são os meus companheiros, vou sentir muitas saudades de vocês.

Ô Malu, assim cê me faz chorar, que coisa mais linda. Vamos sentir falta de você. Ah! Quase me esqueci, sabe quem teve a coragem de perguntar por você? O Marcos. Ele me perguntou quando você iria voltar para aula e que estava com saudades. Que calango insuportável. Mas, eu dei uma nele, disse que não tinha notícias suas e mesmo que se eu tivesse não iria passar nada para ele.

Calango kkkk, sentirei falta das suas gírias paraenses, Mari. Não quero que me fale do Marcos, não quero saber desse idiota, ele faz parte do passado e vou esquecer que um dia tive uma queda por ele.

É isso aí, Malu, ele que se lasque kkkk.

Eu tenho que ir agora Mari, está quase na hora do jantar e tenho que dormir para estar bem-disposta para amanhã, meu primeiro dia de aula na escola nova. Depois conversamos mais, mande um beijo e um abraço para cada um de nossos amigos. Beijos.

Tudo bem Malu, pode deixar que darei o recado a eles. Beijos.

Malu desligou o computador e desceu para jantar com seus pais. Depois de um tempo, lhes desejou boa noite e foi para o seu quarto, vestiu o seu pijama, deitou na cama, se cobriu, deu um suspiro e pensou:

— Amanhã começa uma nova etapa na minha vida, espero que dê tudo certo.

Com esse pensamento, Malu adormeceu, imaginando como sua vida seria na nova escola daqui para frente.

11 de Março de 2021 às 15:56 4 Denunciar Insira Seguir história
8
Leia o próximo capítulo O primeiro dia

Comente algo

Publique!
Makaveli Fimose Makaveli Fimose
Olá, Anne. Estou a muito tempo de ler alguma história sua e vim aqui nessa nova plataforma fazer isso rsrs. Que legal conhecer uma história sua. Sobre a história, quantos anos a Maria Luiza tem? Ela parece bem madura para ter menos de 15 anos. Essas mudanças de ares é sempre incerto, eu tenho pouca experiência com mudanças de escola, em minha vida só estudei em umas 5 escolas diferentes, sendo uma delas da segunda série até a conclusão do ensino médio rs... Me surpreende a Malu conseguir dormir no meio disso tudo, eu tenho problemas com ansiedade em dias anteriores a alguma novidade ou prazo pro dia seguinte, ainda mais se for de manhã cedo rsss. Agora chega de falar sobre mim. Gostei da sua história e quero poder ver mais no futuro kk. Só gostaria de te atentar a alguns erros ortográficos e de vírgula, se você reler com atenção você mesma consegue encontrá-los, mas qualquer coisa podemos ajudar. Muito bom poder ler algo seu, abraços. Até uma próxima! ;)
March 13, 2021, 01:13

  • Anne Claksa Anne Claksa
    Olá, Makaveli Fimose! A ideia para essa história surgiu assim, meio que de repente. Eu tinha dado um tempo em um outro projeto meu e surgiu a ideia de escrever sobre um romance colegial, com um toque de rivalidade. Então, a Maria Luíza tem 14 anos de idade. Eu quis mostrar como é a vida de uma adolescente que passa por uma mudança de escola. Maria Luíza sempre estudou em uma mesma escola, fez muitos amigos, mas, sua mãe achou que era hora da filha mudar de ares, conhecer outras pessoas e por isso decidiu colocar a filha em outro colégio. Malu parece ser madura aqui, mas, haverá um capítulo em que ela vai contar todas as suas inseguranças que sentiu quando mudou de escola. Malu decidiu encarar esse desafio de frente e mostrar que pode sim se dar bem em uma escola nova. Sobre os erros que apontou, como eu já havia lhe contado, lá no inicio, eu fiquei um tempo sem escrever, Amo te Odiar foi a primeira história quando eu voltei a escrever, então, esses erros apareceram mais visíveis. Obrigada pelo aviso, irei corrigi-los :) Obrigada por comentar, Até a próxima!!! March 14, 2021, 16:28
Aarvyk Caires Aarvyk Caires
Olá, querida! Como está? Vim te prestigiar em tua primeira semana no Inkspired. Está sendo muoto bacana ler as histórias do pessoal de Mattverse, e contigo não foi diferente. Logo nas primeiras linhas eu me identifiquei muito com a Maria Luiza, com certeza seríamos muito amigas, pois a garota parece ser o tipo de pessoal impossível de não se gostar. Ótima personagem! Sobre a mãe dela... Bom, achei um pouco abusada em alguns instantes, mas vamos ver como essa relação materna segue... Para ela mudar a filha de escola deve ter um motivo plausível! Pois bem, não sei se ficou subentendido, mas as duas mudaram-se para Belo Horizonte, não é? Ou apenas mudou o colégio? Além disso, preciso elogiar a forma como fez o diálogo por mensagens. Achei muito bonita a diagramação e os diálogos foram bem típicos de mensagens mesmo, muito bom esse desdobramento que tu tens na escrita! Teu livro está a me lembrar muito de Paula Pimenta, pois li aquela coleção "Minha Vida Fora de Série" e no primeiro exemplar, a personagem principal tem 13/14 anos. É bem legal. Indico a leitura, mas imagino que tu já tenhas lido. Enfim, aguardo outros capítulos. Sobre algumas questões ortográficas, talvez seja interessante tomar cuidado ao repetir muito o nome de "Maria Luiza" em alguns instantes e pontuar melhor aposto e vocativo em teus diálogos. De resto, sinto sua escrita muito leve e fácil de acompanhar. Ótimo começo, senhorita.
March 13, 2021, 00:07

  • Anne Claksa Anne Claksa
    Olá, Aarvyk Caires! Fico feliz em saber que gostou e se identificou com a Maria Luíza :). Essa história foi uma ideia aleatória que tive e eu quis escrever sobre esse universo adolescente, seus dilemas, incertezas, amores, coisas que acontecem nessa idade. Respondendo as suas perguntas. Primeiro: a relação da Maria Luíza com a mãe é tranquila, só houve esse pequeno impasse entre as duas , sobre a mudança de colégio. Sim, houve um motivo para que Ângela mudasse a filha de escola, é a própria Malu quem conta, você entenderá melhor quando ler o capítulo. Segundo: A Malu só mudou de colégio, ela mora, desde a infância em Belo Horizinte. Eu quis inserir essas conversas de computador na história, haverá outras nos próximos capítulos. Eu deixei a escrita em itálico, pois, pensei que seria uma forma de diferenciar do restante do texto. Obrigada pelo elogio. ;D Sobre as questões ortográficas, de pontuação e afins, eu fiquei um tempo sem escrever, por causa de um outro projeto que estava desenvolvendo e que deixei parado por um tempo. Amo te Odiar foi o primeiro projeto que escrevi, depois que eu voltei a escrever, ou seja, eu estava meio destreinada e por isso, esses erros que viu, apareceram com mais frequência. Obrigada por ler e comentar, Até a próxima!!! March 14, 2021, 16:48
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!