Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
eduardo-miranda1595643581 Eduardo Miranda

UMA CAMA AMALDIÇOADA CHEGA EM UMA HUMILDE RESIDÊNCIA COLOCANDO EM RISCO A INTEGRIDADE DE UMA HUMILDE FAMÍLIA.


Horror Histórias de fantasmas Para maiores de 18 apenas.

#possessão #medo #terror
Conto
0
1.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Criaturas Embaixo da Cama

Em uma pequena cidade do nordeste brasileiro havia uma família recém chegada no município, eram em quatro, o Pai Joelinton, a mãe Maria José, o filho mais velho Roberson de 15 anos, e o mais novo Timóteo de 10 anos. Uma família carente que chegara tentando se reerguer diante das dificuldades financeiras. Na mudança trouxeram pouca coisa, apenas o básico, sendo assim lhes faltavam algumas coisas entre elas uma cama, fazendo com que os garotos revezassem as noites em uma rede.
Algumas semanas após se instalarem na nova casa, o padre local caridosamente orientou o Sr. Joelinton a buscar uma cama que estava sendo doada e se encontrava no salão paroquial, o homem muito agradecido foi rapidamente buscar o móvel e quando chegou no salão da paroquia a beata responsável estava ocupada lavando o banheiro e autorizou que ele entrasse e pegasse a cama, quando ele entrou na sala indicada por ela viu duas camas, uma mais nova em perfeitas condições e outra mais surrada, com um colchão mais amarelado, ele não teve duvidas e pegou a que estava em melhores condições, levou para casa em cima de um carrinho de mão. Era uma cama de solteiro completa com colchão e estava em ótimo estado. Imediatamente após chegar a casa, Joelinton montou a cama e sua esposa a preparou com lençol e travesseiro, já estava decidido que a cama ficaria para Timóteo, e seria uma surpresa para ele quando retornasse da escola, e assim foi, o garotinho chegou a se emocionar, nunca tivera sua própria cama, as primeiras noites foram de extrema satisfação, porém, não demoraria muito para o sossego de Timótio e sua família acabarem.
Certa noite o pequeno garoto acordou no meio da madrugada sentindo um calafrio sem motivo aparente, do outro lado do quarto estava Roberson roncando em sono profundo, o garoto puxou a coberta fina até o pescoço, pois estava sentido muito frio apesar de ser uma noite de verão. Enquanto ele estava ali com os olhos estatelados amargando um sentimento ruim, ouviu um ruído, algo arranhava a madeira embaixo da cama. O rapazinho arrepiou todos seus poros, relutou por alguns minutos, mas o barulho sutil ocorreu mais algumas vezes, então finalmente criou coragem e se esticou lentamente para ver o que causava aquele ruído estranho, esticou o pescoço e foi descendo a cabeça, a única claridade no quarto era a luz do luar, finalmente conseguiu ver, e não havia nada lá embaixo, em um salto ele retornou a posição anterior puxando sua coberta até o pescoço. Seu irmão continuava a roncar em sono profundo, Timóteo já estava mais calmo quando a cama começou a sacudir e pular como um boi bravo, o garoto gritou e saiu correndo chamando pelos pais que acordaram assustados com a barulheira.
_Mãe! Pai! A cama! – Ele gritava enquanto pulava sobre a cama do casal.
_O que foi garoto? – Joelinton acordou assustado e irritado com seu filho.
_A cama pai! A cama pai! – Timóteo gritava horrorizado enquanto sua mãe o abraçava e tentava acalma-lo.
O pai sem perda de tempo correu para o quarto dos meninos e encontrou Roberson em pé na porta com os olhos arregalados e ofegante.
_O que está acontecendo filho? – Agora Joelinton percebeu que era algo sério.
Após os garotos explicarem o que viram, o pai examinou o quarto e a cama, e não encontrou nada que explicasse o fato. A família tentou esquecer o que havia acontecido naquela noite, porém, duas noites depois algo mais terrível acontecera. Por volta das 03:00hs da madrugada Timóteo acordou ouvindo grunhidos que vinham debaixo da cama, tremendo muito e com o coração quase saltando pela boca ele ameaçou pular da cama, quando de repente várias mãos demoníacas surgiram em volta dele, tentando agarrá-lo, ele passou a gritar e entrou embaixo da coberta, Roberson acordou assustado e correu chamar seus pais, enquanto isso, ali embaixo das cobertas Timóteo sentiu algo ou alguém subir na cama e ir pra cima dele, a porta do quarto se fechou sozinha em um forte baque e o restante da família gritava por ele sem conseguir arrombar a porta. O garoto gritava horrorizado, e logo várias presenças demoníacas subiram na cama e foram para cima dele, até que seu grito abafou e em seguida houve silêncio. A porta se abriu sozinha e os pais juntamente com Roberson entraram correndo no quarto, o horror tomou-lhes as faces, Timóteo estava esticado na cama, com os braços abertos como jesus na cruz, olhos amarelados, dentes para fora como uma fera raivosa e suas mãos e pés estavam retorcidas. O garoto possuído olhou para a família que estava em estado de choque com o que viam e disse com uma voz rouca.:
_Estamos bem, muito bem.
Os pais não tiveram dúvidas que o garotinho deles estava possuído, e Joelinton ordenou que Roberson fosse chamar o padre, o rapaz saiu em disparada horrorizado com o que presenciara. Os pais pegaram cada um o seu crucifixo e passaram a rezar, a possessão começou a zombar deles e urrar como um animal. Foram momentos de horror e medo até que o padre chegou e parou na porta do quarto, ele ficou estático com o que vira, tudo no quarto se movia, os quadros, as portas do guarda-roupa, as folhas da janela, quando o padre olhou para a cama percebeu o que ocorrera, puxou Joelinton pelo braço para fora do quarto.
_Porque pegou esta cama?
_Porque estava em um estado melhor que a outra.
_Meu Deus! Tenha piedade de nossas almas. – O padre fez o sinal da cruz.
_O que está acontecendo padre?
_Esta cama devia ter sido queimada a semana passada, ela fez parte de uma possessão demoníaca onde uma legião de demônios perturbou por semanas o antigo dono dela.
_Meu Deus! E agora padre?
_Vamos fazer novamente um exorcismo.
Á partir daí foi travado uma batalha por 3 dias, até mesmo a vizinhança fazia vigília do lado de fora da casa com velas e rezas. O pequeno Timóteo ficou irreconhecível, emagreceu e lhe brotaram inúmeras feridas por todo o corpo, a cada momento era um demônio diferente que se manifestava, deixou de se alimentar, se mutilava e ao final da noite do terceiro dia um dos demônios disse.:
_Chega! Iremos embora, mas o garoto irá conosco.
O desespero tomou conta de todos, os pais imploravam pela vida de seu filho mais novo enquanto o demônio manifestado ria em deboche deles, o padre intensificou as rezas combinado com água benta, entretanto, foi em vão, o jovem Timóteo involuntariamente passou a se contorcer de forma bizarra, joelinton e Roberson pularam em cima dele para impedi-lo, mas as forças demoníacas eram muito superiores, e garoto foi se quebrando todo, os pés, os braços e por fim, seu pescoço.
A família arrasada, logo após o funeral de Timóteo se mudou do lugar, queriam ficar longe daquela casa e deixaram a cama para trás.
Três meses depois o padre abalado com o que ocorrera pediu transferência de paróquia, entretanto, não partiu sem antes dar a ordem de queimarem a cama, porém, por algum motivo isso não ocorrera.
Seis meses depois uma nova família se mudou para a casa e ficaram felizes em ver que de graça ganharam uma cama de solteiro em perfeito estado.

27 de Julho de 2020 às 02:26 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Eduardo Miranda Paulistano, 47 anos, casado e pai de 3 filhos, amante da música e de esportes em geral, adora o cinema em especial o gênero suspense e terror. Meu primeiro trabalho iniciou em 2008 quando escrevi a fantasia , Maddems, em 2017 finalizei meu segundo trabalho, Um Santo Amigo, escrevi também cerca de 21 contos de terror. e agora me aventuro a escrever online o suspense "A Estrada Escura".

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~