mafuyuchii Mafuyuchii

Aos olhos de todo o colégio UA e da pequena cidade em que estava habituada, Midoriya Izuku era uma das garotas mais cobiçadas, com sua aparência peculiar e temperamento gentil e doce, muitos estranhavam o fato dela nunca ter tido um namorado. Talvez fosse porque ninguém esperava que Izuku tivesse um segredo, mas que tipo de segredo seria esse? ainda mais envolvendo magia e quem sabe, beijo de amor verdadeiro?


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#mafuyuchii #enchanted #miritama #mirio-togata #tsuchako #tsuyu-asui #kaminari-denki #uraraka-ochako #todoroki-shoto #iida-tenya #fanfic #genderbend #femdeku #midoriya-izuku #bakugo-katsuki #bakumido #bakudeku #boku-no-hero-academia #my-hero-academia
2
399 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Era uma vez uma garota que era uma princesa no século XXI

Quando eu era criança, uma pequena e ingênua criança, esperava todas as noites de forma ansiosa o meu pai ou minha mãe me contar as histórias antes de dormir. Como eu era filha única e bom até hoje sou filha única, meus pais costumavam me mimar muito, me tratar como uma verdadeira princesa.

Com um quarto grande e luxuoso, com uma casa grande, eles me davam tudo… mas ainda assim, meu pai, e especialmente minha mãe, sempre me ensinou valores importantes de vida e um deles…

“Era uma vez, em um reino distante e encantado, uma bela e doce princesa, herdeira do trono e amada por seus súditos e por seu povo, e claro apaixonada pelo homem com quem estava prometida a se casar. Contudo o Rei, escutando boatos sobre o prometido de sua filha, acabou por ficar preocupado pelo fato de o pretendente de sua filha ser um homem que fizesse mal a ela.

Desesperado e temeroso pela segurança de sua filha e de seu reino, pediu a ajuda da boa fada madrinha da jovem, para saber o que poderia ser feito para protegê-la. Então a doce fada com suas palavras gentis e sorriso grande, conjurou um feitiço na doce princesa enquanto esta dormia profundamente na madrugada de seu casamento, sem o conhecimento da princesa soubesse.


“Ó doce e gentil princesa, caso o destino lhe ponha no caminho de um homem com má índole e que queira lhe fazer mal, você não sofrerá de mal algum, pois o beijo tão cheio de maldade de seus pretendentes, o amaldiçoará e lhe fará se tornar em um animal, então este nunca poderá lhe fazer mal, e nem de tuas descendentes.”


E assim aconteceu, no dia do casamento da jovem princesa, aconteceu o que todos temiam e não desejavam para a princesa, no momento que o casal se beijou, o jovem príncipe noivo se tornou em um sapo, um grande e gosmento sapo que não fez mal algum a princesa e nem ao reino. Fim!”

— E essa é a história querida, gostou? - Quem fizera a pergunta foi um homem de cabelos loiros médios, ondulados e olhos azuis. Este estava exibindo um sorriso para a pequena garotinha deitada na cama, os olhos verdes e grandes pareciam assustados.

— Papai mas que tipo de história é essa? E a princesa?

— Bom, ela descobriu que o homem não queria o bem dela e não a amava de verdade e…

— Mas como o feitiço sabia disso papai?

— Izuku é por que o feitiço…

— Mas papai e a princesa? Papai por que não perguntaram para a moça antes se ela queria um feitiço? - A garotinha foi fazendo cada vez mais e mais perguntas, o que deixou o homem assustado olhando na direção da garotinha, como uma criança de cinco anos podia perguntar tantas coisas dessa forma? —Papai me fala! Papai! - Perguntava cada vez mais, até mesmo subindo no colo do pai o olhando diretamente no rosto, com aqueles olhos verdes grandes e curiosos, querendo encontrar respostas e mais respostas.

Por que sua menininha tinha crescido tanto? E agora estava fazendo perguntas complicadas para ele? Mas os dois pararam quando escutaram uma doce risada vindo da porta, e lá estava uma bela mulher de cabelos verdes e olhos da mesma coloração da garotinha na cama, com uma estatura baixa e o corpo magro, ela parecia se divertir vendo a expressão de desespero do homem loiro.

— Mamãe! - A garotinha chamou vendo a mulher caminhar até onde estavam os dois. - Mamãe, o papai parece perdido contando a história hoje de dormir.

— Eu não estou perdido! - O loiro respondeu vendo a garotinha rir do loiro.

— Você é péssimo até em colocar crianças para dormir Toshinori? - A mulher perguntou rindo em seguida, vendo a menininha deitar na cama novamente e relaxar com a cabeça no travesseiro.

— Ah poxa… e eu ainda li o livro de dicas Inko... - O loiro falou chateado, mas mudou a expressão quando sentiu a esposa acarinhar os cabelos loiros médios antes de sentar na cama.

— Coisas assim são complicadas de se aprender em livros Toshinori. - Inko respondeu, então desviando o olhar para a garotinha curiosa. —Mas então, qual é a sua dúvida menininha curiosa? - Inko perguntou sentando-se do lado do loiro na cama da garotinha.

— Bom… É que na história que papai contou, eu só não entendi como que um feitiço pode saber que uma pessoa tá apaixonada de verdade pela outra ou não… como que o feiticeiro fez isso mamãe? - A garotinha perguntou vendo sua mãe fazer uma expressão pensativa, até mesmo fechando os olhos e inclinando a cabeça procurando por uma resposta no fundo de sua cabeça.

Inko passava então a ajustar o cobertor para cobrir totalmente a garotinha na cama verde e com desenhos de coroa enquanto parecia pensativa, até mesmo Toshinori olhava com expectativas querendo saber uma resposta para aquela questão. Mas então pareceu que uma luz subiu a cabeça de Inko e ela sorriu para a garotinha.

— Minha mãe, a sua vovó, costumava cantar uma música para mim que respondia a mesma dúvida sabe Izuku? - Inko falou vendo então a pequenina olhar surpresa.

— V-Verdade mamãe!?

— Sim, eu também quando tinha sua idade tinha a mesma dúvida sabe, porque minha mãe contava essa história… então ela cantava para mim, e isso solucionou todas as dúvidas que eu tinha! - Inko respondeu estalando os dedos e sorrindo.

Toshinori passou a fazer carinho na cabeça da filha que olhava ansiosa para os dois adultos, mas especialmente para Inko.

“Em meus sonhos dou um beijo de amor,

Em um príncipe encantador,

É o que faz o final feliz da história,

E é por isso que os lábios são

Uma porta para o coração

Só o verdadeiro beijo diz,

Se achou a pessoa que sempre quis”


Mamãe costumava cantar muita essa música para mim quando eu era criança, era só ela cantar um trecho curto que eu caia em um sono profundo, como toda criança cairia. Mas, o que eu não sabia era que o que minha mãe cantava para mim, a história que meu pai contava quase todas as noites, se tornaria a minha história, a minha maldição.

Sim, a maldição na princesa continuou por todas as gerações da família Midoriya até hoje. Toda mulher que nascesse na linha central da família Midoriya seria condenada a viver sob essas condições, até que ela encontrasse a pessoa certa, somente um beijo de amor verdadeiro poderia a libertar dessa vil maldição.

Bom, pelo menos eu não fui condenada a dormir por 100 anos apertando o dedo em um fuso de uma roca como a Bela Adormecida, ou a comer uma maçã envenenada como a Branca de Neve, ou até mesmo ser uma fera e ter que viver a sorte para esperar de fato pelo amor verdadeiro… quer dizer, eu tenho que esperar pelo amor verdadeiro mesmo.

O máximo que tem acontecido é que eu tenho vivido condenada a dormir com cerca de seis animais no meu quarto todas as noites.

Dois gatos, dois cachorros, um hamster e um sapo.

— Deku-chan eu não aguento mais essa vida como gata! Quer dizer, eu amo ser veloz e ser graciosa, mas odeio ter que vomitar bolas de pelo! Sabe como isso é horrível? - Uma gata siamesa resmungou, deitada na cama da esverdeada de cabelos longos e que permanecia deitada na cama, a gata parecia incomodada afofando a cama e usando as unhas afiadas de uma felina para estragar propositalmente ao cobertor da garota de cabelos longos.

— Ela não tem culpa disso Uraraka, você sabe disso. - Um gato de pelos escuros com manchas brancas também respondeu deitado na cama do lado da esverdeada. —Quer dizer, uma parte sim.

— Eu pensei que você era o amor da minha vida Todoroki-kun! - Izuku se defendeu pegando o gato no colo e o repousando para fazer carinho na cabeça dele. - Até descobrir que você tem o mesmo gosto que o meu.

— Pelo menos você descobriu primeiro do que meu pai. - Todoroki respondeu ronronando em seguida, sentindo o carinho na sua cabeça.

— E você pensou isso de mim também? Que eu sou seu amor verdadeiro? - O hamster falou inquieto na gaiola que Izuku teve que arranjar pra ele ficar, se não sabe-se lá onde esse bichinho amarelo e minúsculo ia parar? Ainda mais com uma aparência tão peculiar. Amarelo, com um raio negro na sua traseira direita.

— Você foi burro, eu avisei que não era para me beijar naquele armário Kaminari, além disso você não tinha a Jiro? Por que quis me beijar?

— Porque eu ia ganhar a fama de popular! Afinal, todo mundo fica querendo saber por que raios você nunca namorou ninguém, ou até mesmo nunca beijou ninguém! Eu ganharia fama para mim e para minha banda!

— Está vendo, ele mereceu virar um animal. - Izuku falou apontando para o hamster revoltado correndo em sua rodinha desesperadamente. Bufou irritada vendo Uraraka estragando seu cobertor. - Ura-chan por favor para de ser um gato e estragar meus cobertores.

— Mas virar um animal? Sério Midoriya? - Kaminari berrou irritado, vendo Izuku bufando revoltada para Uraraka que não parava de afofar seu cobertor.

— Ura-chan para de estragar meu cobertor por favor.

— Não está fofo o suficiente! - Reclamou Uraraka.

— Fala sério! Presta atenção em mim Midoriya! - Kaminari reclamou parando de rodar sem parar e andando até a borda da gaiola. - E você pensou que o Togata-senpai era o amor da sua vida também? Ele é a droga do teu primo!

— Isso foi um acidente, um singelo e calmo acidente! - Mirio falou sorridente, com os pelos dourados longos soltando pelo no tapete, os olhos azuis e a língua para fora, Mirio Togata era um amigável e doce Golden Retriever que estava deitado no tapete de forma relaxada, e Izuku fez uma cara fechada enquanto acariciava Todoroki que a essa hora já estava até dormindo no colo da garota.

— Ele quis treinar o beijo dele comigo para beijar o Tamaki e eu para sabe-se lá quando ia beijar alguém, eu só descobri que era amaldiçoada com o Togata-senpai.

— Bom, pelo menos com Tamaki ele não virou cachorro, né Togata-senpai? - Uraraka perguntou rindo, mas logo foi chutada pela Izuku da cama que acertou alguém que estava dormindo no tapete.

— Com Tamaki eu posso ser mais cachorro do que sou agora. - Mirio respondeu divertido mexendo seu rabo de forma animada, parecendo se lembrar sabe-se lá do que, o que fez todo mundo olhar assustado.

— Ah 'pelamor', nos poupe dos seus assuntos quentes Togata-senpai e Uraraka-kun para de cair nas minhas costas, eu preciso terminar a lição de álgebra. - Iida falou, um cachorro assim como Mirio, mas que parecia da raça Dobermann com os pelos azulados e… usando óculos? os óculos até mesmo brilharam de forma reluzente dizendo a estas palavras enquanto suas patas estavam sobre o livro de álgebra aberto no chão.

— E como você pensa em terminar a lição de álgebra com essas patas Iida-kun? - Uraraka perguntou, ainda nas costas do Iida.

— Não esperava que você fosse do tipo que atrasa as lições gero. - Quem fez a observação era uma pequena sapinha verde em um aquário, os olhos verdes e a expressão engraçada no rosto enquanto estava cercada de plantinhas artificiais fez Uraraka, a gata, olhar feliz na direção da garota sapo.

— Tsuyu-chan! A gente te acordou? Desculpa.

— Está tudo bem Ochako-chan. - Tsuyu falou calma. - Eu estou a pouco tempo nessa questão de me transformar, mas até que estou gostando dessa vida de sapo gero, são meus animais favoritos.

— Eu até gosto de ser gata, mas não dá para ficar grudadinha em você Tsuyu-chan! - Uraraka reclamou pulando no cômodo e parando do lado do vidro onde estava a Tsuyu.

— Ah não, não comecem com coisa de namorico por favor, eu já aturo vocês o dia todo e até de madrugada? - Midoriya perguntou revirando os olhos.

— Eu não aguento mais virar um hamster isso sim! - Denki reclamou. — Eu tenho que ensaiar para o show da banda, desde que fiquei eu não consigo melhorar na guitarra! Nossa, essa raiva me dá vontade de ir correr nas rodinhas!

— Bom, desde que isso aconteceu comigo, eu tenho atrasado tudo em minha vida, inclusive os deveres de casa, e não sou muito fã de cachorros, então tem sido péssimo para mim. - Tenya também reclamou.

— Ah gente vocês tem que ver o lado bom disso, quando se vive com isso por quase dez anos vocês se acostumam. - Togata disse de forma relaxada, mas aquilo pareceu a gota d’água.

E naquele momento tudo o que escutei foi o berro dos seis animais dentro do meu quarto, eles apenas reclamavam sobre algo que eu evitava de pensar que era… quanto tempo eu levaria para encontrar o amor verdadeiro... “dez anos!?” foi o que eles berraram de forma chocante.

— Deku-chan quanto tempo a gente vai ter que esperar?! - Uraraka berrou.

— Midoriya eu adoro passar tempo com você, mas não como um gato sabe? - Todoroki até mesmo tinha acordado, e reclamou olhando para a garota.

— Eu também queria madrugar com o Tamaki, mas fazer o que né? - Mirio falou conformista.

— Eu preciso ir para a Harvard! Como que eu vou morar no campus sendo um cachorro toda a madrugada? - Iida falou preocupado.

— Gero! Gero! Não quero ser sapo pra sempre! - Tsuyu choramingou.

— Como raios eu vou ser um cantor sendo um hamster? Eu não consigo fazer nada com essas patinhas! Só consigo correr ah! - Kaminari reclamou, continuando a correr.

— Gente! - Izuku chamou surpreendendo os seis animais naquele quarto. —Eu… eu sei que eu preciso encontrar meu amor verdadeiro para quebrar a maldição de vocês, eu prometo! Vou fazer isso o mais rápido possível! - A garota disse motivada. - Por favor não desistam, eu não vou deixar vocês animais para sempre! É só que eu tinha oito anos e o Mirio nove quando isso aconteceu sabe? Foi muito sem maldade, mas a maldição começou! A gente era criança!

Os animais ficaram em silêncio naquele momento, olhando uns para os outros.

Era difícil ser uma princesa amaldiçoada nos dias atuais, ainda mais para manter o controle das pessoas que sofrem consigo.

— Eu prometo, nesse ano eu vou conseguir achar meu verdadeiro amor! - Izuku falou motivada, apertando seus punhos com bastante firmeza vendo os animais olharem uns para os outros e concordarem, Izuku então continuou a escutar os animais falando sobre esperança e sobre dormir, pois eles todos precisavam sair às seis da manhã de casa da Midoriya, como era rotineiro.

A maldição pelo menos não era tão drástica quanto antigamente. Segundo alguns arquivos guardados pela família, a maldição antigamente fazia a pessoa que não era seu amor verdadeiro se tornar em alguma coisa. Na geração de sua mãe, que era a amaldiçoada da família, as pessoas se tornaram plantas que falam, na geração de sua avó as pessoas se tornavam canecas falantes e agora na geração da jovem esverdeada, eram animais domésticos. Além disso, o tempo da maldição tinha uma duração de tempo, começava da meia noite e ia até às seis horas da manhã, e para não causarem estranhamento e nem revelarem o segredo da família Midoriya, os seis amaldiçoados concordaram de permanecer na casa de Midoriya e dormir, mas assim que se tornavam humanos, todos saiam da casa da Midoriya.

Pelo menos era o que ela pode fazer por eles, além de continuar a sua busca pelo amor verdadeiro. Após apagar a luz do quarto batendo palmas, deitou na cama se jogando para trás de forma brusca, fechando os olhos e escutando os boas-noites vindo dos seis animais, especialmente de Todoroki que ainda estava em sua barriga relaxado. Já era tarde e todos precisavam acordar cedo, afinal a única coisa que conectava todos ali era a maldição. Não era como se fossem amigos de fato afinal.

E era como pensava todas as noites, que precisava logo encontrar um amor para quebrar essa maldição.

— Por que eu não posso ser como as princesas anteriores e sonhar com meu amor verdadeiro? A Bela Adormecida fez isso! A Cinderela também… até a Branca de Neve! - A esverdeada reclamou, fechando os olhos e suspirando. — Ah eu sou um fracasso como princesa...

Ela só queria poder sonhar com quem deveria ser seu amor verdadeiro… sonhar…

— “Um sonho é um desejo tão bom...

N’alma adormeceu

Em sonhos a vida é calma…”

— Midoriya-san não começa com negócio de cantar no meio da noite pra sonhar!

— É a 20° vez já! - Todoroki reclamou na barriga da garota.

— Toda noite isso cara! - Kaminari reclamou ouvindo o resmungo de todos os animais e a garota tampou ao próprio rosto, envergonhada, só podia escutar os miados, os latidos e os coaxar da Tsuyu pelo quarto.

— Desculpa pessoal! - Pediu, envergonhada, mas de raiva tirou Todoroki da sua cama e eles só escutaram um miado alto, ninguém merecia um gato resmungão.

É… não era fácil ser uma princesa adolescente em seu pior momento no século XXI.

27 de Outubro de 2020 às 18:13 1 Denunciar Insira Seguir história
1
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Mafuyuchii ❱❱❱ ╰★╮『 ᗰαƒυyυcнii 』 ✰ Escritora e Designer no site Social Spirit e também no Nyah Fanfiction, vou começar a postar minhas histórias aqui também :> https://www.spiritfanfiction.com/perfil/alanispedroso https://fanfiction.com.br/u/351346/

Comentar algo

Publique!
Isabela Borges Isabela Borges
Gostei do capítulo, estou curiosa com o que vai acontecer✌️💛
~