l
leticia alves


retrata-se como se nós estivéssemos vivendo um era uma vez hoje em dia


Conto Todo o público.

#historia #conto
Conto
1
453 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

era uma vez





Fui passear no bairro enquanto os ladrão nao vem., fui passear no bairro enquanto os ladrao não vem. pelo bairro fora eu fui bem sozinha leva minhas compras para vovózinha ela está doente o caminho é deserto e os ladrãozinho ataca aqui por perto.


-Toque Toque

- entre minha netinha{ tosse}

- vovó porque esses olhos tão vermelhos

- é para dormir melhor

- vovó porque esse a voz tão grave

- é para gritar melhor

- então guardarei as coisas ok

- Não não depois eu guardo {tosse}


eu achei super estranho peguei uma faca ,e vi que era um ladrão não avó. Pois eu e chutei ele daqui para fora e sair.

eu Caminhando na estrada Deserta lá embaixo avistei numa casinha pequena ,me aproximei e vi que não tinha ninguém ,eu a invadir .a casa era tão pequena que eu tinha que andar sentada, Achei um cantinho escuro e me deitei quando acordei tinha sete Baixinhos olhando para minha cara.



Não importa o nome dele a história é minha. mas enfim eu perguntei se eu poderia dar uma festa e chamar todos os comparsas de colocar aquele brega louco, eles se entreolharam e concordaram.

naquele mesmo dia mais tarde a festa já estava rolando eu bebi tanta guaraná que desmaiei quando acordei estava todos me olhando simplesmente eu falei


- aglomeração coronavirus se saia meu filho


quando eu levantei Minha mãe estava lá me olhando tentei correr mas ela me pegou pelos cabelos e me puxou até uma torre gigante lá ela me trancou.

se passaram dois dias eu olhei para a janela e vi um cara de cuscuz passando lá embaixo gritei:


- Ei cara de cuscuz cabeça de gado, aqui em cima


- Oxe Tás fazendo o quê em cima


- estou vendo a paisagem, Claro que não né donzelo me ajuda a sair daqui.


- procuro uma corda ou joga teu cabelo


- tu acha mesmo que eu vou jogar meu cabelo todo trabalhando na progressiva pois eu prefiro beijar um sapo


- joga a corda e desce


- não é você que paga minhas unhas tenta subir e abrir a porta


- consegui


- finalmente Livre


Depois dessa presepada fui para beira do rio e cai no fundo do mar mas depois descobri que conseguia respirar fui indo mais para o fundo e encontrei uma casa lá morava um homem barbudo e suas duas filhas entrei na casa e falei- e aí para eu ficar aqui uns dias


- OK mas você vai ter que ser nossa empregada


duas filhas minhas amigas um belo dia Recebi uma mensagem babado queria ter a maior rave da história Todos estavam convidados só que tinha um pequeno problema as minhas amigas escutaram e deram muito trabalho para eu não ir para a rede enquanto eu trabalhava pensei


- essas vacas falsificadas invejosas recalcadas só colocaram mais trabalho para eu não ir pois eu vou


cheguei lá no salto 15 Toda trabalhada no brilho doida para dançar e passar na cara das invejosas só que eu só poderia ficar até meia-noite mas enquanto isso Aproveitei muito com esse os boyzinhos de outro mundo então feio que era deu meia-noite e corri não sei para onde Mas corri só que saiu meu salto no outro dia voltei para o mar quando cheguei em casa tinha um contatinho segurando meu sapato quando vi peguei o sapato e mandei ele para fora no outro dia de manhã saí cedo e fui trabalhar no restaurante muito chique meu patrão é bizarro mas me pagava bem pois eu juntei dinheiro Peguei minhas coisas e construir minha própria casa e vivi feliz para sempre.


18 de Outubro de 2020 às 14:24 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

leticia alves 14 anos, criativa, tenho muita inspitaçao

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~