cherry-bomb91 Cherry Bomb91

Eu sou considerado um dos garotos mais inteligente da escola, e isso contribui para eu ter uma certa popularidade entre as garotas. Mas havia uma garota em especial que não estava nem aí para mim. Sakura Haruno. Garota petulante e extremamente irritante. Ela agia como se a minha presença fosse inútil para a raça humana, e isso de alguma forma mexia com o meu ego. Mas eu iria fazer de tudo para que ela me notasse. Mas o que eu não contava era que ela já havia me notado e como consequência eu acabei sendo usado.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#romance #fanfiction #naruto #sasusaku #universo-alternativo #Cherry-Bomb91 #Onshot
Conto
0
3.1mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

O que estou para contar agora pode acontecer com qualquer um, mas duvido que as situações poderão se igualar a minha. Eu sou considerado um dos garotos mais inteligente da escola, e isso contribui para eu ter uma certa popularidade entre as garotas. Não posso negar que eu gosto dessa atenção a mais do público feminino em mim, fazia bem para o meu ego. Mas havia uma garota em especial que não estava nem aí para mim, e agia como se a minha presença fosse inútil para a raça humana.

Sakura Haruno, era esse o seu nome, garota petulante e extremamente irritante. Eu não sei o que mais me irritava nela, se era pelas roupas estranhas que ela vestia, ou o pequeno detalhe dela está quase no mesmo nível de inteligência que eu, ou pelo fato de me ignorar. Aquilo mexia comigo de tal jeito que por muitas vezes cheguei a amaldiçoá-la internamente pelo fato de me deixar louco e quase obsessivo por sua atenção.

Eu me perguntava internamente do por que eu estava dando tanta importância para àquela garota estranha. Mas aquele incômodo que eu sentia toda vez que eu a via no colégio começava a me assustar, até chegar ao ponto de eu fingir uma cena ridícula no corredor e esbarrar nela de propósito. Mas eu não calculei muito bem a minha força e Sakura foi ao chão. Meu, naquela hora eu havia percebido a grande burrada que eu havia feito, pois o olhar mortal e faiscado que Sakura lançava para mim, fez com que eu sentisse um frio na espinha.

E, cara, ela havia me notado! Eu me sentia meio babaca por dentro.

- Tinha que ser Sasuke Uchiha, o rei dos idiotas. – A sua voz zangada soou, e eu não pude deixar de me sentir ofendido com que ela disse de mim.

- Ei, não precisa me xingar, eu não fiz por mal. – Mentiroso eu sou.

Mesmo com a sua falta de educação eu estiquei a mão para ajudá-la. É claro, Sakura ignorou minha ajuda e se levantou do chão por conta própria. Arrumou a sua saia clara que ia até os joelhos e me olhou - metralhou - e em seguida apontou o dedo na minha cara, o cenho franzido.

- Não chegue perto de mim. - Em seguida deu as costas e saiu.

Precisei de alguns minutos para que meu cérebro processasse o que havia acabado de acontecer. Eu havia levado um toco? Bom, não era exatamente um toco, mas doeu pra caralho no meu ego.

Eu fui rejeitado!

E agora mais do que nunca, eu queria àquela garota.

Algumas semanas se passaram depois daquele dia, eu estava mais atento aos movimentos de Sakura, e na moral, eu me sentia um stalker. Pode até parecer que eu não tinha amor próprio, por me interessar por uma garota que não estava nem aí para mim. Mas me senti confrontado. Eu sempre a observava de longe com suas amigas, e como se o meu olhar fosse uma espécie de ímã, ela sempre desviava o olhar para mim e franzia o cenho. Eu não me importava com o seu olhar maligno em mim, e muito menos as piadinhas escrotas dos meus amigos dizendo que eu estava apaixonadinho.

Que se foda eles, eu queria aquela garota.

E foi numa tarde que tudo mudou, e me fez ver as coisas diferentes. E foi aí que percebi que eu era estranho também. Eu estava voltando da educação-física e caminhando para o vestiário tomar uma ducha quando esbarrei - agora a c i d e n t a l m e n t e - em Sakura.

Segurei os seus dois braços antes que ela caísse no chão. Observei de perto os seus olhos verdes e logo senti algo estranho no meu estômago, sei lá, parecia que havia uma corrida de carros nas minhas tripas, e a minha respiração ficou presa na garganta. Sakura franziu as sobrancelhas e automaticamente a soltei, me sentindo anestesiado.

- Me desculpe, eu não te vi. - Fui totalmente cavalheiro, eu não poderia me igualar a sua ignorância, e nem queria. Eu estava afim da mina.

Ela apenas suspirou dando um passo para trás, cruzando os braços.

- Tudo bem.

A sua resposta me pegou de surpresa, ela estava sendo gentil.

Ela foi gentil!

Eu não estava acreditando que Sakura, a garota que me esnobava estava sendo educada comigo. Será que era o meu dia de sorte?

- Está indo aonde? - A minha curiosidade falou mais alto, até por que, nós não éramos da mesma sala.

- Acho que isso não é da sua conta.

Ai! Aquilo havia doido no meu fígado.

- Tem razão, desculpe - abaixe meu olhar para os meus pés, tentando desesperadamente que o nosso diálogo não morresse.

- Posso te fazer uma pergunta? - Sua voz me fez fitá-la.

- Claro - sorri, sentindo-me agora animado.

- Por que você é tão babaca?

Aquilo foi como um balde de água fria, acabou de vez comigo. A minha expressão deveria estar engraçada, pois em seguida Sakura começou a rir de mim.

- Não sei qual é a graça - franzi a boca e cruzei os braços, observando àquela baixinha irritante rir da minha cara.

Ela estava linda sorrindo daquele jeito, mas eu tinha que tomar as rédeas da situação e não transparecer o quanto o seu sorriso me afetou. Eu tinha que ser durão.

- Você deveria ver a sua cara. - Ela riu mais, fazendo uma covinha se destacar no lado esquerdo de sua bochecha.

Apenas arqueei a sobrancelha na minha pose de garoto mal.

- Já acabou?

Ela se recompôs e ergueu as sobrancelhas, um sorriso debochado nos lábios. Parecia que minha pose de durão não a afetava.

- Não, acho que vou rir mais um pouquinho.

Revirei os olhos.

- Idiota - murmurei, zangado por ter deixado àquela garota tirar uma com a minha cara.

- Bom, na verdade eu queria perguntar do porquê de você ficar sempre me encarando. - Ela disse, fazendo o meu peito disparar.

- Não sei do que você está falando - me fiz de desentendido.

- Não sabe? - Ela cruzou os braços, me olhando com deboche. - Sabe o que eu acho? Que você está interessado por mim.

Naquela hora senti meus olhos arregalarem, era tão óbvio assim que eu estava caído por aquela garota? Tomei o controle da situação e consegui conter a minha onda de nervosismo. Ergui o queixo e resolvi jogar na mesma moeda.

- E se eu estiver?

Observei atentamente cada movimento de Sakura vindo até mim. Ela colocou as mãos em meus ombros, e ficou na ponta dos pés em cima dos meus pés. E tudo foi muito rápido, eu só senti a sua boca na minha o que resultou num beijo de língua.

Puta merda, demorei alguns segundos para processar o que estava acontecendo, estava surpreso com sua atitude ousada. Sakura estava me beijando, e eu não estava acreditando. Mas o quão rápido ela agiu em me beijar, ela se afastou, um sorriso vitorioso nos lábios.

Eu estava sem reação, eu parecia aqueles garotos que nunca havia beijado na vida. Mas cara, àquela era Sakura Haruno, a garota que eu gostava. Sim, descobri que eu gosto dela.

- Por que você me beijou? - Eu quis saber, para pelo menos entender a cabeça daquela garota complicada.

- Por que me deu vontade. – Ela disse e logo estendeu uma nota do bolso e sacudiu para mim. - E eu ganhei cinquenta pratas por isso.

O quê?

Precisei de alguns segundos para assimilar a situação. Meus olhos arregalaram, e depois de uma pequena pausa, consegui fazer com que a minha voz saísse:

- Você apostou? Foi isso mesmo que entendi?

Ela ergueu os ombros para cima e sorriu, totalmente cínica.

- Até que você beija bem.

- Mas o quê... - fiquei sem o que falar.

- Nós vemos por aí. - Ela piscou para mim, antes de se afastar e me deixar como um bobo parado, olhando ela sumir por entre os corredores do colégio.

Eu queria muito ficar com àquela garota, mas foi ela que acabou ficando comigo por causa de uma aposta.

Eu, Sasuke Uchiha, o cara mais inteligente e popular da escola havia sido usado por Sakura, a garota estranha e irritante. E ela teve a cara de pau de revelar aquele detalhe para mim. Pelo menos ela havia sido honesta, não é?

Eu havia sido usado!

Usado!

U S A D O !

Pode parecer estranho, mas eu gostei da sensação de ser usado por ela, e olhe que não sou nenhum masoquista. E agora eu sabia o quanto Sakura era incrível. Será que ela me usaria de novo? Garanto que não iria achar ruim. E sim, sou completamente estranho.

Estranho por gostar de Sakura, a garota que eu estava terrivelmente caído e que me usou.

27 de Junho de 2020 às 19:27 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Cherry Bomb91 quando eu morrer não perca um minuto chorando por mim. posso ir embora mas vou deixar para trás todas as minhas mil & uma vidas. - uma garota louca por livros nunca morre.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~