arima8963 Daniel teixeira

Eu pensando esses dias sobre algumas coisas veio na minha cabeça "como seria um romance com dois mudos??" , Isso me motivou a escreve essa curta história, Sobre Your Name (Kimi no wa) porque me lembrou um pouco essa história com o filme. Mas como seria se você se apaixonasse e não pudesse dizer com a sua voz, como seria se a sua parceira(o) também não pudesse? Entre bilhetes e sentimentos um casal improvável surge, como se comunicam? Pela voz do amor de cada um. obs: Tenham uma ótima leitura, qualquer erro de concordância ou de escrita eu peço minhas desculpas.


Romance Impróprio para crianças menores de 13 anos.
0
480 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

O Nosso Primeiro Encontro





. POV: Mitsuha .


- Bom dia! Me chamo Mitsuha, tenho 17 anos e sou uma estudante normal... Se você não considerar o fato que sou muda. Isso nunca _incomodou_ muito mas sempre me deixou desconfortável, e era sempre chato socializar com qualquer pessoa por ser incapaz de falar, pois algumas pessoa infelizmente me descriminavam e algumas me zuavam de forma pesada e eu de fato nunca tive um amigo próximo na escola por isso, e também aos poucos amigos que eu já tive trocaram de escola, parece que o universo sempre me injustiçou de uma forma gigante. -


- Eu acabei por ter fortes crises de depressão cedo pela descriminação, o que antes era ruim só piorou, eu até já pensei em suicídio, afinal não seria morrer se já estou morta por dentro... Tão morta que nem se quer consigo falar, mas eu nunca passei de meros socos nas paredes e leves arranhões no meu braço, a minha depressão foi descoberta pela minha amiga na época e ela me recomendou o seu psicólogo, com diálogos com ele e meus pais, eu acabei melhorando um pouco, mas nada que me fizesse feliz. -

- Eu sempre gostei de, já que não posso falar, me expressar de outras formas, meu ouvido sempre foi melhor que a média então aprendi alguns instrumentos, amo ler, sei desenhar um pouco também, mas a escrita é a minha paixão, sejam narrativas, crônicas ou poemas eu sempre amei escrever, fora isso tido, eu quase sempre escrevo romances porque eu sonho em viver um, achar seja um homem ou uma mulher que ouça a voz do meu coração... A voz do meu amor. -



. POV: Taki .


- Iaê, me chamo Taki e sou uma pessoa especial se pode assim dizer, isso é porquê eu sou mudo, por não falar eu tive dificuldades, sempre faziam brincadeirinhas de mal gosto comigo, fora que eu por muito tempo fui inseguro de tentar muitas coisas pela minha condição. -


- Eu sou famoso esquecido, o que só pegam quando precisam, e esse momento é em esportes, eu sempre fui ótimo em espertos de campo (ex: futebol), em jogos que exijam concentração (ex: ping pong) e também em jogos que eram totalmente estratégicos (ex: xadrez) por mais que seja uma paixão minha, além dos videogames, ver as pessoas explorando esse meu talento me incomoda, fora que dos times eu até posso ser um dos melhores mas eu nunca seria tão carismático como meus colegas e por esse motivo eu sempre sou deixado de lado... Em silêncio... Eu ainda sonho no dia que eu poderei ter um romance, sempre gostei de ler e eu leio bastante romances seja em livros ou mangás sempre me fascina a conexão que duas almas podem ter, e como elas podem ouvir, não a voz comum, mas... A voz do amor, eu sonho em poder ter isso algum dia. -




<<--->> Segunda-feira, 11/05/2020 <<--->>



.POV: Taki .


- (Depois de uma aula chata e comum, Tachibana Taki decide tomar um café em uma cafeteria próxima da escola, especificamente essa pois eles já estavam acostumados com a presença dele por lá, consecutivamente se acostumaram com a sua condição). -


_ Taki - Eu chego a cafeteria e a mesma garçonete de sempre me atende, eu apenas peço um café mocha forte grande e um donut de caramelo para minha mãe já que ela ama esse sabor, decido não ocupar uma mesa hoje e me sento apenas em bancos mais altos ao lado do caixa, meu pedido chego e eu agradeço, começo a ler um dos meus livros e já viajando na fantasia do livro a porta abre mais uma vez, a moça que entra tem cabelos negros levemente azulados, ela é bem charmosa, estuda em outra escola mas eu conheço a que ela está, é uma escola até que de um alto padrão, eu apenas volto a ler meu livro e a desajeitadamente beber o meu café, mas minha mente não desprendeu dessa garota, porém ela não dizia nada então passados bons minutos e eu me matando de curiosidade dei mia suma olhada para a menina, ela já estava tomando seu café e estava lendo um livro... Ei, espera eu já li esse livro, o nome é Serotonina de Michel Houellebecq um livro bom por sinal, voltando, ela percebe meu olhar e após fitar seus olhos com os meus um pouco, ela fecha os olhos e sorri e me acena com a mão que segura seu café apenas desprendendo 3 dedos do copo, de novo a garota não diz nenhuma palavra, eu coro levemente e me enterro em meu livro, logo após isso eu vejo um guardanapo se aproximar de mim, nele estava escrito em uma caligrafia impecável "Oi, você é fofo sabia? hahaha" eu coro mais um pouco com o comentário, e pego um guardanapo e escrevo que não sou e que o livro que ela está lendo é ótimo, ela me responde no verso do meu guardanapo "Eu comprei ele ontem, não me diga que um amante de romances?".


- Nessa hora eu ia escrever que sou e principalmente perguntar o porquê ela não falava nada, e que devia ter uma voz linda, ela no mesmo momento escreveu em outro guardanapo algo que eu tinha esquecido de comentar no que ela tinha me dado, quando entregamos os bilhetinhos ambos estremecemos um pouco, o bilhete dela dizia "Mas... Por que não diz uma palavra?" Ela acaba por encher o rosto de lágrimas e sair com seu café, mas abandonando seu livro, eu peguei ele mas enquanto dei o dinheiro pelo meu pedido percebi que não iria alcançar ela mesmo sendo rápido, eu apenas coloco o livro dela com o maior cuidado do mundo em minha mochila e me despeço da cafeteira em casa decido fingir que está tudo bem. -


. POV: Mitsuha .


- Aonde eu estava com a cabeça em puxar aquele papo, mas o livro que ele lia não era ruim... Espera, MEU LIVRO! Voltando a cafeteria eu pergunto escrevendo em um caderno meu se eles viram o meu livro, uma garçonete apenas me diz que o garoto que estava ao meu lado o pegou e saiu, ele parecia bem triste com a minha saída desesperada mas não disse nada, eu pergunto escrevendo mais uma vez se ela conhecer o garoto e ela me diz que o sobrenome dele é Tachibana-kun e que ele.... É mudo assim como eu... Então era por isso! A garçonete não sabe me responder quando pergunto o endereço do rapaz, mas ela me afirma que se ele aparecer com o livro ela pedirá para deixar no estabelecimento até eu vir pega ele, então me recomendou sempre após a escola passar aqui, fazendo uma jogada de marketing misturada com uma extrema gentileza absurda (STONKS kkkk) bem, ainda meia frustada mas principalmente me sentindo inútil pela furada que me meti e os problemas que causei, deixo o estabelecimento agradecendo a gentileza e pedindo desculpas pelos importunos que causei. -



. Mente dos personagens .



-Mitsuha - não sei como me meti nisso...-


-Taki - Não sei como parei aqui...-


-Mitsuha - Mas algo me diz...-


-Taki - Que teremos mais encontros... -


-Mitsuha - Ironicamente não teremos que nos preocupar com o que vamos dizer...-


-Taki - Mas é como...


-Mitsuha - Se eu...-


-Taki - Quissese me...-


-Mitsuha - Encontra...-


-Taki - Com ela de novo. -


-Mitsuha - Com ele de novo. -





13 de Setembro de 2020 às 19:32 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Desejo de te Conhecer

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas