Contagem regressiva para a Copa dos Autores 2020. Registre-se agora e tenha a chance de ganhar prêmios!. Leia mais.
tenebraz Runa Tenebraz

As vezes, os nossos maiores medos não são aqueles que vivem nos armários ou embaixo de nossas camas como acreditamos quando eramos pequenos. Eles podem ser o medo que temos de perder um emprego, de ser sequestrado, entre vários outros. Mas ele sempre vai estar ali, pois, ter um pouco de medo é normal. O meu maior medo vivia no quarto ao lado. O meu medo me batia, me agredia tanto verbalmente quanto fisicamente, mas isso acabou quando ele "jogou" com o monstro de baixo da cama. A história conta sobre como um monstro do Setealém ajudou um garoto a se livrar do seu pior medo. Mas esse pobre garoto, mal sabia que esse mostro, seria o seu pior pesadelo. Avisos: agressão física e verbal, xingamentos, mortes. Yoonseok/centric Namjin/ side 3Kim/ side Início: 17/07/2020 Término: Twitter: @daeropur


Horror Literatura monstro Para maiores de 18 apenas.

#monstros #229 #402 #371 #terror #bts #sope #yoonseok
0
1.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

Parei de ter medo do monstro que morava embaixo da minha cama desde pequeno, por que o verdadeiro monstro estava no quarto ao lado.

A morte do que seria minha figura paterna é algo que para muitos foi fruto da minha imaginação e para o meu psicologo foi algo que a minha mente fantasiosa criou para não ter que lembrar do que realmente aconteceu.

Mas eu sei exatamente como aconteceu e não foi algo que a minha cabeça criou.

Lembro de ter acabado de deitar na cama, vi uma sombra entrar pela janela e ir direto para debaixo da minha cama.

- No tenga miedo! - E fechei os olhos, mas as batidas violentas na porta do meu quarto me fizeram correr para debaixo da cama.

Onde deveria estar o meu único medo, mas estar perto do monstro debaixo da cama era, com toda certeza mais seguro do que receber pancadas.

- Hoseok? Onde está? Então quer brinca de pique esconde? Ok, papi amare.

Vi se agachar e colocar a sua mão grande embaixo da minha cama e tatear o chão em busca de algo.

Mas ele não me achou, ele achou o monstro e achando que era eu, o puxou. A única coisa que ouvi foi a voz do monstro concordando em brincar.

- Si, si quero jugar.

E depois, mais nada.



18 de Julho de 2020 às 01:12 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Leia o próximo capítulo Caput primum

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas