3
6.7mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Segundas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Vinte e poucos anos

Vinte e poucos anos e eu ainda estou na minha primeira graduação, visto que tranquei a anterior sem completá-la. No máximo conclui alguns cursinhos livres, com duração de meses.

Vinte e poucos anos e ainda não sou bilíngue, pois é, não domino o inglês, ou o espanhol e que dirá o japonês.

Vinte e poucos anos e ainda não tenho um cachorro sob minha responsabilidade. Até tenho bichos de estimação, mas quem cuida é minha mãe.

Vinte e poucos anos e sim, ainda moro com meus pais. Não comprei aquele apartamento dos sonhos, no qual eu poderei mobiliar e deixar com a minha cara: Tipo nerd chique.

Vinte e poucos anos e ainda não viajei o mundo, não conheço nem sequer Campos de Jordão e olha que é logo ali.

Vinte e poucos anos e ainda não estou no meu emprego dos sonhos, no qual me sentirei realizada e plenamente feliz, ou pelo menos, mais do que estou agora.

Vinte e poucos anos e ainda não sei tocar muito bem violão, olha que tento aprender desde os meus dezenove anos de idade.

Vinte e poucos anos e ainda tenho vergonha de cantar em público, considerando que minha voz seja razoavelmente boa para realizar tal façanha. The Voice? Nem pensar!

Vinte e poucos anos e ainda não sei cozinhar como aquelas pessoas que aparecem no Master Chef, mal eu faço uma omelete, que às vezes fica boa e às vezes não.

Vinte e poucos anos e ainda não sou completamente estabilizada, emocional e sentimentalmente; sim, ainda me pego chorando do nada. E, quando procuro o motivo, simplesmente não encontro.

Vinte e poucos anos e ainda não tenho tempo e nem dinheiro para me dedicar ao que eu realmente gosto. Não consigo encontrar meus amigos e estou sempre respondendo as mensagens com pressa, às vezes sem nem ler exatamente o que escreveram.

Qual é, não me julgue por isso, é difícil conseguir conciliar estudos, amizades e a vida social.

Vinte e poucos anos e ainda não sou como àquelas mulheres sensacionais que saem nas revistas, lindas e bem-sucedidas.

Mulheres que na verdade só servem para nos mostrar o quanto somos meras mortais. Como eu posso ser assim? No máximo sou esforçada, e sim, sou linda, só que a minha maneira. Afinal, autoestima e amor próprio são tudo, não é?

Vinte e poucos anos e até curso uma graduação que eu posso dizer que gosto. Mas, não se compara a ser uma cantora famosa, ou uma escritora de sucesso. Diga-se de passagem, sem precisar acordar às seis da matina, com cara de derrota e ainda pegar o "trenzão" lotado!

Fora a parte de torcer para que ninguém te veja naquele estado deplorável. Até mesmo porque estragaria todo o seu look do fim de semana, oras, algum dia precisamos nos sentir lindas e poderosas, não é? Pena que esse dia passa bem rápido, e eu volto para a rotina, ou seja, coque bagunçado e zero maquiagem.

Vinte e poucos anos e ainda não sou, e nem sei o que quero realmente ser. Acredito estar no caminho, quem sabe? Acredito que chegarei lá? Tomara que sim. Mas... aonde eu quero realmente chegar? Bom, eu ainda tenho vinte e poucos anos...

8 de Fevereiro de 2021 às 23:02 0 Denunciar Insira Seguir história
6
Leia o próximo capítulo Pés cansados

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!