Problemas técnicos - estamos enfrentando alguma sobrecarga do servidor, causando grande lentidão no desempenho - seja paciente enquanto resolvemos os problemas.
flormarju Juju Flor

Uma criança abusada de todas as formas por quem deveria amar, encontra nos braços de um senhor simpático o afeto que tanto precisava, mas seu protetor prevendo que não poderia ficar mais tempo com seu pequeno filhote de tigre, liga para seu neto, Victor, para que ele pudesse o ajudar. O vovô morre, deixando aos cuidados de Victor seu pequeno Yurio. "Quando abriu a porta de casa se surpreendeu, lá estava Victor com seu habitual sorriso após um ano sumido, sem dar notícias, é eles não estavam mais juntos, e Yuri sentiu seu peito ruir no momento que viu aqueles olhos azuis bem na sua frente, após todo aquele tempo. _O que você tá fazendo aqui Victor? - Yuri cruzava os braços na frente da porta esperando por uma resposta, acabou ficando desperto de seus pensamentos por um espirro vindo de trás de Victor e só agora reparava no amontoado encolhido atrás dele. _Quem é? - se esticou um pouco tentando enxergar o quê, ou quem, se encontrava ali de forma tão encolhida. _Yuri nós precisamos conversar... - Victor ficou sério enquanto pedia com os olhos passagem para dentro da casa, que após instantes acabou por receber. _Vem... - Victor falou de forma carinhosa para o tal amontado, mas ele não saiu do lugar, o que ocasionou em Victor carregando no colo a tal criatura. Se sentaram todos no sofá incluindo Victor e o montinho de cobertores que estava em seu colo. _Yuri, quero te apresentar Yurio - Victor sorria enquanto destampava um pouco a cabeça do menino em seu colo, que acabou o olhando apreensivo. _Calma Yuyu, ele é meu amigo... - não adiantou, as mãos pequenas aos poucos se descobrindo e agarrando seu casaco se encolhendo ali, no único lugar que se sentia seguro. "


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#victor #yuri-on-ice #yuri
0
722 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 2

_Ele é uma criança, não deveria falar assim. -Yuri caminhou até a porta e a fechou.

Victor se deitou ao lado de Yuyu e logo tevê o pequeno corpo agarrado ao seu. _Você tá acordado filhotinho? – riu enquanto encarava o menino e via os pequenos olhos se fecharem rapidamente e se esconderem no seu peito.

Cap.2

Dormiram, e a noite passou tão rápido que Victor nem acreditou quando o despertador tocou e Yuyu o acordou apressado e irritado com o barulho.

_Ei Calma! – Victor pegava o celular e respirava se sentando na cama. _Ei sei que você não gosta de barulho, não precisa ficar assim, já acabou – Victor deslizava o dedo na tela e desligava o alarme. _Vamos descer? – Yuyu concordava se levantando e esperando por Victor. _Vamos escovar os dentes antes. – Yuyu emburrou novamente enquanto Victor o puxava para o banheiro.

Yuri já estava de pé quando Yuyu e Victor desceram, o café já estava feito e Victor agradeceu de forma silenciosa por isso.

_Yuyu, eu vou ter que conversar com alguém hoje, o Yuri vai tomar conta de você – Victor falou encarando o menino nos olhos, que logo transbordaram.

_Fiz bolo de chocolate. – Yuri falava enquanto cortava uma fatia do bolo e direcionava a eles. _O Victor vai ficar ali naquela sala, ele não vai fugir.

_Eu não vou sair dali meu amor... – Victor o acolhia em seus braços enquanto o menino se negava a aceitar aquilo. _Calma..., calma.

_Isso não vai dar certo... –Yuri bebia o café enquanto encarava ambos.

_Meu amor – Victor beijava os fios loiros encolhidos em seu peito enquanto o ninava. _Eu não vou fugir – levou as mãos até o cordão no pescoço e o destravou o segurando na mão. _Esse cordão o vovô me deu, ele é muito importante pra mim, eu vou deixar com você e quando eu voltar eu pego de volta.

Yurio o encarou com seus olhos claros piscando enquanto o olhava colocar o cordão em si.

_Eu vou voltar, cuida bem do cordão pra mim tá!?

O pequeno Yuri não teve muito tempo para protestar, logo a campainha tocou e Victor encarou Yuri que logo foi abrir a porta e como de esperado era a Psicóloga.

_Senhor Nikiforov? – a senhora alta e elegante com os visíveis cabelos longos amarrados em um coque encarava Yuri enquanto esse sinalizava para que ela entrasse.

_Não, eu sou Yuri Katsuki, aquele é Victor! – ele apontou para a cadeira em que Victor estava junto com Yuyu em seu colo tentando o fazer comer.

A senhora arqueou a sobrancelha e olhou com tamanha profundidade a cena ao suspirar, aquilo realmente seria complicado. _Prazer Lilia Baranovskaya.

_ Senhora Baranovskaya vou mostrar o meu escritório para que a senhora e Victor possam conversar sossegados.

_Sim claro, senhor Nikiforov te espera lá! – a mulher acompanhou Yuri e deixou Victor apreensivo junto com um Yurio ainda mais agarrado a si.

_Não vai... – Yuri praticamente miou com o rosto colado em seu peito, Victor chegou a rir, eram poucas as vezes que Yurio falava.

_Yuyu meu amor, você vai ficar com o Yuri, eu vou estar ali e você tá com meu cordão, vem – ele tirou o menino do seu colo e colocou no sofá assim se levantando, estava nervoso, mas preferiu andar sem olhar para trás deixando um menino desesperadamente choroso para trás.

_Calma... – Yuri caminhou rapidamente até ele e se sentou ao lado daquela criança tão chorona que em meio ao desespero se agarrou a si arrancando um risinho de Yuri. _Ei...? – O menino se encolhia ainda mais agarrado a si enquanto segurava o cordão de Victor.

_Que tal eu ler uma história pra você? – Yuri até tentou levantar mas o menino não desgrudou de si nem por um segundo. _Tá tudo bem... – ele riu quando ouviu o som da barriga de Yurio. _Vou pegar um pedaço de bolo pra você.

_Não... – o menino continuou agarrado a si

_Tudo bem..., mas você tá com fome –Yuri suspirou enquanto acarinhava o menino. _O bolo tá ali na mesa Yu – Yurio olhou o bolo de chocolate e se afastou um pouco de Yuri para esperar que ele levantasse, o que Yuri não esperava é que o menino levantasse junto como uma pequena sombra e o seguisse até ele finalmente acabar de arrumar as coisas do café em uma bandeja.

_Ei baixinho! - Yurio olhou para ele com os olhos curiosos recebendo um sorriso acolhedor de volta. _Segura essa bandeja por favor que eu vou pegar um livro de história. - Yurio não teve muito tempo de pensar, recebeu a bandeja e a carregou com cuidado seguindo Yuri mais uma vez.

_Vamos escolher esse aqui! - Yurio até tentou ver a capa, mas Yuri a escondeu rindo do bico que o menino fez em seguida. _Vem! - Se sentou no sofá e retirou a bandeja da mão da criança, que rapidamente pegou o prato com o bolo, para logo depois se jogar em seu colo.

_Reconhece esse desenho aqui? – Yuri abaixou o livro na direção dos olhos da criança, as mãos frágeis e curiosas tocaram a capa com a ilustração de um gato subindo em uma árvore.

_Gatinho... – Yuri sorriu quando o menino praticamente miou e se ajeitou em seu colo.

_Sim, gatinho.... ele também tem os olhinho azuis que nem você. – Yuyu sorriu encarando a ilustração, Yuri observa os olhinhos percorrerem cada canto do livro, conforme ia lendo, logo as mãos pequenas e curiosas tocavam nas ilustrações tentando descobrir o que eram.

_Gostou? – Yuri sorriu largo quando viu Yuyu sorrindo e balançando a cabeça que sim, não pode evitar bagunçar os fios loiros do menino que sorria para si. _Quer mais bolo?

Yuyu negou enquanto se aconchegou ainda mais no colo alheio, ele era fofo Yuri tinha que admitir.

_Gatinho...

_Sabe quem desenhou esse gatinho? – Yuri perguntou vendo os olhinhos curiosos confusos. _Eu que desenhei, aqui meu nome. – Yuri virou a capa e mostrou seu nome a Yuyu que sorriu.

_Yuyu... – Yuri riu, o menino tinha reconhecido a grafia do seu próprio nome na capa do livro.

_Meu nome se escreve da mesma forma que o seu. – Yuri riu enquanto o menino continuava tocando as letrinhas do nome. _Você quer desenhar?

_Gatinho? – o menino ainda olhava para o livro com um misto de curiosidade e confusão.

_Pode desenhar qualquer coisa. – Yuri riu enquanto tentava se arrumar para se levantar. _Vamos pegar folhas?

_Unhum. – Yuyu concordou sorrindo e entendeu que Yuri queria se levantar, deu espaço para ele e se levantou junto, caminhando lado a lado com ele até o ateliê. _Desenhos... – Yuyu olhava as telas, as ilustrações, cada cantinho colorido daquele lugar enquanto Yuri procurava por papel e lápis de cor. _Pronto. – Yuri chamava a atenção de Yuyu que o olhou surpreso enquanto o outro o pegava pela mão para o levar para fora.

_Prontinho. – Eles se sentaram no chão apoiando os papéis na mesinha de centro, junto com os lápis de cor.

_Como faz? – Yuri sorriu enquanto o menino praticamente se grudava a ele.

_Quer desenhar um gatinho? – Yuri viu o menino de olhos curiosos dizendo sim enquanto ele desenhava o contorno de um "gatinho" na folha. _Você quer colorir o gatinho?

_Unhum...

_Pode colorir então. Deixa o gatinho bem bonito. – Yuri falava sorrindo para o menino enquanto o entregava a folha com o "gatinho" desenhado.

Yuyu gostou de colorir o gatinho e acabou gostando de desenhar seu próprio gatinho em outra folha, Yuri se surpreendeu em como um menino que aparentava não ter uma coordenação motora bem complicada, podia ser tão perfeccionista.

_Ficou bonito Yuyu. – Yuri acarinhou os fios loiros da criança ao seu lado e se surpreendeu quando a folha foi direcionada a si. _É para mim?

_Unhum... – Yuri não soube o que responder e nem entendeu o motivo de ter recebido um presente daquela criança tão arredia.

_Obrigado, vou guardar com muito carinho. – ele viu quando as bochechas da criança ficaram vermelhas e as mãos ariscas pegaram mais uma folha para voltar a desenhar. _Yuyu?

_Unh? – O menino não levantou os olhos do papel e muito menos deixou de desenhar, apenas parecia ter ficado atento as palavras do mais velho.

_Eu vou cuidar bem de você enquanto o Victor estiver longe, não se preocupe. – A voz de Yuri era calma e Yuyu largou o lápis enquanto concordava sem o encarar. _Ele vai voltar.

_vai?

_Vai sim. – Yuri voltou a sorrir enquanto encarava o menino que praticamente se jogou no seu colo. _Vai ficar tudo bem.

Quando Victor e Lilia saíram do escritório Yuyu correu até ele de maneira desajeitada e desesperada.

_Calma, eu falei que não demoraria. – Victor olhou Lilia de lado e viu quando sorriu de lado. _Yuyu, essa é a Lilia, ela vai vir conversar uns dias com você.

_Unh? – Yuyu se afastou e franziu a testa fazendo um bico que poderia ser considerado fofo se as circunstâncias fossem outras._Não.

_Você não quer conversar com ela?

_Não- O menino parecia irredutível.

_Qual o motivo Yuyu? – Victor respirou fundo esperando uma resposta. _Me diz.

_Psicóloga – o menino apontou o dedo e arrancou risos sutis de Lilia. _Não quero remédio.

Victor entendia aquilo, Yuyu no tempo que viveu com o avô raramente tomava remédios que o deixassem dopados, mas tomar remédios que o fazia se sentir mal era algo recorrente desde que o avô ficou doente, os psiquiatras sempre receitavam mais e mais e por mais que psicólogos não pudessem receitar remédios, Yuyu não entendia isso.

_Eu não passo remédios Yuri. – a senhora de voz serena se pronunciou pela primeira vez naquela conversa. _Psiquiatras passam remédio, psicólogos conversam. – o menino ouviu atentamente a frase e ficou ainda mais pensativo.

_Sr Karovisk psiquiatla – ele falou baixinho e depois olhou para Victor _não gosto dele.

Yuri também se permitiu rir junto com Lilia, acabou se aproximando dos três.

_Remédios as vezes são necessários. – Lilia falou séria se abaixando na altura do menino, acabando por dar um toque no nariz dele. _Mas eu posso conversar com seu novo psiquiatra quanto a quantidade de remédios.

_Mas eu não quero – Yuyu cruzou os braços e encarou profundamente Lilia com cara de choro.

_Eu vou tentar negociar com ele, tudo bem?

_Unhum...

_Você sabe para que servem os remédios?

_Não... – o menino ficou encarando a mulher alta segurar sua mão e o levar até o sofá.

_Quando você tá doente por ter se machucado usamos remédios.

_unh.... – Yuyu mordeu os lábios e a encarou confuso. _Mas eu não tô machucado.

_Sua cabecinha as vezes fica confusa né? Tem vezes você não consegue dormir?

_Unhum...

_Então os remédios servem para isso, para acalmar sua cabecinha e algumas vezes te ajudar a dormir. Mas talvez – ela encarou Victor revirando os olhos com um misto de sentimentos indecifráveis aos demais, mas que Yuri desconfiava ter relação com os remédios de Yuyu. _Talvez você tenha tomado mais do que deveria, por isso eu vou conversar com seu novo psiquiatra.

_Tendi...

_Eu já tenho que ir, semana que vem eu, você e o Yuri conversamos mais. – Lilia falava mais uma vez mantendo contato visual lhe dando um sorriso rápido.

_Tchau.

_Tchau Lilia. – Yuri também se despedia dela a acompanhando até a porta, quando voltou encontrou Yuyu e Victor sentados no sofá sem se falar.

_O que aconteceu? – Yuri falou encarando Victor.

_Yuyu me devolveu o cordão mas não quer me mostrar os desenhos que vocês fizeram.

_Ele me deu um desenho de presente. – Yuri falava provocativo o encarando.

_Você vai desenhar um para mim Yuyu? – Victor perguntou em tom brincalhão.

_Não.

_Não? – Victor o olhou confuso, não esperava essa resposta.

_Não! – E em um ato um tanto quanto repentino Yuyu correu para os braços de Yuri que acabou se surpreendendo com a ação.

_O que aconteceu Yuyu? – Yuri perguntou enquanto abraçava de forma desajeitada a criança que começa a molhar sua roupa com lágrimas. _Eita você tá chorando. – ele encarou Victor que estava tão confuso quanto Yuri.

_Você vai ficar? – Yuyu perguntou um tanto quanto confuso se agarrando ainda mais a roupa dele.

_Você tá chateado que ele vai ir viajar né? – Yuyu não respondeu com palavras só aumentava ainda mais o choro. _Ele vai voltar.

_Eu já falei que eu vou voltar Yuyu. – Victor falava se curvando na altura de Yuyu e sendo agarrado por ele. _Que menino pesado gente! – Victor se sentou com ele no sofá e ficaram assim até Yuri se acalmar e parar de chorar.

_Yuyu quer nos ajudar a fazer o almoço? – Yuyu o olhou rápido e respondeu que não apenas com a cabeça se aconchegando ainda mais no colo de Victor.

_Ele hoje acordou cheio de "Nãos" – Yuri falava sozinho enquanto caminhava para a cozinha. Não deu muito tempo e Victor aparecia na cozinha com um Yuyu agarrado a si._Oi Yuyu! Veio me ajudar?

_Unhum...

_Vem aqui. – Yuri o chamou para perto de si e mostrou uma bacia cheia de batatas. _Eu vou colocar os ingredientes aqui e você mistura até tudo ficar bem juntinho tá?

_Tudo? – Yuyu se aproximava olhando Yuri colocar ingrediente por ingrediente dentro da bacia, quando Yuri o entregou a bacia ele se sentou na cadeira e amassou a massa de forma bastante concentrada. _Cabei... – o menino encarou os dois adultos entregando a bacia a Victor que estava ajudando Yuri a desfiar o frango.

_Isso ficou realmente bom Yuyu, parabéns. – Victor falava enquanto pegava a massa e abria na forma de torta. _Agora só falta colocar o recheio.

_Não falta mais – Yuri colocou o recheio na torta.

narradora: vejo vocês nas notas finais...

_____________________________

História também publicada no Spirit Fanfic na conta @ FlorMar

27 de Fevereiro de 2021 às 22:24 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Juju Flor AH... vocês me conhecem do Spirit Fanfic

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~