isismarchetti Isís Marchetti

Se Luísa pudesse comparar o medo que sentia naquele instante com uma cor, com certeza ela escolheria o branco.


Horror Para maiores de 18 apenas.

#terror #desafio #medo #295 #assassino #arrepiainks
Conto
6
4.4mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Cor de Luísa

Se Luísa pudesse comparar o medo que sentia naquele instante com uma cor, com certeza ela escolheria o branco.
Seria até engraçado de se imaginar se não fosse horripilante o porquê escolheu aquela cor. Talvez por seu rosto estar naquela tonalidade, quase transparente, pela falta de sangue, devido ao susto.
Tomada pelo medo e aos poucos recobrando sua consciência, foi tendo lapsos que a faziam se recordar de como chegara ali.
Antes não tivesse saído de casa. O frio até fazia com que fumaça subisse pela boca por conta de sua respiração. Mas esse ainda não foi o motivo para tanto medo. O estômago doía com o aparecimento da fome, então não deixou que o frio a vencesse. Podia ligar para qualquer lugar e pedir por uma entrega, mas isso iria contra seus princípios. Se outra pessoa tivesse que passar frio só para levar comida pra ela, por que ela não poderia sair de casa e ir ao mercadinho na esquina? Sempre teve esse tipo de pensamento.
Pouco depois de ter saído de sua casa, faltando metade de um quarteirão para chegar ao mercadinho, o pano com clorofórmio encostou em seu nariz. Não viu seu agressor, mas as feridas em suas mãos, que a chamou atenção pela ardência, a lembraram que não se rendeu facilmente, mas que perdera em vantagens físicas, pois o tamanho do outro mostrava ser bem maior que o seu.
Tentou se remexer ao sentir o desconforto em sua bunda por estar sentada muito tempo em algo que ela julgou ser um chão, mas não conseguiu sair do local. Sentiu suas mãos acorrentadas e então o desespero aumentou mais ainda. Tentou pôr em palavras seu desespero, mas a mordaça que estava em sua boca impedia que qualquer palavra clara que tentou proferir saísse.
Não sabia que horas eram, não sabia como havia parado ali e muito menos qual era o objetivo daquilo tudo. Apesar da sua inconstância, teve a sua consciência usurpada de seu corpo quando desmaiou mais uma vez.
A fome, além de lhe doer o estômago, causar um mau hálito em sua boca, ainda a deixava fraca e suscetível a outros desmaios. Não sabia dizer quanto tempo havia ficado parada ali, mas acordou de supetão quando ouviu o som de uma respiração forte que não era a sua.
— Quem está aí? — tentou perguntar, mas mais uma vez a mordaça lhe arrancava a fala.
— Shii! — pediu por silêncio a outra voz. — Se você fizer perguntas demais, eles irão vir! Espere pelo momento que as luzes acenderem, vou soltar você! — prometeu o estranho.
O silêncio se fez presente mais uma vez, e podia jurar que ia enlouquecer. Não era só o silêncio que lhe afligia a alma, no entanto; também eram a fome, a falta de movimentos e o desespero e a ansiedade para sair dali. Não conseguia surtar e proclamar a todos os ares o quanto estava à beira da loucura.
Se perguntava se alguém iria chegar ali, se seu agressor estava sendo procurado por outros crimes ou a própria Luísa estava sendo procurado por alguém. Sabia que, se dependesse da última opção, provavelmente morreria ali, sem ninguém nunca saber que o mundo teria um habitante a menos.
Perdida em devaneios, ela escutou passos vindo em sua direção. Não viu as luzes acenderem igual o estranho havia dito, então em movimentos rápidos tentou se recostar contra a parede, em forma de fuga.
— Se acalme! Sou eu, você estava falando comigo agora pouco — explicou.
O coração de Luísa perdeu uma batida. Apesar de não conhecer o homem que estava ali consigo, uma grande parte de si sempre foi falha... a parte que sentia sempre empatia pelos outros. Tendia a confiar demais, seu pai sempre lhe disse isso, mas não conseguia ver como isso era errado.
— Você disse para esperar pelas luzes — disse com receio, após a boca ser livre.
E o clarão se fez presente, iluminando o quarto sombrio e sem janelas, aos poucos sua vista doeu e então reconheceu a situação em que se encontrava.
— Sim! Hora do Show — disse o estranho, e elevou o machado acima de sua cabeça.

22 de Outubro de 2020 às 23:24 20 Denunciar Insira Seguir história
14
Fim

Conheça o autor

Isís Marchetti “Se você não tem tempo para ler, você não tem tempo (nem o ferramental) para escrever. ” Apaixonada por livros, mangás, fanfic's e séries, e por escrever também! Já li tantos livros, que até a conta já perdi. Adoro escrever, mas não tenho muito tempo para isso. Taurina (mas nem um pouco ciumenta, como dizem por aí) e um trabalho de 24horas por dia, da qual a palavra que mais escuto é "mamãe". E é isso aí...

Comente algo

Publique!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá, Isís! Antes de mais nada, gostaríamos de agradecer pela sua participação no #arrepiainks. Para coroar, foi a primeira história postada: o pontapé inicial que nos deixou vibrando tão logo que batemos o olho no seu conto na pesquisa da tag. ♥ A sinopse por si só já nos instiga: o que faz com que Luísa sinta tanto medo e associe ao branco? Quais outras cores e sentimentos veremos no decorrer do conto? Seguimos então para a história, a narrativa se constrói atiçando tanto nossos nervos quanto nossa curiosidade, e cada parágrafo nos dá uma pontada de expectativa no estômago enquanto tentamos juntar as peças desse quebra-cabeça. Uma coisa é certa: de agora em diante, vamos pensar duas vezes antes de nos arriscarmos até o mercadinho mais próximo. Uma garota tão doce e inocente, que se preocupa com o bem-estar alheio e o põe acima do seu sendo morta de uma maneira tão fria, foi a cereja do bolo. Nas cores do terror, o vermelho inundou Luísa nos últimos instantes de sua vida, e seu conto decerto nos deixou arrepiados! Parabéns, e novamente muito obrigada pela participação. No mais, reiteramos que os vencedores do desafio serão anunciados em 29/10 — hoje — através do Facebook. Fique de olho! Um abraço, Equipe de Comunidade da Embaixada Brasileira do Inkspired.
October 29, 2020, 19:09
Litalea Draak Litalea Draak
Eu estou tentando acalmar meu pobre coraçãozinho aqui, só um minuto por favor. SANTA DEUSA AMADA, QUE AGONIA Eu realmente gostei, as palavras parecem ter sido colocadas com tanto carinho (ou maldade da sua parte autora, por que fazer isso com uma garota que só queria comprar comida????) Eu não quero nem saber, tô com fome aqui e não saio nem para ir na cozinha depois dessa! Vai que surge uma mão de debaixo da minha cama, me apaga e depois me desce a machadada? Eu já sou paranóica o suficiente, obrigada KKKKKKKK Mas é sério, eu adorei demais *-*
October 28, 2020, 04:56
Ruan Gabriel Ruan Gabriel
A sinceridade - ou a maldade em mim - me faz admitir que faltou um pouco de autocuidado por parte da Luísa haha Infelizmente, uma pena uma jovem tão boa acabar assim, logo nesse show de horrores. Parabéns pelo conto! Gostei bastante da narrativa cujo final me surpreendeu muito, inclusive pelo entendimento do clarão dos holofotes. Ainda que triste, me lembro a obra clariciana A Hora da Estrela, a hora em que chega a nossa morte
October 28, 2020, 04:09
amy ⛓️ amy ⛓️
Estive ansiosa para ler sua história desde a divulgação no grupo do Facebook! Só a sinopse já me deixou tensa e criando mil e uma teorias. hahaha O comentário cheirosinho pelo perfil da embaixada vem logo, mas adianto que fiquei apaixonada pelo seu conto e faria das tripas o coração para ler uma continuação ou uma versão mais longa. Pobre Luísa... seu terror branco foi manchado de vermelho, se me compreende. dsajoisf No mais, muito obrigada por participar do #arrepiainks! ♡
October 27, 2020, 03:09

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olha só! Haha. Que comentário mais gostoso de se ler, sério. Confesso que escrever esse conto foi uma doidera, entre tantos afazeres por fazer, uma doida falou "bora participar!" e no minuto seguinte eu enlouqueci! Tive a maior epifania já vista por mim, e assim que o desafio foi lançado e eu fui chamada para participar, poucas horas depois estava com o conto pronto. O que em um todo não foi ruim! Muito obrigada por ler e comentar, espero poder ler seu conto por aqui também, haha. Abraços. October 27, 2020, 03:33
  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    P.s: eu pensei em escrever uma série de contos sobre cada cor e uma história de terror, mas fui influenciada por uma doida aí a escrever em formas de microfições. October 27, 2020, 03:34
Daniela Machado Daniela Machado
Gente, eu consegui sentir exatamente o desespero da protagonista e isso é o que torna a sua história ainda mais assustadora. Ainda tem a parte de que é algo que pode realmente acontecer, todas sabemos de muitas histórias de Luísas que foram atacadas como ela e nunca mais foram vistas. Parabéns por sua história, ela é incrível ♥
October 26, 2020, 21:37

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olha só, que bom que eu consegui passar tudo o que eu queria através de uma quantidade mínima de palavras. Realmente, existem tantas Luísas por aí que não dá nem para contar, e isso foi algo que deixou o texto mais verossimil ainda, pois não foge da realidade. Obrigada por ler o conto e comentar. Abraços. October 27, 2020, 03:30
Alexis Rodrigues Alexis Rodrigues
poxa vida, eu achava que ela conseguiria fugir ;-; coitada dela ;-; amei o conto! <3
October 26, 2020, 06:16

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá, obrigada por ler! Do fundo do meu coração, eu não consigo imaginar uma alternativa em que ela conseguiria sair viva. Parece maldade, porém é a verdade, consigo imaginar outros fins, claro, mas nenhum com ela se dando bem. Haha Abraços. October 27, 2020, 03:27
Antónia Noronha Antónia Noronha
ao longo da leitura consegui sentir o desespero da tua personagem e o fim? oh meu deus, que fim! que twist! parabens!
October 25, 2020, 16:10

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Olá, Antônia, muito obrigada por ler e comentar! A verdade é que eu gostaria muito de dar um final alternativo para Luísa, mas a quantidade de palavras não iria deixar haha Beijos. October 25, 2020, 17:25
Tomas Rohga Tomas Rohga
Pobre Luísa ;-; Ótimo conto!
October 25, 2020, 02:57

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    é, pobre Luísa! Muito obrigada por ler! Abraços. October 25, 2020, 17:23
CC C Clark Carbonera
E o desafio começou!! Seu conto foi o primeiro que li e olha, pelo visto vou pensar várias vezes "haja esperança" durante a leitura das histórias XD Também achei por um breve momento que Luísa tinha uma chance... O título do conto é bem legal, bem interessante (deu até vontade de fazer um poema sobre cores e terrores!) e ele conversa demais com a história toda. Parabéns!
October 24, 2020, 14:55

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Haha,a verdade é que eu acredito que as histórias do desafio veio para causar muitos danos e impactos nos leitores! Muito obrigada por comentar e fico muito feliz em servir de inspiração! Abraços. October 25, 2020, 17:22
Lilac L. Lilac L.
Meu Deus... eu crente que a Luísa tinha alguma chance. Muito boa a sua escrita, apesar do conto curtinho, eu fiquei tão presa que praticamente nem respirava! Fiquei tensa do começo ao fim e amei demais!
October 23, 2020, 22:57

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Oiie! Obrigada por comentar e gostar da história. Quando eu estava escrevendo, eu fiquei tão animada que até me senti triste por não poder prolongar a história de Luísa, mas acredito que se eu pudesse escrever mais, a história não teria esse impacto que teve. Beijo October 25, 2020, 17:20
Karimy Lubarino Karimy Lubarino
Ahhhhhhh! Caramba, que tensão! No lugar dela, eu sinceramente não sei o que faria, mas acho que ela até conseguiu se manter forte diante de tudo o que passou. Em pensar que tudo aconteceu não muito longe da casa dela e por causa de teimosia e da ideologia dela. Quem diria! Agora eu me sinto ainda mais feliz pelas opções de entrega. Se tivesse que sair hoje à noite, certamente ficaria olhando por sobre o ombro hahahahaha Eu juro que pensei que ela tinha sido, de alguma forma, resgatada por um tipo lunático por conta de alguma coisa louca que estava acontecendo no mundo. Tive essa esperança, mas, caramba, esse final fez um arrepio subir pela minha espinha. Fiquei feliz por ter me enganado quanto ao possível resgate. Parabéns! Você fez um ótimo trabalho com esse conto. Me prendeu e me deixou surpresa com o final que, apesar de não mostrar o que acontece depois, deixa extremamente explícito (e talvez o fato de não mostrar torne tudo ainda mais assustador, por ficar marcadona nossa mente).
October 23, 2020, 00:43

  • Isís Marchetti Isís Marchetti
    Menina, a verdade é que nem eu saberia como reagiria se estivesse no lugar de Luísa. Exceto que em momento algum, provavelmente, eu iria confiar em alguém desconhecido. Luísa é um exemplo de que as nossas próprias emoções e atitudes, muitas vezes irá nos condenar. Muito obrigada por ler esse conto, que foi simplesmente escrito sem planejamento algum, mas que me deu um animo enorme por fazê-lo! Beijo October 25, 2020, 17:17
~