carteane-carvalho Carteane Carvalho

Após a mudança da família Blasthy, coisas incomuns começam a acontecer na pequena e capata cidade Henrique Sanches. Um cenário de aventuras mágicas, onde segredos serão desvendados. Conheça os dois lados da magia. Bruxos ou feiticeiros. Callyo ou Magallyo. Luz ou trevas. Qual lado foi escolhido pra você.


Conto Todo o público.

#343 #341 #conto #217 #328 #bruxos #310
1
472 VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

"Odeio Mudanças"

Não acontece grandes eventos em Henrique Sanches, cidade pequena com poucos habitantes, e uma única escola do maternal ao ensino médio.

Esta manhã, a cidade está em alvoroço com o início das aulas. Henrique Sanches, é também uma cidade acolhedora e o futuro lar da família Blasthy.


Um dia antes.


- Olha Jessie, como é linda a nossa nova casa; você vai gostar e não vai ter que dividir seu quarto!- diz Samanta. - Podemos voltar? Não quero ser a chata, mas deixei uma vida em Campos Flores. - Desculpe, mas não é uma opção, as coisas mudam e você precisa se adaptar!- Diz Samanta, notando a indiferença de Jessie. - Como posso me adaptar? Não gostei daqui, estou sentido falta da minha vida, vocês me trouxeram pra cá, e por que? - Querida não reclame! Vamos conhecer a casa nova!- disse Morgana animada. - Eu não entendo, essa sua animação vovó!- respondeu Jessie, entrando na casa.


Esta manhã.


- Jessie vamos logo, quer se atrasar no primeiro dia de aula? - Mãe eu quero voltar pra casa! - Essa é nossa casa agora!- respondeu Samanta Blasthy - Não, eu quero voltar pra casa, pros meus amigos, pra minha escola.

- Jessie, não complica as coisas; por que não pode se acostumar com a nossa realidade, tente pelo menos você só reclama, estamos bem aqui! - Não estamos, mas eu não tenho escolha.


•••☆ Capítulo de hoje: Minha vida em círculos.


- Bom dia alunos!- cumprimentava a diretora no portão da escola.

- Como vai ser o meu dia hoje!- pensou Jessie

- Vai ser maravilhoso!- respondeu sua mãe.

-mãe! Da pra parar de ler meus pensamentos, assim não dá, quero privacidade.

- Desculpe querida, foi sem querer!

- Não faz mais isso!

- Até o almoço!- gritou Samanta.


Em frente a escola.


- E de novo uma nova escola, outra cidade, outra casa, e o pior outras pessoas. Minha vida é um círculo infinito, não adianta eu sempre vou viver tudo isso de novo, pra que fazer amizades se não vou crescer com eles.

As mudanças da família Blasthy, eram constantes e isso entristecia Jessie, não podia se apegar aos amigos, a diferença da nova escola era notável. Andava pelos corredores a procura de alguém ou de uma lista, que indicasse qual era a sua turma, haviam muitas pessoas nos corredores, alunos apressados procurando suas salas. E um esbarrão.

- Me desculpe, eu não a vi!- disse Jessie

- Olha o que você fez, quebrou a minha maquiagem. Sai já da minha frente!- gritou uma aluna.

- Não comecei bem!- pensou Jessie

Depois de olhar algumas listas, enfim achou sua sala, mas o que queria mesmo era sumir daquela escola. Jessie achou a professora simpática, mas não era o momento para amizades. Durante o intervalo visitou a escola e conheceu Lucy Morgado, que por coincidência descobriu ser sua vizinha o que facilitou a amizade entre as duas. A primeira aula foi tranquila; havia um professor novo na cidade, jovem e esforçado, que queria conhecer cada aluno, e Jessie notou que havia alguem mais nervoso que ela, seu nome era Luiz e também tinha doze anos.

Jessie foi a próxima a responder a entrevista do professor, sentia os olhares de cada um de seus colegas, respondeu o mais rápido que pode, e sentou-se o mais rápido aínda.


Na saída da escola, mais um esbarrão dessa vez de propósito.


- Já mandei sair da minha frente, estranha!

- O que disse?- pergunta Jessie

- Além de estranha é surda, sai da minha frente.

- Eu devia queimar esse seu cabelo brilhante! Pensou Jessie.- Desculpe, não à vi.

- Compre óculos, que combine com a sua feiúra!

- Teremos problemas!- disse Lucy

- Hoje não, não estou com vontade de brigar, mas acho bom ela não continuar ou ela vai ter problemas, eu não abaixo a cabeça pra ninguém. - Acho que eu não fui clara o suficiente, ela é Karen Castro sobrinha da diretora, sabe a garota mais popular de toda a Otaviano Oliver II? Então é ela. - Não importa, eu não vou ser mais um objeto nas mãos dela.

- Da forma que você agiu, pensei que tinha medo dela!

- Claro que não Lucy, eu acabei de chegar, não quero ver a minha mãe na escola no primeiro dia de aula.

- Como pretende se livrar dela? Ela é poderosa aqui dentro, nenhum aluno da Otaviano Oliver II tem coragem de enfrentar ela, nem de olhar nos olhos dela.

- Parece que vai haver mudanças aqui, eu não só vou olhar nos olhos dela, como mostrar que em mim ela não vai mandar!

- Você é louca!

- Você se acostuma comigo! Que bom que somos vizinhas, vamos poder conversar por mais tempo.

- Sim, vou poder te apresentar o meu Ramster, Senhor Délio, você vai gostar ele é inteligente.

- Quero conhecê-lo logo!


Ao chegar em casa.


- Como foi a aula querida? Pergunta Morgana

- Normal, e minha mãe?

- Ainda não chegou! Fiz lasanha pra você.

- Obrigada vovó, mas eu não queria estar aqui; por favor vó convence a minha mãe!

- Impossível!- Diz Samanta entrando em casa.

- Não é impossível, você é que não quer.

- O quê falamos sobre isso Jessie?- diz Morgana

- Vó eu queria está bem, estar feliz, mas não estou!- fala Jessie. Não entendo porque mudamos tanto.

- Eu estava desempregada, não havia outra saída.

- Não precisamos de emprego, somos bruxas!

- Precisamos manter uma rotina, assim como os Não-bruxos, e eu gosto de trabalhar, de ocupar a minha mente.

- Falando em bruxas, temos que recomeçar as aulas Jessie!- Diz Morgana

- A senhora sempre muda de assunto vovó!

- Sou sua avó, é o meu trabalho evitar desavenças entre você e sua mãe. Anime-se vamos recomeçar as aulas, e eu sei que você gosta.

- Sim eu gosto.

- Mais alguma coisa?- pergunta Samanta

- Como assim?

- Sou sua mãe e também uma bruxa, sei dos problemas que teve na escola, estou errada?

- Porque não estou surpresa mãe, mas sim tem uma garota nao-bruxa claro, ela é um tanto chata, estou pensando em alguma coisa pra ela me deixar em paz.

- Cuidado Jessie você é uma bruxa, e pode ferir gravemente um Não-bruxo.- diz Morgana

- Você não fará nada!- diz Samanta.- Se alguém descobrir você, teremos que ir embora de novo.

- Mas mãe!

- Não me faça repetir, você é normal e todos devem ter certeza disso, você entendeu?

- Sim mãe!- respondeu Jessie.- Mas será que você pode parar de usar a sua magia para me vigiar, eu tenho direito a privacidade.

- Tudo bem, mas quero que se comporte igual a um Não-bruxo.

- Eu sou uma bruxa! Não posso rejeitar os meus poderes.

- Por isso temos as aulas!- comentou Morgana

- Sei que fez amizades!

- Claro que sabe, mas é apenas uma amizade mãe.

- O quê importa é que você tem uma amiga, nos conte o que sabe sobre ela?- diz Samanta

- Não muito, mas sei que seu nome é Lucy Morgado, e que ela é nossa vizinha; assim como eu ela é rejeitada pelos populares ou melhor pela Karen Castro.

- Nossa vizinha! Que ótimo, traga ela para o almoço amanhã.- diz Morgana

- Agora que você tem uma nova amiga, não está tudo tão ruim!- diz Samanta

- Para que fazer amizades, nunca vou crescer com eles, fazer amigos para mim é perda de tempo.

- Nada disso, é importante ter amigos.- diz Morgana

- Chega Jessie, você está passando dos limites!- grita Samanta

Todas as mudanças da família Blasthy, eram difíceis e Jessie não se conformava. Não aguentava a rotina de mudanças, tentou de tudo para persuadir a sua mãe a ceder, e voltar para Campos flores a cidade que Jessie mais gostou. Jessie era uma bruxa, mas agia como uma adolescente comum, com toda sua rebeldia trancou-se em seu quarto.

- Abre a porta Jessie!- diz Samanta.- Sei que é difícil, mas você não pode agir dessa forma, queremos o melhor pra você.

- Ela precisa de um tempo, ela não é assim só está chateada.

- Mas mamãe, não era necessário tudo isso.

- Samanta, Você era igualzinha, agia assim também se lembra, as mudanças eram terríveis pra você, ela vai entender assim como você entendeu.

- Me desculpe! Agora sei como se sentia.

- Assim como Jessie, você queria criar raízes e conviver com os seus amigos.

- Até sofrer rejeição por parte deles, assim que descobriram minha magia.

- Lembro disso, eu precisei nos apagar das lembranças de cada um deles.

- Acho que, eu era mais difícil que Jessie.

- Não tem comparações Samanta.

- Mãe!

- Falo somente verdades, Jessie não é nem a metade do que você foi, a vida anda em círculos e você está vivendo na minha pele, de nada.

- Porque?

- Porque graças a mim, você sabe como agir com a Jessie.- Diz Morgana deixando o corredor dos quartos.

- Acho que ela desistiu!- diz Jessie colada na porta do seu quarto.- Sei que querem meu bem, mas eu só queria explicações melhores, estou cansada de explicações vagas; fiquei tão estressada com essa mudança que esqueci de ler o livro de bruxaria, a vovó vai discursar um sermão daqueles, é melhor começar agora.

Jessie sonha em se tornar uma bruxa forte e cheia de conhecimentos, deseja ser tão forte quanto a sua Mãe-Bruxa, e para isso precisava estudar minuciosamente tudo que Morgana lhe mandava. Uma bruxa não é só poderes mágicos, ela precisa dominar tudo sobre as artes da magia, sobretudo, conhecer à si mesmo.


Cozinha dos Blasthy.


- Mãe, estou indecisa quanto a Jessie!

- Tudo que você está passando, eu já passei; quando você nasceu eu fui perseguida, caçada por todos os lados!- Diz Morgana. - Eu não desisti, nem poderia, eu tinha que proteger a minha filha, assim como você, fui obrigada a provar que não era você que eles queriam.

- Tenho que provar, que a Jessie não é o que eles querem?

- Você não! Nós, eu estou aqui para continuar a ti proteger, e a proteger a minha neta.

- Tenho medo! Se for ela, e se for a minha filha?

- Quando eles nos encontraram, olharam nos seus olhos, e eu fiquei com tanto medo. Eles estavam lendo a sua alma, e você era só um bebê; eles precisam ver a Jessie para ter certeza que ela não é o que eles querem.

- Mas lê a alma? Como podem?

- Magia antiga Samanta, já te ensinei isso! Os olhos são portas para a alma, e eles não se importam com os riscos.

- Eu deixaria, só para eles nos deixarem em paz!- Diz Samanta.- Mas não tenho certeza, tenho medo que seja ela, e o que eles farão com ela.

- Extrair a vitalidade e os poderes, daquela que eles acreditam ser a reencarnação de Callyo ou de Magallyo, são bruxos que desrespeitam as Mães-bruxas; não consigo imaginar tamanha crueldade.

- Me pergunto todos os dias, se a Jessie for uma reencarnação de uma das Mães-bruxas, e se eu não conseguir protege-la, não posso falhar.

- Não existe reencarnação alguma, já tivemos essa conversa.

- Não é uma certeza, ninguém sabe se elas ainda vivem ou se morreram.

- Essa história foi inventada, alguns bruxos acreditam que Callyo e Magallyo estão mortas, e que elas desejam voltar ao plano carnal, uns querem ajudar elas a conseguirem esse propósito, outros querem seus poderes e a possível vitalidade; que não faz sentindo nenhum porque elas não estão mortas!- afirma Morgana.

- Como pode afirmar?

- Não estou afirmando, eu digo isso porque elas são as primeiras bruxas, não envelhecem e possuem a imortalidade.

- Queria acreditar! Ter a mesma certeza que a senhora.

- Pois acredite! Bruxas tão poderosas, não podem ter sido capturadas por Não-bruxos.

- Vou tentar manter a minha fé!- Diz Samanta

- Sossegue o seu coração! Nada pode acontecer a Jessie, estamos fazendo um bom trabalho e a mantendo em segurança.


Casa de Lucy Morgado.


- Lembre-se, não seja vista!

- Eu sei o que faço! Tenho 115 anos, trabalho nisso a décadas; não tente ensinar o meu trabalho.

- Não cometa erros! O Conselho ficará irritado com você, senhora Morgado.

- " Erros não serão tolerados", eu sei bem disso, até agora está tudo acontecendo como planejei, consegui me aproximar da Blasthy adolescente.

- Tome cuidado! A velha Morgana é sabia e astuta, qualquer deslize que seja, ela descobre o seu disfarçe.

- Minha magia é forte! Quem pode acusar uma simples e tímida adolescente!- diz Lucy.

- Manteremos o contato!

- O Conselho me dará honras, quando eu entregar a ingênua Blasthy, como a reencarnação de Callyo!- diz Lucy, antes de fechar o seu livro de magias, por onde faz contato com o Conselho.

Lucy Morgado, uma feiticeira Callyo. Contratada pelo Conselho de Bruxas, para descobrir se Jessie é a reencarnação da Mãe-Bruxa Callyo, Lucy é uma feiticeira esperta e forte, acostumada a fazer esse tipo de trabalho, seu nome verdadeiro é desconhecido.

18 de Outubro de 2020 às 03:26 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Amizade Sombria.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!