karimy Karimy Lubarino

Zeus percebeu que a vida eterna não era tão divertida quando viu os séculos passando e as coisas que tanto amava fazer se tonando páginas de livros de lendas e ficando para trás. Não havia mais guerras e glória, apenas internet em celulares minúsculos e desrespeito dos humanos para com aqueles que deveriam ser venerados para todo o sempre. Onde estavam as batalhas? Onde estavam os inimigos dos deuses do Olimpo? Onde estavam...? Agora, havia apenas tempo e mais tempo para ser preenchido com tédio. No entanto um titã talvez tenha sentido a agonia de Zeus e resolvido ir a seu socorro.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Todos os direitos reservados

#batalha #zeus #mitologiagrega #atena #desafiodeescrita #ZeusPaiDeTodos #Tifão
Conto
5
6.3mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Tédio e o Remédio

Zeus revirou os olhos, o cotovelo apoiado na mesa, o pé descansando na perna de sua filha, Atena, que sentava-se ao seu lado. O século XXI não era a coisa mais interessante, não para ele ao menos. Aquelas coisas minúsculas munidas de internet não o agradavam. Na verdade, eram poucas coisas que o faziam se sentir um verdadeiro deus ultimamente: as aventuras se foram, as guerras eram travadas por homens agora, não pelos deuses, as divindades não eram mais respeitadas; em vez disso, tinham se tornado motivo de escárnio e ainda precisavam tolerar aquelas criaturinhas orando pelas coisas mais estúpidas possíveis.

— Sabem o que acho? — perguntou ele.

Encontravam-se no pátio do templo no monte Olimpo. Ele reunira os deuses ali com o intuito de fazerem um almoço para que pudessem se recordar dos tempos de guerra, das batalhas árduas e ferozes em que lutaram, dos dias do dilúvio — e, que ficasse claro, quanto mais entediado se sentia, mais queria repetir esse ato — e tudo aquilo grandioso que um dia já fizeram. No entanto, todos os seus filhos e irmãos estavam calados à mesa, mexendo nos celulares como se desvendassem o maior mistério do universo.

Sabem o que que acho? — rugiu dessa vez.

— O que foi, meu pai? — questionou Atena, o celular ainda em mãos.

— Vocês todos deveriam largar esses... dispositivos. Pensei que pudéssemos ter uma reunião agradável, conversar de verdade. — Balançou a cabeça. — Deveria ter imaginado que isso seria um equívoco.

— Como você é mal-humorado — sibilou Hera, e tomou um pouco de vinho. — Deveria ficar feliz pela paz. Em vez disso, fica aí com essa cara feia.

— Feliz... É por essas e outras que os humaninhos já não nos levam mais a sério. Digo então: deveríamos puni-los!

— Pelo quê? — questionou Afrodite, o corpo inteiro à mostra naquele vestido de véu branco transparente. — Você só está chateado por eles estarem aprendendo a pensar por conta própria. Deveria ter orgulho disso.

— Caos! Vocês gostam do caos. Eles podem até estar mais inteligentes agora... alguns, ao menos, mas continuam os mesmos besouros barulhentos de sempre. E nós? Nós estamos retrocedendo. É isso que penso.

Atena suspirou. Parecia chateada, o que deixou Zeus ainda mais enfurecido, no entanto ele nada mais disse e um silêncio recheado de implicância tomou conta do Olimpo.

Após esvaziar sua taça, Zeus fez um gesto com o indicador e um humano com um sorriso demasiado falso veio servi-lo. Ao pegar a taça, o deus dos deuses sentiu um calafrio na espinha ao ver ondas se formarem no vinho. Sorriu, intrigado, estava tão entediado que começava a imaginar coisas. Seria isso?

Levou o vinho à boca enquanto via Dionísio sorrir sozinho olhando para o celular. Fez uma careta de desprezo destinada a ele quando de repente o Olimpo tremeu, esparramando seu vinho para todos os lados, inclusive em sua antes imaculada túnica branca.

Aquele calafrio veio mais uma vez. Ficou sério. Quando pensava em poder batalhar de novo, não era bem esses tipos de batalhas que lhe vinham à mente. Bom, poderia estar errado, claro, mas o frio em suas juntas gritavam de terror. E ele nunca havia sentido tal coisa como terror, a não ser quando...

Outro tremor, mais forte que o anterior, abalou Olimpo. Todos os deuses se ergueram com rapidez a fim de se manterem firmes no chão. As taças e os pratos foram sacudidos na mesa até se partirem e se estilhaçarem pelo salão, os humanos serviçais caíram gritando por socorro. E o coração de Zeus se acelerou enquanto ele tentava esconder o desespero de sua face.

Era o deus dos deuses, não podia mostrar fraqueza. Vivera tantas coisas, conhecera tanto do mundo, batalhara tantas guerras e ainda assim sentia-se vulnerável no que se tratava daquele monstro.

O tremor cessou por um instante. Olhou para frente, contemplando o mar de casas que se estendia ao redor do Olimpo, e percebeu que o céu se escurecia. É ele mesmo, pensou. Mas como diabos ele saiu do monte Etna?

— Peguem os humanos e saiam daqui agora! — gritou Atena, tomando as rédeas da situação, como devia-se esperar da deusa da sabedoria. — Eu comprarei tempo para que fujam... Meu pai, derrote essa criatura! — E jogou o celular na parede, espatifando-o.

Com um impulso, Atena correu em direção ao parapeito do salão, agarrou uma espada e um escudo que jaziam como decoração de uma das pilastras e saltou em direção à base do Olimpo. Ainda paralisado, Zeus apenas assistiu.

— Devemos ficar — falou Hefesto. — Podemos lutar com você, Zeus.

Nesse momento, uma fúria misturada com orgulho encheu o peito do deus dos deuses, trazendo de volta seu tempo de reação, e disse com sarcasmo:

— Agora querem lutar ao meu lado? Da última vez que Tifão apareceu, vocês se metamorfosearam em animais, colocaram os rabos entre as pernas e fugiram para o Egito a fim de se transformarem em bichinhos de estimação de humanos. Pois que façam isso mais uma vez. Não quero covardes ao meu lado.

Virou as costas e caminhou em direção ao parapeito enquanto a terra tremia mais uma vez. Avistou no horizonte inúmeros dragões vindo em direção ao Olimpo, o dia se transformando em noite por causa da presença maciça das criaturas que começavam a cobrir o céu por inteiro.

Hermes se pôs ao seu lado:

— Vou com você.

— Todos sabem que você não possui habilidade alguma em batalhas.

— Posso ter aprendido uma coisa ou duas com o passar do tempo. — Outro tremor, e agora Zeus podia ver com mais nitidez a imensa silhueta do monstro. — Pai, não vou fugir nunca mais, fiz essa promessa naquele dia e pretendo cumprir. Não quero ser aquele que o resgata, quero ser aquele que luta ao seu lado. Assim como Atena.

— Que assim seja.

O deus dos deuses subiu no parapeito, pegou impulso e se jogou de braços abertos, o vento batendo forte contra seu rosto enquanto caía por minutos de uma altura de mais de dois mil e novecentos metros. Quando se aproximava do chão, endireitou seu corpo e segurou sua túnica para que ela não saísse por sua cabeça. Aterrizou com um joelho no chão e estrondo ecoou por todos os lados. Uma cratera se abriu na base do monte, ao seu redor, e poeira encobriu todo o local. Mais à frente podia ver o buraco onde sua filha havia caído.

Assim que a poeira começou a baixar, Hermes surgiu ao seu lado. Havia descido usando de sua velocidade e tinha o semblante sério, o que era inusual para ele.

Zeus sentiu-se orgulhoso.

— Leve-me até Atena. Ela já está bem mais adiantada. Melhor não deixarmos as coisas se repetirem.

Não queria ter de ouvir os ossos do corpo de sua pequena deusa se quebrando mais uma vez, como quando ela enfrentou Tifão eras atrás. Por mais que o terror o dominasse por estar indo de encontro ao único ser que um dia fora capaz de o derrotar, Zeus agora sentia-se mais confiante por saber não estar sozinho.

Hermes o ergueu nos braços e avançou com ele com rapidez, enquanto os tremores se tornavam mais intensos e o céu ficava negro como a noite. As criaturas voadoras de Tifão já rodeavam o Olimpo quando alcançaram Atena e pararam.

— Eles conseguiram fugir? — perguntou ela, preocupada com os outros deuses e os humaninhos serviçais.

— Foram todos. Não se preocupe — avisou Hermes.

Metros à frente, Tifão vinha furioso. Suas asas se abriram e pareciam prontas para engolir o mundo. De seus ombros, saíam mais dragões, que se enrolavam e se esticavam com as bocarras prontas para estraçalhar tudo e todos.

— Hermes — disse Zeus, os lábios crispados. — Passe pelas casas. Carregue os moradores para longe. Limpe a área para nós.

— Ainda há pouco queria exterminar os humanos. Agora quer que os salvemos — disse Atena, uma pitada de amor na voz.

Zeus fingiu indiferença com o comentário. De suas costas sacou um raio imenso. A arma suprema criada pelos ciclopes, a sua lança e seu escudo. Segurou-o firme enquanto entrava em posição de batalha ao lado da deusa da Sabedoria e via o deus dos Viajantes correr para retirar os humanos da área de perigo.

— Zeus! — bradou Tifão. Sua voz alta e retumbante causou uma ventania forte. — Hoje me vingarei de você, seu deus pequeno! Arrancarei seus membros outra vez, mas não vou mais o jogar numa caverna. Em vez disso, engolirei você e serei eu o seu cárcere!

— Que antiquado. Parece até o vô Cronos! — Riu Atenas, mas sua postura não ficou menos tensa com a piada.

— Também não vou mais o aprisionar em um vulcão, Tifão — gritou Zeus de volta. — Agora te mandarei para dentro de sua mãe, Gaia. Ela te fez e ela que te conterá!

A cada passo, Tifão parecia ainda maior e mais assustador do que o deus dos deuses se recordava. Agora, a couraça que ele vestia era feita de pedra da lava que secou de seu corpo, era como um titã esculpido em asfalto causando destruição desenfreada.

De repente, uma bola de fogo explodiu na cabeça de Tifão e então uma nuvem de cogumelo se espalhou para cima e para cima, causando em seguida uma onda de choque que quase tirou Zeus do chão. Teve de segurar Atena pelo braço para que ela não fosse carregada.

— Esses humanos... — resmungou Zeus. — Se meus raios quase não fazem cócegas nesse monstro, como uma bomba atômica poderia? Diga para Hermes dar um jeito nisso e depois venha atrás de mim.

— Não vamos atacar juntos?

— Faço o que eu digo!

Então Zeus correu em direção ao gigante, seu raio em punho já preparado para ser lançado enquanto ele juntava energia suficiente para que a explosão ao menos obliterasse a carcaça de pedra negra que cobria Tifão. A dois metros do monstro, lançou o primeiro raio, que explodiu e sacudiu o titã para frente e para trás, causando ainda mais tremores e lançando pedras que revestiam-no para todas as direções.

Zeus continuou correndo para tentar atacar mais de perto quando, de repente, uma horda de dragões veio em sua direção. Puxou mais um raio, porém Atena surgiu com um rugido de guerra e partiu dois dragões ao meio com sua espada enquanto se protegia de outro com seu escudo. Ela tomou um impulso usando a cabeça de outra besta e abriu passagem à força para Zeus, que seguiu em frente e em frente.

Mais um poderoso raio surgiu na mão direita do deus dos deuses que, com o coração na boca pela proximidade do ser que um dia o derrotara, lançou-o com fúria na cara do gigante, porém os dragões infernais se puseram na frente para receber o ataque. Ao seu lado, Hermes surgiu.

— Todos os humanos foram levados para longe — gritou ele, tentando ultrapassar o som da destruição.

— Arranje cordas.

— Para quê?

— Você quer ajudar. Então ajude. Amarre essas criaturas voadoras. Tire-as do meu caminho.

Zeus parou arrastando e levantando poeira do chão. Olhou para trás e viu Atena lutando com uma dezena de dragões, a veste já toda rasgada e o corpo picotado por causa da investida das bestas. Enfurecido por ver a situação da filha, o deus dos deuses apontou o indicador para Tifão.

— Você não vai me derrotar!

E jogou uma rajada de raios em direção ao monstro quando, de repente, plantas imensas brotaram do chão e se agarraram às pernas do gigante. Ao olhar para os lados, Zeus deixou o ar escapar de seus pulmões, surpreso. Os demais deuses do Olimpo estavam ali para ajudá-lo.

Não fugiram, pensou ele. Hum...

Todos juntos! — rugiu, e os deuses se prepararam para uma investida única.

Zeus lançou o seu mais poderoso raio enquanto os demais deuses faziam sua parte. A colisão de seus poderes em Tifão resultou em um imenso clarão que apagou o mundo por um minuto inteiro. Quando a luz intensa recuou, o gigante estava prostrado ao chão e atônito.

Zeus, com um sorriso no rosto e com o tédio dissipado, olhou para o céu limpo de nuvens e de novo claro.

Que uma nova era comece então.

21 de Novembro de 2020 às 15:33 25 Denunciar Insira Seguir história
14
Fim

Conheça o autor

Karimy Lubarino Imagine que a vida é uma ilusão, que a realidade não se passa de um sonho e que tudo aquilo que você acredita ser verdade é apenas uma linha em um livro. Imagine-se um anjo ou um demônio vagando pela terra em busca do seu propósito. Pense como seria se tudo aquilo que desejou se tornasse real, que seus medos fossem embora e o único sentimento que ficasse fosse o amor. Esse mundo é mais factual do que imagina, ele está presente nas histórias que você lê, nos personagens que se encaixam com você!

Comente algo

Publique!
Anne Claksa Anne Claksa
Olá Adorei seu texto, tem um leve toque de humor, é um texto fácil de entender e fluido. Imagina os deuses gregos usando celular e tendo que lidar com a modernidade dos mortais. E que final surpreendente para Zeus, quando ele achava que lutaria sozinho, os outros deuses apareceram para ajudar, não fugiram como o senhor do Olimpo pensava. Adorei aquela frase : " Que antiquado. Parece até o vô Cronos." Parabéns pelo conto, foi muito divertido acompanhar O tédio de um deus. Até a próxima!!!
March 11, 2021, 16:37

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Oiê! Tudo bem? Olha, eu confesso que me diverti bastante escrevendo essa história e fico muito feliz em saber que você conseguiu absorver o humor que há nela. Hahahaha achei que dar um toque mais família com essa frase seria bem mais tranquilo hahaha. Obrigada pela leitura e comentário, fico feliz demais com seu feedback! <3 March 16, 2021, 14:59
Alex Lorenzo Alex Lorenzo
Texto delicioso de se ler. Aprecio bastante histórias que envolvem mitologia grega e seu enredo fluido me deixou com gostinho de: quero ler mais. Suas construções textuais estão cada vez mais melhores.
January 11, 2021, 14:51

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Oi, Alex! Tudo bem? Já tinha um tempinho que eu não escrevia, então resolvi participar do desafio de Mitologia Grega pra ao menos não ficar tanto tempo mais parada e até que me diverti bastante participando. Fico muito feliz em saber que gostou do texto e que conseguiu enxergar um pouco de evolução na minha escrita. Obrigada. Mil beijos! January 11, 2021, 16:12
Rodrigo Borges Rodrigo Borges
Ser eterno, tendo presenciado e experimentado tantas coisas, para então ver um mundo evoluído, mas, ao mesmo tempo, tão parado... Ler sobre o seu Zeus entediado e ainda preso em seu passado me passou essa exata sensação. Achei show também Zeus sendo um paizão que tanto conquistou e cheio de filhos e filhas mimadas usando celular à mesa do jantar kkkkk cena icônica.
November 26, 2020, 20:50

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    hahahahahaha não dava pra deixar passar a oportunidade de mostrar um pai ranzinza através de Zeus. Quem mandou ter tantos filhos? hahahaha Obrigada pelo comentário <3 November 27, 2020, 10:27
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, Karimy! Antes de mais nada, deixo todos os meus agradecimentos por ter sido minha parceira neste desafio. Construir os comentários, ler e avaliar as histórias, ficar empolgada a cada nova história na tag… nada disso teria o mesmo significado sem você. Poder contar com a sua participação postando seu conto é outro júbilo: não só mãe dos dragõezinhos da equipe de Comunidade, como também mãe e mestra nas palavras. E como posso começar a tecer esse comentário sem encher demais a sua bola? Em meio a tantos contos envolvendo mitologia grega, me impressiona que o seu até então tenha sido o único que apresenta uma batalha épica, revivendo os tempos gloriosos dos deuses do Olimpo. Ainda assim, temos o contraste de uma época moderna com um contexto de dilema familiar bem atual: nem mesmo Zeus escapa de ter seus filhos vidrados nos celulares durante um almoço em família. O que posso dizer? A gente prefere ver meme a ficar ouvindo o pai reclamar sobre como as coisas eram nos “velhos tempos”. Mesmo com uma narrativa repleta de heroísmo, tensão e batalhas, O Tédio de um Deus ainda consegue trazer um aspecto familiar e divertido no enredo, mostrando que a união de fato faz a força, e até mesmo deuses, com toda sua glória e magnificência, precisam de uma ajudinha de vez em quando; o ápice dos ápices para mim foi quando Zeus, orgulhoso como é, estava preocupado em manter a postura diante dos outros, mesmo temendo o que estava por vir assim que começaram os tremores. Um comentário com referência que eu não podia deixar passar: sabe aquela cena em Ultimato dos Vingadores, onde o Doutor Estranho abre os portais e os outros heróis começam a aparecer em meio à batalha? Eu me senti com a mesmíssima empolgação quando os outros deuses voltaram ao auxílio de Zeus. Olha, se a história não tivesse seu tom mais sério, eu tocaria a abertura da Grande Família de fundo. (・∀・) Não posso deixar de comentar também sobre a participação dos humanos nisso tudo. Seu conto nos mostrou que mesmo com todo o poder bélico possível, lê-se uma bomba atômica sendo jogada diretamente na cabeça de um monstrengo, nós ainda precisamos dos deuses para nos ajudar a enfrentar algumas batalhas, por mais que tenham ficado esquecidos no tempo. Outro carinho pro ego de Zeus, e uma reflexão sobre o poder dessas divindades para nós. Observa-se que eu tenho sérios problemas em ter um tom mais sério aqui, mas enfim… reitero todos os agradecimentos e elogios anteriores! Sua obra foi divina, bem elaborada e instigante. Decerto, Zeus vai ter um bom tempo para se vangloriar antes de ficar entediado novamente. Muito obrigada por marcar sua participação nesse desafio! Um abraço e nos vemos novamente em breve, anunciando juntinhas os vencedores no dia 26/11.
November 26, 2020, 19:34

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Ai, tô muito emocionada! Hahahha ♥️♥️♥️ November 26, 2020, 19:54
 Silva Silva
Agora estou mais feliz ainda de você ter gostado da minha história. Que escrita incrível você tem! Primeiro, devo de dizer que gostei da visão de Zeus sobre os tempos atuais, foi uma ótima crítica social. Como já disseram nos comentários anteriores, a descrição das cenas de ação ficou espetacular. Foi realmente bem feito e trouxe um final satisfatório. Parabéns! Zeus finalmente não ficou mais entediado (Assim as mortais estão a salvo de produzirem outros semideuses) :v História incrível. :')
November 26, 2020, 11:31

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Ahhhhhhhhh que amor! hahahaha Muito obrigada, de verdade. Eu adorei escrever essa história, pois estou passando por um período bem difícil com minha escrita - escrever nunca foi tão difícil! Então não imagina como aquece meu coração os elogios. Ah, e eu adorei colocar em Zeus a imagem de um pai zangadinho e rabugento. No fim das contas, ele tem razão: hoje em dia não dá pra virar pro lado sem ver alguém mexendo no celular, mesmo durante as refeições. Simmmmm hahahhaha nada de sair virando chuva dourado por aí pra engravidar as mortais hahahahaha Obrigada pelo comentário e carinho! <3 November 26, 2020, 12:05
Gabriel Amaro Gabriel Amaro
Olá Karimy! Olha, sua história foi uma das minhas favoritas do desafio até agora, justamente por você ter apostado nessa cena de ação maravilhosa depois da construção inicial dos personagens. Vi que comentaram sobre Vingadores aqui e eu pensei nisso assim que li a parte final também kkkkkkkk Parabéns pela história e por esse final incrível!
November 25, 2020, 23:00

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Meu dia acaba de ficar melhor hahahhahaha Obrigada de coração pelo comentário e pelo carinho. Ah, eu adoro escrever sobre lutas e batalhas e confesso que adorei escrever essa. Apesar de curtinha, fez com que eu recordasse esse amor por escrever lutas - e guerras. VINGADOREEESSS, YES! hahahaha Uh, a crítica. Não poderia faltar hahaha hoje em dia fazer uma refeição longe do celular é difícil para a maioria das pessoas. De novo, muito obrigada <3 November 26, 2020, 12:02
amy ⛓️ amy ⛓️
Olá, mamãe. 👀 Mesmo que eu vá redigir todo o comentário sobre sua história, eu ainda assim não quis deixar de vir aqui com o meu perfil pessoal pra dar aquele gostinho do que vai chegar. E olha... o que dizer dessa história maravilhosa se não: perfeita? Foi a primeira narrativa de uma batalha épica que li depois de tantos contos ligados aos mitos gregos, e agora nos tempos modernos é engraçado ver que os almoços de família não são muito diferentes nem pros deuses. Ao fim, a união faz a força e Zeus vai sossegar o facho por um tempinho. Muuuito obrigada pela parceria insana, seja nesse ou no último desafio. É sempre bom podar contar contigo e trabalhar juntas. Um beijo. ♡
November 25, 2020, 15:38
A Louca dos Cavalos A Louca dos Cavalos
Oiee ♥ AI MDS JÁ AMEI O ZEUS E A ATENA ♥ Amo a Atena e ver ela e o Zeus junto, eu acho incrível. Zeus tremendo na base de medo de Atena ser mais forte que ele por que sabe que essa bicha é poderosa ♥ Aaah eu amo a Atena ♥ Um dos contos que eu pretendia escrever era com ela, mas daí mudei e também não sabia se poderia escrever mais de um. Todo mundo mexendo no celular, kkkk. Essa foi hilária. Afrodite toda, "Essa roupa está magnífica... ah, só o meu corpo à mostra!" O deus supremo com medo, essa foi engraçada, kkk. Eu amo ler sobre esses poderes surreais dos deuses ♥ AI GENTE, EU SURTO ♥ Atena é aquela filha que só da orgulho pros pais ♥ Deusa do Olimpo ♥ Uau, não conhecia esse Tifão, to escrevendo e mds! Surreal! MDS. AMEI MAIS AINDA MINHA DEUSA COM ESSE SARCASMO ♥ Olha só, não é filho. Milagre Zeus controlou-se. Agora vamos ao comentário decente ♥ Amei demais seu conto, bem original e único. Sua escrita é maravilhosa e conduziu muito bem a história, adorei como trouxe os elementos da mitologia e em como seria a vivência no século XXI. E também realmente escrever algo com Zeus da um trabalho maior, afinal ele é o Deus dos Deuses. Mas você se saiu muito incrível e demonstrou que isso foi una fichinha para escrever por que lidou bem com a premissa. Independente de nossa concorrência no desafio, parabéns e boa sorte e você tem muitas chances de vencer ♥ Ficarei feliz se ganhar. Bjss de cavalinhos ♥
November 25, 2020, 15:04

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh! Já surtei com esse comentário lindo! Muito obrigada de verdade. Fico muito feliz que tenha gostado de como resolvi desenvolver os deuses e as relações que eles mantém entre eles. Uh, foi um desafio e tanto, mas gostei bastante de participar, viu! Ah, nem se preocupe. Eu sou café com leite no desafio, então não entro pros destaques por fazer parte da embaixada. Mas mesmo assim adoro demais participar, me ajuda a conhecer autores ótimos como você e a poder interagir com eles. Obrigada de coração pelo carinho e pelo comentário <3 November 25, 2020, 15:21
Jade Wu Jade Wu
Oh Meu Deus! Não tenho palavras para explicar o quão boa foi a leitura do seu conto! Muito bem escrito, o enredo é surpreendente. Na hora da porradaria com todos os deuses, parecia a cena final de Vingadores Ultimato. E quando jogaram uma bomba nuclear na cabeça do bixo? O berro que eu dei não esta escrito. Sua história é muito boa, se eu pudesse dar mais de um coração, eu dava.
November 25, 2020, 00:11

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Eu que não tenho palavras, porque seu comentário me deixou em surto hahahahaha Vingadores, cara, que honra hahahaha Obrigada de verdade pelo carinho e por ter comentado. Escrever essa história foi um desafio muito maior do que o proposto pra mim e saber que você curtiu a leitura é impagável e fez com que meu coração ficasse quentinho que só! Obrigadaaa! November 25, 2020, 11:37
Megan W. Logan Megan W. Logan
Muito bom o seu conto, amiga! Gostei bastante da ação, Zeus saiu do tédio rapidinho e foi lutar, bem emocionante. Parabéns pelo ótimo conto! Bjs!
November 22, 2020, 18:33

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Oi, amigaaa! hahahahahah Verdade! Depois de uma ação como essa, não tinha como continuar no tédio, né! Muito obrigada pelo carinho e comentário! November 24, 2020, 10:10
Sophia Loren Sophia Loren
Nossa Karimy! Que conto magnífico! Adorei! Nunca tinha imaginado Zeus tão ranzinza assim. Tinha uma visão que ele adoraria essa nova época que poderia raparigar bem muito. E aumentar ao dobro sua população de semi-deuses. Mas ele irritado foi ótimo e ninguém prestando atenção nele melhor ainda, hahahaha! Gostei da luta com Tifão. Mas senti falta do Ares nela, acho que ele seria um dos primeiros a entrar em combate junto de Atena e Zeus. Mas como não conheço o mito do Tifão, então tranquilo. Parabéns! E muita boa sorte no desafio!
November 22, 2020, 13:02

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Oie! Hahahahaha A, eu não consigo evitar! Sempre que penso em Zeus, imagino alguém muito orgulhoso e ranzinza hahaha Ah, real! A parte da raparigagem é com ele mesmo! No mito original, apenas Atena luta contra Tifão e se sacrifica para salvar os demais deuses do Olimpo, que fogem. Depois disso, Zeus encara o gigante, mas perde a batalha (é aí que Hermes fica com remorso por ter fugido e volta pra resgatar o papi). Eu quis trazer um pouco de como foi a primeira luta pra história, mas no fim não resisti em juntar os 12 deuses do Olimpo para que eles lutassem ao lado de Zeus. Imagina só, quão poderosos eles são juntos! hahaha Obrigada pelo comentário e por ler o conto <3 November 24, 2020, 10:14
Isís Marchetti Isís Marchetti
Que conto perfeito, a mistura de algo da atualidade e a personalidade de Zeus ranzinza combinaram muito bem! Alias eu não consigo imaginar Zeus com outra característica do que a de um homem entediado depois de séculos se passando. Ver os filhos lutando lado a lado com ele também é uma diferença enorme na história o que deixou tudo com um saborzinho de família reunida. Adorei o conto!
November 21, 2020, 18:17

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Oie! hahaha Obrigada! Ah, não consegui aguentar, tive que colocar o Zeus estilo pai birrento hahaha Sim, caramba, queria muito colocar um final "família" na história e tirar um pouco da fama dos outros deuses do Olimpo de serem covardes hahahaha Bjsss! November 24, 2020, 10:15
Thays Diniz Thays Diniz
Adorei o conto. Os deuses desfrutando da tecnologia humana enquanto Zeus se tornou ranzinza ficou muito engraçado. A batalha ficou muito emocionante e empolgante. Adorei os deuses deixarem a diferenças de lados para ajudarem na batalha. E no final os deuses sempre tão humanos com as suas pequenas motivações.
November 21, 2020, 17:04

  • Karimy Lubarino Karimy Lubarino
    Olá! Fico muito feliz em saber que gostou! <3 Ah, eu adoro imaginar o Zeus dessa forma. Imagina só o deus dos deuses sendo ignorado enquanto faz birra hahahaha Ah, você tem toda razão. No fim, há sempre muito da humanidade dentro deles e talvez essa seja uma das coisas que eu mais goste nos mitos: de ver como eles podem mudar, como os humanos mudam. Obrigada pelo comentário <3 November 24, 2020, 10:17
~