sweet-mary Mary

Eis o velho clichê daqueles dois colegas de classe que trocam olhares tímidos durante as aulas (e nos intervalos também), mas nunca reúnem coragem suficiente para estreitarem os laços. Os colegas notam que eles combinam e a química é recíproca. Ela é bastante tímida e não se aproxima por medo de levar um fora. Ele, por sua vez, a vê como uma garota enigmática, temendo se comportar como um pateta perto dela. À medida que os dias se passam, ela sofre por calar o sentimento que cresce sem pedir licença e para aliviar a angústia, sair do limbo da indecisão, das suposições e da ansiedade típica de um desejo fervente, decide se arriscar escrevendo uma declaração de amor em forma de poesia.


Poesia Romance Todo o público.

#escritora-mary #sentimentos #timidez #poesia #amor #amor-platônico
0
571 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Deixei em cima da carteira

eu tenho tantas coisas para te dizer

nos intermináveis diálogos mentais

as palavras fluem com cadência

eu olho fundo nos seus olhos

despida do medo e do moralismo

te abraço e não me despeço

sem sentir o seu gosto no céu da boca

sou tão sua no silêncio da noite

faço de conta que o travesseiro

é quentinho que nem o seu peito

e as lágrimas molham a fronha

só eu sei o quanto o coração aperta

de pensar em você noutros braços

e para tais divagações peço licença

para brincar de faz-de-conta

estou numa zona segura

e livre de quaisquer recriminações

durante o dia apenas rascunho

a timidez me domina de tal maneira

que sinto ódio de mim mesma

apenas observadora da própria história

olhando-te de esguelha

esboçando aquele sorriso enigmático

se por um lado almejo me preservar

e apenas o necessário falar

por outro espero não ser boçal

amigos em comum comentam

que formaríamos um belo casal

o que você pensa de mim eu não sei

falta-me destemor para inquirir

alguém que saiba de você

muito mais do que o superficial

seus olhos negros me enchem

de uma ternura ímpar toda manhã

e eu te retribuo meio de canto

sem saber se meu sorriso terá dor

que te deixa sem saber o que pensar

se é uma atitude prudente se aproximar

porque temo soar antipática

ou falar algo que me comprometa

olho-me no espelho e mexo no cabelo

pilhas de roupa em cima da cama

desajeitada em cima de um salto alto

no aguardo de que você me note

para não passar a vida sonhando

enquanto outra vive no meu lugar

tudo aquilo que de olhos abertos

eu imagino para mim mesma

eu tenho tanta coisa para te dizer

a poesia é sincera e não nego

mas filtra a intensidade do querer

como se eu tivesse controle do sentir

quando há muito não sei o que é isso

o tal do se vive e não se explica

se a timidez a tudo complica

é ela que separa você de mim

e não a tal da "concorrência"?

porque existem moças mais bonitas

mais inteligentes e prodigiosas

mais delicadas e ajeitadas

viajadas, descoladas, engraçadas,

mais jovens, mais magras,

que escreveriam poemas bem melhores

mas se eu sou o seu último pensamento

quando seus olhos se fecham

não deixe esse poema sem resposta

você sabe onde me encontrar

apenas venha de coração aberto

eu tenho tantas coisas para te dizer...

9 de Outubro de 2020 às 01:37 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo A Resposta

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!