bullet Minki Byun

Era uma vez um bruxo que tinha o dom de juntar as almas apaixonadas, para cumprir o seu objetivo ele decidiu sair do clã de lobos em que morava para se mudar para o reino, o que ele não esperava era que iria acabar se apaixonando, mas essa não foi a pior coisa que aconteceu com ele. “Destinado a ligar outras almas, porém sempre sozinho”


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#leo #vixx #leobin #taekbin #Taekwoon #Hongbin
0
653 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Cendrillon

Em um lugar afastado dos limites do reino, uma pequena casa de madeira se escondia no meio da vasta floresta, de longe era possível ver o brilho das velas acesa em um dos quartos. Deitada sobre o colchão velho, uma mulher gritava das dores causadas pelas contrações, sua respiração estava ofegante e alguns fios de cabelo estavam grudados em sua testa por conta do suor, pela sua aparência, não deveria ter mais do que 20 anos, e a tatuagem em seu braço esquerdo entregava a sua real natureza, uma bruxa.

Uma senhora, cujas rugas em seu rosto era o sinal de que já havia visto milhares de luas, tinha sua atenção focada no céu noturno, a lua já cheia já tinha chegado ao seu auge, ela se virou e olhou para a mulher deitada na cama.

- Está na hora.

Naquela noite, nenhum animal conseguiu dormir por conta do imenso barulho que saía daquela casa, até enfim os gritos serem substituídos pelo choro de um bebê.

Naquela noite, o céu noturno tinha ganhado uma nova estrela.



↢ ❦ ↣


Hongbin era uma criança saudável, foi criado pela sua avó após a morte de sua mãe. Sem condições de criar um bebê sozinha no meio da floresta, a senhora procurou por abrigo em um clã de lobos que viviam a alguns quilômetros dali. A infância do garoto foi igual ao dos outros, se aventurava pelos limites do clã enquanto brincava com seus amigos, se escondia nos galhos das árvores e olhava encantado para os mais velhos enquanto eles assumiram a forma de enormes lobos e saiam para a caçada, ficava sonhado com o dia em que iria se transformar e sair para a caçar como os outros.

Seus poderes começaram a aparecer quando completou 16 anos, sua avó lhe entregou um livro de feitiços e o contou sobre a sua origem, alguns meses depois ela acabou falecendo e Hongbin ficou sozinho, e mesmo sendo diferente, o clã o acolheu como um deles.

No seu aniversário de 18 anos, quando a lua tinha chegado ao seu auge, ele acordou sentindo uma dor em seu braço esquerdo, como se tivessem enfiado várias agulhas em sua pele, levantou o fino tecido de lá com as mãos trêmulas e viu vários pontinhos pretos surgindo em sua pele, se juntando em um desenho que ele ainda não conseguia identificar o que era. Sem pensar muito, levantou da cama e seguiu a trilha pela floresta, sentindo que algo o chamava ali.

A imagem de uma mulher apareceu em sua frente, o deixando um pouco assustado, se perguntou se estava começando a delirar, a mulher que estava trajada com um vestido vermelho de seda, tirou o capuz do manto delicadamente, revelando sua pele branca como a neve, seus olhos e cabelos eram tão escuros quanto a noite.

- Hongbin? - Sua voz transmitia uma certa tranquilidade. O garoto olhava para ela um pouco confuso, ainda não conseguia entender o que estava acontecendo - Você cresceu tanto, lembro que da última vez que te vi, você ainda era um recém-nascido - Sorriu triste - É uma pena que eu não tenha vivido o suficiente para te ver crescer.

- Mãe? - Ele quis correr para abraçá-la, mas tinha medo de que ela sumisse antes que ele conseguisse a alcançar.

- Deixe-me ver a marca em seu pulso - Hongbin estendeu o braço esquerdo para que ela pudesse ver. Agora o desenho já tinha ganhado forma, uma lua bordada em preto, com alguns pequenos fios vermelhos presos a ela, na ponta de cada um deles uma pedra brilhante, na ponta da lua, um pequeno fio em um tom de vermelho mais escuro, diferentes dos outros, esse fio só estava conectado a uma pequena pedra solitária - Destinado a ligar outras almas, porém sempre sozinho - Levantou o olhar para o garoto - Talvez seja cansativo e complicado, mas sempre que se sentir sozinho, lembre-se de que a lua sempre estará com você.

Acariciou o rosto do garoto antes de sumir na escuridão da floresta. Hongbin passou a noite ali, tentando entender o que todas aquelas palavras significavam.



↢ ❦ ↣



Quando o dia amanheceu, Wonshik adentrou a floresta para uma caminhada, como fazia todos os dias, só não esperava encontrar, sentado embaixo de uma árvore, o corpo adormecido de Hongbin, se apressou e foi acordá-lo.

- Hongbin, o que está fazendo aqui?

- Eu não sei, eu tive um sonho estranho... - Falou ainda um pouco sonolento - Minha mãe apareceu e falou algo sobre a lua e uma tatuagem no meu... - Parou de falar ao perceber que o desenho em seu braço - Não foi um sonho.

- O que exatamente a sua mãe disse? - Disse Wonshik aproximando o braço do garoto para poder ver a tatuagem.

- Algo sobre estar sozinho e juntar outras almas - Tentou se levantar para sair dali, ainda estava um pouco zonzo e sentia suas pernas um pouco moles, teve que se apoiar em Wonshik para se manter em pé - Ravi, me diga, estou louco ou você amarrou um fio vermelho em seu dedo? - Hongbin tentou acompanhar a extensão do fio com o olhar, mas ele sumia entre as árvores.

O mais velho olhou para ele um pouco confuso. Wonshik, ou Ravi, era o líder do clã, ele era amigo do garoto desde que eram crianças, e foi uma das pessoas que ficaram ao seu lado quando sua avó morreu.

- Acho que você está louco.

- Algo que só eu posso ver - Olhou para o lobo sorrindo - Acabo de perceber que posso encontrar a sua cara metade, quem sabe assim você não fica um pouco mais amável?

- Você parece um tanto animado, nem parece que estava atordoado a pouco tempo.

- Sim, mas eu ainda preciso de algumas respostas, como ela espera que eu junte pessoas?

- Eu não sei, você é o cupido, ela não te entregou nenhuma flecha ou algo parecido? - Riu.

- Ei, isso é algo sério - Fez um biquinho.

- Eu sei, mas vamos resolver isso ao chegar na aldeia, certo?

Enquanto trilhavam o caminho de volta a aldeia, Hongbin não conseguia parar de pensar sobre seus poderes, ele poderia se igualar a um deus? E se ele fosse como o cupido, então ele deveria ter asas e cabelos dourados? E talvez um arco e flecha. Não, definitivamente não. Ele sabia muito bem o que era, um bruxo, um ser mortal igual a todos os outros. E mesmo deixando todos os pensamentos fúteis sobre a aparência do Deus do amor de lado, ainda tinha um pequeno detalhe que o afastaria dessa ideia: Sempre sozinho. Se ele bem se lembrava, o mito contava sobre como o Cupido se apaixonou por Psiquê e sobre o que eles passaram até ficarem juntos. Mas ao olhar para sua mão e ver que não existia nenhum fio que o conectava a sua cara metade, o garoto se sentiu triste.

O bruxo estava sentado em uma das poltronas da casa de seu amigo, pensando no que deveria fazer.

- As coisas seriam mais fáceis se eu fosse um lobo.

- Não diga bobagens, não é tão fácil assim como você pensa.

- Ficar correndo por aí atrás de comida e quando voltar a encher a cara de bebida e transar um pouco? Me parece o paraíso.

- Bom, falando assim, parece até que somos devassos.

- Não pense assim, é apenas a natureza de vocês.

- E qual seria a sua natureza?

Hongbin olhou para o amigo pensativo.

- Eu não sei, eu achava que iria viver minha vida fazendo porções e essas coisas...

- Sem bebidas ou sexo?

- Deixo isso para os lobos.

- Que chato, Binnie!

- Esse acabou se tornando meu destino, Ravi.

- O celibato?

- Sim, e também vou ser aquela pessoa que se mete na vida dos outros, isso é estranho, eu achava que só iria me meter na sua vida.

- Uau, estou muito triste, acabei de perder minha exclusividade – Riu – E o que pretende fazer?

- Acho que vou para o vilarejo, eu não vou conseguir muita coisa aqui, vocês acham sua outra metade pelo cheiro.

- O meu menino Hongbin vai viver entre os humanos?

- Não há outra forma.

- Como pretende viver lá?

- Ravi, eu sou um bruxo, tenho umas cartas na manga – Piscou – E quem sabe lá eu não encontro o seu par?

- Está sugerindo que...?

- Ele é humano? Sim.

- Os deuses não seriam capazes de tamanha maldade.

- Você não viu o que eles fizeram comigo?

- Está certo – Suspirou – Bom, vou pedir para que separem algumas coisas para que leve na viagem até o castelo, é um pouco distante e perigoso, talvez eu deva chamar alguém para te acompanhar...

- Ravi, eu não sou mais aquele garotinho indefeso – Levantou, vestindo seu manto e colocando capuz na cabeça – Eu sou um bruxo – Repetiu com um sorriso confiante - Nós vemos em breve maninho.

E em um piscar de olhos Hongbin estava na entrada do vilarejo, suspirou, esse é apenas o começo de uma enorme jornada e isso o deixava um pouco nervoso. Adentrou na cidade, observando tudo em sua volta, era um pouco diferente da vida no clã, tinham várias barraquinhas vendendo as mais diversas coisas, já no clã tudo era compartilhado. Será que eu posso usar magia para conseguir dinheiro? Pensou.

Em todo lugar que olhava havia um fio vermelho, ele queria gritar, o que iria fazer? Primeiro respirou fundo, precisava de um lugar para passar a noite, não havia nenhuma chance dele dormir na rua, voltar para a aldeia toda a noite era uma boa opção, mas ele nunca foi de usar muito dos poderes, então não sabia se isso poderia lhe fazer algum mal. Enquanto caminhava, ouviu duas mulheres falando sobre o castelo, aparentemente estavam à procura de uma pessoa para trabalhar no castelo, ele não ouviu qual seria a função, nem se importou muito com isso, não poderia deixar uma oportunidade dessas passar. Mas ele estaria trabalhando no castelo, e se descobrissem que ele era um bruxo, ele provavelmente seria mandado para a fogueira, precisava de um disfarce, então se escondeu atrás de um muro e mudou sua forma, se transformando em uma bela garota de cabelos pretos, achou que seria mais fácil se aproximar se fosse uma mulher. Se aproximou das duas mulheres que ainda conversavam com um sorriso amigável no rosto.

- Me desculpe por atrapalhar a vossa conversa, mas não pude deixar de notar que estão à procura de alguém para trabalhar no castelo?

E logo estava no castelo a procura de um tal de Hakyeon, conselheiro do futuro Rei, um rapaz de pele morena e expressões delicadas, Hongbin não pode deixar de notar o belo corpo que o outro possuía, Wonshik iria adorar conhecê-lo, pensou.

- Estava me procurando?

- Sim, eu ouvi que estavam à procura de... – Não conseguiu completar sua frase, pois logo foi cortado pelo moreno.

- Ah isso...Seu nome?

Ele não tinha pensado nisso, não poderia usar o seu nome real, tinha que decidir rápido.

- Lilith. Meu nome é Lilith.

- Lilith? Imagino que você não seja daqui, esse nome não é muito comum.

- Não, eu acabei de me mudar.

- E de onde você veio?

De um lugar no meio da floresta cheio de lobos, mas ele não iria dizer isso.

- De um reino muito pequeno, é bem provável que você não conheça.

Hakyeon a olhou desconfiado, mas deixou isso pra lá.

- Bom, geralmente não damos o cargo de mensageiro para mulheres, mas talvez você deva falar com a responsável pela cozinha, talvez consiga algo lá.

Hongbin estava ficando com raiva, foi tão longe pra isso? Ele poderia voltar com uma aparência diferente, mas achava Lilith tão linda, em pouco tempo já tinha se apegado a ela. Isso significava uma coisa: Ele não iria desistir tão fácil.

- Eu não tenho habilidades para trabalhar na cozinha, mas confie em mim, sou confiável o suficiente para ser um mensageiro e ainda há um bônus, quem iria desconfiar que uma pobre moça estaria levando mensagens tão importantes?

- Como eu sei que posso confiar em você?

- Me dê uma chance para mostrar isso.

Hongbin mostrou seu melhor sorriso e no final acabou conseguindo o emprego, talvez tenha usado um pouco de mágica para convencer Hakyeon a contratá-lo.

- Muito obrigado, você não vai se arrepender!

Após isso, Hakyeon o levou por um passeio pelo castelo, era tudo tão lindo e claro, e também muito luxuoso. Como em um filme de contos de fada da Disney, o castelo era branco com detalhes em dourado, decorado com flores, e enormes lustres que faziam a decoração do lugar. Passaram por um corredor com pinturas dos antigos Reis, e Hakyeon fazia questão de falar um pouco de cada um deles, até chegar na pintura do príncipe Taekwoon, o próximo na linha de sucessão. Hongbin parou em frente ao quadro e se permitiu o admirar um pouco, que tipo de pessoa seria a alma gêmea de um Rei? Mesmo não sendo novidade que pessoas da realeza não se casam por amor, e sim por interesse, seria difícil conseguir qualquer coisa ali. Voltou a reparar em Hakyeon, descendo seu olhar até a mão do outro, e lá estava ele, o longo fio vermelho preso no dedo mindinho.

- Lilith?

- Hm? – Subiu seu olhar até o rosto do conselheiro – Ah me desculpe, estava admirando a beleza do príncipe.

- Se ficou impressionada com um quadro, imagine quando o encontrar pessoalmente – Riu – Mas não fique decepcionada se ele parecer um pouco grosso, ele não é muito do tipo – Fez uma pausa procurando pela palavra adequada – Amigável, mas se tiver a oportunidade, certamente irá conhecer o seu lado doce – Suspirou – Bom, continuando...

Hongbin não conseguia ouvir mais nenhuma palavra de Hakyeon dizia, estava perdido em seus pensamentos, até que uma ideia louca veio em sua cabeça, o que aconteceria se ele encostasse no fio? Ele seria capaz de ver quem era a pessoa que estava ligada ao garoto ao seu lado? Precisava testar isso, e em um momento que o mais velho estava distraído, encostou levemente em seu dedo mindinho, se afastando rapidamente.

Aquele meio segundo de contato foi o suficiente para ver quem era a outra metade de Hakyeon. Wonshik. Era Wonshik. Queria voltar imediatamente para a aldeia e contar a novidade para o amigo, mas havia um problema, será que os dois sentiam atração por homens? E como ele iria falar para Hakyeon: “Olá, eu sou uma bruxa e minha missão é juntar as almas que foram destinadas e esse garoto ao meu lado, que é um lobo, é a sua alma gêmea, agora por favor, se casem para que eu possa cumprir com a minha função”. Não, de jeito nenhum! Ele iria acabar sendo mandado para a fogueira. E também tinha o problema de que Hakyeon era humano, não haviam humanos no clã, como os outros iriam reagir?

Um doce som de piano tomou conta do lugar, Hongbin imaginou de onde ele estaria vindo.

- Gosta de música? – O mais novo apenas afirmou com a cabeça – Ótimo, Taekwoon gosta de tocar piano nas horas livres.

- Interessante, eu também sei tocar piano.

Hakyeon a olhou surpreso.

- Acho que vocês dois irão se dar bem, só é uma pena que você não seja alguém de sangue azul.

- Como assim?

- Eu não sei se deveria te contar, mas os Reis estão tentando fazer um casamento arranjado para o príncipe, mas ele rejeita todas as pretendentes.

- Há algum motivo para isso?

- Aparentemente ele não está interessado em garotas fúteis.

- Talvez ele só não tenha encontrado sua alma gêmea.

- Você acredita em coisas assim?

- Por que não acreditaria?

- Não é meio estranho pensar que talvez nunca encontre a pessoa pela qual está destinada? E se você encontrar, como você vai saber que é ela?

- São bons pontos, e bom, você vai saber quando a encontrar.

- Acho que minha outra metade se perdeu no caminho – Riu.

- Eu sei onde ela está – Deixou escapar sem querer.

- O que?

- Quero dizer...

- Que assunto interessante, vocês poderiam ter me convidado para participar, talvez devêssemos tomar um chá enquanto discutimos? – Hakyeon e Lilith olharam para o dono dessa voz assustados, quando ele tinha chegado ali? E quando o som do piano tinha acabado? – Não vai me apresentar a garota, Hakyeon?

- Me desculpe, Vossa Alteza – Fez uma pequena reverência – Essa é Lilith, nova mensageira.

- Uma mulher? Que interessante.

- São os novos tempos – Lilith disse sorrindo.

- Uma garota à frente do seu tempo? – O homem sorriu – Deveria ficar preocupado? Qual é o próximo passo?

- Eu não sei, talvez a maior participação das mulheres nas questões do reino? – Hongbin não sabia de onde aquilo tinha saído, mas pela expressão do outro, parece que disse algo certo – Desculpe, o seu nome?

- Ele é...

- Você não sabe quem eu sou? – Balançou a cabeça negativamente.

- Eu não sou daqui, morava em um reino afastado.

- Eu adoraria saber sobre, poderia me acompanhar para um chá?

Era claro que Hongbin estava mentindo, tinha reconhecido aquele do quadro que tinha visto mais cedo, era o Príncipe Taekwoon, mas não iria falar isso. E como Hakyeon disse, ele era ainda mais bonito pessoalmente, só estava um pouco surpreso, achou que demoraria um certo tempo para conhecer o lado amável do príncipe.

Jaehwan se aproximou de Hakyeon que observava o casal se afastando com uma expressão confusa no rosto, ainda tentando entender o que tinha acontecido.

- Quem é a garota?

- Lilith, nova mensageira.

- Uma conhecida de Taekwoon?

- Não, acabaram de se conhecer.

- E...?

- Eu também não sei como isso é possível.

- O Rei vai gostar de saber que o filho finalmente demonstrou interesse em alguém.

- Mas infelizmente ela não é da realeza, então é melhor nem se animar muito – Suspirou, as coisas ficariam bem mais fáceis se não fosse todas essas normas.

Enquanto isso, Taekwoon e Lilith estavam sentados no jardim tomando chá, conversando sobre as mais variadas coisas, como economia, literatura e música, o príncipe estava encantado por ter achado uma garota com um alto nível intelectual, porque sendo sincera, as suas pretendentes não pareciam se preocupar com as questões do reino, e sim sobre futilidades.

- Antes de continuarmos, você ainda não me disse o seu nome.

- Não? Me desculpe por isso, Jung Taekwoon.

- O príncipe? – Afirmou com a cabeça – Deveria fazer uma reverência?

- Não será necessário, por favor, não me trate como um nobre e sim como um amigo – Lilith sorriu e murmurou um “tudo bem” – E se me recordo bem, você estava conversando com Hakyeon sobre almas gêmeas quando o interrompi?

- Sim, ele não acredita nesse tipo de coisa – Fez um biquinho – E você? Acredita?

- Eu nunca ouvi falar sobre esse tipo de coisa, amor verdadeiro não é algo que existe na realeza.

- Isso parece bem triste.

- Os casamentos são feitos por negócios.

- Me perdoe a pergunta, mas por que Vossa Alteza ainda não está casado? Creio que haja vários reinos interessados em uma aliança.

- Eu não tenho nenhum interesse, sou totalmente contra a esse costume e se você conhecesse as princesas que eu conheci, você pensaria igual – Os dois riram – Então, me fale sobre as almas gêmeas.

-Há uma crença chinesa que diz que duas pessoas são ligadas através de um fio vermelho, esse fio pode esticar, emaranhar-se, mas nunca irá partir. Não há nenhuma forma de você saber se aquela pessoa é o seu akai ito, talvez você já tenha até a conhecido – Na verdade, existia sim, mas dizer isso seria o mesmo que ser mandado para a forca – Talvez se você falar com uma bruxa, ela te ajude – Brincou.

- Você sabe onde eu posso encontrar uma bruxa? – Taekwoon tinha uma expressão séria que deixou a garota um pouco confusa, mas acabou deixando uma risada escapar – Você precisava ver seu rosto.

- Há certos assuntos que podem te levar para a fogueira.

- Sejamos justos, foi você quem começou.

- Tenho que admitir isso, mas não esperei uma resposta como essa.

O sorriso de Taekwoon era tão lindo que Hongbin poderia passar horas olhando para ele, tentou ao máximo afastar esses pensamentos, seu destino era ficar sozinho e não iria privar o outro de seu verdadeiro amor apenas porque se apaixonou por ele. Algum tempo depois, um garoto fofo apareceu, Hongbin sentiu vontade de apertar suas bochechas, ele informou ao príncipe que seu pai estava o esperando.

- Lilith, não é? – O garoto perguntou quando estavam sozinhos – Hakyeon me deu ordens para mostrar seu quarto, me acompanhe – Fez um sinal para que a garota o acompanhasse – Antes que eu me esqueça, me chamo Han Sanghyuk, mas você pode me chamar apenas de Hyuk.

- Você parece tão novo para trabalhar na guarda.

- Bom, eu sou o mais novo, tenho apenas 17 anos.

- Nossa diferença de idade não é tão grande, apenas um ano, acho que deveríamos ser amigos – Passou o braço em volta do corpo do mais novo.

- Sim, acho que vamos nos dar bem.

Ambos riram e continuaram uma conversa animada até o novo quarto de Lilith. Durante o percurso, ela aproveitou para tocar discretamente o fio amarrado no dedo do garoto, e então a imagem de um garoto loiro veio à sua mente. O que há de errado com os deuses? O trabalho de Hongbin já não era fácil, agora juntar duas pessoas do mesmo gênero era ainda pior. Bom, isso não era um problema para ele, mas para os outros sim.

O quarto que Hongbin iria ficar não era muito grande, mas comparado ao seu antigo, era bem confortável, se permitiu ficar uns minutos deitado, antes de voltar para a aldeia.



↢ ❦ ↣



Ravi estava sentado em sua poltrona, pensando sobre a caça que iriam fazer no dia seguinte e se perguntando se Hongbin estava bem. Ele via o garoto como se fosse um irmão mais novo, afinal, os dois cresceram juntos e compartilharam vários momentos, se lembrou de quando o mais novo fez 16 anos e não sabia controlar seus poderes: quando ele estava triste, chovia; quando estava com raiva, relâmpagos cortavam o céu; se lembrou da vez em que eles foram se aventurar na floresta e um dos garotos do clã achou que seria legal assustar Hongbin, o que acabou causando um pequeno incêndio, ele se lembra do amigo totalmente desesperado, sem saber o que fazer e se culpando por isso, mas no final acabaram por resolver o problema e voltaram para casa, Wonshik passou a noite o consolando, tentando o convencer de que a culpa não foi dele e sim da brincadeira sem graça do outro garoto – Ravi fez uma nota mental de que iria ter uma conversa muito séria com o mesmo no dia seguinte.

Wonshik acompanhou o treinamento de Hongbin de perto, sempre o apoiando, principalmente depois que sua avó morreu. Ele viu a evolução rápida do bruxo, a avó do garoto costumava dizer que você geralmente nasce com um dom, mas Hongbin parecia ter todos, pensaram que talvez o verdadeiro dom aparecesse no futuro e que os outros desapareceriam com isso – O que acabou não acontecendo, os poderes apenas ficaram mais fortes.

Se lembrava da primeira transformação de Hongbin, ele realizou o sonho de virar um lobo e sair para a caçada junto aos outros, para Ravi o irmãozinho parecia tão radiante naquele dia, como nunca tinha visto antes. Um hábito que Hongbin adquiriu depois da morte de sua avó, foi aparecer no quarto de Wonshik no meio da noite, alegando que não conseguiria dormir sozinho, e aquela noite não tinha sido uma exceção.

- Pensei que estaria dormindo – Wonshik olhou para a garota parada em frente a janela com um olhar confuso.

- O que você tinha em mente aparecendo no meu quarto com essa aparência? Está tentando me seduzir Hongbin?

Foi a vez de Hongbin ficar confuso, caminhou até o espelho e percebeu que ainda estava com a aparência de Lilith.

- Você não gostou? – Caminhou até o amigo se sentando em seu colo, com o braço em volta de seu pescoço.

- Não é isso – Coçou a cabeça – Você está lindo, linda...Ousaria dizer que é a mais bela garota que eu já conheci – Hongbin sorriu convencido – Você poderia voltar para a sua aparência normal? Não quero ter pensamentos obscenos com meu irmãozinho.

- Mas Ravi, nós não somos irmãos – Falou em um tom sedutor, deixando um beijinho no rosto do amigo – Porém eu estou longe de ser sua alma gêmea – Falou se levantando e voltando para a aparência masculina.

- Assim é bem melhor, então me conte, qual o motivo da sua visita? Não conseguiu lugar para dormir?

- Na verdade não, eu estou morando no castelo, Lilith é a nova mensageira real.

- Como você conseguiu isso? – Hongbin riu, e foi o suficiente para que o outro descobrisse como – Você não tem jeito.

- Eu estava com preguiça de assumir outra aparência – Fez um biquinho – E o melhor de tudo, eu conheci o príncipe Taekwoon – Se jogou na cama – Ele é tão lindo e inteligente, nós passamos horas conversando.

- Você já está apaixonado, Hongbin?

- Não, ele não poderia ser meu mesmo – Suspirou triste – Mas eu não vim aqui falar sobre isso – Se colocou sentado na cama – Eu descobri uma coisa, se eu tocar no fio que está preso no seu dedo, eu consigo ver a sua outra metade.

- Isso é maravilhoso!

- Sim, mas, maninho, você sente atração por caras?

- Por que essa pergunta tão de repente?

- Apenas me responda.

- Nós lobos não temos isso, você sabe.

- Sim, em vez de precisar de bruxinhos que gostam de sair por aí bancando o cupido, vocês encontram sua cara metade através do cheiro.

- Sim, então não damos muita importância para o gênero, se o destino quis assim.

- E se ele for um humano?

- Hongbin, não me diga que...? - Se lembrou da conversa que tiveram mais cedo, não acreditou que algo assim fosse acontecer, então estava totalmente sem reação.

- Eu o encontrei no castelo, você precisa o conhecer, ele é o seu tipo ideal.

- Como você sabe qual é o meu tipo ideal? – Hongbin se levantou e assumiu a forma de Hakyeon, deixando Ravi de boca aberta.

- Olha essa bunda – Falou Hongbin se virando de costas para o outro.

- Por favor Binnie, volte para sua aparência normal ou eu vou acabar te atacando – E foi o que o mais novo fez, rindo da cara do líder que tentava ao máximo disfarçar o quanto ficara excitado com aquela imagem.

- Caramba Ravi, você já está assim apenas com a aparência dele, imagina quando o encontrar pessoalmente, cuidado para não cometer nenhuma loucura, okay?

- E como eu vou fazer isso? Como eu vou explicar para ele o que eu sou? E como eu vou explicar para os outros? Eu ainda sou o líder.

- Bom, e se ele também te reconhecer como par quando o encontrar? E sobre a alcateia, não se preocupe, vou encontrar algum feitiço que o transforme em lobo, ou você pode virar humano, um dos dois vai ter que se sacrificar – Ficaram em silêncio por um certo tempo – Eu vou falar com ele amanhã, preparar o terreno, felizmente lobos se apaixonam rápido – Riu – Agora, maninho, será que eu posso dormir aqui? – Falou manhoso.

E é claro que Ravi não seria capaz de negar um pedido do seu irmãozinho mais novo, nem precisou responder e Hongbin já estava embaixo dos lençóis da cama de casal. Ficou observando o mais novo dormir, enquanto tinha seus pensamentos voltado para o seu akai ito, mal podia esperar para encontrá-lo.



↢ ❦ ↣



Hongbin tinha voltado ao castelo bem antes do sol nascer, exibindo a beleza de Lilith enquanto desfilava pelos corredores do castelo com seu belíssimo vestido azul. Já tinha tudo planejado para aquele dia, deixou um bilhete em cima da cama de Ravi, pedindo para que ele o encontrasse na floresta durante a tarde, agora só precisava falar com Hakyeon para que o acompanhasse em uma tarefa “que o Rei o deu”. E assim o fez, logo após o café.

- Hakyeon, o Rei pediu para que fossemos no reino vizinho para entregar uma mensagem, você sabe, é a minha primeira tarefa, ele não queria que eu fosse sozinha – Fez um olhar amável que sabia que Hakyeon não iria resistir.

Dito e feito, logo estavam partindo para a floresta. Se Hongbin estiver certo, assim que Hakyeon cruzar seu olhar com Ravi os dois iriam se apaixonar, ou até mesmo a simples presença do lobo o fizesse sentir alguma coisa. Seria tão mais fácil os relacionamentos humanos funcionassem como os dos lobos, isso economizaria tempo para Hongbin.

A carruagem parou de andar em uma determinada parte do trajeto, isso não estava nos planos, pensou Hongbin, antes da porta ser brutalmente aberta, estavam sendo atacados por ladrões, o cocheiro já tinha caído e eles tinham saído sem nenhuma proteção. Hongbin não viu outra escolha, e bom, uma hora Hakyeon iria saber.

- Fique aqui – Ordenou, saindo da carruagem, empurrando que estava parado na porta para fora, fechando a mesma ao sair.

O segurou pelo pescoço e ergueu seu corpo, o homem tentou se livrar da mão de Lilith e um outro tentou a atacar pelas costas, mas com esticou sua mão livre e a girou um pouco, tirando todo o ar dos pulmões do outro, que logo caiu sem vida. Já o que segurava em sua mão, apenas o transformou em pó. Olhou em volta para se certificar de que estava tudo seguro, riu ao perceber que os outros tinham fugido covardemente, ao voltar sua atenção para a carruagem viu Hakyeon parado do lado de fora, com uma expressão assustada.

- Eu falei para você esperar do lado de dentro, era perigoso.

- O que você é?

- Eu vou te contar tudo, mas antes preciso que conheça uma pessoa – Estalou os dedos e os dois sumiram daquele lugar e reapareceram no lugar em que Hongbin tinha marcado com Ravi – Só te peço para que me escute e não tenha medo, okay?

Hongbin mantinha sua atenção em Hakyeon, enquanto tentava pensar em uma maneira de explicar para ele o que tinha acontecido, sem que ele saísse correndo, mas percebeu que o mais velho não prestava atenção em si, tinha seu olhar em outro lugar, ou melhor, em outra pessoa, o bruxo se virou para trás e logo descobriu o que era.

- Você – Wonshik falou enquanto se aproximava de Hakyeon – É você – Colocou as mãos sobre o rosto do mais velho, que ainda o olhava hipnotizado – Só os Deuses sabem o quanto eu ansiava te encontrar.

Hakyeon se afastou do lobo, um pouco a contragosto, fazendo um sinal de negação com a cabeça, ele sentia a louca vontade de beijar aquele ser desconhecido e não conseguia entender o porquê.

- Não, isso é impossível, eu não te conheço, por que? – Olhou para Lilith à procura de respostas.

- Porque as lendas sobre bruxas e lobos eram verdadeiras Hakyeon – Riu – E você acabou de encontrar sua cara metade.

Lilith contou tudo a Hakyeon, sobre seus poderes e seus dons, sobre os lobos e a alcateia e sobre como os relacionamentos de lobos acontecem, o que explicava o sentimento repentino que ele tinha sentido pelo estranho – Que agora ele descobrira se chamar Wonshik.

- Faltou contar uma coisa, Hongbin.

- Hongbin? – Tudo ainda parecia muito confuso, então ele não se surpreenderia mais com nada.

- Bom, como uma bruxa, eu posso modificar a minha forma e antes de chegar ao castelo, eu achei que seria melhor não aparecer como a minha verdadeira aparência, porque caso me descubram, Hongbin ainda ficará seguro, então acho que eu deva me apresentar – Sorriu, voltando a sua forma original – Olá, eu sou Hongbin, é um prazer te conhecer!

- É um prazer Hongbin, seu sorriso é tão fofo! – Riu pela primeira vez desde que chegou ali.

- Agora eu preciso que você me prometa que não vai contar a ninguém.

- Acho que eu tenho mais a perder do que ganhar fazendo isso – Olhou para Wonshik, que ainda tinha os olhos presos em si – Eu prometo que não irei contar a ninguém, seu segredo estará seguro comigo.

- Obrigado – Fez uma breve reverência – Eu irei os deixar sozinhos, até mais tarde.

Os dois novos amantes ficaram sozinhos no meio da floresta, sem conseguir tirar os olhos um do outro e também sem conseguir dizer nenhuma palavra.

- Isso é um pouco insano – Hakyeon abaixou a cabeça olhando para os próprios pés – Ainda é difícil de acreditar, hoje de manhã eu nem acreditaria que isso fosse possível e agora...

- Você se apaixonou, não é?

- Sim, quero dizer, eu não sei, eu...Você é um lobo, eu sou um humano, como vamos fazer isso?

- Hongbin pode nos ajudar, se você estiver disposto, poderá se tornar um lobo.

- Isso significa não voltar mais ao castelo? – Falou com um tom triste.

- Não, é claro que não, além do mais eu ficaria feliz por ter alguém com Hongbin lá, eu o tenho protegido desde que sua avó morreu, não sabe como eu me preocupo com ele.

- Você irá me usar para ficar de olho nele, Wonshik? – Riu.

- Eu só vou juntar o útil ao agradável, você quer permanecer na sua função no castelo e eu quero proteger o Binnie.

- Sendo assim, eu aceito sua oferta de me tornar um lobo, mas com uma condição.

- E qual seria?

- Me beije.

Wonshik sorriu e tomou os lábios do mais velho. Hakyeon não voltou ao castelo naquela noite e nem nas outras noites seguintes, queria aproveitar o máximo de tempo com Ravi. Em uma dessas noites, Hongbin o deu uma poção que o tornaria um lobo, e devo dizer que Hakyeon adorou a sensação de correr livre pela floresta sentindo o vento bater em seu pelo. Ele definitivamente não iria se arrepender dessa escolha.



↢ ❦ ↣



Lilith estava sentada no jardim com Sunny, enquanto a ajudava a escrever uma carta para Henry. Juntar casais não foi tão difícil quando pensava, o primeiro, Jimin e Jae, foi um pouco trabalhoso, ela ainda não sabia direito o que fazer, mas no final deu certo. Um ano já tinha se passado e ela colecionava os nomes dos casais que tinha juntado: Junsu Xia e Hani, Tiffany e Nickhyun, entre outros; Mas ainda não tinha conseguido juntar Jaehwan e Hyuk, casais de mesmo gênero era muito mais fácil, e os dois eram humanos, se pelo menos fossem lobos como Hakyeon e Wonshik. Suspirou, ela tinha que resolver isso, e faria isso hoje, se despediu de Sunny, que saiu ansiosa para encontrar o amado, e entrou no castelo atrás de Jaehwan.

- Me procurando?

- Há algo que eu tenho que perguntar, mas isso provavelmente vai te ofender – Jaehwan fez sinal para que ela prosseguisse – Existe alguma possibilidade de você ter um relacionamento com outro cara? – Falou rápido, para não correr risco de se arrepender no meio da frase.

- Vai depender – Fez uma pausa – De quem é esse cara.

- Han Sanghyuk – Viu o rosto do outro ficar vermelho – Está tudo bem?

- Ah, sim, está, é que...De onde você tirou isso?

- É apenas um pensamento que veio na minha cabeça.

- Não repita isso, okay?

- Isso é um sim, Jaehwan?

- Não importa, só que ele não pode saber.

- Você o ama! – Sorriu animada.

- Você sabe como as coisas são difíceis, não seria algo bem visto.

- O importante é a felicidade de vocês.

- Ele não deve gostar de mim – Desviou o olhar um pouco triste.

- Só há um jeito de saber, me deixe falar com ele, prometo não citar seu nome, okay?

- Eu posso confiar em você? – Olhou para a garota com uma expressão séria.

- Eu irei assumir toda a responsabilidade se eu falhar.

Jaehwan sorriu e balançou a cabeça, Lilith se permitiu dar um abraço rápido no garoto, antes de sair animada pelos corredores. Esbarrou com Taekwoon no caminho, desde o dia em que ela chegou no castelo, as suas conversas se resumiam a um cumprimento ou algo relacionado ao reino, ele queria tanto fazer amizade com o príncipe, mas o outro sempre parecia tão distante em seus pensamentos que achava melhor não atrapalhar. Vez ou outra se pegava espiando o príncipe escondida atrás da porta, admirando enquanto ele tocava piano. Hongbin sabia que estava apenas se iludindo, essa era a sua maldição, mas ver o outro o deixava tão feliz, que não se importava se iria se machucar no futuro.

Encontrou Hyuk no pátio e o puxou até um lugar afastado no Jardim, o que ele queria falar não era algo que se poderia dizer com pessoas em volta.

- O que é tão importante e secreto para você me trazer até aqui? – Perguntou em um tom brincalhão, mas o sorriso morreu ao ver a garota mordendo o lábio inferior – É algo grave? Aconteceu alguma coisa com Jaehwan? – Segurou os ombros da garota.

- Não, não se preocupe, Jaehwan está bem – Riu – Por que você pensou nisso? Gosta dele?

- Não diga bobagens, foi para isso que você me chamou?

- Eu ouvi rumores de que alguém estava fazendo seu coração bater mais forte e precisava confirmar isso.

- Quem disse isso?

- As paredes têm ouvidos Sanhyuk, não posso confirmar de onde começaram os rumores.

- Essas pessoas não sabem o que falam.

- Hyuk, você sabe que pode ser sincero comigo, eu jamais contaria isso para alguém.

O garoto suspirou, se sentando em um dos bancos do jardim sendo acompanhado por Lilith, que pousou a mão sobre sua coxa em uma forma de mostrar apoio.

- É que...Não é bem uma garota.

- Jaehwan? – O garoto não disse nada, ela sorriu e deitou a cabeça sob o ombro dele – E se eu dizer que ele sente o mesmo?

- Isso é impossível.

- Eu conversei com ele – Fez uma pausa – Eu conheço o suficiente sobre amor para poder o identificar nos olhares que vocês trocam, e sei também que vocês não teriam coragem para admitir, eu passei o último ano pensando em como faria os dois se tocarem disso, então, eu já fiz minha parte, agora eu preciso que vocês deixem o medo de lado e se resolvam e não se preocupem com o que os outros vão dizer, irei matar todos que tentarem fazer algum mal a vocês.

- Isso não é necessário.

- Talvez uma boa surra?

- Você não tem jeito, né?

- Não e eu só vou descansar quando vocês estiverem juntos, agora corre que você não tem mais tempo a perder.

Hyuk riu e a agradeceu, se levantou e foi ao encontro de Jaehwan. Lilith percebeu os olhares em cima de si e levantou o olhar até a pessoa que a espiava na janela, acenou para Taekwoon e percebeu o nervosismo do garoto ao ser descoberto. Tão fofo. Ele não acenou de volta, apenas foi embora. Será que ele estava a espiando? Ignorou isso quando viu Hakyeon correndo em sua direção.

- Por que tanta pressa?

- Tenho boas e más notícias.

- Vamos começar com as boas, minha vida já está cheia de notícias ruins.

- O reino vai fazer um baile para achar uma noiva para o príncipe.

- E essa vai ser uma boa oportunidade para juntá-lo a sua cara metade – Sorriu – Meu deus, Hakyeon isso é incrível! Eles não estão interessados em nenhum acordo comercial?

- Não, foi o próprio Taekwoon quem deu a ideia.

- E qual é a ruim?

- Eles já sabem que você é uma bruxa.

- Como?

- Eu não sei, por enquanto o rei ainda não sabe, mas isso é apenas questão de tempo, você tem que ir embora ou assumir outra identidade, ficar aqui como Lilith é perigoso.

- Mas é a única forma de me aproximar de Taekwoon – Olhou para baixo, tentando esconder seus olhos marejados – Se eu não posso ter meu final feliz, eu queria que pelo menos ele tivesse.

Hakyeon a abraçou e tentou falar algumas palavras de conforto.

Não importava o que Hakyeon ou Wonshik fosse falar, Hongbin já sabia o que iria fazer.



↢ ❦ ↣



Nos dias que antecederam ao baile, Lilith simplesmente sumiu do castelo, o boato de que ela era uma bruxa já tinha chegado ao Rei e o mesmo tinham dado ordens para que a prendessem. Hongbin ficou escondido em um lugar que nem mesmo Wonshik o acharia, era um reino muito distante, aproveitou sua estadia lá para continuar sua missão de juntar as almas gêmeas.

Quando o dia do baile chegou, Hongbin sabia exatamente o que fazer, assumiu a forma de Lilith e se vestiu com o mais belo vestido, quem a visse diria que era uma princesa. Entrar no castelo não foi muito difícil, entrou logo pela porta da frente, usando um feitiço para que os guardas não a reconhecessem.

Quando chegou na longa escadaria que levava ao salão de baile, seus olhos cruzaram com os de Taekwoon naquela imensa multidão colorida, que não tinha percebido até aquele momento, que como si, o príncipe não tinha nenhum fio preso em seu dedo. Será que...? Começou a descer devagar e seu coração batia cada vez mais rápido conforme os dois se aproximavam, Taekwoon estendeu a mão para Lilith e a conduziu até o meio da pista de dança, delicadamente colocou a mão em sua cintura, e a garota levou a mão até o ombro do príncipe. E foi aí que o tempo parou, e por um momento era como se eles estivessem sozinhos.

O olhar de Hongbin foi atraído por algo brilhante em sua mão. O fio do destino estava ligando os dois. Olhou surpreso para Taekwoon, que o olhava encantado, como alguém que tivesse tido seu maior sonho realizado.

- Acho que você deveria me dizer o seu real nome, não acho que Lilith combine com a sua real aparência.

- O que você quer dizer com isso?

- Eu ouvi dizer que você era um bruxo, eu só não sabia que na realidade você era um homem – Riu – Mas isso não me incomoda, você ainda é mais bonito do que era antes – O garoto ainda tinha uma expressão confusa – Se você não estiver pronto para me dizer seu nome, acho que poderia pelo menos falar sobre esse fio, esse é o fio do destino?

- Você consegue ver?

- Sim, agora eu consigo.

- Hongbin. Lee Hongbin.

- Prazer Lee Hongbin.

- Eu não achei que isso fosse possível.

- Eu me apaixonei por você mesmo antes de saber que você era o meu akai ito, por isso convenci meu pai a deixar que eu escolhesse minha esposa, acho que marido seria a palavra mais adequada?

- Vossa Alteza...

- Não, apenas Taekwoon, por favor, sem títulos aqui e sem desculpas, okay? Vamos apenas aproveitar.

O tempo voltou a andar, apenas Taekwoon conseguia enxergar a verdadeira aparência de Hongbin, os dois dançaram por um longo tempo até serem interrompidos por Hakyeon, que os avisou que os guardas estavam atrás do bruxo, murmurou um “sinto muito” para o príncipe antes de sair correndo para fora do castelo, só não esperava que ele fosse o seguir. Quando já estava na escadaria que levava para a cidade, sentiu seu braço sendo puxado por Taekwoon, o olhou com os olhos marejados e o beijou antes de sumir completamente.

18 de Fevereiro de 2021 às 01:59 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Prince Charmant

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!