kanon_sensei Kanon Sensei

"Será que essa mortal poderá quebrar minha maldição?" Emilly nunca em sua vida pensou que ficaria cara a cara com o deus egípcio Anúbis e ainda achava que ele não passava de mito, presa no mundo dos mortos mesmo estando viva, ela não sabe como voltar ao mundo dos vivos. Mas o que acontece quando seu coração começa a reagir diante de Anúbis? Anúbis des do seu nascimento é amaldiçoado a viver por milênios com metade humano e metade chacal e pra quebrar sua maldição uma mulher tem que ama-lo como ele é. Mas quem poderia amar o deus do mortos?


Romance Romance adulto jovem Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#maldição #Anúbis #egito
2
525 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Emilly

Acordo no chão gelado, abro meus olhos e não vejo nada por causa do escuro, então sento e fico pensando o que aconteceu, "eu e minhas amigas estavamos almoçando numa lanchonete perto do museu, quando uma senhora parou e começou a falar sobre vida e morte e depois me deu um amuleto de Anubis e falou que ele iria me proteger da morte, então depois ela foi embora e ficamos sem entender nada e resolvemos voltar pro hotel e quando chegamos fui dormir porque estava muito cansada" será que fui sequestrada? Maravilha, além de passar as férias num país que nem queria vim, agora vai saber que merda vai acontecer comigo e minhas amigas nem podem fazer nada pra me ajudar. Agência de viagem não falou nada que Cairo seria perigoso pra turistas. Mas que porra!
Saio dos meus pensamentos quando escuto passos, então o local se ilumina e vejo que são tochas de fogo nas paredes, me levanto e fico olhando prós lados, até que vejo uma figura grande se aproximando

— puta que pariu — xingo e me afasto pra trás — isso não é real — falo ao ver Anúbis na minha frente — cara. Sua maquiagem é foda - falo e ele fica me olhando sem dizer nada — isso é engraçado, mesmo não gostando. Onde estão as câmeras? — pergunto e olho prós lados

— devo te julgar — o cara fala com uma voz bem grosso e quando vai tocar no meu peito bato na mão dele

— o que está fazendo, tarado? — pergunto e me afasto pra trás — é sério, isso está me deixando com raiva e não vai gostar de ver um brasileira brava

— devo te julgar

— ah! Entendi, você é um ator e está interpretando seu papel. Então Anúbis, deus dos mortos, porque deve me julgar? — pergunto ironicamente ao cruzar os braços

— irei te julgar — fala e toca no meu peito e seguro o braço dele

— isso parece tão real — falo e passo a mão no braço dele e depois puxo sua pele e escuto rosnado — você é real, não é mesmo? — pergunto e me afasto pra trás — isso é impossível, Anúbis é um mito — falo e começo a andar de um lado para o outro — deve está sonhando por causa daquela velha maluca falando sobre mitologia egípcia e blá blá — falo e me belisco — isso dói. Porra, isso é real e não sono

— humana — me chama e olho pra ele e meus olhos corre pro seu corpo, sua pele é negra e tem músculos pra tudo que é lado, ele está usando em sua cintura uma shendyt, ele deve ter uns dois metros de altura ou mais

— porque diabos estou aqui? Eu não morri, merda

— humanos vivos não vem aqui — Anúbis fala e pega o braço dele e coloco a mão dele encima do meu peito esquerdo

— tá sentindo. Meu coração não bateria se eu estiver morta — falo brava e vejo a merda que fiz — eita porra — falo e solto o braço dele — não acredito que coloquei a mão dele encima do meu peito, o que tenho na cabeça — pensei — agora não caso mais — falo triste

— impossível um humano vim aqui

— como é impossível você existir, deve ser fruto da minha imaginação. Culpa daquela velha falando sobre vida e morte

— deve ser um engano — fala e começa a andar

— ei não me deixa aqui sozinha — falo e corro até ele — como volto pro mundo dos vivos?

— não sei. Isso nunca aconteceu antes

— então me leva. Você é um deus egípcio não é mesmo?

— sim, mas não posso sair daqui — fala ao parar de andar e abre uma porta — esse é meus aposentos — fala e entra e fico na porta

— isso não está acontecendo comigo, Deus — pensei e entro no quarto dele — o que eu faço?

— tenho que achar um jeito de te mandar de volta e até lá você ficará aqui

— maravilha! Estou presa com um deus que tem um corpo incrivelmente gostoso e com cara de chacal, era o que eu queria — pensei

22 de Outubro de 2020 às 06:23 0 Denunciar Insira Seguir história
2
Continua…

Conheça o autor

Kanon Sensei "As pessoas mudam!...Mas ja viram um demonio voltar a ser anjo?"

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~