cherry-bomb91 Cherry Bomb91

Pode até ser coisa da minha cabeça, mas minha vida é um verdadeiro clichê. Ser uma nerd e ao mesmo tempo ser a melhor amiga de um carinha mais lindo da cidade, é bem clichê. E quando é vizinha do carinha mais lindo da cidade, também soa clichê. Ou quando você é importunada por garotas que gosta do carinha mais lindo da cidade só por que sou a melhor amiga dele, como isso é clichê. E não deixando de mencionar que sou apaixonada pelo carinha mais lindo da cidade, sendo que ele só me ver como melhor amiga, pode colocar clichê nisso. Agora eu digo, a minha vida pode parecer mais clichê?


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#romance #fanfiction #naruto #sasusaku #clichê #universo-alternativo #Cherry-Bomb91 #Onshot
Conto
0
3.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Posso parecer óbvia ou simplesmente ser coisa da minha cabeça e da minha imaginação fértil. Mas tem fatos que acontece em minha vida que por muitas vezes se torna clichê. Talvez eu seja o próprio clichê em pessoa, ou eu simplesmente atraio o clichê para mim...

Ser melhor amiga e vizinha do cara mais legal e popular da cidade, sendo que eu sou uma completa nerd daquelas que usa óculos de grau, parece clichê. Ou quando eu sou importunada pelas garotas que gostam desse meu amigo só por que eu sou amiga dele, também parece clichê. E pior ainda, nutrir um amor platônico por esse amigo, sendo que ele só me ver como uma amiga que só dar conselhos e escuta suas aventuras com as garotas que ele fica, e ter que me manter numa cara de paisagem sempre, parece o pior de todos os clichês.

Eu sei, pode parecer que minha situação é uma grande droga, e que eu sou a pessoa mais idiota de todas por gostar de um garoto que não gosta de mim... bem, não nesse sentido de romance, pois eu sei que ele gosta de mim, como amiga.

Mas quando eu pensei que a minha situação não tinha mais solução, eis que algo de diferente que deixou tudo mais claro e que soou também clichê - como sempre - aconteceu.

E foi numa tarde na sexta-feira que eu soube que eu não havia percebido o óbvio.

Eu havia chegado da escola, meus pais estavam trabalhando, e depois que tomei o meu banho e almocei, eu coloquei algumas roupas sujas na máquina de lavar e fui fazer a limpeza da casa. Até aí normal, eu sempre fazia alguns serviços domésticos para ajudar.

Quando estava terminando de arrumar a sala a campainha tocou, e fui atender. Não me surpreendeu de ver Sasuke ali, era normal ele vir a minha casa para ficarmos jogando conversa fora, mesmo sozinhos em casa.

- Fazendo o quê de interessante? - Ele perguntou.

- Arrumando a casa, coisa que eu sei que você não faz na sua. - Mesmo que minha voz soando indiferente, o meu coração batia acelerado com a sua presença ali.

Ele entrou e se jogou no sofá, ligando a televisão.

Folgado.

- Legal, mas tenho a minha mãe para isso.

- Você é muito abusado, sabia? - Questionei, fechando a porta e me aproximei. - O que faz aqui?

- Estou entediado, vim matar o meu tempo com você. - Ele respondeu sem tirar os olhos da TV.

- Por que não sai com os seus amigos? Garanto que são mais legais do que eu.

Dessa vez ele desviou os olhos para mim e sorriu, daquele jeito que fazia meu coração bater acelerado.

- Pode ser, mas estou com vontade de passar um tempo com a minha melhor amiga.

Apenas revirei os olhos, fingindo desinteresse, mas por dentro eu pulava de alegria.

- Hm.

Deixei ele na sala e fui terminar de arrumar a casa. Sasuke morava ao lado, só havia apenas uma cerquinha baixa que dividia os lados, e que por muitas vezes ele pulava para o meu lado e me importunava, uma coisa que eu adorava, mas ele não sabia.

Depois de arrumar a casa eu fui estender as roupas lavadas no varal, e foi aí que Sasuke apareceu.

- Quer ajuda?

Ergui meu olhar e o fitei, estava lindo com aqueles cabelos negros bagunçados, alguns fios caindo no seu rosto, fiz o possível para não corar, mas podia sentir meu rosto ficar quente.

Ele era bonito demais.

- Claro.

Ele pegou algumas roupas da minha mão e me ajudou a estender no varal de qualquer jeito. Eu iria repreendê-lo, mas fiquei quieta, pois achei que ele estava meio estranho, calado, coisa que ele não era. Ele só ficava desse jeito quando algo lhe incomodava.

- Desembucha, o que está acontecendo? - Fui direta como sempre.

A nossa amizade era tão íntima que eu falava com ele do jeito que eu queria, mesmo que por dentro eu sentisse um turbilhão de coisas como eu sentia naquele momento.

Ele suspirou, e sorriu cansado.

- Você me conhece mesmo.

- Claro, anos de convivência - dei de ombros, e estendi uma blusinha no varal.

Dois segundos de silêncio, até que ele decidisse se abrir, sua voz saindo baixinha:

- Eu estou gostando de uma garota.

Meu corpo congelou, mas tentei disfarçar.

- Normal - fingi pouco caso, engolindo amargo.

Ele me fitou com seus olhos negros.

- Não é que nem as anteriores, eu descobri que gosto dessa garota pra valer.

E aos poucos eu sentia meu coração despedaçando. Sasuke sempre foi namorador, mas ele sempre dizia que estava com a garota por ficar mesmo, era só atração e mais nada. Ele nunca gostou de uma garota para valer.

Agora era...

- Sério? - Fiz muito esforço para que a minha voz saísse, eu queria desesperadamente sair dali.

Eu tinha consciência que não era bonita o suficiente para chamar a atenção de Sasuke, todas as garotas que ele saía eram lindíssimas. Já eu, era uma nerd sem graça.

- Eu não havia percebido o quanto ela era incrível, divertida - sorriu animado, fitando um ponto qualquer, todo sonhador e eu quis morrer -, atrapalhada e bonita.

Agora eu fitava o chão, meus olhos estavam enchendo de lágrimas. Era impossível controlar. Meu autocontrole emocional estava se esfarelando. Era anos gostando de Sasuke e sem nenhum vestígio de chance em ser sua namorada. E eu era covarde o suficiente para me declarar e perder sua amizade por ele não corresponder as minhas expectativas e depois nossa relação ficar estranha. Tudo o que podia fazer era apoiá-lo em sua decisão e bancar sempre sua melhor amiga compreensiva. Qualquer fiapo de esperanças havia se esvaído com a notícia. Eu sentia tanta inveja da garota de sorte que havia conquistado o coração de Sasuke que eu não havia percebido as primeiras lágrimas descer pelo meu rosto.

- Que... bom. - Doía muito, meu coração estava se despedaçando.

- Sakura... - ele aproximou, parando de frente para mim, o cenho franzido. - Você está chorando?

Já chega!

Ignorei o seu tom preocupado, ignorei meu autocontrole e corri para dentro de casa. As lágrimas escorriam sem nenhum vigor em meu rosto, não consegui mais segurá-las. Não consegui mais manter o controle. Eu estava perdendo Sasuke de uma vez por todas para uma garota qualquer. Eu amava Sasuke desde pequena e ele não me via da mesma forma.

Subi para o meu quarto e me joguei na cama, de cara no colchão, chorando agora como uma manteiga derretida que sou.

Eu sabia que não tinha nenhuma chance com Sasuke, mas eu nutria uma pontinha de esperança de que ele poderia gostar de mim algum dia.

Como sou uma tonta.

Escutei passos se aproximando, mas não levantei minha cara do travesseiro. Eu senti a ponta da minha cama afundar ao meu lado, e uma mão alisando meus cabelos.

- Ei, por que está chorando? - Sasuke perguntou, a voz mansa com um tom preocupado.

- Vai embora! - Minha voz soou abafada.

Tudo o que eu queria agora era ficar só, não queria olhar para a ele, eu só iria sofrer mais.

- Por quê? - Ele quis saber, mas não respondi. - Sakura, estou ficando preocupado com você!

Preocupado? Uma onda de fúria tomou conta de mim e o impulso me fez levantar minha cara do travesseiro e o fitei, ignorando o meu rosto que deveria estar uma droga. E sem pensar joguei para fora tudo o que estava entalado aquele tempo todo, todas as minhas frustrações e amarguras que sentia naquele momento. Eu me sentia uma bomba relógio.

- Eu não aguento mais escutar você dizendo que gosta de outra garota, sendo que eu sou apaixonada por você, seu idiota!

Os olhos de Sasuke arregalaram, surpresos, e na mesma hora me arrependi do que havia falado. A minha sanidade havia voltado.

Ah Meu Deus!

Eu não queria perder a sua amizade por uma paixão que não era correspondida, pois ele gostava de outra. Eu queria que o tempo voltasse atrás. Eu deveria ter controlado meus sentimentos.

Droga, eu havia dito besteiras, estava me arrependendo...

- A quanto tempo você gosta de mim? - Sua voz soou baixinha, os olhos fixos em mim.

Não havia como escapar, era hora de abrir o jogo e lançar a sorte no ar.

- Desde que você se mudou para a casa ao lado. - Meu tom soou trêmulo, minhas bochechas vermelhas.

Quando pensei que estava tudo perdido, o canto esquerdo de sua boca ergueu-se para cima.

Ahn?

- Uau, não imaginava isso...

O interrompi:

- Olha, Sasuke, esquece tudo isso ok? Eu agi por impulso, e você gosta de outra garota...

- Quem disse que eu gosto de outra garota? - Ele me interrompeu, as duas mãos agora nos meus ombros.

- Não? - Franzi o cenho. - Mas você disse...

- Você nem me deixou terminar. A garota que eu gosto é você.

Meus olhos arregalaram, surpresos.

- Você gosta de... mim?

Ele sorriu.

- Como não gostar de você, Sakura? Eu te amo.

Não tive tempo para processar, pois Sasuke havia me beijado. Não sabia como reagir, se pulava se felicidade ou gritava de alegria, pois meu melhor amigo me amava também.

E isso tinha como ser mais clichê?

27 de Junho de 2020 às 18:31 0 Denunciar Insira Seguir história
0
Fim

Conheça o autor

Cherry Bomb91 quando eu morrer não perca um minuto chorando por mim. posso ir embora mas vou deixar para trás todas as minhas mil & uma vidas. - uma garota louca por livros nunca morre.

Comente algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~