tomasrohga Tomas Rohga

Sarah é uma repórter novata que tem a chance de visitar uma instalação onde um grupo de cientistas finalmente descobriu um meio de explorar outros planetas de forma segura, mas alguns segredos do universo ainda não estão prontos para serem revelados.


Horror Literatura monstro Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#Nasa #ross #cósmico #conto #horror #universo #espaço #arrepiainks
Conto
8
3.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único


No último dia de preparação, William Irving apreciou a refeição com tudo a que tinha direito. Comeu devagar, saboreando cada nova mordida.

Seria da comida que mais sentiria falta.

Tentando conter o nervosismo, William se arrastou pelos corredores do laboratório à frente de um pesquisador e de uma repórter um tanto afobada chamada Sarah.

Ao atravessarem a passagem, foram esterilizados pelos borrifadores acoplados às paredes e desceram pelo elevador da plataforma.

William a avistou assim que alcançaram a instalação do subsolo. Um ano de preparação havia sido necessário para se chegar àquele momento. Engoliu em seco. Precisava de frieza para executar a missão designada.

Além da dupla que acompanhava William, cinco cientistas de jaleco branco se encontravam ao redor da câmara, todos com o logotipo da Nasa no peito.

Era uma espécie de tubo de vidro construído no interior de uma máquina, cuja extremidade superior se elevava em direção ao teto no formato de um imenso pilar cônico, brilhando de luzes e bipes eletrônicos.

— Tenente Irving — cumprimentou um dos cientistas ao avistá-lo. — Já está tudo pronto.

O homem encarou a câmara aberta e respirou profundamente.

— Vamos acabar com isso.

Adentrou na cápsula e o vidro se fechou hermético. Um gás encheu o compartimento e William caiu em sonolência.

— Começando transporte de consciência — anunciou outra cientista. Digitou alguns códigos e apertou um grande botão vermelho no painel de controle.

Um pulso de energia se expandiu em formato de anel a partir da cápsula de William, que acordou no segundo seguinte e retesou todos os músculos do corpo. Os olhos e a boca de William brilharam feito farol, gritando um rugido silencioso e ofuscante. Tudo voltou ao normal tão logo aconteceu.

— Meu Deus! — exclamou Sarah. — Que foi isso?

— O sinal do sucesso da missão — respondeu um cientista com aspecto sorridente. — Toda a consciência do tenente Irving foi transportada ao espaço.

Sarah apanhou o celular e colocou-o em modo de gravação.

— Poderia explicar, mais uma vez, sobre o que estão fazendo aqui?

— Bom, a Missão Alaraph visa ampliar tudo que conhecemos acerca do universo até agora. Esta máquina — apontou para a cápsula onde o homem dormia, — transforma todas as ondas cerebrais do participante em sinais de rádio que viajarão na velocidade da luz pelo espaço. Em outras palavras, a projeção da consciência do tenente Irving viajará por 11 anos até o planeta Ross 128b, confirmado como o melhor e mais próximo planeta habitável, com água líquida e terra seca. Dessa forma, ele poderá nos trazer respostas sobre a superfície de um planeta alienígena da forma mais segura possível.

— Impressionante — disse Sarah. — Quanto tempo demandará a missão?

— Onze anos de ida, dois meses de exploração e onze anos para o retorno à Terra.

— Mas… é muito tempo, não acha? Que efeitos podem haver sobre o psicológico do tenente?

— Ele foi treinado rigorosamente para esta missão. Só acordará quando chegar à Ross 128b.

Sarah desligou o gravador, pressupondo se aquele cientista ainda demonstraria tamanha confiança caso a missão desse errado.

Imaginou-se sozinha por vinte e dois longos anos… flutuando pela imensidão obscura do espaço, costurando por entre as estrelas e a frieza do vazio infinito. Ainda teria de vagar pelo interior de um planeta desconhecido… cruzes, pensou Sarah. O sentimento de aflição a tomou de assalto, sentindo os pelos da nuca se retesarem. Enlouqueceria. Tinha certeza que sim.

À época, a missão fora amplamente divulgada pela imprensa. Vinte e dois anos depois, chegado o momento de a cápsula ser reaberta, tenente Irving acordou em delírio catatônico. Tornara-se sensível a barulhos altos e só grunhia numa linguagem incompreensível.

Empolgada, Sarah voltou ao laboratório do subsolo, enxergando-se outra vez na câmara que estivera quando ainda novata, mas arregalou as órbitas ao divisar a silhueta de uma figura que se aproximava à distância. Era pura deformidade ocultada pelas sombras, com várias extremidades ondulantes.

— O-o que é aquilo? — gaguejou Sarah.

Uma cientista tremia ao lado da repórter.

— É… o tenente Irving.

Um dos braços que brotavam da silhueta, convulsionante como um peixe fora d’água, esticou-se até o cientista mais próximo e o repartiu numa chuva de tripas e sangue.

O corpo de William Irving se transformara num pesadelo feito de solidão e desconhecido. Um corpo feito de morte.

Sarah fora encurralada pela criatura.

25 de Outubro de 2020 às 03:59 30 Denunciar Insira Seguir história
13
Fim

Conheça o autor

Tomas Rohga Um reles garimpeiro de palavras. Comecei a escrever ainda criança na mesma tarde em que terminei de ler o primeiro livro. Desde então, passei a vagar por este mundão munido apenas de uma ideia na cabeça, um caderno embaixo do braço e uma caneta na mão.

Comentar algo

Publique!
Anjo Setsuna Anjo Setsuna
O que esse Tenente terá visto, hein? Urg arrepio até de pensar, adorei o conto!
October 30, 2020, 17:30

Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, Tomas! Antes de falar sobre seu conto, gostaríamos de te parabenizar pela construção de sua história e agradecer a participação no #arrepiainks. É muito importante para nós contar com o apoio de vocês! Agora, falemos sobre essa obra que desperta em nós o medo pelo desconhecido: você merece grandes méritos por ter balanceado bem suas descrições, de modo que nada na sua narrativa ficou vago ou incompreensível. No decorrer da leitura conseguimos conhecer muito bem os personagens e suas personalidades, motivações… sentimos receio tal qual Sarah quando a experiência, de início, se mostra um sucesso. Antes do fim, já estamos arrepiados com a ideia dos vinte e dois anos de isolamento no espaço. Talvez possamos pensar que não vagar por ali fisicamente conceda alguma vantagem, mas o final acentua que seria um equívoco pensar de tal modo. Com uma premissa super interessante, digna de um roteiro de filme de sci-fi, seu conto ainda foi capaz de inspirar sentimentos ligados ao gênero horror: aflição, medo e ansiedade se sobressaem. Deixamos novamente nossos parabéns por seu trabalho! No mais, reiteramos que os vencedores do desafio serão anunciados em 29/10 — hoje — através do Facebook. Fique de olho! Seu nome pode estar na lista. (; Um abraço, Equipe de Comunidade da Embaixada Brasileira do Inkspired.
October 29, 2020, 19:17

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Muito obrigado, equipe Inkspired. Agradeço todo o feedback. O desafio foi incrível! October 29, 2020, 22:45
amy ♡ amy ♡
Olá, Tomas. Como vai? Eu sou a Amy, uma das embaixadoras responsáveis pelo #arrepiainks! Em breve você receberá um comentário mais completo, feito através do perfil oficial da Embaixada, mas vim aqui deixar minhas impressões individuais sobre a sua história. Afinal, excesso de incentivos é o único que não faz mal. ♡ Eu fiquei encantada do início ao fim: você conseguiu utilizar a limitação de palavras ao seu favor e construir um texto magnífico, com informações exatas e precisas, que desperta um medo comum pra gente, daquilo que nos é desconhecido. Me faltam palavras para atribuir à sua história, por hora, vou me limitar a dizer que amei, do fundo do coração. Meus parabéns por sua obra! Até logo! :D
October 28, 2020, 16:14

Lilac L. Lilac L.
Caramba, eu não estava esperando que o coitado do Tenente que fosse virar um monstro. É como se o corpo sofresse com os efeitos físicos do "massacre" que a mente dele passou por vinte e dois anos... na verdade, eu até fiquei me perguntando se o que voltou do espaço foi mesmo a consciência dele e não de alguma outra coisa. Muito bom o conto!
October 28, 2020, 11:17

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Obrigado, Lilac. Digamos que a criatura é algo que a consciência do tenente "encontrou" em sua viagem. October 28, 2020, 15:03
Ruan Gabriel Ruan Gabriel
Tudo que envolve a temática espacial me aperta o peito, como se eu estivesse encurralado. A maneira que você escreveu me pareceu muito claustrofóbica, o que eu amei. Ainda, me pareceu uma viagem com impactos inimagináveis (pincipalmente em relação à psique humana) misturada com a proposta inicial do filme REC. Parabéns por este conto formidável e boa sorte no concurso!
October 28, 2020, 02:53

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Fico feliz que gostou, Ruan. Obrigado por ter lido October 28, 2020, 10:11
  • Ruan Gabriel Ruan Gabriel
    Parabéns pelo terceiro lugar, Tomas! Seu conto esteve no meu top 3 entre os que eu li! October 30, 2020, 00:13
  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Obrigado mesmo, Ruan. Fiquei feliz demais, não esperava ser escolhido October 30, 2020, 00:34
Gabriel Amaro Gabriel Amaro
Que conto maravilhoso. Explorar os perigos do desconhecido é sempre boa ideia, mas levar isso pro cenário mais bizarro e misterioso possível é ainda melhor. Parabéns!
October 27, 2020, 18:55

DC David Cassab
Muito bem, me lembrou um conto do Stephen King que um rapaz passa por algo parecido, não vou entrar em detalhes para não dar spoiler, mas procure o conto " A excursão "
October 26, 2020, 22:20

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Obrigado por ter lido! Caramba, curto muito o King, mas nunca tinha lido esse conto dele. Pior que lendo "A Excursão" acabei me lembrando de outro com temática parecida, mas do Junji Ito, autor japonês de terror. Chama-se "Long Dream" se quiser dar uma pesquisa. October 26, 2020, 23:43
  • D C David Cassab
    É o mesmo autor daquela história das espirais? October 27, 2020, 00:54
  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Esse mesmo! Uzumaki o nome da história October 27, 2020, 01:04
Alexis Rodrigues Alexis Rodrigues
meu deus do céu, eu não vi essa chegando! que final foi esse? O: eu amo histórias nessa pegada mais científica, apesar de não ler muitas, e essa foi uma grata surpresa do início ao fim! moral da história: é melhor ficarmos quietinhos aqui no nosso humilde planeta kkkk
October 26, 2020, 06:13

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Obrigado por ter lido, Alexis. Fico feliz que tenha curtido. Enfim, ficar quietinho na Terra não parece uma ideia tão ruim kk October 26, 2020, 10:29
Isís Marchetti Isís Marchetti
Fala sério, eu fui pega completamente desprevenida por esse conto! A mistura do terror e horror com a ciência é uma ótima combinação e tenho certeza que mais ninguém teve uma ideia igual a essa. Eu adorei! Abraços.
October 25, 2020, 20:40

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Muito obrigado por ter lido, Isís! Fico feliz que tenha gostado. October 26, 2020, 00:27
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Oie! O resultado da missão foi bem surpreendente, de fato. Achei muito interessante o tema que você escolheu. Eu gosto muito de ficção científica e sempre achei que esse gênero combina demais com o gênero de terror/horror. Pensar sobre ficar sozinho no meio do nada por mais de duas décadas já é terrível, imagino então ser completamente desconstruído como humano como consequência disso. Parabéns pela história!
October 25, 2020, 17:09

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Obrigado por ter lido, Karimy. Para mim é algo terrível mesmo. Na verdade é um medo pessoal que tenho (da escuridão infinita do universo ou mesmo da zona abissal dos oceanos). Tentei passar um pouco desse cagaço para o conto kk October 26, 2020, 00:52
Antónia Noronha Antónia Noronha
muito bom o conto! lembrou-me que nem toda a evolução cientifica poderá trazer bons frutos! parabéns!
October 25, 2020, 16:22

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Muito obrigado por ter lido, Antónia. De fato a curiosidade nem sempre pode ser algo bom. October 25, 2020, 16:34
CC C Clark Carbonera
Wooo, que história legal essa da viagem da consciência!! Bem que depois do desafio você podia elaborar melhor essa história...eu sei que o máximo de palavras é de 700, por isso o comentário hahaha Seria bem interessante saber como é que foi para o tenente Irving a tal viagem de 22 anos, o momento que ele chegou ao planeta Ross 128b e como foi que ele acabou sendo "infectado" ou que sua consciência foi "tomada" por essa criatura, qual seria a resposta pra essa invasão alienígena na Terra, todos esses aliens seriam maus ou esse invasor seria um pária do mundo dele?! Sua ideia é bem bacana, vale a pena investir nela :) A capa também tá bem condizente com o "monstro". Parabéns por participar do desafio!
October 25, 2020, 12:13

  • Tomas Rohga Tomas Rohga
    Obrigado por ter lido! Fico feliz que tenha gostado. Realmente o fato 700 palavras limitou muito o desenvolvimento da história, mas tentei dar uma pincelada numa ideia que vinha tendo nos últimos meses (a respeito da viagem da consciência). O que será que é esse alien, não é? Gosto de pensar nele como um mistério, mas tô cogitando escrever uma história maior mesmo. Agradeço imensamente pelo feedback. Boa sorte para nós no desafio! October 25, 2020, 14:32
Jamille Nunez Jamille Nunez
Gostei, é como se ele absorvesse o lado ruim dos 'aliens'. Bem legal
October 25, 2020, 05:14

~

Histórias relacionadas