arnaldo-zampieri Arnaldo Zampieri brunadonde Bruna Dondé

Quantas histórias você conhece sobre os seus vizinhos? Reunimos aqui contos diversos protagonizados pelos moradores desse condomínio.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.
14
10.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Asas (Dondé)

Sete anos vivendo naquele maldito prédio. Maldito por todas as lembranças ruins que guardava. Poderia ir embora, mas precisava do dinheiro da venda ou aluguel (o que acontecesse primeiro), e não havia pessoas interessadas no momento. Toda manhã abria o armário para vestir algo que não fosse o pijama e ali estavam as bagunças dele misturadas com as dela.

Era impossível esquecer de como as coisas ficaram complicadas em uma quinta-feira onde o céu ameaçava desabar, era início de setembro. Ela tentou fazer um bolo que cresceu além da forma e derramou no forno, enchendo o apartamento de fumaça e cheiro de queimado. Abriu a janela para a fumaça sair. Ele entrou pela porta da cozinha irritado com a confusão. Reclamou do quanto ela era desatenta e disse que um dia ela os mataria. Cansada de tantas discussões por bobagens, manteve a calma e disse que aquilo deveria acabar, ninguém estava feliz.

Lembrava do exato instante em que ele foi até a janela com um cigarro na boca, resmungando e espalhando mais fumaça pelo ambiente. Agora discutiam. Sentou-se de costas para a paisagem que a janela emoldurava. Mesmo nos dias mais difíceis aquela vista trazia calma, não pra ele. Com medo de altura, ele evitava olhar para baixo. Ouviram o som de um tiro muito perto dali e em um movimento brusco causado pela curiosidade, ele desequilibrou-se e caiu do 9º andar. Não possuía asas. Depois de três anos, ela ainda não tinha a coragem necessária para jogar tudo fora, doar ou vender. Ainda sentia culpa por sempre pedir que ele fumasse na janela.

5 de Março de 2021 às 19:25 12 Denunciar Insira Seguir história
15
Leia o próximo capítulo Perfeição (Zampieri)

Comente algo

Publique!
Fabiana Souza Fabiana Souza
Que trágico!
May 12, 2021, 07:02

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Hehehehehe, tenho essa tendência... May 12, 2021, 12:09
Max Rocha Max Rocha
Final impactante. Tragédia ou libertação? De qualquer forma, todos parecem ainda presos ao conturbado espaço...
April 13, 2021, 14:10

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Tragédia, do meu ponto de vista. A gente nunca se liberta totalmente do que já vivemos, eu acho. April 13, 2021, 15:06
 Silva Silva
Nossa, e eu achando que ia ser um texto de causos leves e engraçados. Esse final me pegou desprevenido. Não sei se isso teve um conotação pessoal ou fictícia, mas com certeza foi uma baita surpresa que tive como leitor. Ótimo texto Bruna, uma narrativa objetiva, mas longe de ser rasa. Meus parabéns <3
April 03, 2021, 19:08

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Aqui não trabalhamos com coisas leves. Mentira, de vez em quando tem algo leve. Obrigada por ler e comentar, fico feliz que o final tenha te surpreendido. :) April 03, 2021, 22:26
Blue Martell Blue Martell
Em algumas religiões ele seria um espírito amargurado. Com mais medo dos vivos do que os vivos tem dele...
March 22, 2021, 06:37

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Não conheço muito sobre religiões, mas gostei de saber disso, bem interessante. Obrigada por ler, comentar e me mostrar algo novo. 🙃 March 22, 2021, 08:12
Anne Claksa Anne Claksa
Olá Um capítulo que retrata bem o cotidiano. Um dia comum, mas, que acabou sendo um dia de tristeza. A discussão sobre incidente com o bolo, faz parte da rotina de qualquer casal, até daqueles que são da vida real. Continuaram discutindo e por causa da curiosidade, deu-se o ocorrido. Foi uma ótima sacada a forma em que ele morreu. Ele tinha medo de altura e nunca chegava perto da beirada da janela. Ao ouvir um barulho, ficou curioso, se aproximou demais da beirada e acabou caindo. Chega até ser uma ironia, não? Agora, ela tem que conviver com a ausência dele e sente culpada por manda-lo ir fumar na janela, a cena dele caindo deve passar diversas vezes em sua mente, aumentando ainda mais a culpa. Ela deve até sentir falta das discussões que tinha com ele. Até a próxima!!!
March 19, 2021, 15:22

  • Bruna Dondé Bruna Dondé
    Oi, Anne! A tristeza faz parte do cotidiano, brigas de casal também. Morrer por curiosidade e de uma forma que se tem medo deve ser bem complicado. Ela deve sentir falta sim, mas espero que ela siga adiante com um bom terapeuta pra ajudar nessas questões. Obrigada por comentar! March 19, 2021, 23:59
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 27 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!