Novo app: Inkspired Writer! Escreva, publique e gerencie suas histórias no seu celular!!. Leia mais.
ya-young1554031536 Ya Young

Pode um doce, trazer algo melhor que sabor? Mash vai ter a melhor experiência, após comer um doce, recheado com magia para o amor.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#Mashle #yaoi #mashle--magic-and-muscles #Lance-Crown #Mash-Burnedead
Conto
0
642 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Amortentia

— Ultimo dia, para o Mash limpar aquela, cabana das corujas, sei que isso é errado, e proibido, más eu preciso, que Mash, me ame.

— Lemon, vamos, temos aula, agora. — Dot, surgiu do nada me dando um susto.

Soltei os doces, que estava preparando, especialmente para Mash, não podia me atrasar, para a aula, olhei mais uma vez, para o doce, com o recheio de Amortentia.

— Anda, Lemon... — senti o garoto, segurar o meu pulso, me fazendo andar mais rápido, para longe daquela cozinha.


Mais tarde

— Eu tentei fazer o seu doce favorito, podia provar e me dizer se está bom. — olhei para Mash ansiosa, o garoto olhou para o doce e começou a comer.



— Obrigado Lemon, está muito bom.

— Mash, esqueceu seu compromisso? Hoje você ainda deve limpar a cabana das corujas. — Finn entrou na cozinha, logo fazendo Mash ir embora.

Tentei correr atrás do rapaz, más acabei sendo parada por Finn e Dot, que queria treinar, para conseguirmos moedas para a nossa casa.


Cabana das corujas

Meu corpo parecia pesado, a cada movimento, eu sentia que ia explodir, e piorava com os ataques repentinos das corujas, mesmo uma semana, elas não se acostumaram comigo, senti um calor, subindo pelo meu corpo.



— Será que a Lemon, me deu bolinho estragado?

Fui ao chão, aquele calor piorava muito, desafrouxei a gravata, e comecei a temer tentando abrir os botões da minha camisa. As corujas me olhavam curiosas, arregalando seus olhos, e os fixando em mim.

Me arrastei como pude para um canto, cheio de fenos e protegido por ficar atrás de uma das arvores, moradia das pequenas corujas.

Minha respiração estava pesada, levei meus dedos aos lábios umedecendo-os, enquanto tentava acariciar meu pênis que latejava por baixo da roupa.

— Mash está aqui? — ouvi a voz da Lemon, e por alguma razão, abafei qualquer som, que pudesse fazer, ouvi os passos se distanciando.

— Aquele cabeça oca, não está aqui? E justo quando, vi os capangas de Lang, vindo atrás dele? — ouvi a voz baixa de Lance, me fez arrepiar.

Soltei um gemido, queria atenção do rapaz, e pelo jeito consegui, os passos dele se aproximavam mais.

— Mash... O que você está fazendo? — os olhos dele se arregalaram.

Talvez por ver o meu estado, minha barriga estava suja de sêmen, meu pênis exposto, para fora da calça, sentia que meu rosto ardia, enquanto ele me olhava.


Lance Crown povs

Aquele cabeça oca, estava se masturbando ali mesmo, com todos os animais olhando, seu corpo suado, ele tinha o rosto ruborizado, o suor escorria por seu abdômen se misturando com o sêmen, ia dar meia volta e sair dali, se não fosse por ele me segurar com suas pernas, sua força é descomunal, mesmo na parte inferior.

— Me solte, eu não vou ficar...

Não deu tempo nem de terminar o que dizia o mais novo, ele se ajoelhou, mordendo meu membro de leve, me fazendo estremecer, ao encarar aqueles olhos tons amarelos, que mostravam o desejo e luxuria.

Engoli em seco, quando sua mão acariciou meu pênis, que reagia aquela demonstração de desejo, peguei minha varinha, conjurando uma magia básica para selamento, fechando aquele lugar, para mais ninguém entrar, conjurei outra para adormecer aquelas corujas.

— Mash, me diga, você está louco? O que te fez, reagir assim?

— Eu não sei, só me ajude.

— Eu não...

— Ataca-me com isso. — ele usa seus dedos do pé, para acariciar meu pênis.

O rapaz a minha frente, começou a se despir, retirando as peças que ele, só havia aberto, o corpo dele é muito musculoso, más o ver gemer enquanto se masturba, me fez focar somente, em seus gemidos umedecedores.

Retirei minha capa, e me deitei, por sobre aquele corpo, sentir sua respiração, em meu pescoço, me arrepiava, meu rosto foi puxado para um beijo, e pela euforia, e falta de ritmo, podia jurar, que era a primeira vez dele, fazendo isso.

Passei minha mão, por seu rosto, tentando ajudá-lo com o ritmo, acabou não funcionando, ao em vez disso, seu sinal de nascimento ficou borrado, isso seria impossível, já que ele esta em uma escola de magia. Meus pensamentos foram, levados assim, que ele mordeu meu lábio.

— Calma, segue o meu ritmo.

O mais novo se acalmou, na parte do beijo, más seus quadris começaram, a se mover, tentando contato com o meu corpo.

— Mash, se acalme. — levantei seu quadril encarando, seu anus, lambi aquele lugar, umedecendo o bastante.

Vi ele gozar só com aquilo, passei a mão em seu peito usando seu sêmen, para ajudar meu dedo a entrar naquele lugar apertado, soltei um pouco seu quadril, focando minha atenção nos movimentos dos meus dedos.

Retirei minhas roupas, que me incomodavam, os olhos dele brilharam ao encarar meu membro, seu corpo se moveu rápido, me empurrando para trás, só pude entender ao ver Mash, abocanhar meu pênis, e começar a chupá-lo.

— Isso é, muito bom. — mesmo o rapaz tendo algumas dificuldades, ele estava fofo, fazendo aquilo.

O empurrei, fazendo deitar-se sobre minha capa, vi o mais novo puxar um pedaço do pano e cheirá-lo, penetrei aquele corpo delicadamente, fazendo ele jogar a cabeça para trás, e soltar um gemido alto.

— Lance.

Segurei suas pernas, contra seu peito, começando a me mover, lentamente, enquanto observava as feições, que Mash fazia, ele revirou os olhos assim que encontrei seu ponto de prazer, sorri estocando sempre no mesmo ponto, fazendo os gemidos aumentarem.

Soltei suas pernas, que me circundaram a cintura, estiquei meus braços, puxando seu rosto para um beijo, Mash melhorava, mais e mais naquilo, senti seu lábios se afastarem dos meus, para logo beijar meu sinal de nascença.

— Lance, mais fundo, eu quero mais. — o mais novo me fez deitar, subindo em meu colo e colocando meu pênis, em si.

Gozei assim que ele começou a se mexer, meus olhos foram preenchidos, com o rosto envergonhado de Mash, durou pouco o vergonha dele, estava sendo atacado novamente, pelas mãos do mais novo.

— Mash, não esta cansado?

— Não. — ele disse, abocanhando meu membro, novamente.


03h, depois.

— Passou o que estava te perturbando? — olhei para o rapaz que se vestia, ele não me encarava.


— Mash, não pode nem me responder?

— Lance, eu não...

— Não, queria? Para alguém que não queria, você soube...

— Eu não quero, que fique assim, por conta de algo, que nem compreendo, se fiz isso com você, foi por gostar de você.

Segurei sua cintura, puxando seu corpo contra o meu e beijando, seu pescoço, subindo meus lábios até sua boca, enrolei meus dedos, nos fios do seu cabelo.

— Não deixe, qualquer outro te tocar assim, eu sou muito possesivo com o que é meu.

— Diz o cara, com complexo, de irmão mais velho.

Me vesti também e a cada oportunidade, dava selinhos no rapaz ao meu lado, peguei minha varinha desfazendo as minhas magias, ajudei Mash com a limpeza, e antes de sairmos ajudei ele com a marca, o que perguntaria, em outra oportunidade, sobre aquilo.

— Achei você. — vi Lemon, entrando toda afobada. — Mash, você esta bem? Não sentiu nada?

Olhei para a garota com curiosidade, o por que ela queria saber se Mash estava bem, e se não sentiu nada? Lemon tinha feito algo, para Mash passar tudo aquilo?

— Lemon, você fez algo para ele? — a garota estremeceu.

Despois de contar tudo, ela se senta aliviada, de seu feitiço não ter dado "certo", questionei para saber qual era o feitiço completo, depois dela me contar, olhei para Mash, que voltava a ficar com aquela cara de bobo.

— Não faça, mais isso, esses feitiços foram banidos, por causar muita bagunça, deve ficar longe, se alguém for te amar, deve ser por que, gosta realmente de você.

— Me desculpe mesmo Mash, eu não queria lhe causar problemas.

Vimos a garota se afastar, de cabeça baixa, uma pontada em meu peito, aquilo só seria por conta de um feitiço, se tinha alguma duvida, o mais novo me mostrou que, não havia espaço para duvidas, depois do que aconteceu.

— Você é mesmo surpreendente, cabeça oca. — disse entregando meu brinco para ele. — Isso é pra mostrar que você tem dono, quem não entender eu posso explicar perfeitamente. — disse o beijando, antes de sairmos, da cabana.

The End ❤




























27 de Novembro de 2020 às 17:48 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Ya Young Amo o Got7.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas