hillarygomes Híllary Gomes

Quando os irmãos Leo e Lucy fazem uma festa de Natal, qual a chance de as coisas darem errado? Nessa história em especial 100%. Roubos em uma casa próspera, segredos familiares, uma fuga do hospício e até um sequestro na noite que era para ser a mais feliz do ano. Contada por vários narradores, alternando entre grupos para que não existam verdades questionáveis, mas uma verdade coletiva. Observada por pessoas com motivações e sentimentos diferentes. Conheça os personagens e suas experiências, neste romance juvenil que busca abordar brevemente os relacionamentos modernos, misturando a realidade com partes simples da ficção.


Ficção adolescente Todo o público.

#comédia #irmãos #suspense #hot #adolescentes #romance #natal #clichê #aventura
0
577 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Antevéspera

Leonardo narrando.


Acordei com o barulho do celular, vibrando incessavelmente no criado mudo e então notei a luz que vinha da janela me alertando que já era dia. Me sentei na cama e suspirei, pois já previa o tédio que se instalaria no jantar de Natal com a família.

Afastei esse pensamento com a ideia de fazer uma pegadinha natalina com a minha irmã: talvez eu encha a cama dela com neve, coloque pimenta no peru do prato dela, troque o pote de açúcar da sobremesa pelo de sal, ponha um pedaço de carvão no lugar do presente dela ou desligue a energia do chuveiro enquanto ela estiver tomando banho. E se eu fizer todas essas? De qualquer forma, isso vai render boas risadas no Ano Novo (as risadas no caso serão minhas).

Abgail bateu suavemente na porta como se pedisse uma confirmação sobre eu estar ou não dormindo, nesse momento percebi que passei quase cinco minutos apenas pensando nas pegadinhas e balancei a cabeça rindo da minha genialidade. Finalmente me levantei e fui abrir a porta para a mesma que mostrou um sorriso por saber que eu já estava de pé.


– Bom dia Leo! - Ela disse de maneira gentil.


– Bom dia raio de sol, a quê devo sua majestosa presença em meus aposentos? - Respondi o sorriso e ela soltou uma risada leve.


– Creio que a melhor parte de trabalhar nessa casa é presenciar seu bom humor, então agradeça apenas a si mesmo! Agora, se não for usar o quarto, posso começar a limpeza? - Me olhou com calma, o sorriso ainda presente.


– Estou lisonjeado! E claro, só vou trocar de roupa e já deixo o espaço livre. - Saí da porta para ela entrar e peguei uma roupa qualquer que estava jogada na cadeira.


– Obrigada! Seus pais e Lucy estão te esperando na mesa para o café da manhã, se não me engano eles queriam discutir os planos para o Natal… - Ela já estava ligando o aspirador na tomada e ajeitando os produtos de limpeza, então apenas concordei com um aceno e corri para o banheiro.


Já tinha colocado a roupa, mas antes de sair do banheiro para descer as escadas e encontrar a dama carrancuda (ou Lucy, como nossos pais a chamam) dei uma última olhada no espelho e pensei: “Esse bonitão só não tem namorada ainda porque não quer”, finalmente desci para comer.


– Bom dia filhão! - Meu pai disse animado.


Minha mãe sorriu para mim enquanto colocava o meu prato (cheio de ovos mexidos com bacon) na mesa, ela não cozinha muito, mas gosta de abrir exceções nessa época do ano.


– Logo eu que achava ser o baixinho da família? Assim você me ilude! - Nós rimos.


Lucy revirou os olhos, pois sabia que eu na verdade estava a provocando por causa de sua altura.


– Tinha que ser o palhaço da casa, achei que o circo estava em outra cidade. - Ela suspirou, engolindo outra colherada daquela mistura horrível de granola com mel que ela chama de café da manhã.


– Eu sou uma atração especial, coisa que gente idosa como você não vê todo dia! - Me sentei, com a bela visão dela aceitando o desaforo.


– Okay, antes da próxima piada eu queria falar sobre os nossos planos para o Natal. - Meu pai comeu a torrada em suas mãos antes de continuar. – Eu e sua mãe decidimos viajar até Londres, para aproveitarmos um tempo a sós e achamos que seria justo permitir que vocês convidem alguns amigos, para comemorar o Natal aqui mesmo, entre os jovens, entendem?


– Claro pai! Afinal, vocês merecem umas noites de romance! - Disse imediatamente antes de minha irmã poder discordar.


– Mas eu achei que nós fôssemos… - Lucy ficou um tanto brava com a mudança de planos, imagino que ela estivesse organizando algo com as amigas para o Ano Novo, então isso iria arruinar suas ideias.


– Sendo assim, está decidido! Querida, já deixe as malas perto da porta, pois sairemos logo após o almoço! - Meu pai sorriu como um ex presidiário e minha mãe riu.


– Pode deixar querido, já falarei com Abgail sobre isso. - Falou e comeu um pouco mais do iogurte de baunilha.


Naquele exato momento só pude pensar: “Bora juntar a galera pois a residência dos Gomez terá uma festa nesse Natal!

8 de Julho de 2020 às 16:17 0 Denunciar Insira Seguir história
1
Leia o próximo capítulo Papo de Irmãos

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 9 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas