calielalves Caliel Alves dos Santos

Após a luta pela libertação do Baronato de Alfonsim, Tell adquire uma nova companheira para sua aventura de purificação, a alquimista Letícia Dumont. Na Cordilheira de Bashvaia, centro de mineração de Lashra, os heróis enfrentaram o Batalhão Colossal, um dos mais terríveis grupos dentro da Horda.


Fantasia Medieval Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#medieval #reinos #monstros #pt-br #comédia #ação #aventura #magia #shonen #32816 #fantasia
0
609 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo: Até onde a vista alcança

Parte 1

Saragat estava sentado a um canto recitando uma litania a Nalab, era noite e todos estavam em volta da fogueira.

Letícia vislumbrava o mapa, estava feliz com os rumos da viagem, em dois meses andando na estrada principal, não havia ocorrido luta com monstros de nenhum tipo, embora isso também a preocupasse.

Rosicler cuidava de preparar o jantar, os alimentos já estavam acabando e por isso ela improvisara uma sopa de pedra.

Anfh, ainda bem que estamos chegamos, é só atravessar esse paredão e poderemos comer algo decente...

Index estava no ombro de Tell como se fosse um papagaio, o garoto trazia o Monstronomicom à mão, agora havia páginas preenchidas com sílfide, orc, grifo, mantícora, esfinge e goblin. No livro não pareciam tão assustadores como se supunha.

— Eu ainda gostaria de saber por que a imagem dos monstros purificados fica gravada no livro?

A alquimista recolheu o mapa em sua mochila e disse com tom de despreocupação:

— Se Taala o fez assim deve ter um bom motivo, ele era muito sábio, eu confio nele. As imagens estão aí por algum motivo importante, mas não se preocupe tanto com isso, como o bom Index disse aqui, no momento certo você irá saber.

— É isso aí Tell, Taala me criou como o guardião do livro e assim que você estiver...

— Dá pra calar a boca seu pulguento, tem gente aqui querendo rezar!

— E porque tu não foi rezar lá pra longe seu zoado?

— Ah, cala a boca sua ladra...

Lá vamos nós de novo.

Enquanto os dois discutiam, Letícia e o filho de Taran se juntaram para pegar os únicos pedaços de carne que existia na sopa. O rapaz dividiu o caldo grosso com Index.

— É verdade que o seu treinamento está incompleto Tell de Lisliboux?

— Ah, ta sim senhorita Letícia.

— Bem, em vista do seu desempenho em adaptar uma técnica de alta complexidade como o Projétil de Luz num golpe de esgrima, eu acho que não terá dificuldade em fazer o mesmo com uma transmutação.

O mago-espadachim engoliu a sopa fazendo um barulho de Gut, ele olhou admirado para a militar e vibrou:

— Eh, eu vou aprender uma nova magia!

— Ei, deixem pra mim também, rezar da fome sabia?

— E eu que fiz a sopa, não vou comer não é? Sacanagem veio!

* * *

Naquela parte da Cordilheira de Bashvaia havia uma longa queda d’água.

Flutuando em frente a ela estava um ser enorme, com cerca de doze metros de altura.

Vestido numa túnica branca, ele estava meditando com as pernas entrelaçadas e as mãos sobrepostas na altura do umbigo. Seu olho se abriu, um som diferente foi captado pelos seus sensíveis ouvidos. Sem se virar para o recém-chegado, ele percebeu sua presença.

— Às vezes você me assusta tenente Optentrion, como sabe que era eu?

— Por mais que você tente não consegue ser sutil.

A criatura então saltou pesadamente para uma base de rocha que estava a alguns metros abaixo do monstro enorme. O interlocutor na base da cachoeira se virou para o outro.

— O que foi? Quando você fica calado assim é porque viu alguma coisa interessante, ah vai diz logo o que é, diz vai, diz sim?

Apesar do grande teste de paciência, o ser unóculo respondeu brandamente:

— Vi um pequeno grupo de fiéis do nosso deus se encaminhando para cá, ao que tudo indica, eles são neófitos do nosso culto, pois usam a batina amarela. Mas algo me intriga...

— Oh, dizes amado guru e eu escutarei.

— Poupe-me de suas piadas, a cinco seres andando no grupo, mas com minha conjuração Panopticon, eu só enxergo quatro deles...

O outro que estava logo abaixo começou a gargalhar de modo estrondoso.

— Deve ser a catarata, é normal nesta idade truotruotruo.

— Não me subestime, saiba que eu fui crucial para a tomada desta nação Titã Cubo.

— Ah fica nervoso não ciclope, pra quem enxerga longe, você tá enxergando mal.

Antes que Optentrion pudesse responder, a criatura se transformou numa massa de pedra em formato cúbico e rolou rio abaixo. Optentrion fechou seu único olho.

Veremos quem vê melhor então segundo-sargento...

1 de Setembro de 2020 às 16:26 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Capítulo 1: Avante revolução!

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!