emilly_correa Emilly Correa

Um ano novo difícil foi deixado para trás. Um novo chegou. Comida boa, familiares na mesa, música no rádio, esperanças de um ano melhor. Eu devia estar feliz, não?


Histórias da vida Todo o público.

#reflexão #oneshot #mágoa #conto #originais #drama #Rojão #Fogos-de-artifício #Reveillon #ano-novo
Conto
3
2.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Rojões e Fogos de Artifícios

Aqui estou eu, em meu quarto olhando a janela, enquanto todos dormem.


Cheguei atrasado, os estrondos e gritos de alegria acordando todos dessa cidade esquecida do Paraná. O tempo nublado e a névoa da noite atrapalha um pouco minha visão - já ruim com algumas árvores. Mas pelo menos moro numa rua alta. Ainda posso ver os fogos daqui.


Apaguei todas as luzes, abri as cortinas e me apoiei na parede, olhando para o céu nublado. Um rojão daqui, outro ali, estalinhos pulando na rua pra assustar alguém. Claro que nesse bairro jamais haveriam fogos de verdade, a não ser cinco ou seis no máximo, em quase uma hora de frenesi sonoro. Aqui não é a Cidade dos Lagos. Seria esperar demais.


E eu os perdi. Perdi a virada, que era quando eles soltavam os especiais. Os únicos.


Fiquei emburrado na hora, entediado e até incomodado por aqueles impostores tão inferiores, que só servem pra um brilho de milésimos e um estrondo de tiro - isso quando não são tiros mesmo, nessa noite eles meio que não ligam em dar uns tiro pra cima também.


Mesmo com a barulheira, enquanto tentava focar num bairro vizinho e tentar falhar algo com um mínimo de cor, eu os escutei.


Risos de criança. Comemorações. Do outro lado da rua.


No início senti prazer, contagiado pelos risos e alegria alheia. Mas cometi o erro - ou bênção - de tentar me lembrar de outros anos, de outras vezes que ri.

E não me lembrei de nenhum.


Revirei cada centímetro de minha memória, procurando qualquer coisa. Mas havia apenas vazio. Isso não é nenhuma simbologia, metáfora ou poesia. Foi exatamente o que senti - tão vazio quanto aqueles rojões.


Rojões não são bonitos nem estouram de verdade. Só existem e são usados por serem baratos e divertidos de se soltar - mas claro que se fossem do mesmo preço de um verdadeiro fogo de artifício, nem existiriam. Não possuem cor, luzes verdadeiras que espalha no ar em vários tipos de matizes, e nunca teriam a mesma emoção dos fogos.


Talvez eu seja um rojão, seguindo essa associação bizarra? Bem, quebrei meu raciocínio de sem metáforas, né?


Mas o sentimento foi o mesmo. Verdadeiro. Avassalador. E é a única razão de estar aqui acordado. Mas de que importa?


No final, sou só a pessoa admirando e sorrindo na janela, a imitação ridícula das pessoas alegres lá fora.

29 de Janeiro de 2021 às 15:08 0 Denunciar Insira Seguir história
5
Fim

Conheça o autor

Emilly Correa Só mais uma escritora desocupada que escreve coisas aleatórias por prazer.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas