Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
jetblackmermaid ella m.g

Após uma aluna da Lince Academy ser encontrada morta na noite do baile de inverno, mistérios começam a rondar a cidade de Lince. Memórias de uma noite caótica retornam aos poucos, segredos começam a vir a tona e um grupo de amigos fará o possível para sair da confusão na qual se meteram. Mas uma única pergunta é fixada na mente de todos: quem matou Summer Walker?


Suspense/Mistério Para maiores de 18 apenas.

#romance #assassinato #investigação #amigos #suspense #mistério #crime #detetive
0
667 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

a noite de um crime.

Naquela noite, as estrelas cobriam o céu azul aveludado, o vento era frio, mas não chegava a ser gelado, a lua cheia estava tão brilhante, que refletia lindamente no profundo lago da Lince Academy. Era uma noite mágica devido ao baile de inverno que acontecia. Os carros luxuosos que chegavam na academia contornavam a rotatória com flores, escolhidas para aguentar a inverno rigoroso que estaria por vir. Os convidados, alunos e educadores da Lince Academy, vestiam suas melhores roupas de gala. A visão do grande hall do edifício principal era complementada por vestidos esvoaçantes e brilhantes, um mais bonito que o outro. Jóias como esmeraldas, diamantes e rubis preenchiam os pescoços das lindas garotas que perambulavam de um lado para o outro. Os garotos vestiam seus melhores ternos, evitando o convencional, várias cores e estampas podiam ser vistas.

Era uma grande noite.

Abri a porta barroca do grande salão, permitindo que visse a decoração sofisticada. Ao entrar, parecia que todos usavam um filtro rosado e que as pedrarias ganhavam ainda mais brilho. Corri pelo grande salão, um pouco desesperada, mas procurava pela minha melhor amiga. Estava quase na hora do brinde do último ano e ela não era encontrada em nenhum lugar. Olhava para todos os cantos, observando todos e buscando um vestido vermelho brilhante pela multidão, mas nenhum sinal de Summer Walker. Mais uma vez, com muita cautela, olhei para todos aqueles que estavam no salão, meus olhos pousaram em Matthew Gray, que conversava com Alexandra Reed. Aproximei-me dos dois, com um pouco de receio, eles pararam de conversar criando um clima estranho como se algum segredo devesse ser guardado.

— Quem diria que Matt Gray poderia parecer elegante! — Disse sorridente, buscando amenizar o desconforto.

Matt realmente estava elegante. Ele sempre foi mais clássico, então usava um terno preto, assim como a gravata. Sua pele estava bronzeada, provavelmente devido as aulas ao ar livre de canoagem. Seus cabelos medianos e loiros formavam um topete despojado. Ele sorriu de lado, me olhando gentilmente com seus olhos negros, fazendo com que meu coração palpitasse um pouco mais rápido e olha-lo já não era mais um problema. Nos aproximamos e nos abraçamos cordialmente. Ele me elogiou, quase com um sussurro, segurou minha mão e com um único movimento me fez girar, dando vida ao meu vestido dourado com pedrarias. Alexandra, que observava toda a cena tossiu seco, chamando a atenção para si. Ela fez algumas poses mostrando sua produção para aquela noite. Ela estava belíssima, usava um conjunto de seda preto que realçava sua pele negra, as calças alongavam ainda mais suas longas pernas. O top por baixo do blazer parecia ser extremamente caro, assim como todos os acessórios que usava. Ninguém esperava menos da enteada do prefeito de Lince.

Sorri e a elogiei rapidamente, mas não estava ali buscando elogios ou os distribuindo, queria saber onde estava Summer. Perguntei por ela, um pouco sem graça. Entretanto, a pergunta fez com que Alexandra e Matthew se olhassem brevemente com os olhos um tanto quanto abertos demais, como se pedissem um para o outro manter o silencio. Eles negaram com a cabeça, logo entendi que deveria deixa-los a sós. Sorri politicamente e retornei a minha busca, mas com uma pulga atrás da orelha.

Andando novamente pelo salão, tive que parar algumas vezes para cumprimentar professores, alguns outros alunos e pais de amigos. Sempre sorria educadamente, mas minha mente nunca estava nas conversas sem fundamento. Caminhei até a mesa do buffet, belisquei algumas coisas, parecendo o tempo todo desconfiada. Até que uma mão tocou meu ombro, fazendo com que eu deixasse a minuscula torrada com algum patê chique em cima cair no chão com o leve susto.

— Não sei como você a aguenta. — Aquela voz sem muita emoção, seguida por um riso abafado revelou quem era o dono da mão no meu ombro.

— Andrew. — disse em tom de reprovação — Vocês discutiram mais uma vez?

Ele balançou a cabeça, assentindo, enquanto enchia um pratinho com os doces favoritos dele. Seus olhos estavam baixos, pareciam mais escuros que o normal. Olhei para seu rosto, mesmo desapontado ainda parecia radiante. Ele não era tão elegante quanto Matthew geralmente, mas naquela noite - certamente - ganhava. O terno era aveludado com bordados sutis em dourado. O cabelo negro estava um pouco bagunçado, deixando todo o visual personalizado a sua maneira. Seus olhos meio fundos e negros entregavam as noites mal dormidas, jogando o que quer que fosse. Andrew sempre foi um pouco preguiçoso. Ele não gostava muito dessa palavra, sempre dizia que ele fazia o que se sentia motivado a fazer. Funcionava com picos de energia que acabavam em instantes, mas ultimamente estava sendo um bom amigo para mim e não podia me sentir mais sortuda.

— Está mais bonita, Joy— Ele disse, quase constrangido— Seu olhos ficam quase avermelhados com essa maquiagem nos olhos. Também gostei da franja nova. — Ele gesticulou de maneira engraçada, me fazendo rir.

— Obrigada, Andy. Você também está muito bonito hoje.

— Só hoje?— Andrew disse sorrateiro.

Não pude deixar de rir. Coloquei meu cabelo atrás da orelha rapidamente, estava me sentindo um pouco envergonhada com a conversa. Antes que eu pudesse perguntar sobre Summer, ele me informou onde ela estava. Agradeci com um sorriso, que foi retribuído com mais esforço do que eu esperava. Dei alguns tapinhas em suas costas e fui rapidamente em direção ao jardim.

Era sempre uma experiencia majestosa descer as escadas do grande salão para o jardim da acadêmia, fazíamos isso poucas vezes ao ano e eu aproveitava cada momento. Assim que avistei Summer, meus pensamentos felizes se foram. Ela estava sentada em um dos bancos do jardim, encarando o nada, parecia já ter chorado um pouco devido a postura curva. Aproximei-me dela, que logo começou a se justificar:

— Andrew te contou? Eu realmente não sei por que sou assim. Deveria apenas pedir desculpas e não ficar desenterrando o assunto o tempo inteiro.

Pensei em como Summer sempre agia impulsivamente. Sentei-me ao lado dela, que logo deitou-se em meu colo. Logo, notei que a discussão com Andrew não havia sido a única.

— Então...— ela riu, nervosa, enquanto limpava uma lagrima cuidadosamente para não borrar a maquiagem.— Não quero falar muito sobre, mas discuti com mais pessoas. Não sei, acho que hoje estou meio raivosa.

— Só hoje?

— E acho que o que eu tinha com Matt acabou.— Summer disse envergonhada, acho que ela entendia a situação.

— Então vocês estavam realmente juntos. — Aquilo me incomodava um pouco, não apenas por eles estarem juntos em segredo, mas por ela saber que tinha sentimentos por ele. Não que estivesse apaixonada, mas tinha um certo interesse. Forcei um sorriso, acredito que ela tinha entendido o recado que não queria falar sobre aquilo.

Imaginava que eles tinham algo a esconder. Andavam conversando menos que o normal, sempre evitavam ser vistos juntos e quando se olhavam, soltavam pequenos risos. Comecei a ligar os pontos e descobri há algumas semanas, mas esperava que ela me contasse, afinal, era minha melhor amiga.

— Sinto muito, apenas aconteceu.

Summer levantou-se, sentando-se novamente e tentou olhar nos meus olhos. Naquele momento, naquela noite, não queria ter uma discussão com minha melhor amiga. Apenas me levantei. Falei rispidamente que o brinde seria em poucos minutos e retornei para o grande salão, sem olhar para trás, deixando ela tentar iniciar uma discussão sozinha.

— Sabe que ele nunca teve interesse por você, certo? Na cabeça dele vocês sempre seriam apenasamigos.— Ela gritou no momento que pisei no primeiro degrau da escadaria que me levaria ao grande salão. Acredito que ela queria me reconfortar, mas nunca foi boa com isso. Nunca foi boa com palavras, nunca foi necessário. Summer sempre conseguia as coisas com um sorriso meigo, alguns movimentos no cabelo. Ninguém dizia não, ou a contrariava. Então, quando alguém fazia, ela simplesmente jogava palavras duras e insensíveis, enfraquecendo seu oponente. Para ter tido tantas discussões naquela noite, com basicamente todos os amigos dela, alguma coisa realmente devia estar acontecendo. Estava disposta a não discutir, mas aquele comentário me machucou. Após ouvir aquelas palavras, olhei para trás. Sorri friamente. Andrew uma vez me disse que era um sorriso realmente congelante. Pude ver um pouco da reação de Summer, mesmo com a penumbra em seu rosto, ela estava petrificada. Virei-me novamente para seguir meu caminho, levantei meus braços e dei os dedos do meio, mostrando verdadeiramente como me sentia com a confissão dela enquanto voltava a subir as escadas.


Sarah Young, nossa professora de artes e patrona da turma, fez o discurso do brinde, acompanhada por Andrew Santino, que era representante de turma. Durante o brinde, eu olhava para Matthew , que olhava fixamente para Summer, que olhava fixamente para Alexandra.Olhei para o palco buscando ajuda de Andrew, que apenas deu de ombros. A tensão estava no ar, não sei se os outros alunos conseguiam sentir também. Meu lado curioso queria descobrir o que havia acontecido entre os três, mas estava me sentindo cansada demais para me meter em qualquer coisa aquela noite.

Todavia, após o tintilar das taças de cristal ecoar por todo o salão a noite mudou completamente. Sorrisos estavam por todo o lado, gargalhadas, cochichos. Estávamos realmente felizes por aquele momento, afinal, era uma noite pela qual esperamos três anos. Três anos para escutar a professora patrona dizer como estava orgulhosa de nossas escolhas para o futuro, que devíamos aguentar apenas mais algumas provas, algumas entrevistas e que em breve seriamos livres para ter a vida que sempre desejamos. Era uma sensação anestesiante. A banda formada pelos alunos da academia subiu ao palco logo em seguira. Tocaram música animadas, fazendo com que todos nos dançássemos, pulássemos e cantássemos com toda toda energia. Relembrando momentos que vivemos naqueles últimos anos. Em seguida, as músicas calmas e mais reflexivas foram tocadas. Podia-se ver os casais se abraçando, os amigos mais próximos ficando emotivos. O baile de inverso sempre foi o mais esperado da Lince Academy, depois dele, o último ano passaria 6 meses depois das férias de inverno se dedicando exclusivamente as provas das universidades, preparação de habilidades especificas e preparação para entrevistas. Por esse motivo, havia uma dispersão dos alunos, que concentravam-se cada qual em sua área de interesse.

O baile de inverno acabou algumas poucas horas depois. O diretor fez o discurso final, foi solicitado que nos despedíssemos de nossos familiares e convidados e que seguíssemos para o nosso dormitório logo em seguida, sem desvios. O diretor Hood enfatizou bastante essa parte de seu discurso.

Assim que cheguei no quarto, esperava dar de cara com Summer arrependida. Algo que era comum. Ela pediria desculpas, relembraria alguma memória de nossa amizade e me faria esquecer como realmente estava me sentindo. Todavia, me deparei apenas com o vestido dela jogado em sua cama, havia uma enorme mancha nele. Toquei na manchada avermelhada, era apenas vinho tinto. Dei de ombros. Minha mente tentava repassar todos os acontecimentos daquela noite, que por mais que não tenha atingido minhas expectativas não foi tão ruim assim. Terminei de me limpar rapidamente, coloquei um pijama e fui dormir.

O dia seguinte, um sábado, começou caótico. Todos os alunos e professores foram acordados com o barulho de sirene de uma ambulância, ou carro policial. As meninas gritavam no corredor histéricas. Dava para ouvir que saíram batendo em todas as portas do corredor para que terminássemos de acordar. Olhei para a cama de Summer, que continuava vazia.

Vencida pela curiosidade, coloquei rapidamente alguma roupa quente e segui a aglomeração de alunos. Eles seguiam para a área esportiva, perto do lago. Chegando lá, vi os carros de polícia e a ambulância. Eles haviam demarcado um perímetro com fitas amarelas de isolamento e recolhiam informações de dois meninos, que participavam do time de canoagem. Todos estavam com os olhos arregalados e era possível escutar os sussurros inquietos dos alunos.

Olhei ao meu redor, buscando algum rosto conhecido. Me deparei com Andrew, Matt e Alex que estava um pouco mais próximos de um saco branco estendido no chão. Ao me aproximar deles, notei que não era apenas um saco, tratava-se de um corpo. Alguém havia morrido na propriedade da Lince Academy.

— Sabem o que aconteceu? — Perguntei confusa.

Andrew explicou que George e Lucas haviam acordado cedo para treinar canoagem e acabaram encontrando um corpo. Todavia, quando a aglomeração de alunos curiosos apareceu o corpo já estava coberto, então não faziam ideia de quem havia morrido ou por qual motivo. Matthew deduziu que devia ter sido algum aluno bêbado que acabou se afogando. A teoria parecia boa.

Tentei prestar mais atenção ao corpo quase completamente coberto pelo plástico branco, se não fosse por uma mão de fora. Era um detalhe sútil, mas havia percebido. Estava tão nervosa, que naquele momento achei que tivesse adquirido um super poder. Pude enxergar cada detalhe daquela mão. Meu corpo começou a ficar mais agitado. Meu coração batia mais rápido. Podia jurar que a qualquer momento cairia no chão. Olhei para as unhas do corpo, estavam pintadas exatamente da mesma cor que a minha. Um esmalte futacor que trouxera de uma viajem à cidade de Nova York. O esmalte havia sido tão caro, que jurei usar ele apenas em momentos especiais. O baile foi um desses momentos. Na noite anterior ao baile, Summer e eu fizemos uma noite da beleza. Fizemos limpeza de pele, a sobrancelha e pintamos nossas unhas... Ao me lembrar do exato momento que passei a primeira camada de esmalte na mão - quase -bronzeada de Summer, gelei. Senti meu corpo estremecer. Me senti fraca. Um turbilhão de coisas passava pela minha cabeça, mas só queria gritar. Gritar muito, com toda minha força.

Sem pensar direito, meu corpo movimentou-se contra minha vontade. Corri em direção ao corpo estendido no chão. Os policiais tentavam me segurar, mas eu precisava ter certeza. Estiquei um pouco mais meu braço e consegui mover o plástico branco, me permitindo ver o cabelo loiro contrastando com o verde escuro da grama molhada. Aquilo não podia estar acontecendo. Não podia acreditar. Summer Walker estava morta.

・゜゜・.

10 de Agosto de 2020 às 18:26 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Continua… Novo capítulo A cada 10 dias.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Mais histórias