Novo app: Inkspired Writer! Escreva, publique e gerencie suas histórias no seu celular!!. Leia mais.
laura-lilyth1605950721 Laura Lilyth

Charlotte é uma menina encantadora embarca numa jornada onde terá que enfrentar monstros junto com senhor Hugo um velho que vive sempre na sua loja


Conto Todo o público.

#aventura
Conto
0
730 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Jornada de Charlotte

No Palácio de versalhes em 1960 havia uma garota chamada Charlotte que vivia sempre no seu quarto, sua mãe bateu na porta pediu para ela se arrumar para o jantar pois teriam convidados, seu primo Marlon era insuportável, estudava nas melhores escolas da França, Depois que todos se sentaram na mesa para jantar, ele não parava de suas conquistas,Charlotte se retirou da mesa e foi até a sala deitou no sofá
Quando caiu no sono, teve um sonho que era bastante real,via um cavalo branco muito lindo, mais o cavalo parecia triste,então ela acordou com um susto do Pai
beijou a filha, já que ele ficava o dia todo no consultório médico, sua mãe tinha saído mais as amigas dela, então, Charlotte ficou com uma babá bem nojenta que se chamava Eleonor, que tinha uns olhos negros como a noite, Charlotte corria para seu quarto pois não gostava de ficar sozinha com ela no Palácio, de repente na janela do seu quarto havia uma sombra,então ela foi olhar e não tinha nada perto da janela, acabou dormindo Mas os sonhos sempre voltava, mais nunca conseguiu decifrar eles, então Charlotte acordou com o sol no rosto dela e sua mãe Marjorie disse: Bom dia mocinha!
Vamos acordando que está um lindo dia! Há mais mãe! Quero dormir mais um pouco! Nada disso mocinha vamos no Ateliê a tarde para compras alguns vestidos, ta bom! Mais quero vestido preto brilhante!
Ok mocinha! agora vai tomar seu café da manhã!
Charlotte descia as escadas, e sentou na mesa e falava com seu próprio pensamento dizendo: vou embora desse Palácio quero fugir para Londres capital da Inglaterra para vê a neve de perto,mocinha! mocinha! Você não me escutou, parecia que estava em outra dimensão, Desculpa papai! O que
Queria dizer?
Vou trabalhar! Mais volto a tarde para o Palácio!
Ta bom papai eu e a mãe vamos no Ateliê a tarde era melhor você não volta a tarde!
Está bem querida! De noite chego em casa, Depois que tomaram café a empregada retirou as coisas da mesa, ela tinha olhar triste que parecia que não dormia a dias! Mais Charlotte não perguntou nada,vai que a empregada briga-se com ela,e voltou para seu quarto, esperou a mãe se trocar ir ao Ateliê ,Passando pelas ruas de Paris, todas as pessoas trabalhando com seus comércios, carruagens passando,
Do nada Charlotte gritou mãe! mãe!
Vamos nessa loja de bonecas chamada La Maison de Poupée,ela via várias variedades de bonecas, então olhou para o senhor que tinha uma barba branca e perguntou: como se chama?
Hugo colecionar de bonecas, quantos anos tem senhor?
Espere filha é deplorável falar a idade das pessoas! Mais vou falar: tenho 90 anos!
Me desculpa senhor! minha filha é curiosa, me chamo Marjorie, vim olhar algumas bonecas
Fique a vontade senhora! As portas estara sempre abertas para você!
Obrigado senhor Hugo! Vamos Charlotte olhar as bonecas e deixe o senhor Hugo trabalhar,Quando Charlotte deixou a mãe de lado
Foi olhando nas prateleiras, e viu uma boneca linda tinha os cabelos loiros e cacheados, e tinha olhos azuis,
Então Charlotte gritou mãe!mãe! Olha essa boneca quero ela!
Vamos perguntar para o senhor Hugo quantos que esta a boneca
Senhor ?
Olha senhora não dou está boneca jamais é uma relíquia de família,
Mais senhor minha filha gostou dela,
Esta bem vou cobrar 5,000 Euros
Tudo isso?
Sim senhora! Posso até aumentar mais a quantia,
Tudo certo senhor vou leva!
Então o Senhor pegou a boneca da pratileira,
Chegou perto da Charlotte e disse: mocinha essa boneca é muito valiosa, cuide dela! As pessoas vão querer ela pois, contêm várias magias que pode-se revelar a qualquer instante, as duas foram embora da loja as vilas eram movimentadas, mãe sempre bondosa resolveu comprar toda as maçãs da banca as pessoas não parava de olhar seu bom gesto sua filha arregalou seus olhos para loja de doces, mas não entram um jovem rapaz olhou a menina de repente desapareceu como poeira talvez ele acha-se que enlouqueceu,
A tristeza dele é maior
Por não olhar ela novamente.
Passava o moço muito pobre que vendia flores então a garota resolveu pegar todas, chegaram aos seus aposentos a Charlotte ficou feliz por ter uma amiga
Adormeceu na mesma noite.
O dia ensolarado resolveu fazer as malas abriu a porta o vento vindo forte em seu rosto, pegou o primeiro trêm
E parou próximo a floresta por impulso entrou nele, havia uma Cintilante faísca
A fada da natureza cantarolou
E trouxe chocolate quente
Levou Charlotte até seus aposentos que cuidaria das veste, adormeceu junto com Antonieta a boneca de porcelana. Pierre colocou cartazes nas vilas até a Maison de poupée, a angústia dele por não saber por onde anda sua filha mantinha sempre a esperança
Decidiu avisar a esposa que iria até Londres de avião, naquela mesma noite partiu em Dezembro de 1961 ele não se alimentava direito dormiu no vôo
Charlotte dançava com as fadas ão escurecer jogaram um pó mágico junto com Antonieta começou a crescer
Isso é surreal
Me toque querida!
A mão da garota aproximou-se tocou seus cabelos loiros
Como é possível?
Eu guardo um pó mágico dentro de uma bolsinha que levo na mão que você nunca percebeu
Eu soube pelo senhor Hugo que tenho que te proteger pois está em perigo
precisamos nos esconder o mas rápido possível vamos em baixo da árvore e repousaram usou o pó e transformou-se rapidamente em boneca
no horizonte surgiu um boneco geométrico acenando para ela, claro que tinha um jeito peculiar apostou que aquilo era um truque, mas não era todos da floresta tinha acabado de dormir, estou ficando louca! Ele tinha tocado ela com seu próprio rosto dizendo, Ora não está!
Sou viajante como você terá que ser forte nos caminhos que percorrerá um longo caminho. agora vou dizer adeus! foi minha missão que se compriu,desapareceu com as borboletas.
O Pierre via o reflexo da filha aparecer nas nuvens, ele desembarcou em Londres naquele instante foi se hospedar, dormiu no seu aposento
o senhor Hugo observou um jovem rapaz loiro dos olhos azuis em frente a sua loja mas ele não deu muita importância, ao aparecer uma jovem mulher deu uma caixa misteriosa, disse para não abrir a curiosidade dele ficou enorme mas decidiu que não seria apropriado abrir na Maison de Poupée ele propôs que seria melhor guarda do que levar até antiguidade demoraria demais para desvendar o segredo, ao anoitecer foi até sua casa tomou um banho e repousou.
Charlotte se despediu dos amigos da floresta, e atravessou o rio mas o rei estava bem na sua frente furioso, como ousa atravessar por aqui? Estou numa missão preciso passar tudo vou fazer uma pequena pergunta mas antes diga seu nome, está bem digo sim! Meu nome é Charlotte vivo num Palácio estou em busca de aventura. Ora! Uma aventureira andando pelo jardim desconfiado assegurou que ela iria velejar, entraram no barco contemplou o lugar antes de partir, o rei admirou ela pela sua coragem, retribuiu com um colar de talismã, Charlotte parou num lugar que parecia um paraíso cheio de flores, a caminhada deixava ela cansada foi até o rio e bebeu água deparou com uma Deusa, pois bem ela não deu muita importância continuou bebendo até que a luz forte vindo em direção ao seu peito dizendo: meu nome é Aisling eu preservo a floresta ão caminhar ofereço proteção Charlotte agradeceu sua gentileza. Ela colheu algumas frutas antes de partir dizendo adeus à Aisling, ão aproximar-se de uma cabana antiga, escura cheio de aranhas, ela entrou de supetão alguém bateu forte na sua cabeça e desmaiou na manhã seguinte ao murmurar baixinho tem algum espírito? Ninguém respondeu absolutamente nada.O senhor Hugo fez um encanto que apareceu no jardim de Aisling Surpresa ela disse:Ora, Hugo sei que está a procura de sua querida Charlotte pois bem!Eu dei minha proteção a ela durante sua jornada Ficou desconfiado no começo mas sentiu segurança na palavra ele tirou do bolso um espelho colocou uns pó mágico esfregou a mão nela, viu a garota numa cabana Charlotte Gostava de objetos antigos curiosa olhou no banheiro observou um espelho tocou a mão nele percebeu que estava suja de um pó que brilhava igual o pó mágico de Antonieta,Por fim veio a constelação que contemplou,ela quase desistiu dar seus próximos passos até que alguém tocou seu ombro mas não tinha ninguém aproveitou seus últimos momentos naquele lugar para comer frutos que ainda sobro do jardim, a melancoliade ela fez sentir falta dos seus pais, Antonieta percebeu sua tristeza virou adulta.
Passando pouco tempo Pierre atendeu o telefone descobre pela sua mulher que o desaparecimento da filha está nos jornais ele teve que volta imediatamente ao Palácio pegou o primeiro vôo é foi embora,
ão chegar no seu lar a mulher abraçou ele disse que estava com uma fome danada, preparou a comida aproveitou falou do acontecimento
e a sua mulher assegurou que o melhor era viajar, Pierre pensou que era uma má ideia. Ão retornar a loja dele escreveu uma carta para entregar no Palácio da seguinte maneira:Queridos pais não me procurem levem uma vida como os ventos o lugar na onde estou é belo como vocês sensação de está em outro lugar é incrível claro que não estou só! minha boneca de porcelana está comigo ele colocou no correio. Na manhã seguinte Charlotte avistou uma montanha caminhou até ela havia uma luz que cobria a maior parte , quando inclinou seu corpo uma jovem mulher aproximou-se e disse: Sou Aine deusa solar soberana da luz, minha luz te acompanha durante sua jornada, às águas da montanha mostrava uma leveza, nadava com os golfinhos, contemplou o arco-íris naquele instante apareceu um lobo, Charlotte presenciou seus detalhes principalmente os pêlos tinha tanta suavidade.
A Pandora observava o senhor Hugo até a alvorada, por sorte ele não abriu a caixa, foi ao encontro de Charlotte a última jornada que ele viu dela pelo espelho, estava pronto para partir, mas a jovem moça apareceu novamente, perguntou: meu caro senhor qual é seu desejo?Ele apavorada retrucou: desejo guerra sangue derramado pegue sua caixa e abra ela! Ão abrir saiu magia negra dentro dela Tudo que ele desejou aconteceu veio a guerra, só alguém poderia inverter o que acabou de
acontecer, Na vila soldados chicoteava as pessoas,torturava cada criança , pedia aos donos da banca para não voltarem mas, O senhor Hugo foi ao encontro de Charlotte Quando viu ela estava em cima do cavalo branco, ele chamava toda hora vem até mim, ven.a! Venha querida! O reflexo do cavalo mostrava nas nuvem era o sinal de a guerra já tinha começado todos os protetores da floresta formaram grupos, cada um dia que ir ao santuário cuidar do local antes que o Hugo torne-se o líder todas as bruxas estavam em suas posições, nada dele aparecer vasculharam todos os lugares,
A fada Aine enfiou-se dentro da garrafa e vôo, de repente avistou uma garota com o cabelo da cor de mel, ela via o céu se erguer
de plumas, até uma foi parar no vidro entusiasmada chegou próximo a cabana abriu a porta não tinha ninguém, mas viu o reflexo da água na Charlotte na montanha , a busca por ela foi em vão; avisou a rainha Aisling; ficou solene
O nevoeiro cobria toda a parte do Palácio Pierre ficou deitado no seu quarto, a vida não fazia sentido sem a sua filha; ão entra no quarto dela havia um brilho ele aproximou a mão; enfiou a estaca no seu coração
de supetão sua esposa se deparou com a morte de seu marido; a idéia foi levar ele para o armário; como o céu estava todo coberto de um nevoeiro não tinha como ela sair em busca de ajuda;No alto da colina Charlotte mantinha seu olhar fixo para o lobo; cada reflexo dos seu pai sendo morto;sua mãe escondendo o corpo;
Ela teve que pensar numa idéia para poder voltar imediatamente para o Palácio; com a ajuda de Antonieta
não tinha como ninguém sair daquela floresta pensava Charlotte
Ela foi caminhando até chegar em um santuário, atrás de um árvore havia um gnomo escondido, ele era todo feito de estrelas, como pode isso séria possível? retrucou ela, tudo brilhava a sua volta,
Charlotte não parava de sentir-se culpada pela morte de seu pai apesar dele passar menos tempo ao seu lado; ão atravessar cruzou com o oceano era como as nuvens, cada passo que dava parecia um paraíso que aos poucos iam se rompendo, perplexa ão se deparar com o Senhor Hugo Antonieta rapidamente chamou Charlotte; as duas fizeram uma mágica para se proteger, o pó mágico de Antonieta não era suficiente para desaparecer
não tinha como ninguém sair daquela floresta pensava Charlotte
Ela foi caminhando até chegar em um santuário, atrás de um árvore havia um gnomo escondido, ele era todo feito de estrelas, como pode isso séria possível? retrucou ela, tudo brilhava a sua volta,
Charlotte não parava de sentir-se culpada pela morte de seu pai apesar dele passar menos tempo ao seu lado; ão atravessar cruzou com o oceano era como as nuvens, cada passo que dava parecia um paraíso que aos poucos iam se rompendo, perplexa ão se deparar com o Senhor Hugo Antonieta rapidamente chamou Charlotte; as duas fizeram uma mágica para se proteger, o pó mágico de Antonieta não era suficiente para desaparecer
não tinha como ninguém sair daquela floresta pensava Charlotte
Ela foi caminhando até chegar em um santuário, atrás de um árvore havia um gnomo escondido, ele era todo feito de estrelas, como pode isso séria possível? retrucou ela, tudo brilhava a sua volta,
Charlotte não parava de sentir-se culpada pela morte de seu pai apesar dele passar menos tempo ao seu lado; ão atravessar cruzou com o oceano era como as nuvens, cada passo que dava parecia um paraíso que aos poucos iam se rompendo, perplexa ão se deparar com o Senhor Hugo Antonieta rapidamente chamou Charlotte; as duas fizeram uma mágica para se proteger, o pó mágico de Antonieta não era suficiente para desaparecer
não tinha como ninguém sair daquela floresta pensava Charlotte
Ela foi caminhando até chegar em um santuário, atrás de um árvore havia um gnomo escondido, ele era todo feito de estrelas, como pode isso séria possível? retrucou ela, tudo brilhava a sua volta,
Charlotte não parava de sentir-se culpada pela morte de seu pai apesar dele passar menos tempo ao seu lado; ão atravessar cruzou com o oceano era como as nuvens, cada passo que dava parecia um paraíso que aos poucos iam se rompendo, perplexa ão se deparar com o Senhor Hugo Antonieta rapidamente chamou Charlotte; as duas fizeram uma mágica para se proteger, o pó mágico de Antonieta não era suficiente para desaparecer
Antonieta começou a sacudir seu pó mágico para alto mais não adiantou muito,a última solução era cantarola,
Cruzamos o horizonte atravessarmos o Oceano pularemos uma constelação , construirá um barco com mantimentos, com pessoas festejando
Naquele momento, às duas estavam comendo comidas deliciosas, pessoas dançando músicas celtas
Os ventos começou a ficarem fortes
Charlotte estava próximo a vila, ela achava estranho que não havia um habitante no local,só guardas naquele momento ela se escondeu atrás de um poço de água;
Ela suspirou para nenhum guarda a avise, Charlotte via sua mãe sair de supetão do Palácio, ela foi abordada pelos guardas que não deixaram passar, levaram ela
Charlotte ficou atenta para não se pega pelos guardas ão entra, vasculhou os lugares e não encontrou seu pai, a última opção era entra no quarto, ela encostou sua mão na maçaneta, e abriu a porta viu o senhor Hugo, ela tentou correr o mas rápido, ele ficou na cozinha dizendo coisas horrenda que a caixa de Pandora era a única alternativa para destruir o mundo, que nos anos 1950 sua mulher foi assassinada por um ex fuzileiro da marinha.
Me fale quem foi a pessoa que assinou sua mulher Senhor retrucou Charlotte aos pratos
Digamos que foi seu querido pai
Ele morreu com uma estaca no peito, sua mãe foi leva pelos guardas
Charlotte fechou os olhos desejou que todo o sofrimento daqueles que tinha famílias acaba -se
O desejo não foi atendido,
Antonieta usou seu último pó mágico para se tornar adulta,
Disse que os seus desejos não iam ser concedido, Aine aproximou -se do Palácio encantou todos, Charlotte sentiu uma coisa formingando o braço, acordou no Santuário, gritou Aine! Aine!
Diga princesa Charlotte o que deseja ?
Eu não sou princesa!
É sim!
Todas as missões que você cumpriu mostrou lealdade
O senhor Hugo está preço dentro de uma bolha não sairá mas.
Antonieta sentia alegria no seu olhar por todos viverem em Harmonia, não se ouviu falar mas da mãe, O jovem dos cabelos loiros morreu dentro de um poço, os guardas não encontram vestígios, No Santuário todos festejaram a Princesa

9 de Janeiro de 2021 às 01:17 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Fim

Conheça o autor

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~