inulovearte Edna Conrado

Sasuke Uchiha era o tipo de pessoa que pensava primeiro em seus objetivos. Se formar na faculdade, conseguir um bom emprego na sua área de preferência e ter sucesso na carreia e na vida. Por isso muitas coisas em sua vida ele deixou de lado, como sua inseparável virgindade. Porém o mesmo não se importava nenhum pouco por isso, pelo contrário, tinha orgulho de ter conseguido sobreviver essa tentação. Contudo, tudo poderia ter saído como ele desejava se não fosse por um pequeno infortúnio. Sakura voltou á Konoha após longos anos fora, e isso acarretou com reencontro com fortes emoções. Sakura era o tipo de pessoa com a mente completamente aberta. Bissexual assumida e feminista até os ossos, a rosada voltará a sua cidade natal para tratar de assuntos familiares, porém ao reencontrar seu melhor amigo de infância resolveu ajuda-lo na questão de seu pequeno problema.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#haruno #uchiha #fanfic #comédia #love #naruto #Sasukau
0
352 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

I - Comer, Rezar e Festejar!

Minha Amiga Louca

Capítulo I – Comer, Rezar e Festejar!

-:-Sasuke On-:-

Tudo o que eu queria era dormir até tarde, já que era sábado e eu não tinha nada para fazer naquela manhã, mas infelizmente a campainha insistia em tocar loucamente. A pessoa do outro lado queria mesmo morrer. Soltando um suspiro pesado, forcei o meu corpo a se erguer e levantar lentamente. Soltei um bocejo e caminhei arrastando os pés até a sala e novamente até a porta de entrada. Olhei pelo olho mágico e revirei os olhos assim que avistei meu melhor amigo do outro lado.

Abri a porta e encarei a cara sorridente de Naruto.

— Demorou, Teme. — Resmungou ao entrar no apartamento sem ser convidado. Fechei a porta e lentamente voltei para a sala e sentei-me na poltrona azul-escuro.

— O que você quer aqui tão cedo, Dobe?

Soltei outro bocejo.

— Vim te buscar, ué. — Respondeu como se aquilo fosse óbvio. Franzi o cenho para mostrar que não havia entendido. — Teme, eu já tinha te avisado há semanas que hoje era a festa da Ino. Ela vai inaugurar a Lux hoje, e vai ser uma festa e tanto. Todos esperam que você vá.

Torci o nariz, não estava muito a fim de ir a mais uma das festas de Ino. Ela sempre fazia uma a cada seis meses, porém essa era diferente, era inauguração de sua boate. A qual seria um famoso ponto em Konoha, mas eu não queria ir e nem gostava das festas daquela loira, mesmo Naruto me arrastando para todas.

— Não vou. — Disse por fim.

— Ah, vai sim.

— Não, eu não vou. — Resmungo. — É sábado, estou de folga e não tenho nenhum trabalho da faculdade. Apenas quero descansar.

— E é pra isso que uma noitada com os amigos serve. Para descansar e ajudar a melhorar a aparência. Sério cara, você tá precisando muito disso.

Solto um suspiro pesado, me dando por vencido. Se não aceitasse o loiro iria me irritar a semana toda e ainda me infernizar pelo resto da vida. Prefiro ceder minha noite do que minha vida. Balancei a cabeça confirmando minha presença, Naruto deu um sorriso de vitória se levantou. Logo se pôs a caminhar em direção ao meu quarto, invadindo o meu guarda-roupa.

Naruto sempre reclamava do meu modo de vestir, o qual era completamente largado e despreocupado. Não tenho muito interesse em parecer apresentável para os olhos dos outros, gosto que saibam que sou assim e sempre vou ser assim.

Estava olhando para a televisão quando Naruto voltou com uma roupa social presa em um cabide.

— Então, Teme. — Exclamou erguendo a muda de roupa. — Vista isso e escove os dentes, pois ninguém merece sentir seu bafo de cobra. E dá um jeito nesse cabelo.

Lhe lancei um olhar irritado, fazia algum tempo que ele começara agir de forma abusada e irritante. Desde que começou um namoro fixo com a herdeira Hyuga, o Uzumaki tem se soltado cada vez mais.

Resmungo ao me levantar e ir em direção ao banheiro, onde fiz minha higiene matinal e arrumei meu cabelo. Troquei de roupa e sai, encarando meu amigo olhando para os livros que lotavam a estante. Dei de ombros e vesti minhas meias e um sapato preto formal. Ele havia escolhido uma roupa formal com uma camisa preta giz, que combinava perfeitamente com as calças preta e o paletó negro.

— Já disse pra dá um jeito nesse cabelo.

— Porra, sabe que ele não faz o que você manda. — Ralhei aumentando o tom da voz. — Essa merda vai ficar assim!

— Esqueci que você tem um ninho na cabeça. — Riu debochado antes de ajustar seu próprio paletó. O qual era de cor azul-marinho com giz, por dentro uma camisa branca e os cabelos devidamente penteados para trás.

Discutimos mais alguns minutos enquanto eu tomava um café da manhã decente e pegava minha carteira. Sai do apartamento e o tranquei, assim que entramos no elevador uma musiquinha começou a tocar. Era para acalmar o ambiente e as pessoas nele, porém sempre a odiei. Atravessamos o hall da entrada e esperei o manobrista entregar as chaves de uma lamborghini laranja bastante chamativa. Ao contrário de mim, Naruto sempre gostou dos holofotes.

— Por que me arrastar á essa hora? — Perguntei em mais um bocejo.

— Antes da inauguração, Ino vai fazer uma recepção no ap dela. Parece que uma mina voltou pra cidade, e elas resolveram comemorar o reencontro.

— E por que eu tenho que participar desse reencontro?

— Sei lá, Teme. — Naruto resmungou ao parar em um sinal vermelho. — Ela só disse que é pra todos estarmos lá.

Solto um bufar e observo o sinal ficar verde. Voltamos a nos movimentar e atravessar a cidade rapidamente, Ino morava na cobertura de um apartamento na parte nobre. A loira era filha de grandes executivos, e esbanjava dinheiro aos quatro ventos. Nos conhecemos desde o fundamental, e desde sempre ela e o Naruto me arrastavam para as festas.

Assim que paramos na frente de um prédio alto e completamente luxuoso, xinguei-me mentalmente por ter amigos totalmente diferentes de mim. Saio do carro e Naruto entrega a chave para o manobrista, entramos no prédio e logo avistei mais um que se dizia meu amigo.

— Kiba! — O loiro o chamou, e o dito cujo sorriu a nos ver.

— Imagino que essa garota seja muito especial, já que o Sasuke está aqui. — Riu encarando-me com diversão.

— Espero que seja. — Retruquei dando um sorriso fraco. — Já que estou aqui e não na minha cama.

— Ainda não acredito que tu é o único de nós que não comeu ninguém ainda. — Lançou Kiba, soltando uma risada e sendo acompanhado pelo loiro.

— É que ele está se guardando para o casamento. — Naruto debochou sorridente.

Revirei os olhos, onde foi que arrumei amigos assim? Entro no elevador junto com os idiotas que continuam a tirar sarro de mim. Dou de ombros e finjo que não estou ouvindo, ou melhor, bloqueio a voz deles. Se tem uma coisa que eu aprendi nesses anos todos era bloquear o que eu não queria ouvir. Apertei o botão da cobertura e a caixa de aço começou a se movimentar.

Olhei-me no espelho da parede e bufei, meus cabelos continuariam bagunçados até o dia da minha morte. Nada os faz ficar comportados e eu já tinha desistido de tentar. Sai quando as portas se abriram, dando a visão de um luxuoso e grande apartamento. Estou acostumado com as exuberâncias que Ino gosta de mostrar, fico imaginando como será sua boate. Atravesso a sala e vou direto para o lado de fora, onde havia uma enorme piscina sendo usada por garotas de biquínis e homens seminu.

Uma música irritante tocava e algumas pessoas cantavam e dançavam no ritmo. Não gosto de hits animados, prefiro o bom e velho rock. Segui Naruto e Kiba até umas das cadeiras de praia, que se encontravam debaixo do sol das dez da manhã. Onde uma loira estava deitada.

Ino tinha os cabelos longos e a pele bronzeada, curvas bonitas e um belo par de olhos azuis. Era realmente uma mulher poderosa no seu biquíni vermelho e no óculos de sol. Ao nos avistar ela abriu um sorriso caloroso.

— Que bom que vieram. — Levantou-se e balançou os seios fartos. Forcei meus olhos a olharem uma mini-palmeira, pelo menos eu era educado, ao contrário dos dois ao meu lado. Que praticamente comeram a loira com os olhos. — Sasuke, estou feliz que tenha abandonado sua cama para me vê.

— Se eu não viesse você iria lá.

— Iria mesmo. — Sorriu maldosa, o que arrancou um sorriso meu. Ino tinha uma incrível habilidade de persuasão.

— Então, quem é a mina? — Kiba perguntou colocando as mãos nos bolsos e olhando ao redor.

— Não vejo ninguém novo. — Naruto murmurou pousando os olhos em uma garota especial. Pele alva e cabelos escuros presos em um rabo de cavalo, os olhos perolados avistaram o loiro. Hinata sorriu para o namorado e o mesmo saiu ao encontro dela sem falar nada.

— Pode tirar seu cavalinho da chuva, Kiba. Nem pense em dar em cima dela, principalmente por você ser você. — Ino exclamou apontando o dedo para o Inuzuka, que lhe olhou confuso.

— Eu? O que eu fiz?

— Ah, seu cachorro, você vai saber assim que avistar ela.

Agora fui eu que franzir o cenho confuso, do que aquela loira estava falando? Será que já estava bêbada? Não, quando Ino fica bêbada ela fica sorridente e pagava muito mico.

— Foda-se ela então. — Kiba rosnou com raiva e se afastou, tirou as roupas e se jogou na piscina.

— Sasuke, esse presente é pra você! — A loira exclamou animada.

Olhei para Ino com a maior cara de confuso que conseguia fazer, porém ela não revelou nada e nem disse nada em relação à garota. Após alguns minutos tentando arrancar algo da loira, ela virou-se e sorriu alegremente. Segurou minha cabeça e me forçou a olhar em direção da sala, onde saia uma figura feminina e muito esbelta. Pernas torneadas e bronzeadas, um biquíni verde que parecia escamas, um par de seios medianos. Perto da sua cintura uma tatuagem de três flores de sakuras e no tornozelo direito um kanji escrito Força. Subi mais meus olhos até os ombros, onde outras tatuagens se encontravam. Duas cerejas, uma em cada ombro. Um par de olhos esmeraldas se encontrou com os meus, e assim que olhei seus cabelos longos e róseos eu a reconheci.

— Sakura? — Aquilo soou mais como uma pergunta, já que eu não a via há muito tempo. Seus lábios vermelhos curvaram-se em um sorriso alegre e em um impulso ela pulou no meu pescoço, abraçando-me fortemente. Fiquei um pouco sem reação, porém logo retribui o abraço na mesma escala.

Sakura Haruno era minha melhor amiga no tempo de escola, porém por causa de seus pais, teve que se mudar para longe e perdemos contato desde então.

— Karai, Sasuke! — Ela me deu um tapa no ombro. — Tentei te encontrar em tudo que é rede social, até no Tinder!

Acariciei o ombro um pouco ardido, Sakura sempre teve uma força monstruosa.

— Eu não uso essas coisas. — Respondi dando um leve sorriso. — Apenas tenho um e-mail e um celular para ligações.

Sakura abriu a boca de forma incrédula e um tanto engraçada.

— Ino, o que vocês fizeram como ele? — Virou-se para amiga que ria.

— Tá doida? Sasuke se tornou um velho ranzinza antes dos vinte anos. Naruto e eu sempre tentamos fazer ele voltar ao normal, mas é inútil. — Ino defendeu-se, lhe lancei um olhar sério. Não me tornei um velho, apenas comecei a apreciar muito os meus momentos calmos.

— Essa é a falta que faço, não? — A rosada sorriu, debochando.

— Ah, iludida. — Respondi sorrindo também.

De certa forma, sim, ela me fez muita falta. Éramos vizinhos, amigos e confidentes. Sempre tive Sakura em minha vida, e sempre recorria a ela quando acontecia alguma coisa. Porém, tudo mudou quando ela teve que ir embora, minha vida era mais chata e um tanto irritante. Nem sair com Naruto me fazia querer aproveitar o dia ou me divertir.

— Merda. — Ouvi um resmungo vindo de trás, virei-me e vi Kiba mergulhando e atravessando a piscina até o lado mais longe. Foi então que saquei o porquê Ino não querer que ele desse em cima da nova garota. Era por que eles já se conheciam e se odiavam.

Kiba foi o primeiro namorado de Sakura, e ela gostava muito dele, naquela época. Porém, o Inuzuka sempre foi cachorro de nascença, e acabou traindo a Haruno, e assim que ela tomou conhecimento disso, jurou que iria se vingar. Em um belo dia de jogo, o colégio estava lotado para a final das regionais. Kiba não apareceu para o jogo, o que já o deixou em maus lençóis com o treinador, e foi então na saída que todos encontraram o Inuzuka. Não sei como Sakura conseguiu tal feito, mas Kiba estava amarrado no topo do mastro da bandeira usando apenas uma cueca.

Houve muitos risos de deboches, gargalhadas histéricas e reclamações. No final, Sakura ficou suspensa uma semana, mas nunca mais ninguém a traiu ou sequer tentou.

— O que esse ser anencefálico faz nesse lugar? — A rosada olhou para a loira.

— Saky, relaxa. — Ino sorriu e passou por nós, sentou-se na beirada da piscina e olhou atentamente seus convidados. — Aproveite o sol, querida. Pois a noite vai ser longa.

Sakura abriu um largo sorriso.

— Mal espero para aproveitar essa noite. — Puxou-me pelo braço até a beira da piscina, antes dela fazer o que eu acho que ia fazer, parei bruscamente. — O que foi?

— Não estou usando sunga, não vou entrar na água.

Ela juntou as sobrancelhas rosas e me olhou estranho.

— O que fizeram com você, Teme?

Franzi o cenho, ela só me chamava assim quando queria me provocar, e em um movimento rápido abriu os botões da minha camisa e a puxou. Arregalei os olhos um tanto pasmo, Sakura me despia na cara dura e eu não conseguia fazer nada além de olhar seu sorrisinho maldoso. Assim que abaixou minhas calças o meu corpo se arrepiou por completo, segurei a respiração e tentei não olhá-la mais. Ela jogou meus sapatos junto com minhas roupas em uma cadeira branca e me atirou na água.

Logo depois ela se jogou, mergulhando e nadando até a outra borda. Onde submergiu e assustou Hinata.

— Hina. — Ela sorriu para a morena, que retribuiu o sorriso doce. Antigamente, Hinata era muito apegada a Sakura e Ino. — Quando sai o casório?

O rosto da Hyuga tornou-se vermelho e eu quase tive uma certeza que vi fumaça saindo de suas orelhas. Ri junto a Sakura e me aproximei delas. Hinata olhou timidamente para Naruto, que abriu um sorriso envergonhado.

— Pensaremos isso no futuro. — Murmurou passando a mãos pelos cabelos.

— Já aviso que quero ser a madrinha! — Sakura ergueu o braço, animada. — E você o padrinho, não? — Virou-se para mim com as sobrancelhas erguidas.

Pensei na possibilidade de Naruto se casar realmente com a Hinata, e de como ele iria querer que seu casamento fosse o mais tradicional possível. Como uma bela despedida de solteiro, coisa que eu, Sasuke Uchiha, não conseguiria fazer. Parece que levei muito tempo pensando nas minhas futuras tentativas fracassadas de festas quando senti outra tapa forte no meu ombro.

— Isso doeu. — Resmunguei, olhando-a.

— Que bom, significa que está vivo. Por que segundos atrás parecia que estava habitando em Marte.

— Aposto que os Marcianos seriam mais acolhedores do que você. — Rebati da mesma forma.

Ela me olhou um pouco ofendida, e eu não conseguir conter um sorrisinho vitorioso. E Sakura não perdeu tempo ao se jogar sobre mim e tentar empurrar minha cabeça para a água. Eu me debatia ainda rindo e tentava me desvencilhar de seus braços, porém a força da Haruno estava além da minha compreensão.

— Sakura, para de tentar me matar. — Rindo segurei seus pulsos com o máximo de força, o que a fez me olhar com o rosto animado. Foi então que uma pergunta surgiu em minha mente. — Por que voltou?

Seu sorriso morreu no mesmo momento e sua expressão endureceu.

— Isso não é importante. — Soltou-se e virou de costas. — Acho que vou pegar uma bebida. — Desconversou, nadou até a borda e saiu, de costas para mim, pude vê as outras tatuagens que Sakura possuía. Acima da parte de baixo de seu biquíni, havia um desenho de uma raposa, já nas costas havia um dragão que corria atrás de uma lua crescente. A última estava no seu ombro, o símbolo do Hakuna Matata.

Foi estranho e um tanto confuso, ela fora embora junto com sua mãe assim que seus pais se separaram. Ainda pensando no que poderia ter acontecido com Sakura, sai da piscina e peguei uma toalha limpa em cima de uma mesinha de bambu. Enrolei a toalha na minha cintura e andei até a entrada da sala, não gosto muito de ficar seminu na frente dos outros. Passei pela sala e olhei para a cozinha, a rosada não estava lá, onde Sakura se meteu?

A sala continha algumas pessoas a qual eu não conhecia, andei até um corredor que dava em uma sacada e observei algo meio incomum. O corpo muito conhecido estava aos agarros com um desconhecido. O homem era grande e bem musculoso e Sakura se enroscava nele de uma forma totalmente saliente. Abri a boca um tanto incrédulo, a menos de cinco minutos estávamos conversando e a encontro assim.

Ela não era mais a pessoa com quem eu convivi antigamente. Ela nunca me largaria assim no meio de uma festa, bom, já estava acostumando com meus amigos que faziam a mesma coisa, mas Sakura fazer isso meio que me magoava. Tentei ignorar o que a Haruno fazia e fui até a cozinha pegar uma cerveja, depois voltei para junto a Ino.

— Onde está a Saky? — A loira sentou-se ao meu lado na borda da piscina.

— Com a língua na boca de um bombado. — Aquilo soou de uma forma estranha, até eu me surpreendi.

— Ah, então ela não perde tempo. — Sorriu maliciosa e depois olhou para mim. — Eu sugiro não ficar com essa cara de bunda, Sasuke.

— Não estou com cara de bunda.

— Sasuke, você só tem duas expressões. Cara de um velho de 79 anos e cara de bunda. — Ela ergueu os dois dedos, mostrando que estava seria. Franzi o cenho um pouco ofendido. — Lembra o final de semana que viajei para Tóquio?

— Ah, sim. Foi uns dos únicos final de semana que tive paz. — Respondi em um resmungo.

— Haha, engraçadinho. — Sorriu forçadamente enquanto pegava a minha cerveja e dava um gole. — Na verdade, eu estava na Grécia.

— Foi fazer o que na Grécia?

— Eu fui me encontrar com a Sakura. — Respondeu rápida, a olhei fixamente, Ino sabia da Sakura há bastante tempo e não teve a coragem de me contar. — Calma, Sasuke. — Ergueu a mão em defesa. — Ela que me pediu para não contar pra ninguém. Sakura precisava de uma ajudinha para voltar para Konoha.

— Por que ela voltou?

— Não sou a pessoa pra quem você deve fazer essa pergunta, Sasuke.

— Ela não respondeu quando perguntei. — Dei de ombros.

Ino ficou alguns minutos em silêncio e quando abriu a boca um corpo tatuado se jogou na piscina, fazendo água espirrar para todos os lados.

— Poha, Sakura! — Ino gritou assim que seus óculos de sol ficou todo molhado.

— Ah, desculpe, querida. — Sakura sorriu cínica, ela fez aquilo de propósito. Provavelmente tentando evitar que Ino falasse algo que não devia.

Ela nadou até o meio das pernas de Ino e apoiou-se nas coxas da loira.

— Conhece algum ap legal? — Perguntou voltando o sorriso. — Preciso de um lugar para morar.

— Eu já disse que pode ficar aqui. — Retrucou Ino, incomodada.

— Tá doida? Não com o Sai aqui. — Sakura se afastou um pouco.

— Sai? — perguntei um pouco confuso. — Você ainda tá morando com o Sai?

— Oh se tá. Ontem mesmo eu vi algo que não devia, e estou um pouco traumatizada.

— Cala a boca, testuda. — Ino sorriu e arrumou o decote do biquíni. — Aquilo foi uma coisa completamente natural.

— Não naquela posição. — Sakura estreitou os olhos verdes em direção a loira.

Ergui as sobrancelhas um pouco interessado em saber mais. Mas Ino se jogou em Sakura e tapou sua boca, forçando a rosada não falar nada. Apenas pude sorrir com aquela cena e imaginar o que Ino estava fazendo.

— E você, Sasuke? — A Haruno soltou-se das mãos da amiga e me encarou. Franzi o cenho mostrando que não estava entendendo. — Já perdeu o cabeço?

Ino explodiu em gargalhadas histéricas, Sakura a encarou confusa e depois voltou seus olhos para mim.

— O que foi?

Limpei a garganta e tentei focar meus olhos na vista do prédio.

— Sasuke estar se guardando para o casamento. — Ino exclamou em voz alta. Obrigado, você é uma ótima amiga. Abaixei a cabeça um pouco constrangido e logo ouvir Sakura rir de mim.

— Krai, Sasuke. Quem imaginaria que você acabaria assim e o Naruto já casado. — Ela riu ao se aproximar de mim. — E olha que ele era o garoto mais odiado pelas meninas das escola e você o mais admirado.

— Eu ouvi isso! — O dito cujo gritou do outro lado. — E não estou casado!

— Como isso aconteceu? — Ela se posicionou no meio das minhas pernas e se apoiou nas minhas coxas. — Como não comeu ninguém ainda?

Engoli em seco e olhei em seus olhos ansiosos por uma história interessante. Soltei um suspiro pesado e tentei não parecer muito inocente e inexperiente.

— Não sei. — Respondi com a voz baixa. — Apenas foquei meu tempo em algo mais produtivo.

Sakura revirou os olhos.

— Gozar não é algo produtivo? — Indagou e se afastou, bufei encarando-a. Sakura parecia o Kiba, falando merda e putaria. — Vou resolver isso! — Exclamou decidida, colocou as mãos na cintura e me olhou com um sorrisinho maligno. — Hoje vou arrumar alguém para você enfiar seu nabo.

Meu rosto ficou quente e meio que fiquei envergonhado de ouvi-la falando do meu membro. Tomei o resto da minha cerveja e tentei parecer normal.

— Como dizemos lá na Grécia. — Sakura olhou para Ino que sorriu e aproximou-se.

— Carpe Diem, vadia! — Elas gritaram em uníssono enquanto jogavam água em mim.

Sorri e aproveitei o resto do dia com aquelas malucas que chamava de amigas.

28 de Outubro de 2020 às 00:59 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 15 dias.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~